PPCM PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS FACULDADE DE MEDICINA Telefone/Ramal: 99930-9057
Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFAL

2022
Dissertações
1
  • ANTONIO FILIPE PEREIRA CAETANO
  • Atividade Física, Qualidade de Vida e Perfil Nutricional em Pacientes Renais Crônicos

     

  • Orientador : JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • BRAULIO CESAR DE ALCANTARA MENDONCA
  • JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • SAMARA BOMFIM GOMES CAMPOS
  • VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • Data: 20/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A Doença Renal Crônica (DRC) é um dano sustentado do parênquima renal causando deterioração e perda progressiva da função dos rins que pode progredir para o estágio terminal. Alguns estudos apresentaram resultados benéficos para a prática de exercício físico no tratamento adjuvante à várias patologias, especialmente para doenças metabólicas como obesidade, dislipidemia e diabetes mellitus; e para doenças cardiovasculares e Hipertensão Arterial Sistêmica, patologias que são bases ou alterações metabólicas associadas ao desenvolvimento da DRC. Tais benefícios também podem ser observados nos aspectos da qualidade de vida, especialmente os voltados para as questões emocionais, psicossociais e percepção geral de bem-estar. OBJETIVO: Avaliar o nível de atividade física, qualidade de vida e perfil nutricional; associar e correlacionar os níveis de atividade física, perfil nutricional e nível de qualidade vida aos estágios de DRC de pacientes em tratamento conservador para Doença Renal Crônica em um hospital de alta complexidade de uma capital do Nordeste Brasileiro. MATERIAIS E MÉTODOS: Estudo observacional e corte transversal. A amostra foi selecionada por conveniência, formada por todos os pacientes portadores de DRC assistidos pelos ambulatórios de nefrologia (CIN- HUPAA). Foram estudados pacientes de ambos os sexos; com idade superior aos 18 anos; que assinaram o Termo de Livre Consentimento e Esclarecido (TCLE). As variáveis de análise foram: dados socioeconômicos e ambulatoriais; dados de perfil nutricional (Índice de Massa Corporal, Circunferência de Cintura e Percentual de Gordura); nível de atividade física (a partir a aplicação do Questionário Internacional de Atividade Física, IPAQ-Versão Curta); nível de Qualidade de Vida (a partir do World Health of Quality of Live (WHOQOL-Bref)). Todas as análises foram realizadas com o auxílio do software R, com o pacote estatístico JASP versão 0.13.1, adotando um nível de confiança de 95% (p<0,05). Para verificar a normalidade dos dados foi utilizado o Shapiro-Wilk Test. Para associação entre as variáveis foi utilizado o Mann Whitney; bem como utilizou-se a correlação de R-Spearman para as variáveis monotônicas (contínuos ou ordinais) das variáveis QV, NAF e IMC e TFG. O tamanho do efeito baseado em D-Cohen’s Standardt tendo como referência 0-0,2 para efeito irrelevante; 0,3-0,5 para efeito pequeno; 0,6-0,8 efeito médio; acima 0,9 largo efeito. Os níveis de significância foram considerados p= <0,05 e o Intervalo de Confiança em 95%. RESULTADOS: Participaram do estudo 52 pacientes com idade média de 60,3 ± 9,11 anos. No âmbito do Perfil Social e Aspectos Gerais de Saúde foram pacientes 53,84% mulheres, 88,46% cor parda, 63,49% residente em Maceió, 42,3% solteiros, 34,61% com ensino fundamental incompleto, 57,69% com Diabetes Mellitus Tipo 2, 76,92% com Hipertensão Arterial Sistêmica, 13,47% com dislipidemia; 86,53% não tabagistas e 78,84% não etilistas. Perfil Nutricional: 76,73±5,31Kg; 38,46% eram obesos e 61,53% eutróficos ou sobrepeso;  82,69% com padrões elvados de CC; 15,34±5,02 %G (eutróficos). Nível de atividade física: 38% são insuficientemente ativos e 29% sedentários, amostra com níveis baixos de atividade física. Nível de Qualidade de Vida: menores escores em satisfação com saúde (2,98± 0,83) e meio ambiente (2,75± 0,38); melhores escores em domínio psicológico (3,80± 0,53) e Relações Sociais (3,58± 0,58), mas a amostra apresenta níveis regulares de percepção com a qualidade de vida. Apenas a Satisfação com a saúde (p=0.043) e o IMC (p=0.034) apresentaram diferença significativa na associação entre os estágios DRC dos pacientes com os níveis de atividade física, perfil nutricional e nível de qualidade de vida. A correlação foi negativa do estágio DRC somente com a dimensão de Relações Sociais (0.084) do nível de qualidade de vida, mas as demais variáveis apresentaram correlações positivas. CONCLUSÕES: Os sujeitos apresentaram baixos níveis de atividade física, mas estes níveis não se alteraram em associação com os estágios da DRC, mas quanto maior o estágio DRC menores foram os níveis de práticas de atividade física recomendados pela OMS. No que se refere à percepção de qualidade de vida, os pacientes avaliados apresentaram baixos níveis, sobretudo no âmbito da satisfação com a saúde. Os sujeitos em tratamento conservador com TFG < 59ml min revelaram menores escores, mesmo que as associações entre os grupos não tenham apresentado diferenças significativas. O maior impacto nos estágios no âmbito da correlação foi observado nas relações sociais.


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION: Chronic Kidney Disease (CKD) is sustained damage to the renal parenchyma causing deterioration and progressive loss of kidney function that may progress to the end stage. Some studies have shown beneficial results for the practice of physical exercise in the treatment adjunct to various pathologies, especially for metabolic diseases such as obesity, dyslipidemia and diabetes mellitus; and for cardiovascular diseases and Systemic Arterial Hypertension, pathologies that are bases or metabolic alterations associated with the development of CKD. Such benefits can also be observed in aspects of quality of life, especially those focused on emotional, psychosocial and general perception of well-being. OBJECTIVE: To evaluate the level of physical activity, quality of life and nutritional profile; associate and correlate the levels of physical activity, nutritional profile and quality of life level with ckD stages of patients undergoing conservative treatment for Chronic Kidney Disease in a high complexity hospital in a capital of northeastern Brazil. MATERIALS AND METHODS: Observational study and cross-sectional study. The sample was selected by convenience, formed by all patients with CKD assisted by nephrology outpatient clinics (CIN-HUPAA). Patients of both sexes were studied; over 18 years of age; signed the Free Consent and Informed Consent Form (TCLE). The analysis variables were: socioeconomic and outpatient data; nutritional profile data (Body Mass Index, Waist Circumference and Fat Percentage); level of physical activity (from the application of the International Physical Activity Questionnaire, IPAQ-Short Version); quality of life (from the World Health of Quality of Live (WHOQOL-Bref)). All analyses were performed with the aid of software R, with the jasp statistical package version 0.13.1, adopting a confidence level of 95% (p<0.05). The Shapiro-Wilk Test was used to verify the normality of the data. For the association between the variables, the Mann Whitney was used; as well as the R-Spearman correlation was used for the monotonic variables (continuous or ordinal) of the variables QOL, NAF and BMI and GFR. The size of the effect based on D-Cohen's Standardt having as reference 0-0.2 for irrelevant effect; 0.3-0.5 for small effect; 0.6-0.8 average effect; above 0.9 wide effect. Significance levels were considered p= <0.05 and confidence interval at 95%. RESULTS: Fifty-two patients with a mean age of 60.3 years ± 9.11 years participated in the study. Within the social profile and general health aspects were patients 53.84% women, 88.46% mixed color, 63.49% resident in Maceió, 42.3% single, 34.61% with incomplete elementary school, 57.69% with Diabetes Mellitus Type 2, 76.92% with Systemic Arterial Hypertension, 13.47% with dyslipidemia; 86.53% non-smokers and 78.84% non-smokers. Nutritional Profile: 76.73±5.31Kg; 38.46% were obese and 61.53% eutrophic or overweight; 82.69% with elvados DC standards; 15.34±5.02 %G (eutrophic). Level of physical activity: 38% are insufficiently active and 29% sedentary, a sample with low levels of physical activity. Quality of Life level: lower scores in satisfaction with health (2.98± 0.83) and environment (2.75± 0.38); better scores in the psychological domain (3.80± 0.53) and Social Relations (3.58± 0.58), but the sample presents regular levels of perception with quality of life. Only health satisfaction (p=0.043) and BMI (p=0.034) showed a significant difference in the association between ckd stages of patients with levels of physical activity, nutritional profile and quality of life level. The correlation was negative of the CKD stage only with the social relations dimension (0.084) of the quality of life level, but the other variables showed positive correlations. CONCLUSIONS: The subjects presented low levels of physical activity, but these levels did not change in association with ckD stages, but the higher the CKD stage, the lower the levels of physical activity practices recommended by the WHO. Regarding the perception of quality of life, the patients evaluated presented low levels, especially in the context of health satisfaction. The subjects undergoing conservative treatment with GFR < 59ml min revealed lower scores, even though the associations between the groups did not present significant differences. The greatest impact on the stages in the correlation was observed in social relations.

2
  • AMANDA LIRA DOS SANTOS LEITE
  • Análise do controle álgico de pacientes submetidos ao bloqueio peitoral (PEC) nas mastectomias radicais com abordagem axilar em hospital oncológico de Maceió

  • Orientador : CAROLINNE DE SALES MARQUES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALESSANDRA PLACIDO LIMA LEITE
  • AMANDA KARINE BARROS FERREIRA RODRIGUES
  • CARLOS ALBERTO DE CARVALHO FRAGA
  • CAROLINNE DE SALES MARQUES
  • FREDERICO THEOBALDO RAMOS ROCHA
  • Data: 21/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Pacientes submetidos a mastectomias com dissecção axilar sofrem bastante com a dor e desconforto no pós-operatório, logo, buscaram-se estudar técnicas de bloqueio regional que pudessem minimizar tal efeito, como o bloqueio interpeitoral (PEC). Esta técnica pode se tornar opção analgésica amplamente usada em cirurgia axilar devido à baixa taxa de complicações e à técnica característica de punção única que permite o bloqueio simultâneo de vários dermátomos, reduzindo, provavelmente, a dor no pós operatório e diminuindo o uso abusivo de opioides e suas complicações. Objetivos: Avaliar a eficácia do bloqueio anestésico PEC isolado quando comparado ao uso de analgésicos venosos no pós- operatório de mastectomia radical, avaliar complicações provenientes dos opióides e do bloqueio PEC, analisar o consumo médio de opióides em 24 horas e custo-benefício da realização do bloqueio. Metodologia: Ensaio Clínico, randomizado, controlado, com 78 pacientes portadores de neoplasia de mama que foram submetidos à mastectomia com abordagem axilar. Randomizados 2 grupos, um controle, com anestesia geral exclusiva e outro grupo que recebeu anestesia geral e bloqueio PEC com Levobupivacaína/Ropivacaína  (infiltração de 10 ml entre os músculos peitorais e 20 ml entre o peitoral menor e serrátil), guiados por ultrassonografia no intraoperatório. Prescrição de Novalgina, Tramadol e morfina se necessários foram oferecidos pós-cirurgia. Em 24hs de pós-operatório, foi aplicado questionário com a escala de dor EVA e a análise estatística de dados utilizou o teste Shapiro-Wilk para avaliar a normalidade dos dados, e o teste Mann-Whitney para comparação entre os grupos. Qui-quadrado foi utilizado na comparação de proporções. Os dados foram analisados pelo software SigmaPlot 12. Resultados: Observou-se a dor, segundo a escala EVA, em média, menor no grupo com PEC (1,08) do que no grupo sem PEC (1,56). Essa diferença, no entanto, não foi estatisticamente significativa (p = 0,186). O percentual de participantes que utilizou analgésicos no grupo com PEC (45,9%, 17/37) foi inferior ao percentual de pacientes do grupo sem PEC (58,5%, 24/41), porém sem significância estatística (p = 0.2689). O percentual dos que fizeram uso de opioides nos grupos com PEC (18,92%, 7/37) e sem PEC (23,80%, 10/41) foi equivalente (p = 0.6026), embora maior no grupo sem PEC. A quantidade total de opioide consumido no grupo sem PEC foi maior (1010 mg) do que no grupo com PEC (620 mg), mas comparação do uso médio foi equivalente (p = 0.454). Houve baixa taxa de complicações como PONV em ambos os grupos. Conclusão: O bloqueio PEC demonstrou discreta melhora na qualidade da analgesia, reduziu o consumo de analgésicos após cirurgia no câncer de mama, e apresentou baixa taxa de complicações, podendo ser opção de primeira linha para analgesia em cirurgias mamárias, no entanto, não foi possível provar sua superioridade no controle da dor pós-operatória ao longo das 24hs em relação à analgesia venosa exclusiva utilizada no intraoperatório.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Patients submitted to mastectomies with axillary dissection suffer greatly from postoperative pain and discomfort, so we sought to study regional blockade techniques that could minimize this effect, such as interpecal block (PEC). This technique may become an analgesic option widely used in axillary surgery due to the low rate of complications and the characteristic technique of single puncture that allows simultaneous blockade of several dermatomes, probably reducing postoperative pain and reducing the abusive use of opioids and their complications. Objectives: To evaluate the efficacy of pec anesthetic block alone when compared to the use of intravenous analgesics in the postoperative period of radical mastectomy, to evaluate complications from opioids and PEC block, to analyze the average consumption of opioids within 24 hours and cost-benefit of performing the blockade. Methodology: Randomized, controlled clinical trial with 78 patients with breast cancer who underwent mastectomy with axillary approach. Randomized 2 groups, one control, with exclusive general anesthesia and another group that received general anesthesia and PEC block with Levobupivacaine/Ropivacaine (infiltration of 10 ml between pectoral muscles and 20 ml between the pectoralis minor and serrátil), guided by intraoperative ultrasound. Prescription of Novalgina, Tramadol and morphine if necessary were offered post-surgery. In 24 hours postoperatively, a questionnaire was applied with the EVA pain scale and the statistical analysis of data used the Shapiro-Wilk test to assess the normality of the data, and the Mann-Whitney test for comparison between the groups. Chi-square was used to compare proportions. The data were analyzed by sigmaplot software 12. Results: Pain was observed, according to the VAS scale, on average, lower in the group with PEC (1.08) than in the group without PEC (1.56). This difference, however, was not statistically significant (p = 0.186). The percentage of participants who used analgesics in the group with PEC (45.9%, 17/37) was lower than the percentage of patients in the group without PEC (58.5%, 24/41), but without statistical significance (p = 0.2689). The percentage of those who used opioids in the groups with PEC (18.92%, 7/37) and without PEC (23.80%, 10/41) was equivalent (p = 0.6026), although higher in the group without PEC. The total amount of opioid consumed in the group without PEC was higher (1010 mg) than in the group with PEC (620 mg), but comparison of mean use was equivalent (p = 0.454). There was a low rate of complications such as PONV in both groups. Conclusion: Pec blockade showed a slight improvement in the quality of analgesia, reduced analgesic consumption after surgery in breast cancer, and presented a low rate of complications, and may be a first-line option for analgesia in breast surgeries, however, it was not possible to prove its superiority in the control of postoperative pain over the course of 24 hours in relation to exclusive intravenous analgesia used intraoperatively.

3
  • SERGIO LOPES DA SILVA
  • INFLUÊNCIA DAS CÉLULAS DE SCHWANN NA PROGRESSÃO DO CÂNCER DE PRÓSTATA

  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE CARVALHO FRAGA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALINE CAVALCANTI DE QUEIROZ
  • AMANDA KARINE BARROS FERREIRA RODRIGUES
  • BRUNA DEL VECHIO KOIKE
  • CARLOS ALBERTO DE CARVALHO FRAGA
  • CAROLINNE DE SALES MARQUES
  • JUSSARA ALMEIDA DE OLIVEIRA BAGGIO
  • Data: 31/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • O fenômeno da carcinogênese é um processo complexo que ocorre por meio de múltiplos eventos genéticos que alteram as funções normais dos oncogenes e genes supressores de tumor. Estudos mostraram que as células de Schwann participam do microambiente tumoral, produzindo vários fatores que beneficiam as células cancerígenas. Durante esse processo, as células de Schwann são desdiferenciadas e auxiliam o processo de proliferação das células cancerígenas. Essas células então migram para a região próxima ao tecido tumoral e auxiliam o desenvolvimento da célula neoplásica. Nesse contexto, o objetivo do presente estudo foi avaliar a influência das células de Schwann sobre o câncer de próstata. Realizamos uma visão bioinformática e observamos que a "interação neuroativo ligante-receptor" foi regulada positivamente no câncer de próstata. A "via de sinalização do p53" apresenta-se ativa, uma vez que o CCNE1, CDKN2A e PERP apresentam-se aumentados. miRNAs específicos inativam a via de "orientação dos axônios", visando os genes ROBO2 e SLIT2. Ambos os genes também estão associados à inibição da migração das células de Schwann. Além disso, o GFAP e o GAP43 são superexpressos, levando à desdiferenciação das células de Schwann. Tanto Schwann quanto as células neoplásicas são estimuladas via cascata de fosforilação para proliferar e migrar. Os resultados demonstram que a desdiferenciação e proliferação de células de Schwann são induzidas pelo tecido neoplásico; consequentemente, as células de Schwann produzem diferentes fatores que participarão de vários processos de progressão tumoral. Esses processos também podem estar envolvidos na invasão do tumor no tecido perineural na neoplasia prostática.


  • Mostrar Abstract
  • The phenomenon of carcinogenesis is a complex process that occurs through multiple genetic events that alter the normal functions of oncogenes and tumor suppressor genes. Studies have shown that Schwann cells participate in the tumor microenvironment, producing several factors that benefit cancer cells. During this process, Schwann cells are undifferentiated and aid the process of cancer cell proliferation. These cells then migrate to the region near the tumor tissue and aid the development of the neoplastic cell. In this context, the aim of this study was to evaluate the influence of Schwann cells on prostate cancer. We performed a bioinformatics view and observed that the "neuroactive connecting-receptor interaction" was positively regulated in prostate cancer. The "p53 signaling pathway" is active, since CCNE1, CDKN2A and PERP are increased. specific miRNAs inactivate the pathway of "guidance of axons", aiming at the ROBO2 and SLIT2 genes. Both genes are also associated with inhibition of schwann cell migration. In addition, GFAP and GAP43 are overexpressed, leading to dedifferentiation of Schwann cells. Both Schwann and neoplastic cells are stimulated via phosphorylation cascade to proliferate and migrate. The results show that schwann cell dedifferentiation and proliferation are induced by neoplastic tissue; consequently, Schwann cells produce different factors that will participate in various tumor progression processes. These processes may also be involved in tumor invasion in perineural tissue in prostate neoplasia.

4
  • MELINA PIMENTEL CAVALCANTE PEDROSA
  • Estudo de associação entre trauma precoce e manifestações clínicas em portadoras de fibromialgia.

  • Orientador : VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANDRÈ BARCIELA VERAS
  • CLAUDIO TORRES DE MIRANDA
  • MERCIA LAMENHA MEDEIROS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • ROBERTO CORDEIRO DE ANDRADE
  • VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • Data: 12/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A fibromialgia (FM) é uma síndrome dolorosa crônica que acomete, em sua maioria, mulheres adultas (18-55 anos). Apresenta uma prevalência de aproximadamente 2,5% na população brasileira. Estimada em 2% a 8% na população mundial. É caracterizada por dor musculoesquelética generalizada, frequentemente acompanhada por fadiga, sono não reparador, distúrbios cognitivos, ansiedade e depressão. Não há etiologia e causas bem estabelecidas assim como uma fisiopatologia esclarecida. Trabalhos atuais vêm demonstrando a associação entre trauma precoce como um fator de piora na qualidade de vida de pacientes fibromialgicos assim como um fator desencadeante para alterações na modulação da dor e maior sofrimento psíquico. Objetivo: O estudo tem por objetivo geral investigar a associação entre a história de trauma precoce e as características clínicas em mulheres portadoras de FM. Metodologia: Trata-se de um estudo observacional, transversal e com abordagem quantitativa, realizado no serviço de medicina da dor do ambulatório geral do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). A amostra é não probabilística e por conveniência realizada durante o período de atendimentos do ambulatório. 50 mulheres portadoras de FM participaram da pesquisa. A coleta de dados ocorreu a partir da realização de um questionário sociodemográfico e clínico, questionário diagnóstico e questionários psicométricos validados. Foram aplicados os critérios diagnósticos para FM da Sociedade Americana de Reumatologia (ACR) para confirmação do diagnóstico; o questionário sobre o impacto da FM (QIF) que avalia funcionalidade e qualidade de vida; A escala visual análoga (EVA), para avaliar intensidade da dor física; Psychache Scale (Escala de dor psicológica), para avaliar intensidade do sofrimento psicológico; Inventário de depressão de Beck (BDI), para mensurar a intensidade dos sintomas depressivos e o Inventário de autoavaliação do trauma precoce: Versão reduzida (ETISR-SF) que avalia a história de trauma até os 18 anos de idade. Resultados: 41 das 50 mulheres relataram algum de tipo de história de trauma precoce, sendo uma prevalência de 82 % na amostra. 62% relataram traumas gerais, 72% relataram abuso físico, 66% relataram abuso emocional e 50 % relataram abuso sexual. A média das idades das participantes foi de 49,84(±8,25), 58% tinham companheiro e a média de escolaridade foi de 7(±5,77) anos de estudo. Não houve diferenças significativas quanto as características sociodemográficas do grupo com ou sem história de trauma. Disfuncionalidade, sintomas depressivos, dor psicológica e escores dos critérios diagnósticos (ACR) foram mais intensos em pacientes fibromialgicas com história de trauma precoce (P< 0,025; P<0,000; p<0,000; p <0,003, respectivamente) em comparação ao grupo sem história de trauma. As mulheres que sofreram abuso sexual se mostraram com maior severidade dos sintomas em todos os aspectos relacionados inclusive na intensidade da dor física(p<0,016). Conclusão: Pacientes portadoras de FM que tiveram história de trauma precoce apresentam maior severidade dos sintomas depressivos, disfuncionalidade, dor psicológica e maior escore nos critérios diagnósticos da ACR do que o grupo sem história de trauma precoce. O abuso sexual é o tipo de trauma que impacta negativamente com mais intensidade em todos os critérios avaliados, além da dor física, característica que foi não estatisticamente significativa nos outros tipos de trauma precoce.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Fibromyalgia (FM) is a chronic painful syndrome that affects mostly adult women (18-55 years). It has a prevalence of approximately 2.5% in the Brazilian population. Estimated at 2% to 8% in the world population. It is characterized by generalized musculoskeletal pain, often accompanied by fatigue, non-restorative sleep, cognitive disorders, anxiety, and depression. There is no well-established etiology and causes as well as an enlightened pathophysiology. Current studies have demonstrated the association between early trauma as a factor of worsening in the quality of life of fibromalgic patients as well as a triggering factor for changes in pain modulation and greater psychic distress. Objective: The general objective of this study is to investigate the association between the history of early trauma and the clinical characteristics in women with FM. Methodology: This is an observational, cross-sectional and quantitative study conducted at the pain medicine service of the general outpatient clinic of the Professor Alberto Antunes University Hospital (HUPAA) of the Federal University of Alagoas (UFAL). The sample is non-probabilistic and convenience performed during the period of outpatient care. 50 women with FM participated in the research. Data collection occurred based on a sociodemographic and clinical questionnaire, diagnostic questionnaire and validated psychometric questionnaires. The diagnostic criteria for FM of the American Society of Rheumatology (ACR) were applied to confirm the diagnosis; the questionnaire on the impact of FM (IQ) that assesses functionality and quality of life; The analogous visual scale (VAS), to assess intensity of physical pain; Psychache Scale to assess the intensity of psychological distress; Beck Depression Inventory (BDI), to measure the intensity of depressive symptoms and the Early Trauma Self-Assessment Inventory: Reduced Version (ETISR-SF) that assesses the history of trauma up to 18 years of age. Results: 41 of the 50 women reported some type of history of early trauma, with a prevalence of 82% in the sample. 62% reported general trauma, 72% reported physical abuse, 66% reported emotional abuse and 50% reported sexual abuse. The mean age of the participants was 49.84 (±8.25), 58% had a partner and the mean schooling was 7(±5.77) years of schooling. There were no significant differences regarding the sociodemographic characteristics of the group with or without a history of trauma. Dysfunction, depressive symptoms, psychological pain and diagnostic criteria scores (CRF) were more intense in fibromyalgic patients with a history of early trauma (P< 0.025; P<0,000; p<0,000; p <0,003, respectively) compared to the group without a history of trauma. Women who suffered sexual abuse were more severe in all related aspects, including the intensity of physical pain(p<0,016). Conclusion: Patients with FM who had a history of early trauma present greater severity of depressive symptoms, dysfunction, psychological pain and higher score in the diagnostic criteria of CRF than the group without a history of early trauma. Sexual abuse is the type of trauma that negatively impacts with more intensity on all criteria evaluated, in addition to physical pain, a characteristic that was not statistically significant in other types of early trauma.

5
  • ELISA ESTEVES ROSSINI
  • Associação enttre Experiências Adversas na Infância e a Presença de Danos causados pelo lúpus eritematoso sistêmico em mulheres adultas.

  • Orientador : MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • WILLIAM BERGER
  • ALINE CAVALCANTI DE QUEIROZ
  • ANDRÈ BARCIELA VERAS
  • FLAVIO TELES DE FARIAS FILHO
  • JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • Data: 27/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença inflamatória crônica que acomete o tecido conjuntivo. De etiologia multifatorial, infringe diversos órgãos e sistemas, simultaneamente ou isoladamente, com manifestações clínicas multivariadas, em qualquer estágio da patologia. Dentre essas alterações, destaca-se o aumento dos marcadores inflamatórios, como a IL-6. As adversidades na infância causam danos neuropsicológicos durante o desenvolvimento do sistema nervoso central da criança, bem como o aumento crônico dos marcadores inflamatórios. Esta pesquisa trata-se de um estudo descritivo de corte transversal com metodologia quantitativa, com o objetivo de estudar a associação entre o marcador inflamatório IL-6 e as adversidades na infância, em pacientes mulheres com lúpus eritematoso sistêmico acompanhadas no ambulatório de reumatologia do Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes (HUPAA) da Universidade Federal de Alagoas, na cidade de Maceió. Para tanto, após assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido, deve-se quantificar a IL-6 sérica dessas pacientes, bem como aplicar o questionário Childhood Trauma Questionnaire, um instrumento de avaliação para adolescentes e adultos, o qual investiga história de abuso e negligência durante a infância. Ao final, os resultados serão avaliados por meio do pacote estatístico SPSS - versão 23. Vale ressaltar que todas as etapas do estudo devem seguir criteriosamente as orientações da resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde.


  • Mostrar Abstract
  • Systemic Lupus Erytheatosus (SLE) is a chronic inflammatory disease that affects connective tissue. Of multifactorial etiology, it infringes several organs and systems, simultaneously or alone, with multivariate clinical manifestations, at any stage of the pathology. Among these alterations, we highlight the increase in inflammatory markers, such as IL-6. Adversities in childhood cause neuropsychological damage during the development of the child's central nervous system, as well as the chronic increase in inflammatory markers. This research is a descriptive cross-sectional study with quantitative methodology, with the objective of studying the association between the inflammatory marker IL-6 and adversities in childhood, in women with systemic lupus erytheama treated at the rheumatology outpatient clinic of the University Hospital Prof. Alberto Antunes (HUPAA) of the Federal University of Alagoas, in the city of Maceió. To this end, after signing the free and informed consent form, the hiv-6 IL of these patients should be quantified, as well as the Childhood Trauma Questionnaire, an assessment tool for adolescents and adults, which investigates a history of abuse and neglect during childhood. At the end, the results will be evaluated through the Statistical Package SPSS - version 23. It is noteworthy that all stages of the study should carefully follow the guidelines of resolution 466/12 of the National Health Council.

6
  • FELIPE CAMILO SANTIAGO VELOSO
  • Elaboração de um escore de predição de óbito neonatal utilizando dados do SINASC e SIM do Estado de Alagoas entre os anos de 2016 e 2020: um estudo caso-controle

  • Orientador : SAMIR BUAINAIN KASSAR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALYSSON WAGNER FERNANDES DUARTE
  • AUXILIADORA DAMIANNE PEREIRA VIEIRA DA COSTA E SILVA
  • MERCIA LAMENHA MEDEIROS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • RICARDO QUEROZ GURGEL
  • SAMIR BUAINAIN KASSAR
  • Data: 27/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • Contexto. Nascer no Brasil é um desafio. Em 2019, aproximadamente 24.000 óbitos neonatais foram registrados no País. São quase três óbitos por hora no País, algo preocupante e que necessita de atenção. Os profissionais de saúde possuem diversas ferramentas para auxiliar na predição desse desfecho. Entretanto, tais ferramentas são pautadas, em sua maioria, em aspectos intra-hospitalares, focados nos pontos da terapia intensiva, além de ser baseados em dados de países desenvolvidos. Objetivo. Elaborar um escore de predição de óbito neonatal utilizando dados presentes nas declarações de nascido-vivo e de óbito do Estado de Alagoas entre os anos de 2016 e 2020. Métodos. Trata-se de um estudo do tipo caso-controle, o qual envolveram recém-nascidos cujo óbito ocorreu entre o nascimento e 27 dias completos de vida (caso) e recém-nascidos sobreviventes ao mesmo período (controle). A coleta de dados foi realizada na Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde do Estado de Alagoas entre os meses de dezembro de 2020 e fevereiro de 2021. O tamanho da amostra baseou-se no número absoluto de óbitos neonatais entre os anos de 2016 e 2020. A variável dependente foi o óbito neonatal. As variáveis independentes corresponderam aos elementos presentes na DO e na DNV. A análise estatística contemplou a análise descritiva dos dados, bem como a análise bivariada e multivariada, além dos cálculos de sensibilidade, especificidade e construção da curva ROC. Resultados. Foram 1338 óbitos neonatais entre os anos de 2016 e 2020 em Alagoas. O peso < 2500 g obteve um OR ajustado de 7.52 (5.86 – 9.74); a presença de malformação congênita 28.15 (16.73 – 47.36); a idade gestacional < 37 semanas 6.06 (4.72 – 7.78), o APGAR < 7 no 5º minuto 61.61 (38.01 – 99.88) e o pré-natal com < 7 consultas 1.29 (1.04 – 1.59). O escore VK-10, cujo melhor ponto de corte encontrado foi maior ou igual a cinco, obteve uma AUC de 89.6%, além de uma sensibilidade de 72.28%, uma especificidade de 95.61%, uma razão de verossimilhança positiva de 16.46 e uma razão de verossimilhança negativa de 0.28. Conclusão. O escore VK-10 mostra-se como uma proposta a ser valorizada, uma vez que apresentou uma AUC elevada. Além disso, por ter uma razão de verossimilhança positiva alta, há de se valorizar um escore acima de cinco pontos, isto é, quando houver uma maior chance de óbito


  • Mostrar Abstract
  • Context. Being born in Brazil is a challenge. In 2019, approximately 24,000 neonatal deaths
    were registered in the country. There are almost three deaths per hour in the country, something worrisome and that
    needs attention. Health professionals have several tools to assist in
    prediction of this outcome. However, such tools are mostly based on
    in-hospital aspects, focused on the points of intensive care, and based on
    data from developed countries. Goal. Develop a neonatal death prediction score
    using data present in the declarations of live birth and death of the State of Alagoas
    between 2016 and 2020. Methods. This is a case-control study, which
    involved newborns whose death occurred between birth and 27 full days of life
    (case) and surviving newborns at the same period (control). Data collection was
    held at the Health Surveillance Superintendence of the Health Department of the State of
    between December 2020 and February 2021. The sample size
    based on the absolute number of neonatal deaths between 2016 and 2020. The variable
    dependent was neonatal death. The independent variables corresponded to the
    present in the DAndd. The statistical analysis included descriptive analysis of the data, as well as
    bivariate and multivariate analysis, in addition to sensitivity, specificity and
    construction of the ROC curve. Findings. There were 1,338 neonatal deaths between 2016 and
    2020 in Alagoas. The weight < 2500 g obtained an adjusted OR of 7.52 (5.86 – 9.74); the presence
    congenital malformation 28.15 (16.73 - 47.36); gestational age < 37 weeks 6.06 (4.72
    – 7.78), APGAR < 7 in the 5th minute 61.61 (38.01 - 99.88) and prenatal care with < 7 consultations 1.29
    (1.04 – 1.59). The VK-10 score, whose best cut-off point found was greater than or equal to five,
    obtained an AUC of 89.6%, in addition to a sensitivity of 72.28%, a specificity of
    95.61%, a positive likelihood ratio of 16.46 and a likelihood ratio
    negative of 0.28. Conclusion. The VK-10 score is shown as a proposal to be valued,
    once it presented a high AUC. Moreover, because it has a reason for likelihood
    positive high, a score above five points should be valued, that is, when there is a
    higher chance of death.

7
  • RITA MARCIA PACHECO LINS
  • Associação entre risco de suicídio e níveis plasmáticos de Interleucina-6 em portadoras de Lupus Eritematoso Sistêmico

  • Orientador : VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LUCAS ARAUJO DE FREITAS
  • CLAUDIO TORRES DE MIRANDA
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • SHEILA CAVALCANTE CAETANO
  • TIAGO GOMES DE ANDRADE
  • VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • Data: 27/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os comportamentos suicidas constituem uma carga global de saúde e levam a morte anual de 1 milhão de pessoas no mundo. Populações com Depressão e risco de suicídio apresentam níveis elevados de IL-6. Portadores de Lupus Eritematoso Sistêmico (LES) apresentam prevalência de manifestações psiquiátricas entre 10 a 80%. Objetivo: Investigar o risco de suicídio em pacientes com LES e a associação com níveis plasmáticos do biomarcador- Interleucina-6. Material e Métodos: Estudo transversal, amostra de conveniência de mulheres diagnosticadas com LES e atendidas no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes da Universidade Federal de Alagoas. Os dados foram coletados através dos instrumentos de avaliação: Mini International Neuropsychiatric Interview v.5.0.0, Inventário de Depressão de Beck, Escala de Desesperança de Beck, Índice de Qualidade de Sono de Pittsburgh, Formulário Short-Form-36  e coleta de sangue periférico para Análise do biomarcador IL-6 através de ELISA através de kits de citocinas (Biosciences®). Os dados foram transferidos ao programa SPSS para o Windows versão 23 (SPSS Inc. Chicago, IL).O Teste de Shapiro-Wilk foi utilizado para avaliação da normalidade das variáveis, a  distribuição da amostra foi não normal,  as comparações das médias entre os grupos foram efetuada pelo teste de Mann-Whitney. Para análise de associação de variáveis dicotômicas foi realizado teste de Qui-quadrado e gerado o cálculo de razão de chances (odds-ratio), intervalo de confiança de 95% e significância estatística estabelecida em 5% (p<0,05). Resultados preliminares: A amostra foi composta por 45 mulheres, média de idade 36,57 (±9,47) anos. Destas, 31,1% apresentaram Episódio Depressivo Maior (EDM) e 53,3% pelo menos um transtorno de ansiedade. Pacientes com EDM apresentaram risco de suicídio 14,5 vezes maior que as não deprimidas, além de piora na qualidade do sono e maior prejuízo na qualidade de vida em vários domínios do SF-36. A análise do biomarcador Interleucina-6 ainda não foi realizada. Conclusão: A prevalência de depressão foi maior do que o descrito na população geral. O risco de suicídio associou-se com maior gravidade de sintomas depressivos e de desesperança e piores escores de qualidade de vida e qualidade de sono.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Suicidal behaviors constitute a global health burden and lead to the annual death of 1 million people worldwide. Populations with depression and suicide risk have high il-6 levels. Patients with Systemic Lupus Erytheatosus (SLE) have a prevalence of psychiatric manifestations between 10 and 80%. Objective: To investigate the risk of suicide in patients with SLE and the association with plasma levels of the biomarker- Interleukin-6. Material and Methods: Cross-sectional study, convenience sample of women diagnosed with SLE and attended at the Professor Alberto Antunes University Hospital of the Federal University of Alagoas. Data were collected using the assessment instruments: Mini International Neuropsychiatric Interview v.5.0.0, Beck Depression Inventory, Beck Hopelessness Scale, Pittsburgh Sleep Quality Index, Short-Form-36 form and peripheral blood collection for IL-6 biomarker analysis through ELISA through cytokine kits (Biosciences®). The data was transferred to the SPSS program for Windows version 23 (SPSS Inc. Chicago, IL). The Shapiro-Wilk Test was used to assess the normality of the variables, the distribution of the sample was non-normal, the mean scans between the groups were performed by the Mann-Whitney test. For the analysis of the association of dichotomous variables, a Chi-square test was performed and the odds ratio calculation (odds-ratio), 95% confidence interval and statistical significance established in 5% (p<0.05) were generated. Preliminary results: The sample consisted of 45 women, mean age 36.57 (±9.47 years. Of these, 31.1% had Major Depressive Episode (MD) and 53.3% had at least one anxiety disorder. Patients with MDD presented suicide risk 14.5 times higher than non-depressed patients, in addition to worsening sleep quality and greater impairment in quality of life in several domains of the SF-36. Interleukin-6 biomarker analysis has not yet been performed. Conclusion: The prevalence of depression was higher than that described in the general population. The risk of suicide was associated with higher severity of depressive symptoms and hopelessness and worse scores of quality of life and quality of sleep.

8
  • LIVIA MARIA BORGES AMARAL TENORIO
  • Inflamação e Risco de Sarcopenia na Doença Renal Diabética.

  • Orientador : JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • BRAULIO CESAR DE ALCANTARA MENDONCA
  • FABIANA ANDREA MOURA
  • FLAVIO TELES DE FARIAS FILHO
  • JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • SAMIR BUAINAIN KASSAR
  • Data: 28/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A nefropatia diabética pode ser uma complicação grave do diabetes e vir acompanhada de perda proteica, inflamação, além da redução de força muscular. Os pacientes com diabetes e doença renais crônicas fazem parte do grupo de risco onde o processo inflamatório pode acontecer de maneira exacerbada. A elevação das citocinas inflamatórias e a presença de sarcopenia podem estar presentes neste perfil clínico. OBJETIVO: Investigar o risco de sarcopenia, a força muscular e o perfil inflamatório em pacientes diabéticos com doença renal crônica em tratamento conservador e hemodiálise. MATERIAIS E MÉTODOS: Este material é composto por dois produtos. O primeiro, intitulado “Inflamação e risco de sarcopenia na doença renal diabética”, foi realizado em duas etapas, sendo a primeira observacional, retrospectiva, por meio de coleta de dados de prontuários médicos. A segunda parte foi a coleta de amostra de sangue para a avaliação de citocinas inflamatórias (IL-1β, IL-6, IL-8, TNF-α) e a triagem de sarcopenia por meio da aplicação do questionário SARC- F e avaliação da preensão palmar.  Os dados foram tabulados no programa Microsoft Excel® e as análises realizadas com o auxílio do pacote estatístico SPSS, com um nível de confiança de 95% (p<0.05) e do programa JASP Versão 0.16.1. O segundo material compõe-se de uma revisão narrativa de literatura publicada na revista Brazilian Journal of Development, Curitiba, v.7, n.7, p. 67591-67615 jul. 2021. DOI:10.34117/bjdv7n7-167, intitulado “COVID-19 na obesidade, diabetes e doença renal crônica: vias metabólicas, hiperinflamação e reabilitação física”. RESULTADOS: O grupo total de 64 indivíduos, com idade média de 64 anos e 54% de homens e média de IMC de 30,79kg/m². A análise foi feita a partir da divisão em dois grupos de acordo com o tratamento, conservador e hemodiálise. Os resultados mostraram risco de sarcopenia nos dois grupos, 44% e 37% respectivamente, sem diferença estatística entre os grupos. Para o grupo em tratamento conservador, ao se associar as variáveis a partir dos indivíduos com e sem risco de sarcopenia, observou-se maiores níveis de IL-1 no grupo sem risco de sarcopenia, enquanto para leucócitos e glicemia foram encontrados maiores valores para o grupo com risco de sarcopenia (p<0,05). A mesma análise foi realizada para o grupo em hemodiálise, mas os subgrupos com e sem risco de sarcopenia não diferiram significativamente para nenhuma das variáveis. Posteriormente, realizou-se a análise por subgrupos de alto risco de sarcopenia em tratamento conservador e em hemodiálise. Os marcadores inflamatórios IL-6 e IL-8 foram maiores nos grupos com risco de sarcopenia em diálise do que em tratamento conservador (p<0,05). Resultado semelhante foi encontrado para uréia, creatinina e potássio séricos com valores mais elevados no grupo em HD (p<0,05). Níveis séricos de hematócrito, hemoglobina e circunferência esquerda da panturrilha foram maiores nos pacientes em risco de sarcopenia em tratamento conservador do que naqueles em hemodiálise (p<0,05). CONCLUSÃO: A população encontrada nesse trabalho foi formada de pessoas predominantemente obesas e idosas, demonstrado o impacto do crescimento da obesidade entre os pacientes com nefropatia diabética submetidos ou não a hemodiálise. Além disso, o elevado risco de sarcopenia observado serve de alerta para o surgimento da obesidade sarcopênica nessa população e necessidade de uso de ferramentas para a pesquisa de sarcopenia nesse grupo. O estudo mostrou ainda que o risco de sarcopenia não foi diferente entre os grupos de tratamento conservador e hemodiálise e que apesar do procedimento da diálise o perfil inflamatório foi maior no grupo de hemodiálise


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION: Diabetic nephropathy is the main complication that leads diabetic patients to hemodialysis. At this time of pandemic by COVID 19, patients with diabetes, especially the obese diabetics, are part of the risk group that can evolve with the most severe presentation of the disease. In obese individuals with diabetes and patients with chronic kidney disease, the inflammatory process occurs in an exacerbated manner with the uncontrolled elevation of inflammatory cytokines and may have an unfavorable outcome. The sarcopenia present in these patients also appears as a complicating factor during the pandemic period, with repercussions still uncertain in this scenario. OBJECTIVE: To investigate the risk of sarcopenia and inflammatory response in diabetic patients with chronic kidney disease, underconservative treatment during the COVID pandemic 19. MATERIALS AND METHODS: The dissertation presents two products. Product 1 is a review article "Metabolic pathways and hyperinflammation in covid 19 in chronic renal diabetic obese patients and their post-infection physical rehabilitation", published in the Journal of Development ISSN: 2525-8761, DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-167. The second product refers to a cross-sectional study, observational, and the sample was calculated from 40 diabetic patients undergoing conservative treatment for Chronic Kidney Disease (CKD), with < 60mL/min/1.73m² (GFR calculated with ckd-EPI formula) of both sexes, assisted by the Integrated Nephrology Center of the Professor Alberto Antunes University Hospital (HUPAA) during the COVID pandemic 19. The collection was carried out from January to July 2021. The study was done in two stages, the first being retrospective observational by collecting data from medical records, including socioeconomic, anthropometric (weight and height) and biochemical data (blood count, urea, creatinine, albumin, fasting glycemia, lipidogram, C-reactive protein, ferritin, uric acid, sodium, potassium, calcium, phosphorus, PTH and 25-hydroxy-vitamin D). The second part was the collection of blood samples for the evaluation of inflammatory cytokines (IL-1β, IL-6, IL-8, TGF-β) and screening of sarcopenia by applying the SARC-F<® questionnaire. RESULTS: Forty-one patients (63.8% elderly and 36.1% adults) were evaluated, and a high percentage of obesity was observed (mean BMI 30.4Kg/m², with SD 6.541, p 0.001), with 39.02% of obese individuals and the presence of a decreased glomerular filtration rate (mean GFR of 38.2mL/min/1.73m², with SD 14.68, p 0.039). Of this population, 36 people answered the SARC-F questionnaire to assess the risk of sarcopenia and we found 38.9% of signs suggestive of sarcopenia, which indicates to continue with the investigation later and greater attention to care. The variables related to personal and health data were analyzed regarding the association with nutritional status and no statistical significance was found. Personal and health data when associated with nutritional status did not differ, however, the risk of sarcopenia was associated with the fasting glucose value (p 0.017) with low association effect. The correlation analysis using spearman rho coefficient, performed between nutritional status and nonlinear variables, found a positive relationship between obesity and glomerular filtration rate, fasting glycemia and glycated hemoglobin. Inflammatory markers will be analyzed at a later stage. CONCLUSION: The studied population represents patients with advanced stage of diabetic chronic kidney disease and the obesity rate appears high in this sample. This fact may be related to the presence of sarcpenic obesity, considering the data of the SARC-F. In addition, the positive correlations between obesity and GFR, fasting glycemia and glycated hemoglobin reflect the metabolic repercussions to which this nutritional profile is associated, according to the literature.

9
  • LUCAS CORREIA LINS
  • Análise da metabolômica fecal em pacientes portadores de doença inflamatória intestinal através da espectrometria de massas

     

  • Orientador : FABIANA ANDREA MOURA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA LUIZA EXEL DA SILVA
  • FABIANA ANDREA MOURA
  • JORGE ARTUR PECANHA DE MIRANDA COELHO
  • JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • Data: 28/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • A Doença Inflamatória Intestinal (DII) se divide em Doença de Crohn (DC) e a Retocolite Úlcerativa (RCU), e refere-se a uma patologia inflamatória de caráter crônico e idiopático, onde há uma possível desregulação da homeostase entre o sistema imune intestinal e a microbiota, em indivíduos geneticamente susceptíveis. Os pacientes com DII apresentam significantes diferenças na metabolômica fecal comparado a pessoas saudáveis. Metabolômica é a análise desses metabólitos que pode relacionar a determinadas patologias, incluindo as intestinais. O estudo visa analisar o perfil metabólico intestinal dos pacientes portadores de Doença Inflamatória Intestinal acompanhados por um serviço especializado em um hospital de referência em Maceió/AL, utilizando a espectometria de massas. Foram selecionados 62 pacientes portadores de doença inflamatória intestinal que foram submetidos a um questionário para avaliação clínica, e colhido uma amostra fecal para análise da metabolômica e da calprotectina fecal. O grupo controle é composto de 30 amostras fecais de indivíduos sadios de acordo com os critérios de inclusão, para a análise dos metabólitos. Os dados da metabolômica foram analisados através do Software MetaboAnalyst 5.0.


  • Mostrar Abstract
  • Inflammatory Bowel Disease (IBD) is divided into Crohn's disease (CD) and Ulcerative Colitis (UC), and refers to an inflammatory pathology of chronic and idiopathic character, where there is a possible dysregulation of homeotase between the intestinal immune system and the microbiota in genetically susceptible individuals. Patients with IDI have significant differences in fecal metabolomics compared to healthy people. Metabolomics is the analysis of these metabolites that can relate to certain pathologies, including intestinal ones. The study aims to analyze the intestinal metabolic profile of patients with Inflammatory Bowel Disease followed by a specialized service in a reference hospital in Maceió/AL, using mass spectrometry. We selected 62 patients with inflammatory bowel disease who were submitted to a questionnaire for clinical evaluation, and a fecal sample was collected for analysis of metabolomics and fecal calprotectin. The control group is composed of 30 fecal samples of healthy individuals according to the inclusion criteria for the analysis of metabolites. Metabolomic data were analyzed using MetaboAnalyst 5.0 Software.

10
  • CARLOS ALEXANDRE FERREIRA DE OLIVEIRA
  • RESPOSTA INFLAMATÓRIA E SARCOPENIA APÓS INFECÇÃO POR COVID-19 EM OBESOS DIABÉTICOS RENAIS CRÔNICOS EM HEMODIÁLISE.

  • Orientador : MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALESSANDRA ABEL BORGES
  • FABIANA ANDREA MOURA
  • MERCIA LAMENHA MEDEIROS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • RAQUEL FERNANDES VANDERLEI VASCO
  • RODRIGO PEIXOTO CAMPOS
  • Data: 29/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A nefropatia diabética é a principal causa que leva os pacientes diabéticos à hemodiálise. Nesse momento de pandemia pela COVID 19, infecção causada pelo novo coronavírus (SARS- CoV-2), os pacientes com diabetes, especialmente, os obesos, fazem parte do grupo de risco que pode evoluir com a apresentação mais grave da doença. Nesse grupo de pacientes, obesos com diabetes e portadores de doença renal crônica, o processo inflamatório acontece de maneira exacerbada com a elevação descontrolada das citocinas inflamatórias podendo ter desfecho fatal. A sarcopenia presente nestes pacientes diabéticos, obesos e renais surge ainda como um fator complicador da COVID 19, com repercussões ainda incertas no cenário pós infecção.  OBJETIVO: Investigar a resposta inflamatória e sarcopenia após infecção por covid-19 em participantes com doença renal crônica e sobrepeso/obesidade, diabéticos, submetidos a hemodiálise. MATERIAIS E MÉTODOS: A amostra foi formada por 32 pacientes diabéticos em hemodiálise (cálculo amostral a partir dos dados de diabéticos em diálise segundo inquérito brasileiro realizado pela sociedade brasileira de nefrologia – SBN, em 2017), de ambos os sexos, assistidos pelo Centro Integrado de Nefrologia do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA), Hospital Veredas e UNIRIM. Os participantes foram divididos em dois grupos; A: Aqueles com infecção confirmada por Sars-COV-2 e B: Aqueles que não tiveram infecção por Sars-COV-2. Foram coletados dados demográficos e Laboratoriais. RESULTADOS: Grupo A (média + desvio padrão): n = 12 Idade 60,33 + 8,03 anos; IMC 31,19+1,89 Kg/m2; Tempo em Diálise 865+689 dias; Hematócrito 33,32 +4,84; Hemoglobina 10,72+1,43; Ureia 148,82+31,18; Creatinina 8,53+3,04; Ca 8,35+0,49; P 5,89+1,30; Albumina 3,74+0,51; Globulinas 2,96+0,52; Ferritina 229+185; PTH 460,55+350,01. O grupo B é assim descrito (média + desvio padrão): n = 30; Idade 65,55 + 9 anos; IMC 30,95+3,24 Kg/m2; Tempo em Diálise 1175+768 dias; Hematócrito 33,17 +4,22; Hemoglobina 11,03+1,37; Ureia 139+43,91;Creatinina 7,69+2,56; Ca 8,64+0,98; P 5,1+1,82; Albumina 3,79+0,61; Globulinas 3,59+1,39; Ferritina 253+197; PTH 207,76+258,31. CONCLUSÃO: Não encontramos até o momento diferença entre os marcadores pesquisados nos grupos estudados. Mais análise é necessária para conclusão efetiva.


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION: Diabetic nephropathy is the main cause that leads diabetic patients to hemodialysis. At this time of pandemic by COVID 19, infection caused by the new coronavirus (SARS- CoV-2), patients with diabetes, especially the obese, are part of the risk group that can evolve with the most severe presentation of the disease. In this group of patients, obese with diabetes and patients with chronic kidney disease, the inflammatory process occurs in an exacerbated manner with the uncontrolled elevation of inflammatory cytokines and may have a fatal outcome. The sarcopenia present in these diabetic, obese and oral patients also appears as a complicating factor of COVID 19, with repercussions still uncertain in the post-infection scenario. OBJECTIVE: To investigate the inflammatory response and sarcopenia after covid-19 infection in participants with chronic kidney disease and overweight/obesity, diabetics, undergoing hemodialysis. MATERIALS AND METHODS: The sample consisted of 32 diabetic patients on hemodialysis (sample calculation from the data of diabetics on dialysis according to a Brazilian survey conducted by the Brazilian Society of Nephrology - SBN, in 2017), of both sexes, assisted by the Integrated Nephrology Center of the University Hospital Professor Alberto Antunes (HUPAA), Hospital Veredas and UNIRIM. The participants were divided into two groups; A: Those with confirmed Infection by Sars-COV-2 and B: Those who did not have Sars-COV-2 infection. Demographic and laboratory data were collected. RESULTS: Group A (mean + standard deviation): n = 12 Age 60.33 + 8.03 years; BMI 31.19+1.89 Kg/m2; Dialysis time 865+689 days; Hematocrit 33.32 +4.84; Hemoglobin 10.72+1.43; Urea 148.82+31.18; Creatinine 8.53+3.04; Ca 8.35+0.49; P 5.89+1.30; Albumin 3.74+0.51; Globulins 2.96+0.52; Ferritin 229+185; PTH 460.55+350.01. Group B is described as well (mean + standard deviation): n = 30; Age 65.55 + 9 years; BMI 30.95+3.24 Kg/m2; Dialysis time 1175+768 days; Hematocrit 33.17 +4.22; Hemoglobin 11.03+1.37; Urea 139+43.91; Creatinine 7.69+2.56; Ca 8.64+0.98; P 5.1+1.82; Albumin 3.79+0.61; Globulins 3.59+1.39; Ferritin 253+197; PTH 207.76+258.31. CONCLUSION: We have not found so far a difference between the markers studied in the groups studied. More analysis is required for effective completion.

11
  • JACYARA FARIAS DE MELO
  • Estudo de associação entre Trauma na Infância, Dor Psicológica e Comportamento Suicida em Mulheres com Depressão

  • Orientador : VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANTONIO EGIDIO NARDI
  • CLAUDIO TORRES DE MIRANDA
  • JORGE ARTUR PECANHA DE MIRANDA COELHO
  • JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • VERONICA DE MEDEIROS ALVES
  • Data: 29/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • Esse estudo tem por objetivo investigar em mulheres deprimidas a associação entre o histórico de trauma na infância com a dor psicológica e o comportamento suicida. Trata-se de um estudo observacional, transversal e com abordagem quantitativa que foi realizado no Hospital Escola Portugal Ramalho (HEPR), Hospital Universitário Profº Alberto Antunes (HUPAA) e nas Unidades de Saúde Básica (UBS) de Girau do Ponciano. O método de mostragem utilizado foi não probabilística por conveniência e a amostra foi constituída por pacientes em atendimento ambulatorial. A coleta de dados se deu a partir da aplicação do Questionário Sociodemográfico, Mini Entrevista Neuropsiquiátrica Internacional (M.I.N.I 7.0.2), Inventário de Depressão de Beck (BDI), Escala de Dor Psicológica (PAS) e Questionário de Trauma na Infância (CTQ). A amostra geral contou com 34 mulheres, com média de idade de 42,1 anos (±11,0).  Cerca de 82,3 % (28) da amostra apresentaram histórico de trauma precoce, 79,4% (27) das mulheres relataram ter sofrido Abuso Emocional, 73,5% (25) relataram ter sofrido Negligência Física, 70,6% (24) relataram ter sofrido Negligência Emocional, 58,8% (20) relataram ter sofrido Abuso Físico e 47% (16) das mulheres entrevistadas relataram ter sofrido Abuso Sexual. A média do escore de Suicidalidade foi de 69,2 (±47,8) (p 0,03) para pacientes que apresentaram histórico de Abuso Emocional, 59,3% (16) dessas pacientes apresentaram quadro de Transtorno Depressivo Maior (p 0,04) e 40,7% (11) apresentaram quadro de Transtorno Bipolar (p 0,04). 96% (24) das pacientes que relataram Negligência Física apresentavam Ideação Passiva (p 0,02) com OR =12,0 (IC95% 1,05 – 136,79) e 80% (20) apresentavam Ideação Ativa (p 0,01) com OR= 8,0 (IC95% 1,46 – 43,68). Para mulheres que sofreram Negligência Emocional a média do escore de Suicidalidade foi de 72,9 (±47,3) (p 0,01), a média do escore do BDI foi de 31,5 (±14,2) (p 0,02). Tendo 29,5% (7) das pacientes apresentado quadro de Transtorno Bipolar Tipo 1 (p 0,05). Entre as pacientes que relataram histórico de Abuso Físico 50% (10) delas apresentavam quadro de Transtorno Depressivo Maior (p 0,01) e 50%(10) apresentavam quadro de Transtorno Bipolar (p 0,01) com OR =13,0 (IC95%1,42 – 119,07). Os testes estatísticos utilizados nesse estudo demonstraram associação entre transtornos de humor e comportamento suicida de acordo com os subtipos de maus-tratos na infância e adolescência. Observou-se, também, que mesmo em acompanhamento psiquiátrico as pacientes que possuem histórico de trauma precoce apresentam escores elevados para gravidade de sintomas depressivos e para o risco de suicídio.


  • Mostrar Abstract
  • This study aims to investigate in depressed women the association between a history of childhood trauma with psychological pain and suicidal behavior. This is an observational, cross-sectional study with a quantitative approach that was carried out at Hospital Escola Portugal Ramalho (HEPR), University Hospital Profº Alberto Antunes (HUPAA) and at Basic Health Units (UBS) in Girau do Ponciano. The display method used was non-probabilistic for convenience and the sample consisted of patients in outpatient care. Data collection took place from the application of the Sociodemographic Questionnaire, Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI 7.0.2), Beck's Depression Inventory (BDI), Psychological Pain Scale (PAS) and Childhood Trauma Questionnaire (CTQ) . The general sample included 34 women, with a mean age of 42.1 years (± 11.0). About 82.3% (28) of the sample had a history of early trauma, 79.4% (27) of the women reported having suffered Emotional Abuse, 73.5% (25) reported having suffered Physical Negligence, 70.6% ( 24) reported having suffered Emotional Negligence, 58.8% (20) reported having suffered Physical Abuse and 47% (16) of the women interviewed reported having suffered Sexual Abuse. The average Suicidality score was 69.2 (± 47.8) (p 0.03) for patients who had a history of Emotional Abuse, 59.3% (16) of these patients had a Major Depressive Disorder (p 0 , 04) and 40.7% (11) presented with Bipolar Disorder (p 0.04). 96% (24) of the patients who reported Physical Negligence had Passive Ideation (p 0.02) with OR = 12.0 (95% CI 1.05 - 136.79) and 80% (20) had Active Ideation (p 0, 01) with OR = 8.0 (95% CI 1.46 - 43.68). For women who suffered Emotional Negligence the average Suicidality score was 72.9 (± 47.3) (p 0.01), the average BDI score was 31.5 (± 14.2) (p 0 , 02). 29.5% (7) of the patients presented with Bipolar Disorder Type 1 (p 0.05). Among the patients who reported a history of Physical Abuse, 50% (10) of them had Major Depressive Disorder (p 0.01) and 50% (10) had Bipolar Disorder (p 0.01) with OR = 13.0 (95% CI 1.42 - 119.07). The statistical tests used in this study showed an association between mood disorders and suicidal behavior according to the subtypes of abuse in childhood and adolescence. It was also observed that even in psychiatric follow-up, patients who have a history of early trauma have high scores for the severity of depressive symptoms and for the risk of suicide

12
  • THAYS DE SA TARGINO LIBERAL
  • O itinerário percorrido pelos cuidadores de crianças e adolescentes com transtornos mentais na busca por tratamento especializado em Maceió.

  • Orientador : CLAUDIO TORRES DE MIRANDA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLAUDIO TORRES DE MIRANDA
  • MERCIA LAMENHA MEDEIROS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • ALESSANDRA PLACIDO LIMA LEITE
  • ANTONIO CARLOS SILVA COSTA
  • DANIELA MARTINS LESSA BARRETO
  • Data: 03/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Segundo as estimativas, cerca de 13% das crianças e adolescentes no Brasil são portadores de alguma psicopatia e que apenas 37,5 % destes recebam alguma intervenção terapêutica ao longo de 5 anos. A lacuna entre a prevalência e o acesso ao tratamento especializado demonstra que alguns fatores possam interferir na cobertura e na eficácia da atenção em saúde mental destinadas a esta população. As principais barreiras de acesso enfrentadas pelos familiares envolvem tanto fatores pessoais (situação financeira, abdicação de compromissos sociais e desgaste físico e emocional exigidos no cuidado) como fatores relativos às deficiências na rede assistencial tais como: desarticulação nos serviços, a falta de investimentos, de profissionais especializados e a procrastinação no diagnóstico. A sequência do itinerário tende a ser ajustada de acordo com as particularidades dos usuários e geralmente é precedida por atendimentos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e hospitais psiquiátricos, envolvendo uma diversidade de profissionais até a chegada ao Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil.  No que se refere a rede especializada, Alagoas conta apenas com uma unidade de CAPSi, referência no atendimento de crianças e adolescentes na faixa etária de 5 aos 18 anos, portadores de algum transtorno mental grave. OBJETIVO: Analisar o caminho percorrido pelos familiares ou cuidadores para tratamento em saúde mental de crianças e adolescentes atendidos em um CAPSi de Maceió; identificar as motivações para a busca de tratamento, procurando compreender as dificuldades e estratégias utilizadas neste processo e descrever os fatores relacionados ao abandono do tratamento. MATERIAIS E MÉTODOS: Trata-se de um estudo exploratório, descritivo e de abordagem qualitativa, alicerçado nos preceitos teóricos e metodológicos dos itinerários terapêuticos.  A amostra foi composta por 29 participantes, divididos com a seguinte organização: 20 responsáveis por crianças ou adolescentes com transtornos mentais em atendimento no CAPSi e 9 responsáveis que abandonaram o tratamento no período compreendido entre 2019 a 2020. A amostragem foi realizada por conveniência, levando em consideração o agendamento das consultas para os psiquiatras realizadas no CAPSi, durante os meses de maio e junho de 2021. No caso dos desistentes, foi realizada uma pesquisa no arquivo de prontuários inativos, de onde foram selecionados os 9 primeiros que se enquadraram no período descrito, e em que foi possível contato através do número telefônico informado. A coleta de dados foi realizada através de entrevista semiestruturada, composta por perguntas abertas elaboradas pelos pesquisadores. Os dados produzidos pelas entrevistas foram trabalhados na tipologia qualitativa, com o auxílio do software Atlas ti versão 9, seguindo a abordagem teórico-metodológica da Análise de Conteúdo Temática proposta por Minayo, em suas três fases de análise:  Pré-Análise, Exploração do material e Tratamento dos resultados obtidos e interpretação. RESULTADOS:  Tendo em vista o perfil demográfico dos participantes, 75% evidenciaram a figura materna, na faixa etária de 41 a 50 anos, como principal responsável pela criança ou adolescente no tratamento no CAPSi. A predominância da renda familiar de um salário mínimo, a baixa escolaridade e o não exercício de atividade remunerada compuseram os fatores característicos de uma população em vulnerabilidade social. Entre os usuários, maior frequência foi observada no sexo masculino, na faixa etária entre 11 a 13 anos, com tempo de permanência no CAPSi até dois anos. Os grupos diagnósticos predominantes foram F70-79 (Retardo mental), F 84 (Transtornos globais do desenvolvimento infantil) e F 91(Distúrbios de Conduta).  Os resultados das entrevistas foram organizados em três temas: Motivação para busca de ajuda; Caminhos percorridos / dificuldades até a chegada ao CAPSI e Motivos para desistência do tratamento.  Entre os entrevistados o que motivou a procura de ajuda foram as alterações no comportamento da criança, tais como hiperatividade, heteroagressividade e introspecção, percebidas principalmente pela mãe, entre 2 a 4 anos.  O itinerário terapêutico foi descrito como uma etapa longa e desgastante, em que os familiares se deslocavam entre vários estabelecimentos na atenção básica do SUS, unidades complementares de serviços em saúde mental, bem como profissionais da rede privada. A média de profissionais acessados foi de 6 e tempo médio gasto até o encaminhamento e chegada ao CAPSi foi de 4 anos.  Falta e/ou longa espera por vaga, insatisfação com as terapêuticas, recusa em aceitar o diagnóstico, estigma e sobrecarga materna foram as dificuldades mais citadas na peregrinação por tratamento especializado.  O CAPSi no geral foi bem avaliado pelos usuários, principalmente pelos profissionais capacitados, acolhimento familiar e disponibilização de medicamentos, porém insatisfações foram registradas no diz respeito à grande demanda de pacientes, o número insuficientes de psiquiatras e de outras instituições similares para crianças e adolescentes com transtorno mental grave. Este foi considerado também um dos fatores primordiais para o abandono do tratamento na instituição, além de dificuldades financeiras e o fator geográfico (distância do Capsi para a residência dos usuários). CONCLUSÃO: Considerando a população analisada e os marcadores de vulnerabilidade social a que estiveram expostos, foi possível deduzir que as políticas e serviços relativos à saúde mental de crianças e adolescentes em Maceió ainda se encontra distante do ideal estabelecido em legislações específicas. Isto impacta diretamente na trajetória percorrida por estes usuários, propiciando barreiras de acesso similares às já descritas na literatura, especificamente para os países de baixa e média rendas. A evidência de uma rede ainda fragmentada, sobrecarregada pela carência de investimentos em instituições e profissionais específicos em saúde mental infantil são fatores determinantes para o abandono do tratamento e exigem reformulações por parte de gestões governamentais, visando ampliar o cuidado para um público cada vez mais suscetível ao adoecimento psíquico.


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION: According to estimates, about 13% of children and adolescents in Brazil have some psychopathy and that only 37.5% of them receive some therapeutic intervention over 5 years. The gap between prevalence and access to specialized treatment demonstrates that some factors may interfere with the coverage and efficacy of mental health care for this population. The main barriers of access faced by family members involve both personal factors (financial situation, abdication of social commitments and physical and emotional exhaustion required in care) and factors related to deficiencies in the care network, such as: disarticulation in services, lack of investments, specialized professionals and procrastination in diagnosis. The sequence of the itinerary tends to be adjusted according to the particularities of the users and is usually preceded by care in the Basic Health Units (UBS), Emergency Care Units (UPA) and psychiatric hospitals, involving a diversity of professionals until the arrival at the Psychosocial Care Center for Children and Adolescents. Regarding the specialized network, Alagoas has only one CAPSi unit, a reference in the care of children and adolescents aged 5 to 18 years, with some serious mental disorder. OBJECTIVE: To analyze the path taken by family members or caregivers for mental health treatment of children and adolescents treated in a MACEIÓ CAPSi; identify the motivations for seeking treatment, trying to understand the difficulties and strategies used in this process and describe the factors related to treatment abandonment. MATERIALS AND METHODS: This is an exploratory, descriptive and qualitative study, based on the theoretical and methodological precepts of therapeutic itineraries. The sample consisted of 29 participants, divided with the following organization: 20 responsible for children or adolescents with mental disorders in care at CAPSi and 9 guardians who abandoned treatment between 2019 and 2020. The sampling was performed for convenience, taking into account the scheduling of consultations for psychiatrists performed at CAPSi, during the months of May and June 2021. In the case of dropouts, a search was carried out in the archive of inactive medical records, from which the first 9 that fit the described period were selected, and in which it was possible to contact through the telephone number informed. Data collection was performed through semi-structured interviews, composed of open questions elaborated by the researchers. The data produced by the interviews were worked in the qualitative typology, with the help of atlas ti software version 9, following the theoretical-methodological approach of thematic content analysis proposed by Minayo, in its three phases of analysis: Pre-Analysis, Exploration of the material and Treatment of the results obtained and interpretation. RESULTS: Considering the demographic profile of the participants, 75% showed the maternal figure, in the age group of 41 to 50 years, as the main responsible for the child or adolescent in the treatment in capsi. The predominance of family income of a minimum wage, low schooling and non-exercise of paid activity comprised the characteristic factors of a population in social vulnerability. Among users, higher frequency was observed in males, aged between 11 and 13 years, with length of stay in CAPSi up to two years. The predominant diagnostic groups were F70-79 (Mental retardation), F 84 (Global Child Development Disorders) and F 91 (Conduct Disorders). The results of the interviews were organized into three themes: Motivation to seek help; Paths traveled / difficulties until arrival at CAPSI and Reasons for withdrawal from treatment. Among the interviewees, what motivated the search for help were changes in the child's behavior, such as hyperactivity, heteroaggressiveness and introspection, perceived mainly by the mother, between 2 and 4 years. The therapeutic itinerary was described as a long and exhausting stage, in which family members moved between several establishments in the primary care of the SUS, complementary units of mental health services, as well as professionals from the private network. The average number of professionals accessed was 6 and the average time spent until referral and arrival at CAPSi was 4 years. Lack and/or long wait for vacancy, dissatisfaction with therapies, refusal to accept the diagnosis, stigma and maternal burden were the most cited difficulties in the pilgrimage for specialized treatment. The CAPSi in general was well evaluated by users, mainly by trained professionals, family reception and availability of medications, but insatisfações were recorded in the says res

13
  • LARISSA DA SILVA PINTO
  • Impacto da ansiedade e da  depressão na qualidade de vida em doenças reumatológicas crônicas na infância

  • Orientador : THIAGO SOTERO FRAGOSO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALINE CAVALCANTI DE QUEIROZ
  • AUXILIADORA DAMIANNE PEREIRA VIEIRA DA COSTA E SILVA
  • FLAVIO TELES DE FARIAS FILHO
  • ROBERTO CORDEIRO DE ANDRADE
  • RODRIGO PEIXOTO CAMPOS
  • THIAGO SOTERO FRAGOSO
  • Data: 21/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Lúpus eritematoso sistêmico  pediátrico (pLES)  e artrite idiopática juvenil (AIJ) são doenças reumatológicas crônicas  que acometem a faixa etária infantil. Além do comprometimento sistêmico orgânico, essas condições estão associadas à ocorrência de  depressão e de ansiedade, ocasionando impacto negativo na  qualidade de vida. OBJETIVO:  Traçar o perfil sódiodemográfico; Estimar as taxas de  ansiedade e depressão em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico  pediátrico (pLES)  e artrite idiopática juvenil (AIJ); Mensurar o nível de qualidade de  vida; Correlacionar ansiedade e depressão ao nível de  qualidade de vida; Associar ansiedade e depressão à atividade de doença;  Comparar qualidade de vida nos grupo com e sem atividade de doença. MATERIAIS E MÉTODOS: Estudo observacional e corte transversal. A amostra foi se­lecionada por conveniência, composta por  pacientes portadores de pLES e AIJ acompanhados pelo ambulatório de Reumatologia Pediátrica do Hospital Professor Alberto Antunes, hospital terciário em uma capital do Nordeste. Foram incluídos pacientes de ambos os sexos com idade entre 7 a 17 anos cujos pais assinaram o Termo de Livre Consentimento e Esclarecido (TCLE). Os dados  foram  obtidos através de entrevista presencial. As variáveis de análise foram: dados socioeconômicos; ansiedade (através do questionário Screen for child anxiety related disorder- SCARED), depressão (a partir do instrumento  Inventário de Depressão Infantil- CDI), nível de  qualidade de vida (por meio da escala  Pediatric Quality of Life InventoryTM Versão 4.0- PedsQualis), atividade do p LES (através do escore Modified  Systemic Lupus Erythematosus Disease Activity Index- 2k – SLEDAI) e atividade a AIJ ( a partir do escore Clinical Juvenile arthritis disease activity score- cJADAS). As análises foram feitas com o auxílio do pacote estatístico JAMOVI versão 1.6.3.0. Os dados descritivos estão representados através de médias, mediana, frequências, desvio-padrão e intervalo interquartil. O  teste Shapiro-Wilk foi empregado para  verificar a normalidade da distribuição das variáveis. A comparação entre duas médias foi feita pelo teste t-Student. Valores de p< 0,05 foram considerados estatisticamente significantes. Para a correlação de variáveis não paramétricas, foi utilizado o teste de Spearman.  Para a associação de duas variáveis categóricas, foram selecionados os testes  qui- quadrado e exato de Fisher. RESULTADOS: Houve  26  pacientes participantes com idade média de 11,2 ± 2,94 anos, sendo a maioria composta pelo  sexo feminino (80.8%),  procedente do interior do estado (69.2%)   e pertencente  à classe econômica 6  (73,1%). As taxas de ansiedade e depressão foram respectivamente 50% e 11,5% . A média de qualidade de vida foi de 70.6 + 18.1. Houve correlação negativa de ansiedade aos domínios de qualidade de vida emocional ( rho= -0,707, p < 0,001) e escolar ( rho= - 0,532, p < 0,005).  A depressão demonstrou correlação negativa aos domínios físico (rho= -0,632; p< 0,001), emocional (-0,564; p < 0,003) e escolar (-0,613; p< 0,001) da qualidade de vida. A atividade de doença não se associou  nem à ansiedade, x 2 (1)=   1,39 (p=0,238) nem à  depressão x 2 (1)= 0,399 ( p=0,580). Neste estudo, os que apresentavam atividade de doença (M = 69,5; DP = 18,6), obtiveram médias semelhantes de qualidade de vida em relação aos que não apresentam atividade de doença (M =71,7, DP = 18,2) não havendo diferença significativa ( p=0,763). CONCLUSÃO: O comprometimento nos domínios emocional, escolar e físico de  qualidade de vida em portadores de doenças reumatológicas na infância está correlacionado à depressão e à ansiedade. Não há associação entre atividade de doença à qualidade de vida e aos transtornos mentais avaliados neste estudo.


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION: Pediatric systemic lupus erythesis (pLES) and juvenile idiopathic arthritis (JISA) are chronic rheumatologic diseases that affect the infant age group. In addition to organic systemic impairment, these conditions are associated with the occurrence of depression and anxiety, causing a negative impact on quality of life. OBJECTIVE: To trace the sodium demographic profile; Estimate anxiety and depression rates in patients with pediatric systemic lupus erytheams (pLES) and juvenile idiopathic arthritis (JIS); Measure the level of quality of life; Correlate anxiety and depression to the level of quality of life; Associate anxiety and depression with disease activity; To compare quality of life in groups with and without disease activity. MATERIALS AND METHODS: Observational study and cross-sectional study. The sample was selected by convenience, composed of patients with pLES and AIJ followed by the Pediatric Rheumatology outpatient clinic of the Professor Alberto Antunes Hospital, a tertiary hospital in a capital of the Northeast. We included patients of both sexes aged between 7 and 17 years whose parents signed the Informed Consent Form (Informed Consent). Data were obtained through a face-to-face interview. The variables of analysis were: socioeconomic data; anxiety (via the Screen for child anxiety related disorder- SCARED) questionnaire, depression (from the Children's Depression Inventory - CDI) instrument, quality of life level (using the Pediatric Quality of Life InventoryTM Scale Version 4.0- PedsQualis ), activity of p Les (through the modified systemic lupus erythematosus disease activity index- 2k - SLEDAI) and activity to AIJ (from the Clinical Juvenile arthritis disease activity score- cJADAS score). The analyses were made with the help of the statistical package JAMOVI version 1.6.3.0. Descriptive data are represented by means, median, frequencies, standard deviation and interquartile interval. The Shapiro-Wilk test was used to verify the normality of the distribution of the variables. The comparison between two means was made by the t-Student test. P< 0.05 values were considered statistically significant. Spearman's test was used to correlated nonparametric variables. For the association of two categorical variables, fisher's chi-square and exact tests were selected. RESULTS: There were 26 participants with a mean age of 11.2 ± 2.94 years, the majority of which were female (80.8%), coming from the interior of the state (69.2%) and belonging to economic class 6 (73.1%). Anxiety and depression rates were 50% and 11.5% respectively. The average quality of life was 70.6 + 18.1. There was a negative correlation of anxiety to the domains of emotional quality of life (rho= -0.707, p < 0.001) and school (rho= - 0.532, p < 0.005). Depression showed a negative correlation to the physical (rho= -0.632; p< 0.001), emotional (-0.564; p < 0.003) and school (-0.613; p< 0.001) domains of quality of life. Disease activity was not associated with anxiety, x 2 (1)= 1.39 (p=0.238) or depression x 2 (1)= 0.399 ( p=0.580). In this study, those with disease activity (M = 69.5; SD = 18.6), obtained similar means of quality of life in relation to those without disease activity (M = 71.7, SD = 18.2) with no significant difference (p=0.763). CONCLUSION: The impairment in the emotional, school and physical domains of quality of life in patients with rheumatologic diseases in childhood is correlated with depression and anxiety. There is no association between disease activity and quality of life and mental disorders evaluated in this study.

2021
Dissertações
1
  • THAYSA KELLY BARBOSA VIEIRA
  • Associação entre ritmo circadiano, câncer e diabetes utilizando ferramentas da bioinformática

  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE CARVALHO FRAGA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALINE CAVALCANTI DE QUEIROZ
  • AMANDA KARINE BARROS FERREIRA RODRIGUES
  • ANDRÉ LUIZ SENA GUIMARÃES
  • CARLOS ALBERTO DE CARVALHO FRAGA
  • FABIANA ANDREA MOURA
  • JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • Data: 14/05/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A tumorigênese é afetada pelos genes do relógio. Alterações da expressão dos genes do relógio podem aumentar a susceptibilidade ao câncer através dos efeitos nos mecanismos biológicos que regulam o dano e reparo ao DNA, o metabolismo energético, crescimento e morte celular em tecidos neoplásicos. Objetivo: analisar a associação do ritmo circadiano, diabetes tipo 2 e câncer.  Metodologia:  O estudo é uma meta-análise realizada em amostras  de tecido de paciente com diabetes tipo 2 e amostras de tecido normal, genes relacionados ao ritmo circadiano e dados do transcriptoma associado ao câncer de mama, bexiga, fígado, pâncreas, cólon e reto usando a integração de perfis de expressão gênica com biomolecular em escala de genoma redes em amostras de diabetes, os bancos de dados pesquisados foram o Pubmed e TCGA. Foram utilizados os descritores Ritmo circadiano, Diabetes tipo 2 e câncer em inglês com operadores boleanos and ou or. Resultados:  KLF10, NTKR3, IGF1, USP2, EZH2 foram regulados negativamente em amostras de diabetes tipo 2 e câncer, enquanto ARNTL2 E AGRP foram regulados positivamente. Parece que as alterações no mRNA estão contribuindo para as alterações fenotípicas no diabetes tipo 2, resultando em alterações fenotípicas associadas à transformação maligna. Tomando esses genes para realizar uma análise de sobrevivência, encontramos apenas os genes IGF1, USP2 e ARNTL2 associados aos resultados dos pacientes.Enquanto a regulação negativa de IGF1 e USP2 teve um impacto negativo, a regulação positiva de ARNTL2 foi associada a uma pior sobrevida em amostras de câncer BLCA e BRCA. Conclusão: nossos dados estimulam esforços em novos estudos para alcançar a validação experimental e clínica sobre essas biomoléculas.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Tumorigenesis is affected by clock genes. Changes in the expression of clock genes can increase cancer susceptibility through the effects on biological mechanisms that regulate DNA damage and repair, energy metabolism, cell growth and death in neoplastic tissues (NIRVANI et al, 2018; GERY, 2010). Objective: to analyze the association of circadian rhythm, type 2 diabetes and cancer. Methodology: The study is a meta-analysis performed on type 2 diabetes, genes related to circadian rhythm and transcriptome data associated with breast, bladder, liver, pancreas, colon and rectum cancer using the integration of gene expression profiles with biomolecular in genome scale networks in diabetes samples, the databases searched were Pubmed and TCGA. The descriptors circadian rhythm, type 2 diabetes and cancer in English were used with Boolean operators and or orResults: several common genes deregulate in diabetes mellitus and cancer. KLF10, NTKR3, IGF1, USP2, EZH2 were both down-regulated in samples of type 2 diabetes and cancer, while ARNTL2 AND AGRP were up-regulated. It appears that changes in mRNA are contributing to phenotypic changes in type 2 diabetes, resulting in phenotypic changes associated with malignant transformation. Taking these genes to perform a survival analysis, we found only the IGF1, USP2 and ARNTL2 genes associated with patient results. While negative regulation of IGF1 and USP2 had a negative impact, positive regulation of ARNTL2 was associated with poor survival in BLCA and BRCA cancer samples. Conclusion: our data stimulate efforts in new studies to achieve experimental and clinical validation on these biomolecule

2
  • MARIA LUISA MELO BARBOSA
  • Efeitos do treinamento físico com exergames em adolescentes sedentários e / ou com excesso de peso.

  • Orientador : MERCIA LAMENHA MEDEIROS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLAUDIO TORRES DE MIRANDA
  • FLAVIO TELES DE FARIAS FILHO
  • LUIZ RODRIGO AUGUSTEMAK DE LIMA
  • MERCIA LAMENHA MEDEIROS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • SAMIR BUAINAIN KASSAR
  • Data: 28/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • A obesidade é definida como uma doença crônica, endêmica de origem multifatorial, que apresenta um crescimento considerável nas últimas décadas. As alterações metabólicas que resultam na obesidade e no sobrepeso, adquiridas na infância, podem acompanhar o indivíduo ao longo da vida, sendo o sedentarismo um dos responsáveis por essa evolução. O treinamento físico com exergames, pode ser uma alternativa para aumentar o nível de atividade física e combater a obesidade. Objetivo: Avaliar os efeitos da intervenção de treinamento físico com Exergames em adolescentes sedentários e/ou com sobrepeso. Metodologia: Ensaio clínico não-controlado, com amostra não-probabilística. Os indivíduos analisados foram adolescentes (n=20), entre 10 e 17 anos de idade, todos os gêneros. Foram coletadas variáveis como índice de massa corporal, percentual de gordura, glicemia, colesterol total, HDL, LDL, triglicerídeos, resistência muscular e flexibilidade Pré e Pós intervenção de 24 sessões com exergames. Resultados: O treinamento físico com exergames, por 2 meses, produziu diminuição do percentual de gordura corporal, dos fatores de risco e elevação do HDL, associados a doenças cardiovasculares, mesmo não havendo mudança significativa no índice de massa corporal. Conclusão:  Houve redução do percentual de gordura, pressão arterial sistólica e frequência cardíaca nos adolescentes submetidos a treinamento físico com exergames, registrou-se uma tendência a redução dos fatores de risco para doenças cardiovasculares.


  • Mostrar Abstract
  • Obesity is defined as a chronic disease, endemic with multifactorial origin, which has increased considerably in recent decades. Metabolic alterations that result in obesity and overweight, acquired in childhood, can accompany the individual throughout life, and sedentary lifestyle is one of the responsible for this evolution. Physical training with exergames can be an alternative to increase the level of physical activity and combat obesity. Objective: To evaluate the effects of physical training intervention with Exergames in sedentary and/or overweight adolescents. Methodology: Uncontrolled clinical trial with non-probabilistic sample. The individuals analyzed were adolescents (n=20), between 10 and 17 years of age, all genders. Variables such as body mass index, fat percentage, glycemia, total cholesterol, HDL, LDL, triglycerides, muscle endurance and flexibility Pre and Post intervention of 24 sessions with exergames were collected. Results: Physical training with exergames, for 2 months, produced a decrease in body fat percentage, risk factors and hdl elevation, associated with cardiovascular diseases, even though there was no significant change in body mass index. Conclusion: There was a reduction in the percentage of fat, systolic blood pressure and heart rate in adolescents undergoing physical training with exergames, and there was a tendency to reduce risk factors for cardiovascular diseases.

3
  • RAFAELA MONTEIRO DO NASCIMENTO
  • Fatores associados à mortalidade perinatal em
    uma maternidade escola de alto risco no Nordeste
    do Brasil

  • Orientador : SAMIR BUAINAIN KASSAR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RICARDO QUEROZ GURGEL
  • AUXILIADORA DAMIANNE PEREIRA VIEIRA DA COSTA E SILVA
  • CLAUDIO TORRES DE MIRANDA
  • JOSE ELIAS SOARES DA ROCHA
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • SAMIR BUAINAIN KASSAR
  • Data: 03/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • lar e que para a redução de óbitos

    fetais e neonatais precoces, faz-Os indicadores de mortalidade perinatal apresentam-se estáveis,

    apesar da redução significativa da mortalidade infantil observada
    desde o início dos anos 2000. A ocorrência de óbitos fetais e
    óbitos neonatais precoces carregam estreita relação com a
    qualidade da assistência pré-natal, intraparto e pós-parto oferecida
    à gestante, de maneira que a investigação dos fatores associados
    a esses óbitos embasará adaptações de políticas públicas
    capazes de reduzir a ocorrência de desfechos perinatais
    indesejados. pretendemos identificar fatores sociodemográficos,
    maternos e assistenciais associados à mortalidade perinatal em 

    uma população de gestantes, puérperas e neonatos admitidos em
    uma maternidade escola no nordeste do Brasil, entre junho de
    2015 a maio de 2016 e gerar dados que colaborem com o
    planejamento da atenção materno-infantil. realizou-se um estudo
    analítico do tipo coorte prospectivo. Os sujeitos foram gestantes
    admitidas na Maternidade Escola Santa Mônica, localizada no
    município de Maceió, estado de Alagoas (Nordeste do Brasil),
    entre junho de 2015 e maio de 2016. Tendo como fatores de
    exposição as características sociodemográficas, obstétricas,
    atrasos assistenciais e near miss materno, os dados foram
    coletados através de entrevistas e prontuários. Medidas de
    frequência foram geradas por meio do programa Epi Info 3.5.1.A
    análise bivariada foi realizada no Open Epi, para cálculo da
    associação de risco considerando-se o nível de significância de
    5%. Posteriormente, as variáveis com p&lt;0,02 foram incluídas na
    análise multivariada, através de regressão logística múltipla
    stepwise, a partir de um Modelo Teórico Hierarquizado tendo como
    variável dependente a mortalidade perinatal. Associaram-se
    fortemente à mortalidade perinatal a realização de consultas de
    pré-natal em número menor que seis, a apresentação fetal não-
    cefálica, a presença de malformações congênitas, a presença de
    critérios de manejo para near miss materno e o primeiro atraso
    assistencial. Em nosso estudo, podemos inferir que os fatores
    determinantes da mortalidade perinatal se associaram à qualidade
    na assistência em saúde materna oferecida, desde a atenção

    primária até o nível intra-hospitase necessária uma reestruturação
    e qualificação da atenção materno-infantil num sistema mais
    regionalizado e integralizado.


  • Mostrar Abstract
  • home and that for the reduction of deaths

    early fetal and neonatal diseases, the indicators of perinatal mortality are stable,

    despite the significant reduction in infant mortality observed
    since the early 2000s. The occurrence of fetal deaths and
    early neonatal deaths are closely related to the
    quality of prenatal, intrapartum and postpartum care offered
    pregnant women, so that the investigation of the factors associated with
    these deaths will underpin public policy adaptations
    able to reduce the occurrence of perinatal outcomes
    Unwanted. we intend to identify sociodemographic factors,
    maternal and care-related mothers associated with perinatal mortality in

    a population of pregnant women, puerperated women and neonates admitted to
    a maternity school in northeastern Brazil, between June
    2015 to May 2016 and generate data that collaborates with the
    planning of maternal and child care. a study was carried out
    prospective cohort approach. The subjects were pregnant
    admitted to the Santa Monica Maternity School, located in the
    municipality of Maceió, State of Alagoas (Northeastern Brazil),
    between June 2015 and May 2016. Having as factors of
    exposure to sociodemographic, obstetric,
    care delays and maternal near miss, the data were
    collected through interviews and medical records. Measures of
    frequency were generated through the Epi Info 3.5.1.A
    bivariate analysis was performed at Open Epi to calculate the
    risk association considering the significance level of
    5%. Subsequently, the variables with p&lt;0.02 were included in the
    multivariate analysis, through multiple logistic regression
    stepwise, from a Hierarchical Theoretical Model having as
    variable dependent on perinatal mortality. They joined
    perinatal mortality to be held in perinatal mortality.
    prenatal care in a number of less than six, the non-
    the presence of congenital malformations, the presence of
    management criteria for maternal near miss and the first delay
    Care. In our study, we can infer that the factors
    determinants of perinatal mortality were associated with the quality of
    in maternal health care offered, from the care

    to the intra-hospital level required a restructuring of the
    and qualification of maternal and child care in a system that is more
    regionalized and paid-up.

4
  • CHRYSTENISE VALÉRIA FERREIRA PAES
  • ATENÇÃO PRÉ-NATAL EM CASOS DE FENDAS ORAIS NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

  • Orientador : ISABELLA LOPES MONLLEO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ISABELLA LOPES MONLLEO
  • IVANISE GOMES DE SOUZA BITTENCOURT
  • JOVANIA MARQUES DE OLIVEIRA E SILVA
  • MERCIA LAMENHA MEDEIROS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • SAMIR BUAINAIN KASSAR
  • Data: 13/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • As fendas orais são defeitos congênitos com alta prevalência em países de baixa e média renda (1:730 recém-nascidos) e envolvem importante comprometimento morfofuncional. O diagnóstico pré-natal permite ações de saúde para minimizar complicações associadas ao ganho inadequado de peso e ao aumento da morbimortalidade neonatalCom o objetivo de avaliar a atenção pré-natal em casos de fendas orais, o estudo teve delineamento transversal, prospectivo e descritivo. A amostra foi composta por 86 díades mães-crianças com fenda oral, registradas na Base Brasileira de Anomalias Craniofaciais (BBAC) por serviços participantes do Projeto Crânio-Face Brasil, no período de janeiro/2019 a abril/2020. Os dados sociodemográficos, clínicos e genéticos foram extraídos da BBAC. As informações sobre a atenção pré-natal foram obtidas em entrevista presencial ou telefônica. Os resultados revelam lacunas na atenção pré-natal para identificação de indicadores de risco para fenda oral. O diagnóstico pré-natal da fenda oral ocorreu em quase um terço das mães, contudo não resultou em modificações da conduta oferecida. Globalmente, os resultados demonstraram ausência de preparo das equipes de saúde para lidar com o diagnóstico da fenda oral, acolher a gestante e conduzir a nova situação. Estas falhas retardaram a referência e vinculação da mãe e da criança a um serviço especializado em fenda oral, o que impacta o tratamento e o prognóstico. A partir da avaliação realizada foi possível identificar necessidades e oportunidades para o incremento da atenção à saúde na área das fenda oral. Os autores apresentam sugestões de ações de saúde e de educação permanente para os profissionais da atenção primária e maternidades como contribuição para superar os problemas identificados.


  • Mostrar Abstract
  • Oral clefts are defects with high prevalence in low- and middle-income countries (1:730 newborns) and significant morpho-functional impairment. Prenatal diagnosis allows health interventions to minimize complications associated with low weight gain and increased neonatal morbidity and mortality. Aiming to assess prenatal care in cases of oral clefts, this was a prospective, cross-sectional, and descriptive study. The sample comprised 86 mother-child dyads with oral clefts registered in the Brazilian Database on Craniofacial Anomalies (BDCA) by Brazil’s Craniofacial Project participating services, between January/2019 and April/2020. Sociodemographic, clinical, and genetic data were extracted from the BDCA, while face-to-face or phone interviews to obtain prenatal information. Results showed failures in identifying oral cleft-related risk indicators during prenatal. Almost a third of mothers had a prenatal diagnosis. However, it did not produce changes in the way prenatal teams manage their healthcare. Globally, results showed that primary health teams are not skilled in dealing with oral cleft diagnosis, sheltering pregnant women, and managing the situation. These failures have delayed the referring and binding of the dyads to an oral cleft specialized service which impacts treatment and prognosis. Through this study, it was possible to identify needs and opportunities for increasing oral cleft health care. The authors present a proposal for permanent education and reference and counter-reference in oral clefts during pre and neonatal life periods.

5
  • CAMILA MODESTO NACIFE ADAME
  • ESTIMATIVA DO RITMO DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR EM PACIENTES OBESOS: avaliação comparativa entre fórmulas para cálculo

  • Orientador : FLAVIO TELES DE FARIAS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CARLOS ALBERTO DE CARVALHO FRAGA
  • FLAVIO TELES DE FARIAS FILHO
  • LIVIA LEITE GOES GITAI
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • THIAGO SOTERO FRAGOSO
  • VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • Data: 26/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • A obesidade é um dos distúrbios metabólicos mais prevalentes do século XXI. Sua crescente epidemia gera consequências importantes em saúde pública e individual como: diabetes, complicações cardiovasculares, câncer, asma, distúrbios do sono, disfunção hepática, disfunção renal e infertilidade (MANNA e JAIN, 2015). 

    Sua etiologia é complexa e multifatorial, decorre da interação de fatores genéticos, ambientais, emocionais e de estilo de vida. Diminuição da atividade física e o aumento do consumo de alimentos de alta densidade calórica são fatores determinantes (diretriz abeso, 2016). Em humanos diversos outros fatores de recompensa e emocionais desempenham papel na ingestão de alimentos, além da fome (guideline da endo Society 2014). 

    A doença não associada à síndromes genéticas, possui herança poligênica, e o ambiente apresenta papel fundamental nos indivíduos geneticamente susceptíveis (diretriz abeso, 2016). Padrões alimentares ao longo da vida, têm um forte papel no desenvolvimento de doenças crônicas, incluindo diabetes e hipertensão arterial, os principais fatores de risco de doença renal em estágio terminal (DRET) (CAMARA et. al, 2017)

    Em 2025, estima-se que 2,3 bilhões de adultos ao redor do mundo estejam acima do peso, sendo 700 milhões com diagnóstico de obesidade (site da OMS). No Brasil, houve um aumento de 67,8% nos anos 2006 a 2018, representando uma prevalência de 19,8% neste último. Atualmente no país, 20,7% das mulheres e 18,7% dos homens têm obesidade (site da ABESO). 

    Para defini-la a OMS utiliza o índice de massa corpórea (IMC), medida do peso corporal ajustado para a altura, peso (kg)/altura(m2). Cálculo de interpretação simples e de melhor correlação com outras estimativas de adiposidade, além de eliminar a necessidade de tabelas de altura/peso para gêneros específicos. Baseia-se na observação de que o peso corporal é proporcional à altura ao quadrado em adultos com composição anatômica preservada (BRAY et al., 2018)

    Estudos com modelos humanos e animais demonstram associação de obesidade com doença renal em estágio terminal, mesmo após ajustes para hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus (MUNUSAMY et al., 2015). Em torno de 50% dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2 irão desenvolver DRC, sendo a obesidade responsável pelo aumento de 23% no risco. Além disso, é fator de risco para nefrolitíase e neoplasia renal, influenciando no prognóstico e associando-se a piores desfechos (TAHERGORABI, Z. et al., 2016). 

    O rim e o tecido adiposo do indivíduo obeso secretam citocinas pró-inflamatórias, tais como angiotensina II e leptina, entre outras adipocitocinas com efeitos em podócitos, células mesangiais e tubulares, que também expressam receptores de insulina e leptina, cruciais para a manutenção da permoseletividade celular. Quanto maior o tecido adiposo, maior é a circulação destas substâncias e a síndrome inflamatória concomitante à obesidade é relacionada, dentre outras alterações, ao surgimento de glomeruloesclerose e atrofia tubulointersticial. (COWARD e FORNONI, 2015).

    Além disso, o excesso de peso é comumente acompanhado de outros componentes da síndrome metabólica e resistência insulínica, que sinergicamente podem induzir ao aparecimento de lesão renal ou exacerbar patologias pré-existentes. A maioria destas são possivelmente respostas compensatórias ao aumento sistêmico na demanda energética (TSUBOI et al., 2017). A sua associação com a taxa de progressão da doença renal crônica (DRC) é relacionada a muitos fatores como hiperfiltração, hipertensão glomerular e hiperativação do sistema renina-angiotensina-aldosterona (SRAA) (BOUQUEGNEAU, 2015).

    A condição denominada glomerulopatia relacionada à obesidade é caracterizada por glomerulomegalia, glomeruloesclerose progressiva e declínio da função renal. A taxa de progressão para doença renal em estágio terminal (DRET) é lenta e uma vez que o dano renal é estabelecido, a doença progride com o desenvolvimento de proteinúria. A marcada diferença da prevalência de obesidade comparada com a prevalência da doença renal, demonstra que a obesidade isoladamente não é um fator de risco suficiente para doença renal. Há fatores outros que aumentam a suscetibilidade individual para a doença.(TSUBOI et al., 2017).

     A perda de peso não sustentada durante o tratamento e a recorrência da doença é frequentemente observada, levando à progressão de danos em órgãos-alvo em muitos destes pacientes. Os esforços das pesquisas têm focado não apenas nos fatores que regulam o balanço energético, mas também sobre os mecanismos de lesões em órgãos-alvo; estas se dão desde a compressão física do órgão pelo excesso de peso à várias vias patológicas (CHADE e HALL, 2016).

    Segundo estimativas populacionais, há atualmente em todo o mundo 850 milhões de pessoas com doença renal, decorrente de diversas etiologias. A sua forma crônica, causa pelo menos 2,4 milhões de mortes anualmente; no Brasil, em torno de dez milhões de pessoas possuam a doença. (www.bvsms.saude.gov.br – acesso em fevereiro de 2021). Em vários países sua prevalência vem aumentando, devido ao envelhecimento populacional e decremento do estilo de vida saudável, e à crescente epidemia de obesidade. 

    Para avaliação da função renal, os métodos de depuração são complexos, portanto, na prática clínica a taxa de filtração glomerular (TFG) é estimada através da creatinina sérica, um marcador de filtração endógena (KDIGO, 2012). Os níveis desta substância são dependentes da massa muscular e nos indivíduos obesos há desproporção entre massa magra e tecido adiposo, tornando os valores da creatinina sérica, nestes indivíduos, erráticos (FERNÁNDEZ et. al., 2017).

    As fórmulas mais utilizadas na prática são Cockroft e Gault, Modification of diet in renal disease (MDRD) e Chronic kidney disease epidemiology collaboration (CKDEPI); estas não foram validadas em pacientes obesos e superestimam os resultados da função renal (LEMOINE et al., 2014). Para minimizar o problema, há uma convenção em se ajustar a taxa de filtração glomerular (TFG) para a área de superfície corpórea, multiplicando-se o resultado por 1,73 m2, com o intuito de normalizar populações de tamanho diferentes (CHANG et al., 2017).

    Uma forma de avaliação da função renal é através da depuração de creatinina na urina de 24h, método de relativa baixa acurácia devido aos erros no procedimento de coleta e nas modificações que a creatinina urinária pode sofrer em determinadas situações (KDIGO, 2012). 

    Outras fórmulas foram sugeridas ao longo dos anos na tentativa de se minimizar o baixo desempenho vigente em indivíduos obesos. Alguns exemplos são: Salazar (1988) que propôs o cálculo utilizando-se a massa corporal livre de gordura; a equação quadrática da clínica Mayo (2007) que demonstrou apresentar melhor performance em obesos diabéticos; SOBH (2005) baseada na área de superfície corpórea, além de outras que utilizaram o peso ideal e de cálculos retirando o ajuste estabelecido de 1,73 m2, que serão discutidas nesta dissertação (SALAZAR E CORCORAN, 1988; LEMOINE et al., 2014; RIGALLEAU et al., 2007; FERNÁNDEZ et. al., 2017; SOBH, 2005; BOUQUEGNEAU et al., 2015).

    Há evidências de que a área de superfície corpórea está se modificando ao longo dos anos, segundo NHANES (2011-2014) as mulheres possuiriam 1,81 m2 e os homens 2,05 m2. Os críticos ao ajuste deliberado, advogam que realizar esta correção implica em resultados da taxa de filtração glomerular substancialmente menores, o que poderia acarretar em inconsistência nos resultados. Tal prática poderia mascarar, quando presente, a hiperfiltração glomerular, processo fisiopatológico comum nos indivíduos com excesso de adiposidade (CHANG et al., 2018).

    Falar do peso ideal 

    Não há consenso de qual peso se utilizar na equação de Cockroft e Gault. Os próprios autores, recomendaram o uso do peso ideal ou massa magra ao invés do peso atual, em pacientes com obesidade pronunciada ou com sobrecarga de volume. No ajuste de medicamentos, poucos dados estão disponíveis para recomendar qual é a melhor estratégia. KDIGO, FDA e EMA recomendam utilizar a TFG estimada sem ajuste para a ASC. Esta conduta gera pouco impacto na população geral, porém é altamente relevante nos indivíduos obesos. (BOUQUEGNEAU et al, 2015).

    A importância de se obter cálculos precisos da filtração glomerular nos indivíduos portadores de obesidade é: realizar o rastreio precoce da disfunção renal neste grupo de risco, classificar corretamente os diferentes estágios da DRC, ajustar a dose de medicamentos que possuam depuração renal e evitar a progressão de possíveis danos já instalados. Até 2008, por exemplo, a equação de Cockroft e Gault era a única recomendada pela FDA para a determinação de ajustes na posologia medicamentosa. A partir desta data, a agência aceitou o uso das fórmulas MDRD e CKDEPI, no entanto, não há dados claros para permitir afirmar qual possuiria melhor performance nestes pacientes (BOUQUEGNEAU, 2015).

    Este tema torna-se ainda mais desafiador, pois segundo dados obtidos de estudos em população norte-americana, a média de IMC dos pacientes que entram em diálise está aumentando 2 vezes mais rápido do que o IMC da população geral (RIGALLEAU et al., 2007). Há de se ressaltar, que a estimativa da TFG possui importância, também, na recomendação de hemodiálise, na ausência de fatores de indicação imediata como sintomas urêmicos, pericardite e outros (KUMAR e MOHAN, 2017).

    Neste estudo, pretende-se analisar o desempenho das fórmulas vigentes para cálculo da função renal em pacientes diagnosticados com obesidade, utilizando-se o peso atual e o ideal através de análises comparativas. As informações obtidas podem trazer mais conhecimento para o manejo nestas situações, possibilitar uma melhor compreensão do binômio obesidade-rim e contribuir para a redução do impacto causado em saúde pública e individual.



  • Mostrar Abstract
  • Obesity is one of the most prevalent metabolic disorders of the 21st century. Its growing epidemic generates important consequences in public and individual health such as: diabetes, cardiovascular complications, cancer, asthma, sleep disorders, liver dysfunction, renal dysfunction and infertility (MANNA and JAIN, 2015).

    Its etiology is complex and multifactorial, resulting from the interaction of genetic, environmental, emotional and lifestyle factors. Decreased physical activity and increased consumption of high caloric density foods are determining factors (abeso guideline, 2016). In humans, several other reward and emotional factors play a role in food intake, in addition to hunger (guideline of the endo Society 2014).

    The disease not associated with genetic syndromes has polygenic inheritance, and the environment plays a fundamental role in genetically susceptible individuals (abeso guideline, 2016). Lifelong dietary patterns play a strong role in the development of chronic diseases, including diabetes and hypertension, the main risk factors for end-stage kidney disease (STD) (CAMARA et. al, 2017)

    By 2025, an estimated 2.3 billion adults around the world are overweight, of which 700 million are diagnosed with obesity (WHO website). In Brazil, there was an increase of 67.8% in the years 2006 to 2018, representing a prevalence of 19.8% in the latter. Currently in the country, 20.7% of women and 18.7% of men are obese (ABESO website).

    To define it, the WHO uses body mass index (BMI), body weight measurement adjusted for height, weight (kg)/height(m2). Calculation of simple interpretation and better correlation with other estimates of adiposity, besides eliminating the need for height/weight tables for specific genera. It is based on the observation that body weight is proportional to square dwell in adults with preserved anatomical composition (BRAY et al., 2018)

    Studies with human and animal models show an association between obesity and end-stage renal disease, even after adjustments for systemic arterial hypertension and diabetes mellitus (MUNUSAMY et al., 2015). Around 50% of patients with type 2 diabetes mellitus will develop CKD, with obesity accounting for a 23% increase in risk. In addition, it is a risk factor for nephrolithiasis and renal neoplasia, influencing prognosis and associating with worse outcomes (TAHERGORABI, Z. et al., 2016).

    The kidney and adipose tissue of the obese individual secrete pro-inflammatory cytokines, such as angiotensin II and leptin, among other adipocytokines with effects on doucytes, mesangial and tubular cells, which also express insulin and leptin receptors, crucial for maintaining cellular permoseletivity. The larger the adipose tissue, the greater the circulation of these substances and the inflammatory syndrome concomitant with obesity is related, among other alterations, to the appearance of glomerulosclerosis and tubulointerstitial atrophy. (COWARD and FORNONI, 2015).

    In addition, excess weight is commonly accompanied by other components of metabolic syndrome and insulin resistance, which synergistically can induce the onset of kidney injury or exacerbate pre-existing pathologies. Most of these are possibly compensatory responses to the systemic increase in energy demand (TSUBOI et al., 2017). Its association with the rate of progression of chronic kidney disease (CKD) is related to many factors such as hyperfiltration, glomerular hypertension and hyperactivation of the anintho-angiotensin-aldosterone system (AAR) (BOUQUEGNEAU, 2015).

    The condition called obesity-related glomerulopathy is characterized by glomerulomegaly, progressive glomerulosclerosis, and declining renal function. The rate of progression to end-stage renal disease (ESD) is slow and once renal damage is established, the disease progresses with the development of proteinuria. The marked difference in the prevalence of obesity compared to the prevalence of kidney disease demonstrates that obesity alone is not a sufficient risk factor for kidney disease. There are other factors that increase individual susceptibility to the disease. (TSUBOI et al., 2017).

    Unsustained weight loss during treatment and recurrence of the disease is often observed, leading to the progression of target organ damage in many of these patients. Research efforts have focused not only on the factors that regulate energy balance, but also on the mechanisms of target organ injury; these are given from physical compression of the organ by excess weight to various pathological pathways (CHAD and HALL, 2016).

    According to population estimates, there are currently 850 million people with kidney disease worldwide, resulting from various etiologies. Its chronic form causes at least 2.4 million deaths annually; in Brazil, around ten million people have the disease. 

6
  • MYRA JUREMA DA ROCHA LEAO
  • Perfil epidemiológico, fatores de risco relacionados ao câncer de mama em pacientes de Alagoas

  • Orientador : CAROLINNE DE SALES MARQUES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CARLOS AUGUSTO DE OLIVEIRA CAVALCANTI
  • ROBERTA LIMA
  • ALINE CAVALCANTI DE QUEIROZ
  • CAROLINNE DE SALES MARQUES
  • FREDERICO THEOBALDO RAMOS ROCHA
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • Data: 30/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Resumo: Objetivo: Analisar o perfil epidemiológico das pacientes oncológicas em tratamento para o câncer de mama no estado de Alagoas, e investigar o envolvimento de fatores de risco e prognósticos associados com a doença. Métodos:  Um transversal, retrospectivo e analítico, com a utilização de dados secundários de registro de prontuários, e prospectivo com o preenchimento de questionários aplicados aos pacientes em seguimento ambulatorial da Santa Casa de Misericórdia de Maceió/Al.Foram coletadas informações contidas nos prontuários desta instituição referentes às pacientes com câncer de mama de seguimento ambulatorial atendidos em dois períodos: janeiro e fevereiro de 2019 e o meses correspondentes do corrente ano, e preenchido formulários. Foram recrutadas também, de maneira probabilística por conveniência, pacientes em atendimento ambulatorial e preenchido questionários.  Nestes formulários, a variável primária foi a neoplasia mamária e as secundárias foram: sexo, idade, endereço, escolaridade, tipo histológico, estadiamento clínico e classificação imunohistoquímica, neoadjuvância, adjuvância, radioterapia, cirurgia radical e cirurgia conservadora. Para obtenção das variáveis clínicas complementares foram aplicados os questionários, contendo como variáveis secundárias adicionais: peso, altura, índice de massa corpórea, antecedentes familiares para o câncer, antecedentes pessoais para o câncer e doença benigna da mama, tabagismo, etilismo, menarca precoce, menopausa tardia, nuliparidade, amamentação, uso de terapia hormonal, uso de anticoncepcional, sedentarism. Esses dados foram transferidos para uma planilha de Microsoft Office Excel 2020 e a análise estatística foi utilizado o programa SPSS Statistics Versão 26. Os dados descritivos foram operacionalizados através de tabelas e gráficos, médias, frequências, desvio padrão, e estatística inferencial com testes de qui-quadrado de independência para a análise das variáveis qualitativas nominais e qualitativas ordinais e a correlação de Spearman foi utilizada para a análise das variáveis qualitativas ordinais. Resultados: Foram avaliados 110 pacientes do sexo feminino ( 67 formulários e 43 questionários) . A média de idade foi de 52,99 anos. A maioria das mulheres estava na faixa etária maior que 50 anos (55%), seguida faixa de 35-50 anos (37,6%) e oito (7,3%) pacientes tinham idade inferior a 35 anos. Em sua maior parte (51%) as pacientes eram provenientes do interior do estado, solteiras (68%) e possuíam nível médio completo (40%). Quanto a topografia, cinquenta e seis pacientes (51,4%) apresentavam tumoração a direita e 48,6% a esquerda. No que diz respeito ao estadiamento, em sua maior parte (55%) apresentavam estadiamento I ou II e 45% apresentavam estadiamento III ou IV. Entre os tipos histológicos, o Carcinoma Ductal Infiltrante foi o mais comum (97%). Em  60% dos casos, a mastectomia radical foi o tratamento instituído. O ano de 2019 foi o ano no qual ocorreram a maior parte das cirurgias (27,3%), seguido por 2020 (24,5%) e 2018 (11,8%). A quimioterapia neoadjuvante foi utilizada em 46% dos pacientes, já a adjuvante em 51,6% dos casos. Quarenta e cinco pacientes (61,6%) fizeram radioterapia, 10% fizeram uso de anastrazol, 27,7% de tamoxifeno e 15% de Herceptin. Dentre os fatores de risco o etilismo foi o mais encontrado (27%), seguido pela obesidade (17,3%) e sedentarismo (16,4%). Do total de pacientes avaliadas a lactação foi identificada em 27,3% (n=30), além disso, somente 2,7% das pacientes avaliadas eram nulíparas. Quanto ao subtipo histológico, o subtipo luminal B foi o mais comum em pacientes com idade inferior a 35 anos, assim como em pacientes com idade entre 35 e 50 anos. Já na população acima de 50 anos o subtipo luminal A foi o mais frequente. Conclusões: Os dados do presente estudo corroboram com os encontrados na literatura, apresentando os fatores de risco modificáveis (obesidade, sedentarismo, etilismo, uso de anticoncepcionais orais), presentes nesta população, mas não em sua maioria. Um fato curioso é o achado da amamentação na maioria das mulheres que tiveram câncer de mama, considerado um fator protetor. Assim, considera-se que o conhecimento do perfil epidemiológico de uma doença, como o câncer mamário, auxilia os profissionais da saúde quanto à caracterização de uma população-alvo e, consequentemente, quanto à elaboração de estratégias educativas direcionadas, com medidas preventivas e de autocuidado.


  • Mostrar Abstract
  • Abstract: Objective: To analyze the epidemiological profile of cancer patients undergoing treatment for breast cancer in the state of Alagoas, and to investigate the involvement of risk factors and prognoses associated with the disease. Methods: A cross-sectional, retrospective and analytical, with the use of secondary data from medical records, and prospective with the completion of questionnaires applied to patients in outpatient follow-up at Santa Casa de Misericórdia de Maceió/Al.Information contained in the medical records of this institution regarding patients with outpatient breast cancer treated in two periods was collected: January and February 2019 and the corresponding months of this year, and completed forms. Patients in outpatient care were also recruited in a probabilistic manner for convenience and questionnaires were completed. In these forms, the primary variable was breast cancer and secondary variables were: gender, age, address, schooling, histological type, clinical staging and immunohistochemical classification, neoadjuvance, adjuvence, radiotherapy, radical surgery and conservative surgery. To obtain the complementary clinical variables, the questionnaires were applied, containing as additional secondary variables: weight, height, body mass index, family history for cancer, personal history for cancer and benign breast disease, smoking, alcohol consumption, early menarche, late menopause, nullparity, breastfeeding, use of hormonal therapy, use of contraceptive, sedentary lifestyle. This data was transferred to a Microsoft Office Excel 2020 spreadsheet and statistical analysis was used in the SPSS Statistics Version 26 program. The descriptive data were operationalized through tables and graphs, means, frequencies, standard deviation, and inferential statistics with chi-square tests of independence for the analysis of nominal qualitative variables and ordinal qualitative variables and spearman's correlation was used for the analysis of ordinal qualitative variables. Results: A total of 110 female patients (67 forms and 43 questionnaires) were evaluated. The mean age was 52.99 years. Most women were over 50 years of age (55%), followed by 35-50 years (37.6%) and eight (7.3%) patients were under 35 years of age. For the most part (51%) the patients were from the interior of the state, single (68%) and had a complete middle education (40%). Regarding topography, fifty-six patients (51.4%) right and 48.6% had tumor on the left. With regard to staging, for the most part (55%) presented staging I or II and 45% had staging III or IV. Among the histological types, Infiltrating Ductal Carcinoma was the most common (97%). In 60% of the cases, radical mastectomy was the treatment instituted. 2019 was the year in which most surgeries occurred (27.3%), followed by 2020 (24.5%) and 2018 (11.8%). Neoadjuvant chemotherapy was used in 46% of patients, while adjuvant in 51.6% of cases. Forty-five patients (61.6%) radiotherapy, 10% used anastrazole, 27.7% tamoxifen and 15% Herceptin. Among the risk factors, alcohol consumption was the most found (27%), followed by obesity (17.3%) and sedentary lifestyle (16.4%). Of the total number of patients evaluated, lactation was identified in 27.3% (n=30), in addition, only 2.7% of the patients evaluated were nulliparas. Regarding the histological subtype, luminal subtype B was the most common in patients under 35 years of age, as well as in patients aged between 35 and 50 years. In the population over 50 years of age, the luminal subtype A was the most frequent. Conclusions: The data of the present study corroborate those found in the literature, presenting modifiable risk factors (obesity, sedentary lifestyle, alcohol consumption, use of oral contraceptives), present in this population, but not mostly. A curious fact is the finding of breastfeeding in most women who had breast cancer, considered a protective factor. Thus, it is considered that the knowledge of the epidemiological profile of a disease, such as breast cancer, helps health professionals regarding the characterization of a target population and, consequently, regarding the elaboration of targeted educational strategies, with preventive and self-care measures.

7
  • LAIS QUINTILIANO PEDROZA
  • Estudo de novos biomarcadores inflamatórios e sua relação com acometimento renal no Lúpus Eritematoso Sistêmico.

  • Orientador : THIAGO SOTERO FRAGOSO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FLAVIO TELES DE FARIAS FILHO
  • MERCIA LAMENHA MEDEIROS
  • ROBERTO CORDEIRO DE ANDRADE
  • RODRIGO PEIXOTO CAMPOS
  • THIAGO SOTERO FRAGOSO
  • VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • Data: 21/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • O lupus eritematoso sistêmico (LES) é uma das doenças reumatológicas auto-imunes mais prevalentes na população, acometendo especialmente adultos jovens, em idade economicamente ativa. 

    A doença é caracterizada pela presença de múltiplos auto-anticorpos, comprometendo diferentes órgãos e sistemas (FREIRE; SOUTO; CICONELLI, 2011). Indivíduos de todos os grupos étnicos podem ser acometidos, sendo mais comum em indivíduos da raça negra. A doença acomete predominantemente mulheres, com uma taxa que varia de 4 a 13 mulheres para cada homem (PETRI, 2002).

    As manifestações da doença são heterogêneas, variando de anormalidades laboratoriais detectáveis a inflamação e falência de múltiplos órgãos (ARRIENS et al., 2017).

    Sintomas constitucionais gerais, como astenia, febre e emagrecimento são comuns no LES (HOCHBERGt al., 2016). As lesões  edermatológicas são muito frequentes e polimorfas, envolvendo pele, vasos e mucosas. As vasculites cutâneas ocorrem em cerca de 20-30% dos pacientes e podem causar lesões ungueais, ulcerações e gangrena de extremidades digitais. O envolvimento articular é comum, comprometendo preferencialmente as metacarpofalangeanas, as interfalangeanas proximais, os joelhos e os punhos, geralmente de modo simétrico. O comprometimento cardiovascular é caracterizado principalmente por uma pancardite.

     Há evidências de comprometimento renal clínico em 50% dos pacientes. No acometimento renal pelo LES pode ocorrer em diversos compartimentos incluindo túbulos, interstício, vasos e glomérulos, sendo esses últimos os mais relacionados à sintomalogia em geral apresentada pelos pacientes (MARKOWITZ; D’AGATI, 2009). A doença glomerular no LES pode apresentar classes variáveis de gravidade com risco de óbito em alguns casos.  A biópsia renal é o procedimento padrão utilizado para avaliar o grau de atividade e cronicidade relacionado à glomerulopatia. Entretanto, em alguns casos por motivos técnicos e/ou clínicos (por exemplo risco aumentado de sangramento) esta não é realizada utilizando-se nesses casos de tratamento baseado em marcadores clínicos e laboratoriais já bem estabelecidos para avaliação da função renal como a creatinina sérica e o clearance de creatinina além da dosagem de proteína na urina de 24 horas para conduzir a terapêutica (HOCHBERG et al., 2016; KLUMB et al., 2015). Dessa forma a avaliação de biomarcadores inflamatórios que possam estar relacionados aos graus de atividade da doença podem ser de grande importância no arsenal diagnóstico e terapêutico voltado ao paciente.



  • Mostrar Abstract
  • Systemic lupus erythesus (SLE) is one of the most prevalent autoimmune rheumatologic diseases in the population, especially affecting young adults of economically active age.

    The disease is characterized by the presence of multiple autoantibodies, compromising different organs and systems (FREIRE; SOUTO; CICONELLI, 2011). Individuals of all ethnic groups may be affected, being more common in black individuals. The disease predominantly affects women, with a rate ranging from 4 to 13 women for each man (PETRI, 2002).

    The manifestations of the disease are heterogeneous, ranging from laboratory abnormalities detectable to inflammation and multiple organ failure (ARRIENS et al., 2017).

    General constitutional symptoms such as asthena, fever and weight loss are common in SLE (HOCHBERGt al., 2016). Edermatological lesions are very frequent and polymorphous, involving skin, vessels and mucous membranes. Cutaneous vasculitis occurs in about 20-30% of patients and can cause nail damage, ulcerations, and gangrene of digital extremities. Joint involvement is common, preferably compromising metacarphalangeal, proximal interphalangeal, knees and wrists, usually symmetrically. Cardiovascular involvement is characterized mainly by a pancarditis.

    There is evidence of clinical renal impairment in 50% of patients. In renal involvement by SLE can occur in several compartments including tubules, interstice, vessels and glomeruli, the latter being the most related to the symptomology in general presented by patients (MARKOWITZ; D'AGATI, 2009). Glomerular disease in SLE may present varying classes of severity with risk of death in some cases. Renal biopsy is the standard procedure used to assess the degree of activity and chronicity related to glomerulopathy. However, in some cases for technical and/or clinical reasons (e.g. increased risk of bleeding) this is not performed using in these cases of treatment based on clinical and laboratory markers already well established for evaluation of renal function such as serum creatinine and creatinine clearance in addition to the 24-hour urine protein dosage to conduct therapy (HOCHBERG et al., 2016; KLUMB et al., 2015). Thus, the evaluation of inflammatory biomarkers that may be related to the degrees of disease activity may be of great importance in the diagnostic and therapeutic arsenal aimed at the patient.

8
  • THIAGO JOSE NASCIMENTO DE SOUZA
  • Estudo de Associação Suicida e Dor Psicológica em Pacients com lupus Eritematoso Sistêmico.

  • Orientador : VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JORGE ARTUR PECANHA DE MIRANDA COELHO
  • JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • MARIA CICERA DOS SANTOS DE ALBUQUERQUE
  • RANER MIGUEL FERREIRA POVOA
  • TIAGO GOMES DE ANDRADE
  • VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • Data: 22/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença inflamatória crônica que acomete o tecido conjuntivo, sua etiologia é multifatorial caracterizando-se pelo acometimento de diversos órgãos e sistemas. As manifestações clínicas são diversas, sendo capazes de envolver qualquer órgão ou sistema, simultaneamente ou isoladamente, em qualquer estágio da patologia. Dentre outras manifestações, estão os transtornos de humor, que são muito variáveis podendo deixar o indivíduo deprimido, melancólico, triste, sem esperanças, com sentimento de isolamento e rejeição. Sendo necessário considerar o estresse e o sofrimento psicossocial no seu desencadeamento, evolução, agravamento e possível controle, podendo levar o indivíduo a ter comportamentos suicida. Trata-se de um estudo descritivo de corte transversal com metodologia quantitativa que tem como objetivo investigar a presença de comportamento suicida e outros transtornos psiquiátricos e sua relação com os pacientes com LES, onde foi realizado no ambulatório de reumatologia do Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes (HUPAA) da Universidade Federal de Alagoas na cidade de Maceió. A amostra é não probabilística por conveniência que foi constituída por pacientes em atendimento ambulatoria. A coleta de dados se deu mediante a aplicação de questionário sociodemográfico e clínico, instrumentos diagnósticos como: Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI 7.0.2), assim como instrumentos de intensidades como Escala de impulsividade de Barratt (BIS-11), Escala de Agressividade de Buss-Perry (AQ), Inventário de depressão de Beck (BDI), Escala de desesperança de Beck (BHS), Índice de qualidade do sono de Pittsburgh (PSQI), Escala de qualidade de vida (SF-36) e a Escala de dor psicológica (Psychache Scale).


  • Mostrar Abstract
  • Systemic Lupus Erythematosus (SLE) is a chronic inflammatory disease that affects connective tissue, its etiology is multifactorial and is characterized by the involvement of several organs and systems. The clinical manifestations are diverse, being able to involve any organ or system, simultaneously or in isolation, at any stage of the pathology. Among other manifestations, there are mood disorders, which are very variable and can leave the individual depressed, melancholic, sad, hopeless, with a feeling of isolation and rejection. It is necessary to consider stress and psychosocial suffering in its onset, evolution, aggravation and possible control, which may lead the individual to have suicidal behaviors. This is a descriptive cross-sectional study with quantitative methodology that aims to investigate the presence of suicidal behavior and other psychiatric disorders and their relationship with patients with SLE, where it was carried out at the rheumatology outpatient clinic of Universitary hospital Prof. Alberto Antunes (HUPAA) of the Federal University of Alagoas in the city of Maceió. The sample is non-probabilistic for convenience, which consisted of patients in outpatient care. Data collection took place through the application of a sociodemographic and clinical questionnaire, diagnostic instruments such as: Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI 7.0.2), as well as instruments of intensities such as Barratt's Impulsivity Scale (BIS-11), Aggression Scale Buss-Perry (AQ), Beck Depression Inventory (BDI), Beck Hopelessness Scale (BHS), Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI), Quality of Life Scale (SF-36) and the Scale psychological pain (Psychache Scale).

     

9
  • LUCAS NOVAIS BOMFIM
  • Análise das principais alterações clínico-laboratoriais e nos exames de tomografia computadorizada em pacientes infectados pelo sars-cov-2 em Maceió-Alagoas

  • Orientador : MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CELIA MARIA SILVA PEDROSA
  • GERALDO BEZERRA DA SILVA JÚNIOR
  • MERCIA LAMENHA MEDEIROS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • SAMIR BUAINAIN KASSAR
  • VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • Data: 22/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • A pandemia do Coronavírus 19 (SARS-CoV-2) vem trazendo grandes avanços nas pesquisas nas áreas médicas mundialmente, com uma crescente busca por métodos diagnósticos mais adequados, tratamentos eficazes e métodos preventivos, como a vacinação, por exemplo. O diagnóstico preciso da infecção pela COVID-19 é realizado pelo exame laboratorial conhecido como RCT-PCR, que analisa a presença do vírus nas cavidades nasal e oral. A tomografia computadorizada do tórax vem auxiliando no diagnóstico precoce de alterações pulmonares decorrentes da COVID-19 e colabora com a equipe multiprofissional na avaliação da gravidade do paciente, favorecendo uma condução mais adequada para cada situação. Objetivo principal é de correlacionar as principais alterações clínicos, laboratoriais e de imagem na Tomografia Computadorizada em pacientes confirmados pela infecção do SARS-COV-2. Um dos hospitais privados do estado de Alagoas possui um cadastro com 3456 pacientes confirmados para a infecção com COVID-19 através de RT-PCR entre março e dezembro de 2020, desses apenas 1568 possui exames de tomografia no banco de imagens. Desses 1568 foram selecionados 430 pacientes de forma randômica e respeitando a proporcionalidade mensal de casos, porém 40 foram excluídos pela idade (06), dados laboratoriais incompletos (32) e por ter exames de imagem (tomografia) indisponível (02), totalizando uma amostra de 390 pacientes. Dos 390 pacientes analisados, 194 são do sexo masculino e 196 do sexo feminino e a idade média da amostra estuda foi de 49,8 anos (entre 18 e 95 anos). As sintomatologias apresentadas no momento da consulta médica foi tosse seca (66,9%), febre (58,9%), dispneia (45,6%), cefaleia (45,1%), mialgia (36,4%), odinofagia (34,8%), astenia (31,5%), anosmia (28,9%), ageusia (27,1%), coriza (23,5%), diarreia (21,0%), dor torácica (13,5%), tontura (5,1%), dor abdominal (3,8%), tosse produtiva (2,0%), conjuntivite (1,5%) e erupção cutânea (1,0%). Em conclusão, a infecção pelo SARSCOV-2 vem sendo cada vez mais estudada para o melhor entendimento do seu comportamento no organismo, para conseguir promover um melhor atendimento a população com redução da mortalidade.


  • Mostrar Abstract
  • The Coronavirus 19 pandemic (SARS-CoV-2) has brought great advances in research in medical areas worldwide, with a growing search for more appropriate diagnostic methods, effective treatments and preventive methods, such as vaccination, for example. The precise diagnosis of COVID-19 infection is made by laboratory examination known as RCT-PCR, which analyzes the presence of the virus in the nasal and oral cavities. Computed tomography of the chest has been assisting in the early diagnosis of pulmonary alterations resulting from COVID-19 and collaborates with the multidisciplinary team in the evaluation of the severity of the patient, favoring a more adequate conduction for each situation. Main objective is to correlate the main clinical, laboratory and imaging alterations in Computed Tomography in patients confirmed by SARS-COV-2 infection. One of the private hospitals in the state of Alagoas has a registry of 3456 patients confirmed for infection with COVID-19 through RT-PCR between March and December 2020, of these only 1568 have ct scans in the imaging database. Of these 1568, 430 patients were randomly selected and respecting the monthly proportionality of cases, but 40 were excluded by age (06), incomplete laboratory data (32) and for having imaging exams (tomography) unavailable (02), totaling a sample of 390 patients. Of the 390 patients analyzed, 194 were male and 196 female and the mean age of the sample studied was 49.8 years (between 18 and 95 years). The symptoms presented at the time of medical consultation were dry cough (66.9%), fever (58.9%), dyspnea (45.6%), headache (45.1%), myalgia (36.4%), odinofagia (34.8%), asthenaism (31 anosmia (28.9%), ageusia (27.1%), runny nose (23.5%), diarrhea (21.0%), chest pain (13.5%), dizziness (5.1%), abdominal pain (3.8%), productive cough (2.0%), conjunctivitis (1.5%) and rash (1.0%). In conclusion, SARSCOV-2 infection has been increasingly studied for a better understanding of its behavior in the body, in order to promote better care to the population with reduced mortality.

10
  • AVHA CLARICE PAIXAO SOARES
  • Impacto da pandemia pela COVID-19 na saúde mental e na qualidade de vida de gestantes de alto risco atendidas no HUPAA/UFAL

     

  • Orientador : MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOSE RAMON RODRIGUEZ ARRAS LOPEZ
  • CLAUDIO TORRES DE MIRANDA
  • ISABELA KARINE RODRIGUES AGRA
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • SAMIR BUAINAIN KASSAR
  • TELMO HENRIQUE BARBOSA DE LIMA
  • Data: 23/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A pandemia causada pelo novo coronavírus (COVID-19) gerou diversas medidas sanitárias e de isolamento social promovidas pelas autoridades em diversos países. As gestantes foram incluídas como grupo populacional mais susceptível a COVID-19 devido a vários aspectos, provocando neste grupo uma maior rigidez no distanciamento social, promovendo ainda mais medo e ansiedade em um período notoriamente mais frágil da vida das mulheres. Sabe-se que a elevada prevalência de depressão perinatal é influenciada por fatores de risco, incluindo o aumento dos sintomas somáticos, a exposição à violência do parceiro íntimo, pouco apoio social e gravidez indesejada, sendo sua prevalência estimada em 19 a 25% nos países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. Objetivo: avaliar o impacto da pandemia pela COVID-19 na saúde mental de pacientes puérperas de gestação de alto risco atendidas no serviço de obstetrícia de alto risco do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA/UFAL), mensurando a frequência dos transtornos mentais e de ideação suicida e pontuando os escores de diferentes domínios de qualidade de vida. Metodologia: Foram aplicados dois questionários padronizados e validados, o SF-36 e a MINI versão 7.0.2, além de um formulário desenvolvido exclusivamente para esta pesquisa para averiguação dos aspectos socioeconômicos, em pacientes puérperas voluntárias até 48 horas pós-parto internadas no serviço de obstetrícia do HUPAA/UFAL. Foram convocadas 73 puérperas para pesquisa, 37 assinaram o TCLE, tendo uma desta retirado o termo, ficando uma amostra inicial de 36 pacientes. Após reavaliação de critérios de inclusão, 02 pacientes foram retiradas da amostra, finalizando a amostra em 34 indivíduos. Resultados iniciais: Nas análises iniciais, identificou-se uma prevalência de 23,5% de transtornos mentais nas pacientes entrevistadas, predominando a depressão maior como principal diagnóstico. A ideação suicida foi identificada em 11,8% da amostra. Em relação aos escores de qualidade de vida, houve associação estatisticamente significante entre pacientes portadoras de algum transtorno mental com escores mais baixos nos diversos domínios do SF-36. As análises realizadas até o momento demonstram estarem de acordo com a literatura.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The pandemic caused by the new coronavirus (COVID-19) generated several health and social isolation measures promoted by the authorities in several countries. Pregnant women were included as the population group most susceptible to COVID-19 due to several aspects, causing in this group a greater rigidity in social distancing, promoting even more fear and anxiety in a notoriously more fragile period of women's lives. It is known that the high prevalence of perinatal depression is influenced by risk factors, including increased somatic symptoms, exposure to intimate partner violence, little social support and unwanted pregnancy, and its prevalence is estimated at 19 to 25% in underdeveloped or developing countries. Objective: to evaluate the impact of the pandemic by COVID-19 on the mental health of high-risk postpartum pregnancy patients attended at the high-risk obstetrics service of the Professor Alberto Antunes University Hospital (HUPAA/UFAL), measuring the frequency of mental disorders and suicidal ideation and scoring the scores of different quality of life domains. Methodology: Two standardized and validated questionnaires were applied, the SF-36 and the MINI version 7.0.2, in addition to a form developed exclusively for this research to investigate socioeconomic aspects in voluntary postpartum patients up to 48 hours postpartum hospitalized in the obstetrics service of HUPAA/UFAL. Seventy-three puerperum were invited for research, 37 signed the TCLE, one of which removed the term, with an initial sample of 36 patients. After re-evaluation of inclusion criteria, 02 patients were removed from the sample, finishing the sample in 34 individuals. Initial results: In the initial analyses, a prevalence of 23.5% of mental disorders was identified in the interviewed patients, with major depression predominated as the main diagnosis. Suicidal ideation was identified in 11.8% of the sample. Regarding quality of life scores, there was a statistically significant association between patients with some mental disorder with lower scores in the various domains of the SF-36. The analyses performed so far show that they are in accordance with the literature.

11
  • EMMANUELE SANTOS ALBUQUERQUE
  • Adesão à Terapêutica Medicamentosa em pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico atendidos em um Hospital Universitário

  • Orientador : THIAGO SOTERO FRAGOSO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LUCIANA OLIVEIRA DOS SANTOS
  • ALINE CAVALCANTI DE QUEIROZ
  • CLAUDIO TORRES DE MIRANDA
  • FLAVIO TELES DE FARIAS FILHO
  • JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • THIAGO SOTERO FRAGOSO
  • Data: 24/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Um dos pontos considerados mais importantes para o sucesso de um tratamento consiste na adesão à terapêutica prescrita. A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que os portadores de doenças crônicas são potenciais candidatos ao seguimento inadequado da terapêutica medicamentosa proposta, o que prejudica a obtenção dos resultados pretendidos, colocando em dúvida por exemplo a eficácia da mesma. No grupo das doenças crônicas está o Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), que corresponde também a uma doença inflamatória, multissitêmica, imunomediada. Uma baixa adesão no LES pode conduzir à atividade da doença, proporcionando danos orgânicos, aumento em número e tempo de internações hospitalares, reduzindo a qualidade de vida desse paciente, culminando com um elevado risco de morbimortalidade, absenteísmo laboral e escolar, gerando um grande impacto psicossocial e econômico no portador e no seu entorno social. OBJETIVOS: Verificar a prevalência da Adesão à Terapêutica Medicamentosa (ATM) entre pacientes portadores de Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) e os fatores associados à mesma. MATERIAL/MÉTODO: estudo exploratório, descritivo, transversal, realizado no Ambulatório de LES do Serviço de Reumatologia do Hospital Universitário de Alagoas, Brasil. O método de amostragem utilizado foi não probabilística por conveniência e a amostra foi constituída por 116 pacientes em atendimento ambulatorial. A coleta de dados se deu a partir da aplicação do Questionário Sociodemográfico, Critério de Classificação Econômica Brasil da ABEP, MAT (Medida de Adesão ao Tratamento), SF-12, SLICC, SLEDAI e análise de prontuário. Realizou-se análise estatística descritiva e inferencial. RESULTADOS: Os dados demográficos e sociais demonstraram que 64,7% da amostra se autodeclarou parda, com média de idade de 36,5 (±11,30), sendo a maioria do sexo feminino (95,7%). Em relação à escolaridade da amostra, 50,9% possuía até o ensino médio; sendo a renda de 46,6% da amostra de aproximadamente até um salário mínimo. Com relação ao regime de tratamento, 58,6% da amostra contou com a polimedicação. A prevalência de adesão foi de 55,2%. Os testes estatísticos utilizados nesse estudo demonstraram associação entre a variável adesão e tempo de diagnóstico (p< 0,033), cefaleia (p<0,014), exercício físico (p< 0,005) e dificuldade de seguir o tratamento (Tomada de medicação e/ou realização de exames e/ou ida às consultas) (p< 0,000). CONCLUSÃO: Os dados do estudo indicaram que a adesão à terapêutica medicamentosa no LES é um fenômeno complexo e multifatorial. A identificação e análise dos fatores que podem levar à não adesão à terapêutica medicamentosa, pode permitir o desenvolvimento de ações em saúde visando reduzir as barreiras no tratamento, assim como os custos assistenciais e, principalmente promover melhores perspectiva e qualidade de vida para o paciente


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION: One of the points considered most important for the success of a treatment is adherence to the prescribed therapy. The World Health Organization (WHO) points out that patients with chronic diseases are potential candidates for inadequate follow-up of the proposed drug therapy, which hampers the achievement of the desired results, putting in doubt, for example, its efficacy. In the group of chronic diseases is Systemic Lupus Erythematosus (SLE), which also corresponds to an inflammatory, multisystemic, immune-mediated disease. Low adherence to SLE can lead to disease activity, causing organic damage, increasing the number and length of hospital stays, reducing the quality of life of this patient, culminating in a high risk of morbidity and mortality, work and school absenteeism, generating a great impact psychosocial and economic aspects of patients and their social environment. OBJECTIVES: To verify the prevalence of Adherence to Drug Therapy (TMJ) among patients with Systemic Lupus Erythematosus (SLE) and the factors associated with it. MATERIAL/METHOD: exploratory, descriptive, cross-sectional study, carried out at the SLE Clinic of the Rheumatology Service of Hospital Universitário de Alagoas, Brazil. The sampling method used was non-probabilistic for convenience and the sample consisted of 116 patients in outpatient care. Data collection took place through the application of the Sociodemographic Questionnaire, the Brazilian Economic Classification Criterion of ABEP, MAT (Treatment Adherence Measure), SF-12, SLICC, SLEDAI and analysis of medical records. Descriptive and inferential statistical analysis was performed. RESULTS: Demographic and social data showed that 64.7% of the sample declared themselves brown, with a mean age of 36.5 (± 11.30), with the majority being female (95.7%). Regarding the sample's schooling, 50.9% had completed high school; the income of 46.6% of the sample being approximately up to a minimum wage. Regarding the treatment regimen, 58.6% of the sample had polymedication. The prevalence of adherence was 55.2%. The statistical tests used in this study showed an association between the variable adherence and time since diagnosis (p <0.033), headache (p <0.014), physical exercise (p <0.005) and difficulty following the treatment (taking medication and / or performing exams and / or going to consultations) (p <0.000). CONCLUSION: The study data indicated that adherence to drug therapy in SLE is a complex and multifactorial phenomenon. The identification and analysis of the factors that can lead to non-adherence to drug therapy, can allow the development of health actions aimed at reducing barriers in treatment, as well as care costs and, mainly, promoting better perspective and quality of life for the patient.

12
  • MAYARA LEITE ALVES DA SILVA
  • Estudo de associação entre comportamento suicida e dor psicológica em pacientes com fibromialgia

  • Orientador : VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VALFRIDO LEAO DE MELO NETO
  • SAMIR BUAINAIN KASSAR
  • TIAGO GOMES DE ANDRADE
  • JORGE ARTUR PECANHA DE MIRANDA COELHO
  • MARIA CICERA DOS SANTOS DE ALBUQUERQUE
  • ROBERTO CORDEIRO DE ANDRADE
  • Data: 27/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem por objetivo investigar a associação entre comportamento suicida e dor psicológica em pacientes com Fibromialgia FM. Trata-se de um estudo observacional, transversal e com abordagem quantitativa que foi realizado no serviço de reumatologia e no ambulatório de dor do Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes (HUPAA) – Universidade Federal de Alagoas na cidade de Maceió (Alagoas). A amostra é não probabilística por conveniência que foi constituída por pacientes em atendimento ambulatorial. A coleta de dados se deu a partir da aplicação do questionário sociodemográfico e clínico, instrumentos diagnósticos como Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI 7.0.2) e Escala diagnóstica de FM de acordo com os critérios do Colégio Americano de Reumatologia (ACR), assim como instrumentos de intensidades como Psychache Scale (Escala de dor psicológica), Escala de impulsividade de Barratt (BIS-11), Escala de Agressividade de Buss-Perry (AQ), Inventário de depressão de Beck (BDI), Escala de desesperança de Beck (BHS), Índice de qualidade do sono de Pittsburgh (PSQI), Escala de qualidade de vida (SF-36). Resultados: A média de idade entre as pacientes é de aproximadamente 50 anos. A média do escore do (PSQI) foi 13, uma vez que o escore total entre 5 e 10 os pacientes são considerados maus dormidores e acima de 10 apresentam transtorno do sono. A partir da amostra, (88,6%) dos pacientes apresentam depressão maior. A média dos escores de dor psicológica, agressividade, impulsividade e desesperança são respectivamente 35,26 (±12,39), 2,74 (±0,66), 75,11 (±13,11), 9,57 (±5,12). Conclusão: As prevalências de depressão maior e transtorno afetivo bipolar entre as mulheres fibromiálgicas estudadas apresentam-se elevadas em comparação à população geral, como também a prevalência de transtorno de sono e os escores de impulsividade e agressividade, foram mais elevados que a população geral.


  • Mostrar Abstract
  • This study aims to investigate an association between suicidal and psychological behavior in patients with Fibromyalgia FM. This is an observational, cross-sectional study with a quantitative approach that was carried out at the rheumatology service and at the pain outpatient clinic of Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes (HUPAA) - Federal University of Alagoas in the city of Maceió (Alagoas). The sample is non-probabilistic for convenience that was found by patients in outpatient care. Data collection took place from the application of the sociodemographic and clinical questionnaire, diagnostic instruments such as Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI 7.0.2) and FM diagnostic scale according to the criteria of the American College of Rheumatology (ACR), as well as instruments of intensities such as Psychic Scale (Psychological Pain Scale), Barratt's Impulsivity Scale (BIS-11), Buss-Perry Aggressiveness Scale (AQ), Beck's Depression Inventory (BDI), Beck's Hopelessness Scale (BHS), Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI), Quality of Life Scale (SF-36). Results: The average age among patients is approximately 50 years. The mean of the (PSQI) score was 13, since the total score between 5 and 10 the patients are under sleeping problems and above of 10 appear sleep disorder. From the sample, (88.6%) of the patients had a higher number. The mean scores of psychological pain, aggression, impulsivity and hopelessness are 35.26 (± 12.39), 2.74 (± 0.66), 75.11 (± 13.11), 9.57 (± 5.12). Conclusion: The prevalence of major depression and bipolar affective disorder among the studied fibromyalgia women is high compared to the general population, as well as the prevalence of sleep disorder and the impulsivity and aggression scores were higher than the general population.

13
  • YARA JANAINA PORTO RIBEIRO
  • Análise da redução da taxa de filtração glomerular após injúria renal aguda em idosos

  • Orientador : RODRIGO PEIXOTO CAMPOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALINE CAVALCANTI DE QUEIROZ
  • CAROLINNE DE SALES MARQUES
  • DANIELLA BEZERRA DUARTE
  • FLAVIO TELES DE FARIAS FILHO
  • JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • RODRIGO PEIXOTO CAMPOS
  • Data: 28/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução Pacientes com Injúria Renal Aguda (IRA) apresentam maior risco de morte e de desenvolver doença renal crônica (DRC). É imprescindível ao longo do tempo avaliar a taxa de filtração glomerular (TFG) em pacientes que tiveram IRA, principalmente na população idosa. Ainda existem poucos estudos que avaliaram a TFG de acordo com a gravidade da IRA. Objetivo: Analisar o efeito da IRA na redução da taxa de filtração glomerular em idosos após 1 ano em hospital terciário.  Metodologia: Este estudo é uma coorte retrospectiva realizada em um hospital terciário. Coletamos os dados de pacientes com injúria renal aguda com idade igual ou acima de 65 anos que foram avaliados pelo serviço de nefrologia durante o período de 01 de janeiro de 2012 até 31 de dezembro de 2018. Foram incluídos apenas aqueles que apresentavam ao menos uma dosagem de creatinina sérica após período de um ano do desenvolvimento da IRA. A TFG foi calculada pela fórmula do CKD-EPI em ml/min/1,73m2. Pacientes com diagnóstico de doença renal crônica estágio 5 (TFG estimada menor que 15 ml/min/1,73m2), transplantados renais e aqueles que faleceram durante o internamento foram excluídos. Todos os dados foram coletados através da revisão de prontuário eletrônico. Analisamos a TFG média no tempo zero (T0) e em 360 dias (T1). Resultados: Foram incluídos 125 pacientes. Observamos que a TFG média dos pacientes entre 65 e 80 anos no T0 foi de 60,5 ± 22,11 e no T1 de 46,6 ± 24,5 (redução de 13,92, p<0,0001) e nos pacientes >80 anos no T0 foi de 55,6 ± 22,1 e no T1 de 37,2 ± 20,5(redução de 18,3, p<0,00001). Os pacientes que apresentaram AKIN 1 apresentaram redução média na TFG de 10,7 (p=0,002), AKIN 2 de 15,6 (p<0,001) e AKIN 3 de 22,3 (p< 0,00001) entre T0 e T1. Os pacientes que tinham TFG>60 ml/min/1,73m2 tiveram redução média na TFG de 25,02 (p<0,00001) e aqueles com TFG< 60 ml/min/1,73m2 de 7,8(p=0,0008). Conclusão: Observamos redução na TFG nos idosos após um período de ano da IRA, principalmente nos pacientes >80 anos e naqueles que atingiram AKIN 3. Na nossa análise a redução da TFG foi mais acentuada naqueles pacientes com TFG >60 ml/min/1,73m2.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction Patients with Acute Renal Injury (AKI) have a higher risk of death and development of chronic kidney disease (CKD). It is essential to evaluate the glomerular filtration rate (GFR) in patients who had AKI, especially in the elderly population. There are still few studies that have evaluated GFR according to the severity of AKI. Objective: To analyze the effect of AKI in reducing the glomerular filtration rate in the elderly after 1 year in a tertiary hospital. Methodology: This study is a retrospective cohort conducted in a tertiary hospital. We collected data from patients with acute kidney injury aged 65 years or over who were evaluated by the nephrology service from January 1, 2012 to December 31, 2018. Only those who had at least one serum creatinine dosage after one year of aki development were included. GFR was calculated by ckd-epi formula in ml/min/1.73m2. Patients diagnosed with stage 5 chronic kidney disease (gFR estimated less than 15 ml/min/1.73m2), renal transplant recipients and those who died during hospitalization were excluded. All data were collected through the review of electronic medical records. We analyzed the mean GFR in time zero (T0) and 360 days (T1). Results: A total of 125 patients were included. We observed that the mean GFR of patients between 65 and 80 years in T0 was 60.5 ± 22.11 and in T1 of 46.6 ± 24.5 (reduction of 13.92, p<0.0001) and in patients >80 years in T0 it was 55.6 ± 22.1 and in T1 37.2 ± 20.5 (reduction of 18.3, p<0.00001). Patients with AKIN 1 had a mean reduction in GFR of 10.7 (p=0.002), AKIN 2 of 15.6 (p<0.001) and AKIN 3 of 22.3 (p< 0.00001) between T0 and T1. Patients who had GFR>60 ml/min/1.73m2 had a mean reduction in GFR of 25.02 (p<0.00001) and those with GFR< 60 ml/min/1.73m2 of 7.8 (p=0.0008). patients in >80 years and those who achieved AKIN 3. In our analysis, the reduction of GFR was more pronounced in those patients with GFR >60 ml/min/1.73m2.

14
  • TADEU PEIXOTO LOPES
  • Avaliação da prevalência de doença renal crônica em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica

  • Orientador : RODRIGO PEIXOTO CAMPOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALYSSON WAGNER FERNANDES DUARTE
  • CARLOS ALBERTO DE CARVALHO FRAGA
  • JUSSARA ALMEIDA DE OLIVEIRA BAGGIO
  • MERCIA LAMENHA MEDEIROS
  • REGINALDO JOSE PETROLI
  • RODRIGO PEIXOTO CAMPOS
  • Data: 29/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • A consonância entre Doença Renal Crônica (DRC) e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), duas condições relacionadas à idade, tem implicações clínicas e prognósticos fundamentais. O efeito idade na função renal e pulmonar aumenta a complexidade da interação entre o rim e o pulmão. O objetivo do presente ensaio é o de esclarecer os mecanismos patogênicos que estabelecem a DPOC associada ao aumento da prevalência de DRC, uma vez que existem várias lacunas sobre a interação pulmão-rim, o que requer mais pesquisas para tal análise.

    Foi realizado um estudo observacional transversal com pacientes previamente diagnosticados com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA) em Maceió-AL, nordeste brasileiro durante os meses de setembro de 2020 a março de 2021. realizado questionário específico de sintomas (Mmrc) além da análise da última espirometria. Após a coleta de dados, estes pacientes foram categorizados e divididos de acordo com os grupos da classificação GOLD 2019 (A, B e C/D). Foi dosada a creatinina sérica, creatinina e albumina em amostra isolada de urina, no intuito de estimarmos a taxa de filtração glomerular usando a fórmula CKD – EPI 2009 e definir presença de albuminúria (> 30mg/g albumina/creatinina).

    Foram 45 pacientes analisados em nosso estudo, desse total, 24 foram classificados como GOLD A, sendo 13 homens e 11 mulheres, com idade variando entre 53 e 83 anos, 4 diabéticos, 11 hipertensos, a TFG média 75,3 ml/min/1,73 m2 e microalbuminúria média de 33,4 mg/dl. No GOLD B foram 7 homens e 2 mulheres, idades variando entre 53 e 90 anos, 2 diabéticos, 7 hipertensos, TFG média de 74,2 ml/min/1,73 m2 e microalbuminúria média de 152,8 mg/dl. 

    No grupo GOLD C/D, classificamos 9 homens e 3 mulheres, idades variando entre 55 e 88 anos, 1 diabético, 8 hipertensos, TFG média de 75,7 ml/min/1,73 m2 e microalbuminúria média de 149 mg/dl.

    Os resultados obtidos quando avaliamos a relação GOLD com taxa filtração glomerular não foi significativo, porém a relação GOLD com microalbuminúria foi significativa, evidenciando-se maior nos grupos GOLD B e GOLD C/D em comparação com GOLD A.


  • Mostrar Abstract
  • The consonance between Chronic Kidney Disease (CKD) and Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD), two age-related conditions, has fundamental clinical implications and prognosis. The age effect on renal and pulmonary function increases the complexity of the interaction between the kidney and lung. The aim of this trial is to clarify the pathogenic mechanisms that establish COPD associated with increased prevalence of CKD, since there are several gaps in lung-kidney interaction, which requires further research for such analysis.

    A cross-sectional observational study was conducted with patients previously diagnosed with Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD) from the Professor Alberto Antunes University Hospital (HUPAA) in Maceió-AL, northeastern Brazil, from September 2020 to March 2021. specific symptom questionnaire (MMRC) in addition to the analysis of the last spirometry. After data collection, these patients were categorized and divided according to the gold 2019 classification groups (A, B and C/D). Serum creatinine, creatinine and albumin were dosed in an isolated urine sample in order to estimate the glomerular filtration rate using the ckd - EPI 2009 formula and to define the presence of albuminuria (> 30mg/g albumin/creatinine).

    There were 45 patients analyzed in our study, of this total, 24 were classified as GOLD A, 13 men and 11 women, with ages ranging from 53 to 83 years, 4 diabetics, 11 hypertensive patients, mean GFR 75.3 ml/min/1.73 m2 and mean microalbuminuria of 33.4 mg/dl. In GOLD B were 7 men and 2 women, ages ranging between 53 and 90 years, 2 diabetics, 7 hypertensive patients, mean GFR of 74.2 ml/min/1.73 m2 and mean microalbuminuria of 152.8 mg/dl.

    In the GOLD C/D group, we classified 9 men and 3 women, ages ranging from 55 to 88 years, 1 diabetic, 8 hypertensive, mean GFR of 75.7 ml/min/1.73 m2 and mean microalbuminuria of 149 mg/dl.

    The results obtained when we evaluated the GOLD relationship with glomerular filtration rate was not significant, but the GOLD relationship with microalbuminuria was significant, evidencing higher in the GOLD B and GOLD C/D groups compared to GOLD A.

15
  • TEREZA AMELIA SANTOS DA SILVA
  • Estado Nutricional de Gestantes de Alto Risco e sua Relação com perfil clínico e qualidade de vida.

  • Orientador : JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JULIANA CELIA DE FARIAS SANTOS
  • CLAUDIO TORRES DE MIRANDA
  • MERCIA LAMENHA MEDEIROS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • RAPHAELA COSTA FERREIRA LEMOS
  • TELMO HENRIQUE BARBOSA DE LIMA
  • Data: 30/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • Em todo o mundo tem-se observado um aumento da prevalência de sobrepeso e obesidade. Segundo dados do IBGE de 2019, 1,6% da população adulta tinha déficit de peso, 60,3% tinham excesso de peso, com uma prevalência de obesidade em 25,9%. Vários estudos avaliam os efeitos do estado nutricional materno sobre complicações gestacionais e desfechos desfavoráveis maternos e para os recém-nascidos, mas poucos estudos abordam essa avaliação no contexto das gestações de alto risco. Além do estado clínico, a qualidade de vida da gestante poderia ser impactada durante o período gestacional, visto que é um momento de muitas mudanças. Objetivo: avaliar o estado nutricional de gestantes de alto risco atendidas no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes e sua relação com a ocorrência de complicações gestacionais, os desfechos para o recém-nascido e a qualidade de vida das gestantes. Metodologia: foram utilizados um questionário sobre os aspectos sociodemográficos e o questionário de qualidade de vida SF-36. Os registros do peso e índice de massa corporal durante o acompanhamento pré-natal foram obtidos do cartão da gestante, além da obtenção de dados registrados em prontuário médico. As voluntárias eram puérperas em até 48 horas pós-parto internadas no serviço de obstetrícia do HUPAA/UFAL, que aceitaram participar da pesquisa e assinaram o TCLE, num total de 53 participantes. Resultados: a prevalência de baixo peso na amostra estudada foi de 5,66%, de excesso de peso foi 73,58%, sendo 33,96% de sobrepeso e 39,62% de obesidade. A percentual de gestantes com ganho de peso insuficiente foi de 20,75% e de ganho excessivo foi de 49,06%. Houve maior prevalência de complicações relacionadas à síndrome hipertensiva nas pacientes obesas e maior ocorrência de complicações infecciosas e prematuridade nas com baixo peso. O peso do RN ao nascimento demonstrou diferença entre os grupos, com média de peso menor nos grupos de baixo peso e eutrofia, enquanto média de peso maior ocorreu no grupo de obesas. Não houve diferenças nos escores de qualidade de vida em relação ao estado nutricional. Conclusão: A alta prevalência de obesidade nas gestantes de alto risco e a associação entre o estado nutricional materno com ocorrência de condições que interferem no desfecho perinatal materno e do recém nascido ressalta a importância de medidas que visem melhorar o estado nutricional das mulheres previamente à gestação e o durante o acompanhamento pré-natal.


  • Mostrar Abstract
  • Worldwide, there has been an increase in the prevalence of overweight and obesity. According to 2019 IBGE data, 1.6% of the adult population had weight loss, 60.3% were overweight, with a prevalence of obesity in 25.9%. Several studies evaluate the effects of maternal nutritional status on gestational complications and unfavorable outcomes for maternal and newborns, but few studies address this assessment in the context of high-risk pregnancies. In addition to the clinical status, the quality of life of the pregnant woman could be impacted during the gestational period, since it is a time of many changes. Objective: to evaluate the nutritional status of high-risk pregnant women attended at the Professor Alberto Antunes University Hospital and its relationship with the occurrence of gestational complications, outcomes for the newborn and quality of life of pregnant women. Results: the prevalence of underweight in the sample studied was 5.66%, overweight was 73.58%, 33.96% overweight and 39.62% obese. The percentage of pregnant women with insufficient weight gain was 20.75% and excessive gain was 49.06%. There was a higher prevalence of complications related to hypertensive syndrome in obese patients and higher occurrence of infectious complications and prematurity in those with low weight. The weight of the NB at birth showed a difference between the groups, with a mean lower weight in the groups of low weight and eutrophy, while the mean higher weight occurred in the obese group. There were no differences in quality of life scores in relation to nutritional status. Conclusion: The high prevalence of obesity in high-risk pregnant women and the association between maternal nutritional status and the occurrence of conditions that interfere with maternal and newborn perinatal outcomes highlights the importance of measures aimed at improving the nutritional status of women prior to pregnancy and during prenatal follow-up.

16
  • MÁRCIO THOMAZ DOS SANTOS VARJÃO
  • Potencial leishmanicida de produtos microbianos antárticos: avaliação farmacológica de extratos pigmentados bacterianos e revisão sistemática da atividade anti-Leishmania de metabólitos fúngicos

  • Orientador : ALINE CAVALCANTI DE QUEIROZ
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALINE CAVALCANTI DE QUEIROZ
  • ANA CAROLINA SANTANA VIEIRA
  • CAMILA DE BARROS PRADO MOURA SALES
  • CAROLINNE DE SALES MARQUES
  • MARIANA DA SILVA SANTOS
  • MICHELLE JACINTHA CAVALCANTE OLIVEIRA
  • Data: 30/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • Doenças como a leishmaniose continuam negligenciadas pela indústria farmacêutica. Como consequência a isso, o tratamento para essa doença encontra-se defasado, deixando inúmeros indivíduos afetados desassistidos. Para reverter o impacto desse abandono, é imprescindível a busca por novos protótipos de fármacos mais seguros para o tratamento da leishmaniose. Diante disso, a bioprospecção de produtos naturais, especialmente os produtos microbianos de ambientes extremos, representa excelente fonte de partida. Sob essa perspectiva, o presente estudo investigou a atividade leishmanicida de extratos de bactérias isoladas da Antártica, bem como realizou uma revisão sistemática acerca da atividade leishmanicida de metabólitos fúngicos. Ao todo, oito isolados bacterianos obtidos de amostras de solo e liquens antárticos foram cultivados em caldo nutriente durante sete dias a 15 °C para produção de biomassa. Os metabólitos pigmentados intracelulares foram extraídos com metanol e posteriormente as soluções extrativas obtidas foram secas em dessecador sob vácuo. A citotoxidade dos extratos será avaliada frente a linhagem de macrófagos J774.A1 por meio do ensaio de redução do sal tetrazólio (MTT) e a ação antiparasitária avaliada sobre macrófagos infectados com Leishmania spp. quanto à taxa de infecção e a multiplicação dos parasitas intracelulares. A revisão sistemática teve como objetivo identificar por meio das bases de dados do PubMed, Lilacs e Scielo, as evidências existentes na literatura quanto à eficácia da atividade leishmanicida de bioprodutos fúngicos que representem novos pontos de partida para o avanço da farmacoterapia da leishmaniose. Entre os estudos selecionados, 53 (89,8%) realizaram exclusivamente ensaios in vitro, enquanto apenas 2 (3,4%) realizaram exclusivamente ensaios in vivo. Outros 4 (6,8%) realizaram as duas metodologias de análise (in vitro e in vivo). Em conjunto, as evidências reportadas pelas publicações reunidas na revisão, indicam na prospecção de bioprodutos fúngicos um caminho promissor no combate à leishmaniose.


  • Mostrar Abstract
  • Diseases like leishmaniasis remain neglected by the pharmaceutical industry. Consequently, the treatment for this disease is out of date, leaving countless affected individuals unattended. To reverse the impact of this abandonment, it is essential to search for new prototypes of safer drugs for the treatment of leishmaniasis. Therefore, the bioprospecting of natural products, especially microbial products from extreme environments, represents an excellent starting point. From this perspective, the present study investigated the leishmanicidal activity of extracts of bacteria isolated from Antarctica, as well as carried out a systematic review about the leishmanicidal activity of fungal metabolites. In all, eight bacterial isolates obtained from soil samples and Antarctic lichens were grown in nutrient broth for seven days at 15 ° C for biomass production. The intracellular pigmented metabolites were extracted with methanol and subsequently the obtained extractive solutions were dried in a vacuum desiccator. The cytotoxicity of the extracts will be evaluated against the lineage of macrophages J774.A1 by means of the tetrazolium salt reduction (MTT) assay and the antiparasitic action evaluated on macrophages infected with Leishmania spp. as to the rate of infection and the multiplication of intracellular parasites. The systematic review aimed to identify through the PubMed, Lilacs and Scielo databases, the existing evidence in the literature regarding the efficacy of the leishmanicidal activity of fungal bioproducts that represent new starting points for the advancement of leishmaniasis pharmacotherapy. Among the selected studies, 53 (89.8%) carried out exclusively in vitro assay, while only 2 (3.4%) carried out exclusively in vivo assay. Another 4 (6.8%) performed the two analysis methodologies (in vitro and in vivo). Together, the evidence reported by the publications gathered in the review, indicate in the prospecting of fungal bioproducts a promising path in the fight against leishmaniasis.

SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 01/07/2022 20:34