Banca de DEFESA: LUANA KAREN CORREIA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LUANA KAREN CORREIA DOS SANTOS
DATA : 25/08/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Online (Plataforma Google Meet)
TÍTULO:

Genes de Receptores da Resposta Imune e a Hanseníase na População Alagoana


PALAVRAS-CHAVES:

Genética. Imunologia. Mycobacterium leprae


PÁGINAS: 93
RESUMO:

A hanseníase é uma doença infectocontagiosa causada pelo Mycobacterium leprae que atinge a pele e os nervos periféricos, podendo causar deformidades físicas. É considerada uma doença complexa que sofre influência de vários fatores, ademais a baixa diversidade em seu genoma faz com que a hanseníase seja um ótimo modelo para se estudar a influência da genética do hospedeiro na doença. Evidências apontam que genes da resposta imune inata, principalmente os genes TLR1 e NOD2, são importantes no desfecho e na diferenciação das formas clínicas e já foram associados em populações brasileiras, no entanto, não há investigação do papel desses genes em Alagoas. O objetivo do presente estudo foi avaliar a associação de polimorfismos nos genes TLR1 e NOD2 na hanseníase e suas formas clínicas em uma população alagoana. Foi conduzido um estudo caso-controle, onde os casos incluíram pacientes do CRIA (Centro de Referência Integrado de Arapiraca) e os controles indivíduos saudáveis, doadores de sangue no Hemoal-Arapiraca. Foram avaliados os polimorfismos rs4833095 e rs8057341 nos genes TLR1 e NOD2, respectivamente. O DNA dos indivíduos que aceitaram participar do estudo foi extraído através do método salting out e genotipado por meio de PCR em tempo real através de discriminação alélica (Applied Biosystems) usando sondas TaqMan. Foram obtidas as frequências genotípicas e de carreadores de alelo, que posteriormente foram comparadas entre os grupos através de regressão logística. Foi conduzida uma revisão sistemática afim de agrupar os resultados obtidos em uma meta-análise sobre polimorfismos no gene TLR1 seguindo o guia do Moose. Todas as análises estatísticas foram realizadas no ambiente R versão 1.4.1103 utilizando os pacotes “genetics” e “SNPassoc” para as análises de associação genética e “meta” e “metafor” para a meta-análise. Como resultado obtivemos 399 indivíduos recrutados, desses 134 casos e 265 controles. A frequência dos polimorfismos na população alagoana (controles) foi de 18% para o genótipo TT do SNP rs4833095-TLR1 e de 12% para o genótipo TT do SNP rs8057341-NOD2. No desenho caso-controle e de associação genética com a hanseníase as estimativas de associação foram as seguintes: rs4833095-TLR1 genótipo TC com OR=0,87 (p=0,71) e CC com OR=1,0 (p=0,98); rs8057341-NOD2 genótipo CT com OR= 0,92 (p=0,78) e TT com OR=1,03 (p=0,93). Os resultados demonstram que os SNPs estudados não possuem associação com a hanseníase na população investigada, mesmo após a correção para a co-variável sexo. Na meta-análise apenas os carreadores do alelo C do rs5743618-TLR1 se mostraram associados com a hanseníase OR= 0,57 (p=0,048) exibindo um efeito protetor. Quando realizada a análise de sensibilidade, esse efeito protetor foi observado em todos os modelos genéticos para esse mesmo SNP, exibindo valores de OR=0,48 (p=0,010) para o alelo C, OR=0,47 (p=0,028) para os carreadores de C e OR=0,26 (p=0,003) para o genótipo CC. Os resultados obtidos na meta-análise apontam uma associação protetora do SNP rs5743618 do gene TLR1 com a hanseníase. Os achados deste estudo agregam informações a respeito da influência genética na hanseníase em Alagoas, que podem ser úteis para compreender sobre o desenvolvimento da doença na região.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 2269479 - CAROLINNE DE SALES MARQUES
Externa à Instituição - ALINE CRISTINE PEREIRA E SILVA
Externa à Instituição - LUCIA ELENA ALVARADO ARNEZ - Fiocruz - RJ
Notícia cadastrada em: 18/08/2021 16:49
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 25/07/2024 06:05