Banca de DEFESA: HELOISA DE ALMEIDA FREITAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HELOISA DE ALMEIDA FREITAS
DATA : 22/02/2024
HORA: 10:00
LOCAL: Sala 19 do ICBS
TÍTULO:

POLIMORFISMOS GENÉTICOS EM MOLÉCULAS DA RESPOSTA IMUNE NA HANSENÍASE EM UMA POPULAÇÃO DO NORDESTE DO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Genética humana e médica; SNPs; Imunologia; Citocinas; Caso-controle.


PÁGINAS: 107
RESUMO:

A hanseníase é uma doença causada, pelo bacilo intracelular obrigatório
Mycobacterium leprae, e o Mycobacterium lepromatosis, que afeta
principalmente a pele e os nervos periféricos. O estado de Alagoas, em
2022, apresentou uma taxa de incidência de novos casos de 9,67/100 mil
habitantes (média endemicidade), com vários municípios apresentando
hiperendemicidade. As interações entre a caracterização do patógeno, a
genética do hospedeiro e o ambiente de atuação são fatores a serem
considerados para o desenvolvimento da hanseníase. Dentre a genética do
hospedeiro, têm-se os genes de resposta imune, e neles, existem os
polimorfismos de nucleotídeo único ou simples (SNPs) que se apresentam
igual ou maior que 1% de uma determinada população e são fatores de risco
ou proteção a hanseníase. Entre os genes de resposta imune, têm-se o gene
IL23R que desempenha um papel importante na regulação imunológica, o
CCDC122-LACC1 que é um dos reguladores da função metabólica dos
macrófagos e o RAB32 responsável pela regulação da depuração de
proteínas agregadas por autofagia. Para entender a base genética da
hanseníase, foram investigados os SNPs rs4942254/CCDC122-LACC1,
rs3762318/IL23R e rs2144658/IL23R, e o rs2275606/RAB32 que já foram
investigados nas populações brasileira e chinesa, porém ainda não foram
verificadas suas influências na população de Alagoas. Objetivou-se
investigar associação dos SNPs pertencentes aos genes IL23R, CCDC122-
LACC1 e RAB32 com a hanseníase em uma amostra populacional de
Alagoas. Foi realizado um estudo do tipo caso-controle, utilizando amostras

de indivíduos com hanseníase (casos) e sem hanseníase (controles),
recrutados em Alagoas. Após a coleta das amostras biológicas e extração do
DNA (salting out), foi realizada a genotipagem dos SNPs rs2144658/IL23R e
rs3762318/IL23R, rs4942254/CCDC122-LACC1, e o rs2275606/RAB32 por
meio de PCR em tempo real (ensaio Taqman, StepOne PlusTM). As análises
estatísticas utilizaram a OR (Odds Ratio), IC (Intervalo de Confiança) e
valores de p, como medida de associação, e foram realizadas em ambiente
R (versão 4.3.0) utilizando os pacotes “genetics” e “SNPassoc”. Como
resultado, foram incluídos 313 casos e 264 controles no estudo genético. Até
o momento, os resultados demonstraram que os polimorfismos rs3762318 e
rs2144658, ambos no gene IL23R, não estão associados com a hanseníase
na população investigada, mesmo após ajuste com a covariável sexo (ORAG:
1,04, p-valor: 0,84; ORAG: 0,87, p-valor: 0,58, respectivamente). Quanto as
frequências do homozigoto CC do polimorfismo rs4942254/CCDC122-
LACC1, foram para casos 15% e controles 22%. Os resultados
demonstraram que o SNP investigado no gene CCDC122-LACC1
apresentou associação com proteção a hanseníase na população alagoana
(ORCC: 0,51, p: 0,016). Quanto ao SNP rs2275606, foi identificada a
associação a risco a hanseníase na população de Alagoas (ORAA: 3,12, p:
0,0028, ajustado). Portanto, foi possível [Hd1] identificar que o SNP
rs4942254/CCDC122-LACC1 associado com menor risco a hanseníase,
enquanto o rs2275606/RAB32 foi associado a maior risco de hanseníase.
Esses achados integraram o painel de marcadores e sua influência genética
na hanseníase na população de Alagoas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo(a) ao Programa - 2361727 - CARLOS ALBERTO DE CARVALHO FRAGA - nullPresidente - 1867374 - ELAINE VIRGINIA MARTINS DE SOUZA FIGUEIREDO
Interno(a) - 1298235 - EMILIANO DE OLIVEIRA BARRETO
Notícia cadastrada em: 15/02/2024 14:04
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-3.srv3inst1 13/07/2024 14:18