Banca de DEFESA: DAIANE MARIA MEDEIROS DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DAIANE MARIA MEDEIROS DA SILVA
DATA : 05/08/2022
HORA: 13:30
LOCAL: Instituto de Física (remoto)
TÍTULO:

Efeito da concentração de Eu3+ e do tratamento térmico nas propriedades estruturais e ópticas de matrizes de titanato de sódio almejando termometria óptica


PALAVRAS-CHAVES:

Trititanato de Sódio. Hexatitanato de Sódio. Termometria Luminescente. Európio.


PÁGINAS: 62
RESUMO:

A termometria luminescente continua sendo uma importante área de pesquisa devido à crescente demanda por sensores de temperatura cada vez menores, como no caso dos nanotermômetros, e que sejam cada vez mais eficientes, por exemplo, que possuam uma maior emissão e sensibilidade térmica relativa. Com base nisto, desenvolvemos neste trabalho a caracterização estrutural e luminescente de matrizes hospedeiras à base de óxido de titânio, mais especificamente, trititanato de sódio (Na2Ti3O7) e hexatitanato de sódio(Na2Ti6O13), dopadas com íons de Eu3+, para investigar seu potencial uso como termômetros luminescentes. Foram utilizadas quatro concentrações de Eu3+: 0,5; 1,0; 5,0 e 10,0 mol%. Além disto, as amostras foram submetidas a quatro diferentes temperaturas de tratamento térmico (TT): 250 °C, 500 °C, 650 °C e 800 °C. O objetivo foi investigar a influência da dopagem com Eu3+ e do TT nas propriedades estruturais e luminescentes dessas amostras. Como resultado, de modo geral, obtivemos que nas amostras não dopadas tivemos uma mistura de fases que não foram identificadas. Já nas amostras dopadas com Eu3+, foi obtido que a incorporação do Eu3+ favoreceu a formação da fase Na2Ti6O13. Também foi observado que o aumento da temperatura de TT fez com que elas passassem de uma configuração de fase amorfa, com a mistura das fases Na2Ti3O7 e Na2Ti6O13, para uma fase pura cristalina, correspondente a fase Na2Ti6O13na temperatura de TT de 800 °C. Em relação as propriedades luminescentes, foi obtido que, de forma geral, as amostras TT à 250 °C, 500 °C e 650 °C que apresentaram a maior luminescência foram aquelas dopadas com 10,0 mol% de Eu3+. Contudo, para a temperatura de TT de 800 °C a maior luminescência observada foi na amostra dopada com 5,0 mol% de Eu3+, cuja máxima sensibilidade térmica relativa obtida foi de aproximadamente 0,34 %C-1 em 25 °C, o que é um valor comparável a outros materiais luminescentes presentes na literatura. Assim, estas amostras se mostram como potenciais candidatos para termometria luminescente.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1545463 - CARLOS JACINTO DA SILVA
Interna - 1247925 - ANIELLE CHRISTINE ALMEIDA SILVA
Interno - 2579019 - WAGNER FERREIRA DA SILVA
Externo à Instituição - NELSON GUILHERME CASTELLI ASTRATH
Notícia cadastrada em: 04/08/2022 07:29
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 30/05/2024 09:27