Banca de DEFESA: CARMELITA BASTOS MENDES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CARMELITA BASTOS MENDES
DATA : 18/11/2022
HORA: 14:00
LOCAL: ICBS - Sala 19
TÍTULO:

Hormônios tireoidianos como possíveis correguladores das aquaporinas 1 e 4 em gliomas humanos: um estudo piloto usando uma abordagem de bioinformática.


PALAVRAS-CHAVES:

glioma, AQP1, AQP4, biomarcador, expressão gênica, análise de correlação, bioinformática


PÁGINAS: 110
RESUMO:

Em 2016, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu marcadores moleculares (expressão genotípica) como importantes fatores preditivos para o diagnóstico de tumores cerebrais. No cérebro, a expressão e localização de transportadores de água, aquaporinas (AQPs), está substancialmente modificada em gliomas durante os processos de tumorigênese, migração celular, formação e resolução do edema cerebral. Dessa forma, hipotetizamos que as alterações moleculares associadas às AQP1 e AQP4 cerebrais podem ser potenciais alvos terapêuticos no câncer. Nosso grupo de pesquisa, por exemplo, já demonstrou uma ação moduladora da triiodotironina (T3), forma biologicamente ativa do hormônio tireoidiano, sobre a expressão da AQP4 durante o desenvolvimento do sistema nervoso central e sobreas células humanas de glioblastoma multiforme. Para testar esta hipótese, realizamos uma análise bioinformática a partir de dados genômicos públicos e disponíveis para download. Neste caso, usamos RNA-seq como estratégia experimental e identificamos a expressão diferencial dos números de transcritos das AQP1 e AQP4 em tecidos de gliomas comparando-os com seus níveis em tecidos cerebrais saudáveis. Como esperado, os genes das AQPs estavam superexpressos em pacientes com glioma. Entre os subtipos moleculares dos gliomas, AQP1 e AQP4 estavam superexpressos em astrocitoma (glioma de baixo grau) e no subtipo clássico (glioma de alto grau). A análise de sobrevida global demonstrou que ambos os genes das AQPs podem ser usados como fator prognóstico para pacientes com glioma de baixo grau, confirmando os resultados de estudos anteriores e reforçando seus valores clínicos. Também observamos graus de correlação entre a expressão de genes envolvidos nas vias da tirosina e dos hormônios tireoidianos e as AQPs em questão. A saber: PNMT, ALDH1A3, AOC2, HGDATP1B1, ADCY5, PLCB4, ITPR1, ATP1A3, LRP2, HDAC1, MED24, MTOR e ACTB1 (coeficiente de Spearman = ≥ 0,20 e p = ≤ 0,05). Essas vias moleculares e os genes AQP1 e AQP4 podem ser usados para estudar novas drogas antitumorais, além de ser úteis no diagnóstico molecular neste tipo de tumor, pois apresentam potencial como biomarcadores diagnósticos e terapêuticos em gliomas malignos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1121304 - ADRIANA XIMENES DA SILVA
Interno(a) - 1298235 - EMILIANO DE OLIVEIRA BARRETO
Externo(a) à Instituição - MYKAELLA ANDRADE DE ARAUJO - NENHUMA
Notícia cadastrada em: 10/11/2022 15:50
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 13/07/2024 13:45