PPGNUT PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO FACULDADE DE NUTRIÇÃO Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: NIDYANNE PATRICIA DE MESQUITA CHAGAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NIDYANNE PATRICIA DE MESQUITA CHAGAS
DATA : 04/10/2021
HORA: 15:00
LOCAL: https://meet.google.com/yqn-rowr-ybh
TÍTULO:

Efeito do índice de massa corporal materno sobre a concentração de macronutrientes e compostos bioativos do colostro


PALAVRAS-CHAVES:

Aleitamento materno. Gestação. Ganho de peso. Obesidade. Leite humano.


PÁGINAS: 74
RESUMO:

A obesidade representa na atualidade um dos principais problemas de saúde pública mundial, independente do contexto socioeconômico, sendo mais prevalente em mulheres e cada vez mais crescente entre crianças.  É consensual na literatura que prevenir o ganho excessivo de peso, sobretudo na faixa etária pediátrica, deve ser prioridade ao invés do tratamento. Assim, uma das estratégias preconizadas é a prática do aleitamento materno exclusivo durante os seis primeiros meses de vida, por ser este um fator protetor contra o sobrepeso/obesidade infantil. Contudo, pouco se sabe do efeito índice de massa corporal (IMC) gestacional, sobre os constituintes do leite humano e ganho de peso infantil.  Sendo assim, considerando a magnitude do excesso de peso entre mulheres na faixa etária reprodutiva, esse estudo objetiva avaliar o efeito do IMC materno, uma vez que este funciona como um marcador do excesso de peso em gestantes, sobre os macronutrientes e compostos bioativos do colostro. Para sua consecução realizou-se um estudo transversal com puérperas internadas em uma maternidade pública, voltada à assistência de mulheres com baixo risco obstétrico, integrante da iniciativa Hospital Amigo da Criança na cidade de Maceió - Al. Por meio de um questionário estruturado, foram coletadas as variáveis socioeconômicas, histórico reprodutivo, assistência pré-natal e avaliação da ingestão dietética materna, enquanto as informações de estatura e histórico de ganho de peso gestacional foram extraídas do cartão da gestante. A avaliação do estado nutricional materno pré-gestacional foi mensurada pelo índice de massa corporal, enquanto a condição nutricional na gestação foi mensurada pelo IMC por semana de gestação utilizando-se a curva de Atalah, considerando para isto o registro do último peso antes do parto, desde que referido nos últimos 30 dias antes do mesmo. A avaliação do estado nutricional do recém-nascido foi realizada com os dados de peso e comprimento fornecidos pela declaração de nascido vivo e tabuladas em aplicativos específicos. No período compreendido entre 24 - 48 horas após o parto, foi realizada a coleta do colostro através da ordenha manual à beira do leito, pela própria paciente e supervisionada por um pesquisador habilitado, sendo este imediatamente refrigerado (-20°C) e transportado para armazenamento em ultrafreezer (-80°C), até o momento da análise de seus componentes por ressonância magnética nuclear.  A estatística descritiva utilizada para caracterizar a população estudada, foi realizada no Programa R-studio por meio de medidas de tendência central e dispersão. A identificação de agrupamentos de amostras de leite e dos biomarcadores correspondentes ao perfil metabólico das mães (nutrientes e compostos bioativos do leite materno) foram avaliados pela análise dos componentes principais (PCA) e pela análise discriminante ortogonal por mínimos quadrados parciais (OPLS-DA), e ambas foram realizadas com o emprego do software SIMCA-P (versão 14.0, Umetrics, Umeå, Suécia). Um total de 22 metabólitos foi encontrado nas amostras de leite materno, sendo 12 metabólitos correspondentes à fase aquosa (aminoácidos e açúcares) e 10 correspondentes à fase orgânica (lipídios). As análises multivariadas por meio da PCA e OPLS-DA não resultaram em diferenças significativas nos constituintes do leite materno em relação aos diferentes grupos de IMC. A análise de variância identificou diferença para os níveis de ácido N-acetilneuramínico em mães obesas quando comparado a mães com baixo peso (p = 0,019) e mães com eutrofia (p = 0,015). Os níveis de N-acetil-L-glutamina apresentaram diferença significativa na comparação entre mães com baixo peso e mães com eutrofia (p = 0,021), estando as puérperas desnutridas com maior quantidade deste metabólito. Resultado semelhante foi observado para a fucose, que se mostrou elevada em mães com baixo peso em relação as mães eutróficas (p = 0,044). Desse modo, observamos que diferenças em determinados constituintes do leite humano foram encontradas segundo categoria de IMC. Embora fatores genéticos influenciem na composição do leite humano, estudos mostram que mesmo em mães com características genéticas semelhantes são observadas diferenças na composição deste biofluido, admitindo este uma característica única e específica para cada mulher. Desse modo, acredita-se que fatores ambientais, tais como o peso materno, interferem nos constituintes desta secreção. É imprescindível realização de mais estudos nessa área, tendo em vista que essas alterações poderão repercutir sobre a saúde infantil. 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1120877 - HAROLDO DA SILVA FERREIRA
Externa à Instituição - MARIA DA CONCEIÇÃO CARNEIRO PESSOA DE SANTANA - UNCISAL
Presidente - 3357786 - MONICA LOPES DE ASSUNCAO
Notícia cadastrada em: 27/09/2021 14:06
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2021 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 08/12/2021 21:55