Banca de DEFESA: ELOIZA LOPES DE LIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ELOIZA LOPES DE LIRA
DATA : 23/05/2023
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 19
TÍTULO:

ANÁLISE DE POTENCIAIS BIOMARCADORES LIGADOS A RESPOSTA IMUNOLÓGICA CITOTÓXICA EM PACIENTES INFECTADOS POR SARS-COV-2


PALAVRAS-CHAVES:

COVID-19, Marcadores, Resposta Citotóxica, SARS-CoV-2


PÁGINAS: 117
RESUMO:

A infecção pelo Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Severa-2 (SARS-CoV-
2) gera diferentes desfechos clínicos, podendo levar ao óbito. Uma das hipóteses para

essa gama de desfechos pode estar na variação da resposta citotóxica deflagrada
pelo hospedeiro. Estudos anteriores mostraram que em pacientes que apresentam
inflamação pulmonar severa ocorre redução no número de linfócitos citotóxicos, além
de estarem funcionalmente esgotados. Outrossim, o objetivo do estudo foi investigar
o valor prognóstico de alterações plasmáticas e celulares correlacionadas com a
resposta citotóxica. Foi realizado um estudo observacional transversal, com 75
participantes, com aprovação pelo comitê de ética em pesquisa com seres humanos
(30732120.1.0000.5013). Do total de amostras, 56 foram de pacientes hospitalizados
no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes da Universidade Federal de
Alagoas (HUPAA/UFAL) (grupo COVID-19) e 19 foram de voluntários (grupo Controle)
com idade, sexo e comorbidades pareados ao primeiro grupo. Foram realizadas
análises hematológicas, bioquímicas, espectroscopia Raman do plasma, dosagem de
sFas, sFasL, perforina, granulisina, granzimas (Gzm) A e B, e imunofenotipagem de
subpopulações linfocitárias e linfoides. Como resultados, o grupo COVID-19
apresentou vários parâmetros laboratoriais preditivos de severidade e mortalidade. Na
espectroscopia Raman foi observada a redução de picos atribuídos a aminoácidos
(fenilalanina [p ≤ 0,001], prolina [p ≤ 0,05], triptofano [p ≤ 0,01] e tirosina [p ≤ 0,01]) e
a carotenoides (p ≤ 0,05), além de aumento em um pico atribuído a lipídeos (p ≤
0.001). Os pacientes com COVID-19 tiveram aumento nos níveis de GzmA (p =0,04)
e GzmB (p =0,01), contudo a GzmB foi a variável de maior contribuição para
discriminação entre os grupos de estudo (covariância 21,43; correlação 0,81). A GmzB
também estava mais elevada em mulheres (p = 0,01) e idosos (p = 0,01), e esse
aumento foi correlacionado positivamente com menor sobrevida dos pacientes (p =
0,03). Por fim, foi constatado aumento nas porcentagens de células linfoides inatas
(ILC)1 e ILC3 (p ≤ 0,05), e redução de linfócitos T CD4+ naive e de memória efetor (p
≤ 0,05), e de linfócitos T CD8+ efetor e de memória efetor (p ≤ 0,01). Com base nos
resultados, acreditamos que as granzimas estão atuando em suas funções
extracelulares, corroborando com a patogenia da doença e podendo ser utilizadas
como marcadores de pior prognóstico para a COVID-19.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2151027 - ALEXANDRE URBAN BORBELY
Interno(a) - 1556562 - ABELARDO SILVA JUNIOR
Interno(a) - 1878467 - GUSTAVO GOMES DE ARAUJO
Externo(a) ao Programa - 1130431 - NASSIB BEZERRA BUENO
Externo(a) ao Programa - 1331191 - SABRINA JOANY FELIZARDO NEVES
Notícia cadastrada em: 05/05/2023 11:49
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-4.srv4inst1 13/07/2024 13:09