PPGEC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL CENTRO DE TECNOLOGIA Telefone/Ramal: 3214-1455- https://sigaa.sig.ufal.br/ppgec

Banca de QUALIFICAÇÃO: YURI DE OLIVEIRA LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : YURI DE OLIVEIRA LIMA
DATA : 21/12/2023
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de Reuniões 2 - LCCV
TÍTULO:

Aplicações do método de interferometria de radar de abertura sintética com dispersores persistentes para o monitoramento de deslocamentos em pontes.


PALAVRAS-CHAVES:

Monitoramento por Satélite, Monitoramento da Saúde Estrutural (SHM); Deslocamentos estruturais; Dispersores Persistentes (PSInSAR); Segurança estrutural.


PÁGINAS: 73
RESUMO:

Com o aumento do tempo de operação e exposição às condições ambientais, muitas pontes têm sofrido com o surgimento de patologias, o que enfatiza a importância de realizar inspeções e manutenções periódicas com o propósito de garantir a segurança estrutural. Nesse contexto, a adoção de práticas sustentáveis e tecnologias avançadas ajudam na identificação precoce de problemas estruturais, o que resulta na redução nos custos de reparo e manutenção. O Monitoramento da Saúde Estrutural (Structural Health Monitoring − SHM) permite acompanhar e avaliar continuamente o comportamento e as condições de estruturas, auxiliando na tomada de decisões relacionadas à necessidade de manutenção e reparo. A maioria dos métodos tradicionais de SHM requerem a aplicação de sensores diretamente à estrutura para obter informações sobre o desempenho estrutural, onde, em determinados casos, devido aos custos envolvidos e às condições do ambiente, a aplicação dessas técnicas torna-se inviável. Dessa forma, o uso de imagens satélite surge como uma boa alternativa para o SHM tradicional, permitindo medir deslocamentos ao longo do tempo, sem a necessidade de contato direto com a estrutura. O presente trabalho busca realizar o monitoramento de deslocamentos em duas pontes, utilizando a técnica de Interferometria de Radar de Abertura Sintética com Dispersores Persistentes (PSInSAR). Em um primeiro momento, os esforços se concentram em validar o fluxo de trabalho empregado, comparando os resultados obtidos com os disponíveis na literatura, para uma ponte previamente monitorada. Para estimar o campo de deslocamentos, utilizou-se um conjunto de dados da missão Sentinel-1. Os resultados revelam que o uso do PSInSAR, para o monitoramento de deslocamentos em pontes, apresenta um grande potencial, sendo possível extrair informações que podem indicar a necessidade de intervenções diretas a estrutura. Além disso, o uso deste método pode promover a redução de custos de monitoramento, quando comparado com os métodos tradicionais de SHM, e fornece informações sobre o comportamento da estrutura a longo prazo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1640290 - WAYNE SANTOS DE ASSIS
Interno(a) - 1121075 - ALINE DA SILVA RAMOS BARBOZA
Externo(a) ao Programa - 3066903 - CHRISTIAN KOHLER - UFAL
Notícia cadastrada em: 11/12/2023 23:23
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 16/06/2024 08:43