PPGEC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL CENTRO DE TECNOLOGIA Telefone/Ramal: 3214-1455- https://sigaa.sig.ufal.br/ppgec

Banca de QUALIFICAÇÃO: JORGE LUIS OLIVEIRA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JORGE LUIS OLIVEIRA SILVA
DATA : 01/12/2022
HORA: 08:30
LOCAL: LCCV
TÍTULO:

CONCRETOS COM AGREGADO RECICLADO DE RESÍDUO DA CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PARA FINS ESTRUTURAIS: Estudo de dosagem

 

PALAVRAS-CHAVES:

Construção Civil. Agregado reciclado. Concreto estrutural.

 

PÁGINAS: 65
RESUMO:

A grande maioria das atividades humanas causa numerosos impactos ao meio ambiente. Sem dúvida, um dos setores econômicos mais impactantes, em termos de impactos ambientais, é a Construção Civil, visto que gera uma quantidade exorbitante de resíduos. Tem-se buscado alternativas mais sustentáveis nesse setor, como forma de diminuir as interferências danosas ao meio ambiente, dentre as quais destaca-se a reciclagem de resíduos da Construção Civil para a produção de agregados reciclados. Contudo, a utilização destes resíduos é um tema que ainda carece de estudos, no sentido de buscar alternativas que visam compreender e absorver a heterogeneidade ainda presente nos agregados reciclados, considerado como o principal entrave de seu uso para fins estruturais. Assim, o presente estudo tem como objetivo principal analisar a viabilidade da utilização de agregados reciclados, ARCO (agregado reciclado de concreto) e ARM (agregado reciclado misto) na produção de concreto para fins estruturais. O desempenho no estado fresco foi avaliado utilizando o ensaio de abatimento (slump). A avaliação das propriedades no estado endurecido foi realizada, utilizando o ensaio de resistência à compressão, módulo de elasticidade e índices físicos dos concretos, tais como absorção de água, índice de vazios e massa especifica real. Foram produzidos concretos com diferentes parâmetros de dosagem, especialmente no que diz respeito à relação cimento/agregados, sendo observadas variações nas propriedades tanto de estado fresco quanto do estado endurecido. De maneira geral, observou-se inicialmente que para as misturas contendo 50% de ARCO em substituição ao agregado natural (teor maior que os 20% previstos por norma), foi possível obter como resistência à compressão 24,38 MPa aos 28 dias, sendo classificado desta forma como concreto estrutural. Para as misturas contendo 100% de ARCO, foi possível encontrar valor de resistência à compressão de 18,31 MPa aos 28 dias. Tomando como base os resultados obtidos nos concretos com ARCO, serão produzidas misturas com ARM buscando-se otimizar a proporção cimento/agregados para que levem a menores consumos de cimento, de modo a contribuir ainda mais com a sustentabilidade e a economia, aumentando a viabilidade de uso destes resíduos.

 

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1582140 - KAROLINE ALVES DE MELO MORAES
Interno(a) - 2120767 - PAULO CESAR CORREIA GOMES
Externo(a) ao Programa - 3182546 - CASSIA VANESSA ALBUQUERQUE DE MELO
Notícia cadastrada em: 25/11/2022 13:37
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 16/06/2024 09:06