Banca de DEFESA: RICARDO ANDRÉS MARTÍNEZ VON DOSSOW

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RICARDO ANDRÉS MARTÍNEZ VON DOSSOW
DATA : 20/06/2022
HORA: 14:00
LOCAL: meet.google.com/hyn-hoyv-wkg
TÍTULO:

Aspectos quânticos da Eletrodinâmica Quântica com operadores de dimensão d=5


PALAVRAS-CHAVES:

Violação da Simetria de Lorentz, Simetria CPT, Modelo Padrão Estendido,Eletrodinâmica Quântica, Correções Quânticas, Termo de CFJ, Teorias de Horava-Lifshitz


PÁGINAS: 107
RESUMO:

O estudo da violação de simetria de Lorentz em teoria de campos tem ganhado muita atenção nos últimos anos, principalmente a partir da descoberta de que em teoria de cordas temos a possibilidade do surgimento de quebras espontâneas de simetria de Lorentz ao tomarmos o limite à baixas energias. Esses estudos motivaram a construção do modelo padrão estendido (MPE), que é, na verdade, uma extensão do modelo padrão (MP) usual, no qual se adicionam todos os possíveis termos que violam as simetrias de Lorentz e de CPT, respeitando a invariância de calibre. O MPE mínimo contém apenas termos renormalizáveis, enquanto o MPE não mínimo inclui todos os termos não renormalizáveis. Na primeira parte deste trabalho, estudamos a extensão não mínima da Eletrodinâmica Quântica (EDQ), considerando todos os operadores de violação de Lorentz (VL) de dimensão de massa d = 5, e investigamos a possibilidade da geração do termo de Carroll-Field-Jackiw (CFJ) e sua contraparte de altas derivadas em primeira ordem nas constantes de acoplamento não mínimas. Demonstramos explicitamente que não há geração do termo CFJ quando adotamos o esquema da regularização dimensional. Além disso, mostramos que as partes divergentes do termo de altas derivadas podem ser eliminadas ao considerarmos certas relações de proporcionalidade entre os coeficientes. Na segunda parte, consideramos a extensão de Horava-Lifshitz (HL) com z = 3 da EDQ, no qual incluímos o vetor axial b0,i que quebra a simetria CPT. Para este modelo, calculamos o termo CFJ em distintos esquemas de regularização e encontramos que o termo CFJ é finito, porém, ambíguo, pois depende do esquema de regularização empregado. Finalmente, calculamos o termo CFJ deste modelo utilizando a metodologia da integral funcional, no qual encontramos mais uma vez que o termo CFJ é finito, porém indeterminado.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALBERT PETROV - UFPB
Externo à Instituição - ALESANDRO FERREIRA DOS SANTOS - UFMT
Externo à Instituição - JOB SARAIVA FURTADO NETO - URCA
Interno - 1411788 - PAULO CESAR AGUIAR BRANDAO FILHO
Presidente - 1638021 - TIAGO HOMERO MARIZ DO NASCIMENTO
Notícia cadastrada em: 15/06/2022 19:58
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 30/05/2024 09:53