Banca de QUALIFICAÇÃO: HIGOR VINICIUS RODRIGUES SPINELI SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HIGOR VINICIUS RODRIGUES SPINELI SILVA
DATA : 10/09/2021
HORA: 10:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

EFEITOS DO POLIMORFISMO 163 C>A DA CYP1A2 (rs762551) SOBRE A CINÉTICA E A INGESTÃO DE CAFEÍNA PARA A CAPACIDADE, POTÊNCIA E DESEMPENHO FÍSICO ANAERÓBIO


PALAVRAS-CHAVES:

Xantina; genótipo; suplementação nutricional; efeitos ergogênicos; Citocromo P450 1A2;


PÁGINAS: 90
RESUMO:

O presente estudo construiu uma revisão de literatura para analisar o atual estado da arte sobre a suplementação de cafeína (CAF) e o polimorfismo 163 C>A da CYP1A2 sobre o desempenho físico aeróbico e anaeróbico. Os achados indicam a CAF melhorando o desempenho em testes aeróbios, mas os resultados da interação com o genótipo ainda são muito controversos e precisam de mais estudos com melhores qualidades metodológicas e com n amostral mais altos para se ter uma inferência populacional mais fidedigna. Sobre o desempenho anaeróbio, a análise mostra que a CAF parece ter influência em relação à dosagem, à duração do exercício e ao seu perfil de indução à fadiga. Em exercícios de curta duração com baixo perfil de indução à fadiga, os resultados da CAF são menos efetivos e mais controversos, enquanto para os exercícios com duração um pouco superior e com maior perfil de indução à fadiga, a CAF tem um benefício mais preciso. Em relação ao polimorfismo no desempenho anaeróbio, ainda são bem controversos os resultados, mas os poucos artigos que encontraram interação significativa da suplementação de CAF e os genótipos da CYP1A2 estudados, mostraram que os homozigotos AA parecem ter mais influência sobre o desempenho. O artigo original já publicado teve como objetivo investigar se variações nos genótipos 163 C> A CYP1A2 modificou os efeitos ergogênicos da CAF na força, potência, resistência muscular, agilidade e resistência em atletas adolescentes. Cem adolescentes (idade = 15 ± 2 anos) foram recrutados, ingeriram CAF (6 mg.kg−1) ou placebo (PLA, 300 mg de celulose) 1 hora antes de realizar uma sequência de testes físicos: força de preensão manual, saltos verticais, teste de agilidade, abdominais, flexões e o Teste Yo-Yo Intermitente Recovery nível 1. Em comparação com PLA, CAF melhorou o teste de abdominais, flexão e aumentou a distância percorrida no teste Yo-Yo IR1. Não houve influência da CAF na força de preensão manual, altura de salto com contra movimento, altura de salto com passada e tempo no teste de agilidade. Quando presente, o efeito ergogênico da CAF não era dependente do genótipo. Por fim, o presente estudo propôs um projeto de pesquisa que tem por objetivo avaliar a cinética de CAF em período de duas horas após ingestão do suplemento e, em segunda fase, avaliar o efeito da ingestão aguda individualizada de CAF associada ao polimorfismo genético da CYP1A2 sobre o desempenho físico de alta intensidade. 45 homens, fisicamente ativos, com idade a partir de 18 anos serão recrutados. Serão realizadas avaliações antropométricas; inquérito alimentar e orientações de ingestão energética para padronização do estado nutricional; familiarização com os protocolos de alta intensidade, teste incremental máximo para determinação do consumo máximo de oxigênio (VO2máx). O protocolo será dividido em 2 dias com os seguintes testes: dia 1 – Preensão Manual, contração voluntária máxima e Wingate + EMG na contração e no Wingate + pico de lactato após Wingate; dia 2- Testes de saltos com contramovimento, dinamometria lombar e teste contra relógio de 1km em bicicleta + pico de lactato. Desenho Experimental: O projeto será dividido em duas fases, sendo a primeira para avaliação do polimorfismo genético individual e avaliação da cinética de CAF, onde, em visita única ao laboratório, o sujeito passará por uma coleta de sangue de 4mL em tubo com EDTA para análise do perfil genético da CYP1A2. Em seguida, o sujeito fará a ingestão de CAF e terá 4mL de sangue coletados a cada 15 minutos até o minuto 135, para extração do soro e armazenamento para posterior análise da CAF sérica. Posteriormente, na segunda fase do estudo, os indivíduos serão divididos em 3 grupos a partir do polimorfismo genético: (1) homozigotos AA, n=15, (2) heterozigotos AC, n=15, (3) homozigotos CC, n=15 e (4) agrupado, n=45 (todos os sujeitos somados, independente do polimorfismo, para a análise dos dados). Os sujeitos receberão cápsulas de CAF e placebo, selecionadas em ordem randômica de acordo com cada dia de teste, após o seu pico plasmático de CAF, anteriormente analisado, realizarão os testes de acordo com cada dia de visita. As visitas serão realizadas separadas por no mínimo 72h e no máximo 96h de intervalo. Em todas as visitas será utilizada a escala de percepção subjetiva de esforço de Borg (6-20). As análises sanguíneas serão realizadas no Laboratório de Ciências Aplicadas ao Esporte (LACAE) da Universidade Federal de Alagoas, no Laboratório de Biologia Molecular e Celular do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde e Laboratório de Nutrição Experimental da Faculdade de Nutrição. Análises de dados serão realizadas com auxílio do software estatístico Statistica® versão 13.2, dotando um nível de significância de p < 0,05 e normalidade da distribuição será avaliada pela aplicação do teste de Shapiro-Wilk e a homogeneidade das variâncias pelo teste de Levene. A partir desses procedimentos, serão utilizados métodos paramétricos ou não paramétricos, conforme a indicação, utilizando o teste ANOVA Fatorial ou seu correspondente.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1878467 - GUSTAVO GOMES DE ARAUJO
Externo ao Programa - 3220920 - MARCOS DAVID DA SILVA CAVALCANTE
Externa à Instituição - BRUNA PRISCILA DOS SANTOS
Externa à Instituição - NATALIA DE ALMEIDA RODRIGUES
Notícia cadastrada em: 25/08/2021 15:35
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 25/07/2024 05:43