Banca de QUALIFICAÇÃO: JÔSE RAYMARA ALVES LIMA



Uma banca de QUALIFICAÇÃO DE DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: JÔSE RAYMARA ALVES LIMA
DATA: 10/02/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

SÍNTESE DE FERTILIZANTES DE LIBERAÇÃO LENTA USANDO OS RESÍDUOS DA CARCINICULTURA COMO FONTE
DE NUTRIENTES


RESUMO:

A carcinicultura é um dos setores produtivos que mais crescem e contribuem com o abastecimento mundial de pescado. Seus resíduos sólidos e líquidos são ricos em nutrientes e materiais orgânicos provenientes da ração, excreções do camarão e fragmentos de animais. O descarte desses resíduos, além de gerar danos ambientais, tais como eutrofização e degradação dos solos, ocasiona a redução da biodiversidade, e produz problemas econômicos, haja vista que biomateriais valiosos são desperdiçados. Logo, é de grande importância desenvolver técnicas capazes de inserir os resíduos na cadeia produtiva, fortalecendo a premissa do desenvolvimento sustentável da carcinicultura, por conta da sua importância econômica e social. Assim, neste trabalho foi sintetizado diferentes fertilizantes de liberação lenta empregando o resíduo sólido da carcinicultura, quitosana, bentonita e ureia. As esferas de fertilizantes foram produzidas e caracterizadas por análise elementar (CHN), obtendo-se 14,4 - 18,4 % de carbono, 5,6 - 6,9% de hidrogênio e 12,3 - 19,3 % de nitrogênio. Os fertilizantes apresentaram razões C/N baixas de 1,0-1,50, todavia, os valores obtidos são semelhantes do fertilizante mais utilizado na agricultura brasileira, a ureia (C/N 0,87). Os espectros de infravermelho (FTIR) apresentaram bandas de absorção referentes a grupos funcionais que compõem as esferas, confirmando a presença de grupos hidroxilas e carboxilatos presentes na matéria orgânica do resíduo, como também bandas típicas da quitosana, ligação de amida, e banda dos grupos Al-O, característica da bentonita. Para a quantificação da ureia em água, foi construída uma curva de calibração por espectrofotometria UV-Vis, no comprimento de onda de 427nm, obtendo-se um coeficiente de determinação (R2 ) de 0,9977, indicando a eficiência do método para a determinação da ureia. Os testes de liberação na água mostraram que os fertilizantes liberam ureia de forma lenta, atingindo o máximo após 15 dias (95- 97%). Os dados cinéticos da liberação de ureia em água, ajustaram-se ao modelo de cinético de Higuchi, indicando que o mecanismo de liberação ocorreu por difusão Fickiana. O estudo de degradação demonstrou a biodegradabilidade dos fertilizantes no solo, com taxa superior a 60% após 30 dias de incubação no solo, indicando sua capacidade de aplicação no solo sem geração de resíduos. Os fertilizantes apresentaram um padrão de lixiviação menor que a ureia, no solo, indicando que as perdas por este processo são mais baixas. Ademais, os resultados mostraram a potencialidade da reutilização do resíduo sólido da carcinicultura e quitosana/bentonita na formação de fertilizantes de liberação lenta, dando uma aplicabilidade viável e promissora aos resíduos.


PALAVRAS-CHAVE:

Fertilizante de liberação lenta; carcinicultura; quitosana; ureia; bentonita.


PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química

MEMBROS DA BANCA:
Externo(a) à Instituição - AIRON JOSÉ DA SILVA - UFS
Externo(a) à Instituição - DEBORAH PINHEIRO DICK - UFRGS
Interno(a) - 1904678 - JANAINA HEBERLE BORTOLUZZI
Externo(a) à Instituição - LUCIANE PIMENTA CRUZ ROMÃO - UFS
Presidente - 1697766 - WANDER GUSTAVO BOTERO
Notícia cadastrada em: 05/01/2021 13:57
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 15/08/2022 18:47