Banca de DEFESA: PAULO RICARDO DOS SANTOS CORREIA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PAULO RICARDO DOS SANTOS CORREIA
DATA : 28/03/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

SÍNTESE, AVALIAÇÃO BIOLÓGICA E ESTUDO IN SILICO DE ADUTOS DE MORITA-BAYLIS-HILLMAN FRENTE
AO AEDES AEGYPTI


PALAVRAS-CHAVES:

Morita-Baylis-Hillman; in sílico; Larvicida; Aedes aegypti.


PÁGINAS: 145
RESUMO:

Atualmente, patógenos que vêm adaptando-se às mudanças impostas pela natureza continuam a
acarretar vastos danos socioeconômicos e, principalmente, à saúde humana. A exemplo, cita-se
as Doenças Tropicais Negligenciadas causas por vírus, tais como a Dengue, Zika e Chikungunya.
Tais arbovírus, por sua vez, emergem de ciclos zoonóticos, transmitidos, em sua maioria, pelo
artrópode Aedes aegypti, em que para a Zika e Chikungunya ainda não há vacina disponível.
Embora haja vacina para alguns sorotipos da Dengue, a alta expansão do vetor tem ocasionado
níveis crescentes desta doença em ciclos epidêmicos a cada 3 a 5 anos. À vista disso, este
trabalho propôs-se a contribuir para o planejamento e desenvolvimento de moléculas com
potencial ação biológica frente ao vetor Aedes aegypti por meio da metodologia reacional de
Morita-Baylis-Hillman (MBH) e realização de estudos in silico para compreensão do possível
modo de ação de tais compostos. Desta maneira, resultados da síntese foram apresentam
rendimentos satisfatórios, sem do os compostos, posteriormente, submetidos a avaliação
larvicida, em conjunto com alguns compostos MBH disponibilizados por meio de parceria com
grupo de pesquisa externo. Dentre estes, 3 apresentaram atividade promissora, destacando-se
metil 2-([1,1'-bifenil]-4-il(hidroxi)metil)acrilato (3k). Ademais, estudos de docking molecular foram
conduzidos com a enzima AaAChE, principal alvo biológico no controle do veto, e outros
possíveis alvos biológicos, o que sugere uma possível múltipla ação. Contudo, análises
morfológicas sugerem provável dano em órgãos na região do tórax responsáveis pela síntese da
membrana peritrófica, componente essencial do sistema de defesa do inseto. Desta forma,
observou-se resposta degenerativa no tecido epitelial na região abdômen da larva. Em suma,
evidencia-se que os adutos de MBH apresentam-se como uma promissora classe de compostos
no controle populacional do Aedes aegypti


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2089941 - DIMAS JOSE DA PAZ LIMA
Externo ao Programa - 1820228 - RICARDO SILVA PORTO
Interno - 1366289 - THIAGO MENDONCA DE AQUINO
Externo à Instituição - Verônica Diniz da Silva - UFAL
Notícia cadastrada em: 03/02/2022 13:23
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 17/08/2022 11:09