PPGES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM ENSINO NA SAÚDE FACULDADE DE MEDICINA Telefone/Ramal: 82 999720972

Banca de DEFESA: ANDRÉA PAULA BEZERRA DE ALENCAR LIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANDRÉA PAULA BEZERRA DE ALENCAR LIRA
DATA : 29/03/2022
HORA: 15:00
LOCAL: Web conferência
TÍTULO:

Educação Interprofissional na formação em saúde: perspectiva dos estagiários em um hospital de trauma no Nordeste brasileiro


PALAVRAS-CHAVES:

Educação Interprofissional. Aprendizagem Colaborativa Estágio Clínico. Relações Interprofissionais. Ciência em Equipe.


PÁGINAS: 131
RESUMO:

A Educação Interprofissional (EIP), entendida pela OMS como aprender juntos para trabalhar juntos, é tema de estudos de pesquisadores e profissionais da área de educação superior em todo o mundo e está muito fortemente abraçada pelo CAIPE (Centre for Advancement of the Interprofessional Education) no Reino Unido, que demonstra a necessidade de implementação de práticas colaborativas como uma das competências de profissionais da área de saúde através do trabalho em equipe. No Brasil, a EIP constitui um dos princípios das Diretrizes Curriculares Nacionais de 2001, reformuladas em 2017, no entanto ainda se percebe, tanto no estágio em saúde quanto no cenário hospitalar, práticas unilaterais e fragmentadas. Este TACC se constitui de um artigo denominado: Educação Interprofissional na formação em saúde: perspectiva dos estagiários em um hospital de trauma no Nordeste brasileiro; e de um produto educacional apresentado em forma de manual de oficina, com o tema: Trabalho em Equipe e Prática Colaborativa na Formação em Saúde. O objetivo geral é analisar a percepção dos estagiários de saúde em relação à EIP e ao trabalho colaborativo em um hospital de trauma. O estudo de caráter quanti-quali, com análise de conteúdo segundo Bardin, tem como instrumentos de coleta de dados: 1 - a aplicação do questionário RIPLS (Readiness Interprofessional Learning Scale), adaptado para o português brasileiro; 2 - um grupo focal online (GFO) para melhor compreensão das respostas ao questionário. Foram utilizados os softwares SPSS (versão 25) e Atlas-Ti (versão 9.0) para as análises quanti e qualitativa, respectivamente. Participaram da pesquisa 43 estagiários de diversos cursos da saúde em um hospital de trauma do SUS na Região Nordeste do Brasil. A pesquisa foi aprovada pelo CEP sob o parecer número: 4.269.384. Na parte quantitativa, as respostas aos questionários RIPLS chama atenção a frequência do escore 3 (não concordo, nem discordo) nas três dimensões: 1. Trabalho em Equipe e Colaboração (TEC), 2. Identidade Profissional (IP) e 3. Atenção Centrada no Paciente (ACP). Na análise qualitativa, das falas dos estagiários no GFO emergiram as seguintes categorias: 1.Definição de Educação interprofissional em Saúde, com as subcategorias: aprender junto e troca de conhecimento; 2.Ausência de interprofissionalidade na formação acadêmica, com as subcategorias: aprendizagem conjunta com os diferentes cursos na formação, incentivo à interdisciplinaridade e trabalho na base curricular da graduação; 3. Carência do trabalho em equipe, com as subcategorias: colaboração, coletividade, compartilhamento, interação e trabalhar junto; 4. Dificuldades de comunicação interprofissional, com a subcategoria: ausência de contato com outros setores; 5. Valores, com as subcategorias: respeito, ética, empatia e solidariedade; 6. Reflexões sobre as práticas profissionais, com as subcategorias: objetivos profissionais versus objetivos clínicos e autoanálise. Estas categorias demonstraram que, apesar dos estagiários nunca terem participado de processos de EIP, se colocam propensos a aprender junto com os outros no intuito de qualificar sua futura prática profissional na atenção ao paciente. Os estagiários demonstraram disponibilidade para a prática interprofissional em saúde e práticas colaborativas. Espera-se que este estudo possa contribuir para a formação em saúde através da Educação Interprofissional e práticas colaborativas no contexto hospitalar.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1121127 - MARIA DE LOURDES FONSECA VIEIRA
Interna - 1120653 - ROSANA QUINTELLA BRANDAO VILELA
Externa ao Programa - 1573284 - TELMA LOW SILVA JUNQUEIRA
Notícia cadastrada em: 24/03/2022 11:46
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 04/07/2022 03:18