Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIANDERSON DE OLIVEIRA DOS SANTOS CARMO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JULIANDERSON DE OLIVEIRA DOS SANTOS CARMO
DATA : 30/06/2023
HORA: 09:00
LOCAL: Intituto de Ciências Biológicas e da Saúde
TÍTULO:

Efeitos da friedelina sobre timócitos e linfócitos e sua influência sobre as células T reguladoras na resposta inflamatória induzida por ovalbumina na asma alérgica experimental


PALAVRAS-CHAVES:

friedelina; asma; linfócitos; timócitos; células Treg; inflamação


PÁGINAS: 115
RESUMO:

A asma alérgica é uma doença crônica caracterizada pela hiper-reatividade brônquica, inflamação e remodelamento anormal das vias aéreas. Nesta patologia, a intensa resposta imune do tipo 2 e o reduzido número de linfócitos T reguladores (Treg) tem papel chave na patogênese da doença. Atualmente, os glicocorticoides inalatórios constituem a terapia de primeira linha no tratamento da asma. Porém, o uso prolongado destes fármacos em altas doses causam efeitos indesejáveis e aumentam o risco de outras patologias. Assim, a busca de alternativas para o tratamento da asma torna-se importante. A friedelina, um triterpeno pentacíclico natural, tem atraído interesse devido a sua ampla gama de ações farmacológicas, que incluem efeitos antitumorais, anti-inflamatórios, analgésicos, antipiréticos e antioxidantes. Apesar de todos estes efeitos, as ações da friedelina sobre timócitos e linfócitos T, bem como seu provável mecanismo de ação anti-inflamatória na asma alérgica ainda não foram explorados. Neste estudo, objetivamos avaliar os efeitos da friedelina sobre timócitos e linfócitos in vitro e in vivo, bem como investigar o possível mecanismo anti-inflamatório desse triterpeno no modelo de asma alérgica experimental induzida por ovalbumina (OVA). Inicialmente, confirmamos que a friedelina não foi capaz de alterar a viabilidade de timócitos nas concentrações estudadas (0,1 - 100 µM). Em seguida, observamos in vitro que a friedelina aumentou a resposta migratória induzida por CXCL12 em timócitos imaturos (CD4-CD8- e CD4+CD8+) ao mesmo tempo em que inibiu a migração de timócitos CD4+. Além disso, a friedelina também reduziu a produção da citocina IL-2 por timócitos estimulados com concanavalina-A (Con-A). Na população de linfócitos obtidos de linfonodos axilares, a friedelina não interferiu com a resposta migratória induzida por CXCL12, mas suprimiu a geração de IL-2 induzida por ConA. A injeção intraperitoneal em camundongos C57BL6 com friedelina por 4 dias consecutivos não alterou os aspectos macro- e microscópicos do timo, nem afetou seu peso relativo. Além disso, o perfil das diferentes subpopulações de timócitos permaneceram inalterados após o tratamento com a friedelina. Ao contrário, o tratamento com dexametasona, fármaco referência, induziu atrofia tímica com marcada redução tanto no número de timócitos quanto no peso do timo. Com base nos efeitos diretos da friedelina em células imunes, bem como a ausência de efeitos deletérios sobre o timo, avançamos para avaliar os efeitos do tratamento tópico com friedelina na asma. Nossos resultados revelaram que a friedelina reduziu de forma significativa o acúmulo de leucócitos totais nas vias aéreas dos animais asmáticos estimulados com OVA. Além disso, o tratamento com friedelina aumentou a porcentagem de linfócitos T reguladores nas vias aéreas dos animais asmáticos, o que pode justificar os efeitos anti-inflamatórios da friedelina. Em conjunto, estes resultados sugerem que a friedelina mostra-se como um candidato promissor para o tratamento da asma alérgica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1298235 - EMILIANO DE OLIVEIRA BARRETO
Interno(a) - 2269479 - CAROLINNE DE SALES MARQUES
Interno(a) - 1612086 - ENIO JOSE BASSI
Interno(a) - 1974414 - OLAGIDE WAGNER DE CASTRO
Externo(a) à Instituição - AXEL HELMUT RULF COFRE - CESMAC
Notícia cadastrada em: 26/06/2023 15:43
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-4.srv4inst1 13/07/2024 13:41