Banca de DEFESA: CRISTIANE VIEIRA COSTA



Uma banca de DEFESA DE MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: CRISTIANE VIEIRA COSTA
DATA: 16/10/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma de webconferência - Google Meet
TÍTULO:

Inovação em Biometria Forense: Polímeros Condutores Aplicados a Revelação de Impressões Digitais Latentes


RESUMO:

As impressões digitais têm um papel fundamental nas investigações criminais como uma das evidências físicas usadas na identificação de criminosos. Para enfrentar o desafio de capturar evidências de impressões digitais latentes de superfícies metálicas, este trabalho traz uma nova proposta de metodologia para revelação de impressões digitais latentes baseada na eletrodeposição de polímeros conjugados. Os polímeros poli(3,4-etilenodioxitiofeno) (PEDOT) e poli(2,2’:5’,2’’-tertiofeno) (PTT) foram utilizados para a revelação de impressões digitais latentes sobre aço inoxidável e estojo de munição em latão. A técnica explora o depósito sebáceo da impressão digital como uma máscara de isolamento, de modo que os processos eletroquímicos de deposição só podem atuar em áreas livres de gordura na superfície metálica, ou seja, entre as cristas do resíduo das impressões digitais. O PEDOT foi eletrodepositado por oxidação do monômero em solução de LiClO4/H2O por meio dos métodos de deposição potenciodinâmico, potenciostático e galvanostático. Os dados eletroquímicos forneceram um ensaio total do material depositado produzindo espessuras de filmes entre 1,2 ≤ Г ≤ 4,1 µmol cm-2 que são proporcionais ao preenchimento das superfícies entre as cristas das impressões digitais. Os resultados indicam que processos envolvendo a eletrodeposição de PEDOT consistem em uma metodologia eficiente para revelar impressões digitais latentes, mesmo após decorridos 30 dias em que os resíduos sebáceos foram deixados na superfície. O PTT foi depositado eletroquimicamente por meio da cronoamperometria usando uma solução de 2,2 ': 5', 2 "-tertiofeno (TT) (C4H9)4NBF4 / CH3CN sobre o filme de PEDOT, em aço inoxidável, formando uma bicamada. As propriedades fluorescentes da bicamada podem ser aplicadas em biometria forense para a revelação de impressões digitais em superfícies metálicas escuras sob exposição à luz UV. Um processo de oxidação da superfície metálica ocorre simultaneamente à eletrodeposição do polímero, aperfeiçoando ainda mais o contraste entre a impressão digital e o estojo de munição. A qualidade da revelação das impressões digitais foi avaliada pelo software Griaule Forensic Fingerprint® comprovando o contraste produzido entre o polímero e a superfície contendo a impressão digital e confirmada utilizando a escala elaborada por Bandey, com 87% e 81% de impressões com grau 4 em aço inoxidável (PEDOT) e estojo de munição (PEDOT+corrosão), respectivamente; 84% e 57% com grau 3 no aço inoxidável (PEDOT+PTT) e estojo de munição (PEDOT), respectivamente.


PALAVRAS-CHAVE:

Polímeros conjugados, impressões digitais, estojo de munição.


PÁGINAS: 97
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1543737 - ADRIANA SANTOS RIBEIRO
Interno(a) - 2089941 - DIMAS JOSE DA PAZ LIMA
Externo(a) à Instituição - FRED AUGUSTO RIBEIRO NOGUEIRA - IFAL
Externo(a) à Instituição - MARCELO NAVARRO - UFPE
Notícia cadastrada em: 08/10/2020 13:29
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 17/08/2022 10:35