Banca de DEFESA: SARALINY BEZERRA FRANÇA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SARALINY BEZERRA FRANÇA
DATA : 05/02/2024
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de reuniões do IQB
TÍTULO:

Planejamento, síntese e avaliação da atividade larvicida, antimicrobiana, Leishmania amazonensis e ecotoxicológica de derivados do ácido cinâmico


PALAVRAS-CHAVES:

Ácido cinâmico e derivados; Síntese orgânica; Avaliação biológica; Estudo in sílico, Ecotoxicidade.


PÁGINAS: 170
RESUMO:

O ácido cinâmico e seus derivados advindos de origem natural ou sintética possuem inúmeras aplicações biológicas, como: antineoplásica, inibitória, antimicrobiana, antileishmanicida, antioxidante, larvicida entre outros. A responsável por essas ações terapêuticas é a sua estrutura cinâmica por possuir vários sítios reativos que contribuem na interação com o alvo associado. Além disso, os DAC’s possuem baixa toxicidade podendo ser utilizados na área de cosméticos e alimentos. Esses compostos atuam sob diferentes vias mecanísticas, da qual uma de suas características é de serem bons candidatos no combate as doenças negligenciadas e multirresistentes, sejam por atuarem na morte de microrganismos do gênero Cândida, nas mais variadas formas da Leishmania ou em hospedeiros tal quão o Aedes aegypti, sendo uma boa estratégia quanto ao desenvolvimento de moléculas bioativas mais potentes do que as encontradas no mercado, já que essas tem se mostrado tóxica, carcinogênica, teratogênica e a maioria dos microorganismos, protozoários e hospedeiros já apresentam resistência. Assim, devido às diversas atividades biológicas e por serem oriundos de fontes naturais, o ácido cinâmico e seus derivados têm sido utilizados como modelo para a síntese de compostos com ação inseticida mais efetiva. Neste sentido, este presente trabalho reporta eficientes métodos de síntese dos DAc’s, sejam elas: A reação de Olefinação de Horner-Wadsworth-Emmons (HWE), esterificação ácida, hidrólise alcalina e reação de Passerini (Multicomponente), respectivamente, obtendo compostos cinâmicos n-substituídos em bons rendimentos, em que seis α-aciloxicarboxiamidas são inéditas na literatura. Os derivados cinamatos e as α-aciloxicarboxiamidas foram avaliados frente às larvas do quarto instar (L4) do Aedes aegypti, e aqueles que se mostraram com atividade de moderada (entre 50 e 75%) a ativa (> 75%) pelo ensaio preliminar foram selecionados para a determinação da CL50. O estudo in silico realizado, mostrou que o derivado p-clorocinamato de etila, da série dos cinamatos de etila, teve a melhor pontuação, corroborando com o seu resultado de atividade larvicida (CL50 = 8,3 µg/mL). Dessa forma, o p-clorocinamato de etila foi selecionado para identificar e quantificar o extrato larval por meio da análise de HPLC, bem como, uma análise morfológica da larva e estudo ecotoxicológico frente às espécies vegetais (Lactuca sativa, solanum lycopersicum e Allium cepa). A partir do estudo ecotoxicológico foi possível concluir que o p-clorocinamato de etila não se mostrou tóxico frente às espécies vegetais, e por meio da análise de HPLC, foi observado a presença do ácido p-cloro cinâmico, sugerindo uma metabolização enzimática. Esse estudo foi comprovado pela inibição enzimática da AChE presente no extrato larval do vetor Ae. aegypti dos ésteres cinâmicos n-substituídos que tiveram ação larvicida. Além disso, os ésteres e ácidos cinâmicos n-substituídos foram submetidos ao estudo anfúngico frente à Candida albicans e Candida neoformans se mostrando ativos com MICs entre 0,24mM a 2,26mM, com destaque o (2E,4E)-5-fenilpenta-2,4-dienoato de etila (0,24mM, SFD2) para a Candida albicans e o ácido p-clorocinâmico (0,27Mm) frente à Candida neoformans. Ao passo que a maioria das α-aciloxicarboxiamidas apresentaram baixa citotoxicidade em macrófagos peritoneal (CC50> 400µM), sendo de baixa toxicidade. Além disso, na análise em ambas as formas promastigotas e amastigotas foi verificada que a maioria apresentou atividade leishmanicida, destacando-se os compostos SFD4 (CI 50> 31,83µM e CI50 >27,28µM) e SFD10 (CI50> 33,88µM e CI50 >38,31µM), respectivamente. Esses, por sua vez, apresentaram um bom índice de seletividade (IS) estando acima ao mínimo do que é permitido (IS>10), com destaque ao composto SFD4 com IS > 14,66. Portanto, esses resultados sugerem que os DAC’s são bons candidatos a inseticidas e seu andaime estrutural pode servir para o planejamento de candidatos antifúngicos e antileishmanicidas, uma vez que possuem baixa toxicidade frente a outros organismos não-alvos


MEMBROS DA BANCA:
Externo(a) à Instituição - DANIELA MARIA DO AMARAL FERRAZ NAVARRO
Presidente - 2089941 - DIMAS JOSE DA PAZ LIMA
Interno(a) - 3182336 - EDEILDO FERREIRA DA SILVA JUNIOR
Interno(a) - 1006306 - JADRIANE DE ALMEIDA XAVIER DOS SANTOS
Interno(a) - 1294906 - RUTH RUFINO DO NASCIMENTO
Externo(a) ao Programa - 1461121 - SILVIA HELENA CARDOSO - UFAL
Notícia cadastrada em: 02/02/2024 15:49
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 17/04/2024 03:30