Banca de DEFESA: AMANDA LARISSA DIAS PACHECO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AMANDA LARISSA DIAS PACHECO
DATA : 28/03/2024
HORA: 14:00
LOCAL: ICBS - Sala 19
TÍTULO:

CANABIDIOL COMO TERAPIA ALTERNATIVA NAS ALTERAÇÕES COMPORTAMENTAIS, IMUNOLÓGICAS E SEU IMPACTO NO ESTRESSE OXIDATIVO EM ANIMAIS EXPOSTOS AO CRACK NO PERÍODO INTRAUTERINO


PALAVRAS-CHAVES:

Gestação; cannabis sativa; terapias alternativas; comorbidades.


PÁGINAS: 72
RESUMO:

O crack, substância psicoativa derivada da cocaína, é um grave problema de saúde pública, com efeitos físicos e mentais. Essa situação se torna ainda mais crítica uma vez que mulheres usuárias de crack permanecem o seu uso durante a o período gestacional. O consumo de crack durante a gestação tem efeitos deletérios no desenvolvimento fetal e teratogênicos, como também prejuízos a longo prazo na primeira infância. Crianças expostas ao crack durante a gestação apresentam maior índice de transtornos neurológicos e de alterações comportamentais. Grande parte desses efeitos tem sido associados a alterações nos níveis de estresse oxidativo e neurotoxicidade. A falta de terapias farmacológicas eficazes para tratar esses efeitos neurológicos ressalta a necessidade de intervenções inovadoras. O óleo rico em canabidiol (CBD), derivado da Cannabis sativa, emerge como uma substância terapêutica promissora para transtornos neurológicos, exibindo propriedades ansiolíticas, antidepressivas, antiepiléticas e antioxidantes. Além disso, o CBD demonstra efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes, oferecendo potencial proteção contra o estresse oxidativo. De forma inovadora, este trabalho avaliou o efeito do tratamento com CBD nas alterações (nos comportamentos, no estresse oxidativo e nos órgãos linfoides) provocadas na prole após a exposição intrauterina ao crack (PN-Crack) em modelo animal (CEUA #28/2021). Ratas prenhes (60-90 dias) foram expostas ao crack (200 mg) ou ao ar ambiente diariamente durante o 5º ao 21º dia de gestação. Os filhotes dos animais foram tratados oralmente com CBD (10 mg/kg) ou solução salina 0,9% (VEH) por 20 dias formando os quatro grupos experimentais. Posteriormente, os animais foram submetidos a testes comportamentais, atividade de locomotora, após os testes foi realizada ressecção cirúrgica do cérebro (para avaliação do estresse oxidativo), timo e baço (pesados e sua celularidade contada). Nossos resultados demonstraram que o CBD bloqueou, em parte, as alterações comportamentais e em componentes do estresse oxidativo induzidas após PN-Crack. Com isso, nosso trabalho sugere que o CBD pode representar uma estratégia inovadora para melhorar a sobrevivência e a qualidade de vida das crianças expostas ao crack. Embora mais estudos sejam necessários, o uso do CBD, no futuro, pode se apresentar como uma terapia alternativa para melhorar o prognóstico de crianças expostas ao crack durante a gestação.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1974414 - OLAGIDE WAGNER DE CASTRO
Interno(a) - 1556562 - ABELARDO SILVA JUNIOR
Externo(a) ao Programa - 1916144 - GILBERTO COSTA JUSTINO - UFALExterno(a) ao Programa - 1148653 - IGOR SANTANA DE MELO - UFALExterno(a) à Instituição - MARIA DOLORES ESTELITA LÓPEZ GARCÍA
Notícia cadastrada em: 04/04/2024 12:57
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 13/07/2024 14:17