Banca de QUALIFICAÇÃO: ALLYSSON ROBERTO BARBOSA DE LIMA



Uma banca de QUALIFICAÇÃO DE DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: ALLYSSON ROBERTO BARBOSA DE LIMA
DATA: 26/11/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIA ELETROQUÍMICA EMPREGANDO ELETRODO DE CARBONO VÍTREO MODIFICADO COM NANOTUBO DE CARBONO E QUANTUM DOTS (CdSe/CdS) PARA QUANTIFICAÇÃO DE MEDICAMENTOS


RESUMO:

Espécies químicas com funções farmacêuticas são denominadas medicamentos, estes, por sua vez, podem ser obtidos de diversas formas, desde sua produção por meio de sínteses e até mesmo obtidos de fontes naturais, tais como as plantas. De um modo geral, essas espécies são produzidas para fornecerem ações paliativas, de cura, prevenção e ainda empregadas em diagnósticos clínicos. Diante disso, ações são adotadas para manter sua eficiência terapêutica e ter controle de sua qualidade são amplamente empregadas. Para esse tipo de acompanhamento, existem órgãos, tais como a ANVISA e também programas que possibilitam ter informações mais precisas, tanto antes de sua comercialização, quanto após essa etapa. Diversas metodologias analíticas podem ser aplicadas para se obter mais informações a respeito dessas espécies, dentre elas, pode-se destacar metodologias cromatográficas, como HPLC, análises por eletroforese capilar e também métodos eletroquímicos. Este último, se destaca por sua sensibilidade, simplicidade e baixo custo associado. Por isso, o presente trabalho visa o desenvolvimento de uma metodologia eletroquímica empregando um sistema de três eletrodos: eletrodo auxiliar (platina), eletrodo de referência (Ag|AgCl|Cl-) e um eletrodo de carbono vítreo (ECV) com determinadas modificações com intuito de quantificar medicamentos. Para isso, foram aplicados, inicialmente, medicamentos, tais como: Captopril, flucloxacilina, amoxicilina, N-Acetil-L-cisteína e ranitidina em análises eletroquímicas, por meio da voltametria cíclica (VC) e voltametria de pulso diferencial (VPD). Os resultados eletroquímicos obtidos, demostraram a ranitidina como uma alternativa para analito, tanto em função de sua disponibilidade no laboratório LEMAN, quanto pela falta de informações na literatura associadas a questões eletroquímicas e pela necessidade de estudos voltados para sua qualidade medicamentosa. Sabendo-se essas informações, realizaram-se modificações no ECV usando quitosana na ausência e presença de nanopartículas (CdSe, CdSe/CdS, ZnO e Au), porém, foi constatado uma atenuação do processo redox. E assim, aplicaram-se nanotubos de carbonos com essas mesmas nanopartículas, dando destaque para a modificação de NTC com CdSe/CdS, que foi escolhida por apresentar uma das melhores sensibilidades (43,75 I (µA) mmol-1 L), até cerca de 10x mais sensível que as outras modificações. Com a escolha das modificações, aplicaram-se a otimização dos parâmetros e esses foram: pH =7 para tampão fosfato numa concentração de 200 mM, com a seguinte curva: I (µA) = 43,75 Cran(± 2,30) - 0,25 (±0,08), F.L = 7,0 – 56,6 µM, N = 7, r = 0,993. Por fim, como o trabalho está em andamento, se faz necessário analisar a concentração de nanopartículas no sistema e realizar as etapas de caracterização, validação do método e aplicação de amostras reais. 


PALAVRAS-CHAVE:

Métodos eletroquímicos. Ranitidina. Sensibilidade. Nanopartículas. 


PÁGINAS: 52
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 426640 - FABIANE CAXICO DE ABREU GALDINO
Interno(a) - 1127609 - DIOGENES MENESES DOS SANTOS
Externo(a) ao Programa - 2723870 - FABRICIA DA ROCHA FERREIRA
Externo(a) à Instituição - CLEYLTON BEZERRA LOPES - IFAL
Notícia cadastrada em: 12/11/2020 08:59
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 15/08/2022 19:07