Banca de DEFESA: PAULA DAYANE SILVA ARAUJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PAULA DAYANE SILVA ARAUJO
DATA : 30/06/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Ambiente virtual
TÍTULO:

LITERATURA DE CORDEL E CIÊNCIA: UMA INVESTIGAÇÃO A PARTIR DA LEITURA E DAS REPRESENTAÇÕES PRODUZIDAS POR LICENCIANDOS EM QUÍMICA


PALAVRAS-CHAVES:

Literatura de Cordel. Ensino de Ciências. Educação em Química. Representações.


PÁGINAS: 72
RESUMO:

Este trabalho se constituiu a partir de uma pesquisa qualitativa do tipo exploratória que buscou analisar, a partir da leitura e das representações produzidas por estudantes de licenciatura em química, as influências de um texto de cordel com temática científica para a construção do pensamento químico. A pesquisa foi realizada com 19 estudantes de Licenciatura em Química da UFAL Campus Arapiraca em algumas aulas da disciplina de “Leitura, Produção Textual e Ensino de Química”. O livreto intitulado “Um Olhar sobre a Química que não se Vê” foi produzido pela autora desta pesquisa com base na temática da solvatação e fundamentou a produção dos dados analisados e apresentados ao longo deste trabalho. A proposta foi que os estudantes lessem o texto individualmente e em seguida respondessem duas questões acerca dele, assim como, após a leitura, criassem uma representação imagética (ou sequência de imagens) relacionada ao texto lido. Após a análise dos dados empíricos, foi possível identificar representações que fizeram surgir categorias e subcategorias emergentes. Para análise dos resultados obtidos foram utilizadas abordagens baseadas em fundamentos próprios de representações, assim como algumas inferências puderam ser realizadas com base nos níveis da química que foram evidenciados nas produções dos licenciandos para que se pudesse identificar as influências de um texto de cordel com temática científica para a compreensão do conceito de solvatação. Como resultado foi identificado que os textos de cordel possuem potencial para promover o pensamento dos estudantes em diferentes perspectivas. A partir da leitura, por exemplo, foi possível perceber reações como curiosidade, a imaginação e relações de afetividade com o texto. Já as representações produzidas suscitaram diferentes formas do pensamento químico, ora pautado numa dimensão mais concreta, mas também vinculado à dimensão teórico-representacional, assim como extrapolando para representações estéticas do conhecimento. Esses resultados sugerem a potencialidade do cordel como suporte didático tanto para o ensino de química quanto à ampliação cultural.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1649919 - WILMO ERNESTO FRANCISCO JUNIOR
Interna - 2327817 - SILVANA PAULINA DE SOUZA
Externo à Instituição - RAFAEL CAVA MORI
Notícia cadastrada em: 13/06/2022 13:38
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-4.srv4inst1 20/05/2024 00:40