Banca de QUALIFICAÇÃO: ARYANNA SANY PINTO NOGUEIRA COSTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ARYANNA SANY PINTO NOGUEIRA COSTA
DATA : 08/07/2022
HORA: 13:30
LOCAL: Vídeoconferência via RNP
TÍTULO:

MODELO DE SIMULAÇÃO DE CONTAMINAÇÃO POR ARSÊNIO E MONITORAMENTO AMBIENTAL DE MERCÚRIO NO ECOSSISTEMA AQUÁTICO DA LAGUNA MUNDAÚ (MACEIÓ- AL, BRASIL)


PALAVRAS-CHAVES:

Contaminação; Mecanismo de Toxicidade; Monitoramento Ambiental; Arsênio; Mercúrio


PÁGINAS: 95
RESUMO:

A crescente degradação ambiental presenciada na contemporaneidade, em decorrência das atividades humanas sobre o ambiente, tem acarretado diferentes problemáticas. Dentre estas encontra-se a degradação por contaminantes inorgânicos, como Mercúrio (Hg) e Arsênio (As), estes elementos não sofrem processos de biodegradação, ou seja, ficam bioacumulados nos diferentes compartimentos ambientais e, de maneira subsequente, podem avançar ao longo da cadeia trófica e se tornarem bioacessíveis. Com isso, estudos na área de ambiental se tornou uma necessidade atual para que no futuro a natureza não passe a ser fonte inesgotável e a sociedade não venha sofrer ainda mais com os impactos desse desequilíbrio ambiental. O presente trabalho desenvolveu um estudo em escala laboratorial para avaliar o mecanismo de toxicidade de As(III) e As(V) utilizando como organismo modelo o peixe tilápia do Nilo (Orechromis niloticus), bem como, o monitoramento de mercúrio total em amostras de sururu, sedimento e água e, a determinação das frações de mercúrio (INOHg e ORGHg) em amostras de água. A determinação de As e Hg foi realizada por espectrometria de fluorescência atômica com módulo de geração de hidreto (HG AFS) e por vapor frio (CV AFS), respectivamente. Quanto aos ensaios de toxicidade aguda de 96 h, para o As(III) o valor de LC50 determinado foi de 42,92 ± 3,05 mg L-1 , para As(V), no intervalo de concentração avaliada (50 a 300 mg L-1 ) não foi possível determinar o valor de LC50, apenas o valor estimado de 52,24 mg L-1 . Após estes ensaios foi possível quantificar o percentual de retenção dessas espécies de arsênio na água, sendo o percentual médio de retenção para ambas as espécies de 80 %. A partir das análises de peroxidação lipídica nos tecidos músculo, fígado e brânquias, pode-se afirmar que não houve aumento da peroxidação lipídica, nas condições avaliadas, para os tecidos fígado e brânquias. Enquanto para o tecido muscular houve um aumento significativo da concentração de MDA, indicativo de peroxidação lipídica, consequentemente, ocasionado algum tipo de dano celular. As análises das enzimas antioxidantes (SOD e CAT) e detox (GST) no tecido muscular indica que o As(III) não provocou diminuição na atividade dessas enzimas. O baixo percentual de bioacumulação de As(III) (0,01 %) corrobora com os dados de mecanismo de toxicidade. Em relação aos resultados de monitoramento ambiental no CELMM, para as amostras de água a concentração média de Hg total, INOHg e ORGHg, respectivamente, foram de: amostragem 1 (1,97 g L-1 , 0,37 g L-1 e 1,60 g L-1 ), amostragem 2 (2,31 g L-1 , 0,42 g L-1 e 1,90 g L-1 ) e amostragem 3 (0,63 g L-1 , 0,07 g L-1 e 0,58 g L-1 ). Sendo essas concentrações superior ao permitido pela legislação vigente de 0,02 g L-1 (CONAMA 430/05). A concentração média de sururu para as amostragens 1 e 2 foi de 0,29 e 0,22 mg Kg-1 , respectivamente, estando dentro do permitido pela legislação (ANVISA 42/13). Comparando os resultados obtidos com o trabalho de Silva e col. (2021), onde os autores determinaram a concentração de Hg total em amostras de água analisadas em 2017, nos últimos quatro anos, houve um aumento de até 150 vezes da concentração de Hg total. Diante dos resultados obtidos, para o estudo de mecanismo de toxicidade de arsênio, pode-se inferir que a tilápia do Nilo possui alta resistência às espécies de As(III), mas que estudos de toxicidade crônica devem ser realizados. Com base nos resultados obtidos no estudo de monitoramento do CELMM, pode-se afirmar que necessita-se de políticas públicas de caráter emergencial que venham solucionar essa contaminação.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - Marco Tadeu Grassi - UFPR
Externa à Instituição - Lílian Lefol Nani Guarieiro
Interna - 2022362 - ANA CATARINA REZENDE LEITE
Presidente - 1997465 - DANIELA SANTOS ANUNCIACAO
Interno - 1613338 - JOSUE CARINHANHA CALDAS SANTOS
Notícia cadastrada em: 30/06/2022 11:03
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 17/08/2022 11:16