Banca de DEFESA: ANA RUBIA BATISTA RIBEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA RUBIA BATISTA RIBEIRO
DATA : 04/08/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

Espectroscopia Raman aplicada ao estudo da diferenciação funcional de células: uma avaliação sobre os fenótipos M1 e M2 de macrófagos


PALAVRAS-CHAVES:

Análise espectral; PCA; Análise do Componente Principal; Espectroscopia Vibracional.


PÁGINAS: 44
RESUMO:

Os macrófagos são células envolvidas em vários eventos da resposta imunoinflamatória, sendo encontradas em diferentes tecidos e considerados as primeiras células de defesa. Os macrófagos possuem grande plasticidade funcional e são classificados dentro de um espectro fenotípico que inclui basicamente dois perfis de ativação denominados fenótipo M1 (ativação clássica) e fenótipo M2 (ativação alternativa). É de conhecimento que cada um destes fenótipos está envolvido com distintos processos fisiopatológicos, e que a sua identificação depende basicamente da quantificação de mediadores produzidos/secretados e/ou presença de marcadores de superfície típicos de cada fenótipo. Portanto, com propósito de desenvolver uma metodologia que permita a identificação rápida do fenótipo de macrófago sem a necessidade de marcação celular ou quantificação de citocinas, objetivamos neste estudo aplicar a técnica de espectroscopia Raman como uma ferramenta alternativa para distinguir os fenótipos M1 e M2 de macrófagos. Para isso, foi utilizada a linhagem de células J774.1 submetida a estimulação com LPS/IFNγ para diferenciação no perfil M1, e com IL-4 para diferenciação no perfil M2. Para certificação da diferenciação em cada fenótipo, as citocinas típicas de cada perfil M1 (IL-6) ou M2 (IL-10) foram quantificadas por ELISA. Além disso, determinamos ainda alterações morfológicas em cada perfil fenotípico utilizando microscopia eletrônica de varredura. Em seguida, as análises Raman foram realizadas em cada perfil já definido, sendo os resultados das variáveis avaliados a partir da análise de componentes principais (PCA). O aumento da produção das citocinas IL-6 e IL-10 confirmou o sucesso do protocolo de polarização para os perfis M1 e M2, respectivamente. Os espectros Raman submetidos à análise pela técnica de PCA permitiram distinguir os perfis M1 e M2. Em conclusão, o presente trabalho demonstrou que a polarização de macrófagos no perfil M1 e M2 pode ser identificado por espectroscopia Raman, abrindo possibilidade de aplicação desta técnica para distinção de outros tipos celulares que apresentem diferenciação fenotípica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1298235 - EMILIANO DE OLIVEIRA BARRETO
Interna - 2022362 - ANA CATARINA REZENDE LEITE
Externo à Instituição - MARVIN PAULO LINS
Notícia cadastrada em: 15/07/2021 07:52
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-3.srv3inst1 25/07/2024 06:44