Banca de QUALIFICAÇÃO: ABEL BARBOSA LIRA NETO



Uma banca de QUALIFICAÇÃO DE DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: ABEL BARBOSA LIRA NETO
DATA: 05/10/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma virtual
TÍTULO:

Prevalência dos polimorfismos eNOS, IGFBP3 e TCF7L2 e sua asssociação com hipertensão arterial sistêmica: um estudo de base populacional com mulheres brasileiras descendentes de escravos Africanos.


RESUMO:

Introdução: Ancestralidade africana parece ser fator de risco para hipertensão arterial (HAS), mas poucos estudos genéticos abordam essa questão. Objetivou-se investigar as prevalências dos polimorfismos (eNOS)894 G>T, (IGFBP3)45968511 G>A e (TCF7L-2)746 C>T em mulheres brasileiras afrodescendentes e suas associações com HAS.

 

Métodos: Estudo transversal com amostra de 1021 mulheres (19 a 59 anos) das comunidades quilombolas de Alagoas (Brasil). Coletaram-se dados demográficos, socioeconômicos, de estilo de vida, antropométricos, bioquímicos e pressão arterial. O DNA foi extraído de células epiteliais da mucosa da bochecha. A genotipagem foi realizada por discriminação alélica por PCR. A medida de associação foi a razão de prevalência (RP), calculada por regressão de Poisson, com seleção hierarquizada das variáveis.

 

Resultados: As prevalências dos genótipos menos frequentes foram 26,5% (genótipo TT da (eNOS)894 G>T); 16,7% (genótipo AA da (IGFBP3)45968511 G>A) e; 18,3% (genótipo TT da TCF7L2)746 C>T). Para essas condições, as prevalências de HAS e RP (ajustadas) relativamente ao genótipo ancestral foram, respectivamente: 52,0% vs 24,5% (RP=1,54; p<0,001); 62,0% vs 24,1% (RP=1,59; p<0,001)  e; 38,9% vs 27,9% (RP=0,86; p=0,166;). As associações com a HAS foram estatisticamente significantes, exceto para o polimorfismo TCF7L2: 746C>T, após análise ajustada.

 

Conclusões: Mulheres brasileiras afrodescendentes com o alelo T para o gene da eNOS e o alelo A para o gene da IGFBP3 são mais susceptíveis à hipertensão. A compreensão de mecanismos subjacentes que envolvem a patogênese da HAS pode motivar estudos que conduzam ao desenvolvimento de novos alvos terapêuticos relacionados ao metabolismo do oxido nítrico e ao manejo do estresse oxidativo.


PALAVRAS-CHAVE:

Nitric Oxide Synthase; IGFBP3 protein, human; Oxidative Stress; African Continental Ancestry Group.


PÁGINAS: 115
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
SUBÁREA: Epidemiologia

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1120877 - HAROLDO DA SILVA FERREIRA
Externo(a) ao Programa - 2585610 - KAROL FIREMAN DE FARIAS
Externo(a) ao Programa - 3357786 - MONICA LOPES DE ASSUNCAO
Externo(a) à Instituição - ALINE CRISTINE PEREIRA E SILVA - NENHUMA
Notícia cadastrada em: 01/10/2020 10:08
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-3.srv3inst1 13/07/2024 12:19