PPGEC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL CENTRO DE TECNOLOGIA Telefone/Ramal: 3214-1455- https://sigaa.sig.ufal.br/ppgec

Banca de DEFESA: JORGE LUIS OLIVEIRA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JORGE LUIS OLIVEIRA SILVA
DATA : 28/03/2023
HORA: 08:00
LOCAL: LCCV
TÍTULO:

ANÁLISE DO DESEMPENHO ESTRUTURAL DE CONCRETOS PRODUZIDOS COM AGREGADOS RECICLADOS DE CONCRETO

 

PALAVRAS-CHAVES:

Agregado reciclado de cocnreto. Concreto estrutural. Dosagem.

 

PÁGINAS: 93
RESUMO:

Atualmente tem-se buscado alternativas mais sustentáveis dentro do setor da construção civil, como forma de diminuir as interferências danosas ao meio ambiente. Dentre estas alternativas destaca-se a utilização de agregados reciclados de concreto para a produção de argamassas e concretos, sendo estes com ou sem função estrutural. Contudo, a utilização destes agregados é um tema que ainda carece de estudos, no sentido de buscar alternativas que visam compreender a porosidade presente nos agregados reciclados, considerado como o principal entrave de seu uso para fins estruturais. Assim, o presente estudo tem como objetivo principal avaliar a contribuição das dosagens de agregados reciclados de concreto (ARCO) nas propriedades dos concretos estruturais nos estados fresco e endurecido. Foram produzidos concretos com diferentes dosagens, utilizando o método proposto pela ABCP, variando-se o percentual de substituição de agregado natural por reciclado em 25%, 50%, 75% e 100%, bem como variando-se a dimensão do ARCO (miúdo e graúdo). O desempenho no estado fresco foi avaliado utilizando o ensaio de abatimento (slump). A avaliação das propriedades no estado endurecido foi realizada utilizando o ensaio de resistência à compressão, módulo de elasticidade e índices físicos dos concretos, tais como absorção de água, índice de vazios e massa específica real. Dos resultados do ensaio de consistência, índice de vazios, e absorção, todas as misturas apresentaram valores elevados. No que concerne aos resultados de resistência à compressão aos 28 dias, as misturas produzidas com 100% de ARCO substituindo-se apenas o agregado miúdo, apresentaram resultado de 21,21 MPa; para as misturas substituindo-se apenas o agregado reciclado graúdo, até 75% de substituição foram encontrados resultados satisfatórios com relação à resistência à compressão, sendo obtido o valor de 20,98 MPa no referido percentual. Para as substituições de ambos (miúdo e graúdo), o limite de substituição ficou entre 50% e 75%, com valores de 25,60 MPa e 19,74 MPa, respectivamente. Desta forma, fica evidente a interferência da dimensão do agregado nas propriedades dos concretos, tanto no estado fresco quanto no estado endurecido. Isso pode ser justificado pela granulometria do agregado, que interfere no preenchimento de vazios no concreto, favorecendo uma maior compactação e travamento das partículas; além do efeito da porosidade do agregado reciclado que é mais evidente no agregado graúdo, devido ao tamanho da partícula. Esta maior porosidade do agregado graúdo reciclado, também influenciou nos resultados de módulo de elasticidade, uma vez que esta propriedade determina a rigidez do agregado que, por sua vez, controla a capacidade de o agregado restringir a deformação da matriz.  De modo complementar, os resultados demonstraram o potencial de utilização do ARCO, com possibilidade de substituição em grande parte o agregado natural, em contraponto à norma vigente, que limita o percentual de substituição em até 20% em aplicações para fins estruturais (classe de resistência de C20), sem trazer uma indicação clara se essa substituição refere-se ao agregado miúdo, graúdo ou a ambos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1582140 - KAROLINE ALVES DE MELO MORAES
Interno(a) - 2120767 - PAULO CESAR CORREIA GOMES
Externo(a) ao Programa - 3182546 - CASSIA VANESSA ALBUQUERQUE DE MELO
Notícia cadastrada em: 13/03/2023 16:29
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 16/06/2024 08:46