Banca de DEFESA: NICKSON DEYVIS DA SILVA CORREIA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NICKSON DEYVIS DA SILVA CORREIA
DATA : 16/10/2023
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de reuniões do Cedu
TÍTULO:

A ETNOMATEMÁTICA DA CULTURA AFRO-BRASILEIRA: possíveis contribuições na aprendizagem de Matemática e cultura afro-brasileira dos estudantes da Educação Básica


PALAVRAS-CHAVES:

Pesquisa interventiva; Tranças afros; Moda afro-brasileira; Materiais didáticos.


PÁGINAS: 323
RESUMO:

Partindo do problema norteador De que modo a inserção da Etnomatemática, oriunda de elementos presentes nas manifestações culturais afro-brasileiras, em aulas de Matemática, contribui na aprendizagem de Matemática e Cultura Afro-brasileira dos estudantes da Educação Básica?, esta pesquisa, desenvolvida no Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), tem como objetivos: 1) Compreender qual(is) a(s) concepção(ões) os estudantes da Educação Básica têm a respeito da Cultura Afro-brasileira e de que modo visualizam a Matemática exposta a eles; 2) Identificar possível Etnomatemática existente em elementos presentes nas manifestações culturais afro-brasileiras; 3) Desenvolver materiais didáticos que possibilitem levar a Etnomatemática existente em elementos presentes nas manifestações culturais afro- brasileiras aos estudantes da Educação Básica; 4) Organizar os materiais didáticos elaborados e seus roteiros de aplicação em um livro a ser disponibilizado on-line, sendo este o produto educacional proveniente da pesquisa. Para atender a tais objetivos e responder o problema norteador, esta pesquisa, do tipo qualitativa, de abordagem interventiva, teve como lócus uma escola da Rede Pública de Ensino do Estado de Alagoas, com a participação de estudantes da 1a série do Ensino Médio e cidadãos praticantes da Cultura Afro-brasileira. Por ser uma pesquisa de abordagem interventiva é composta por pré-teste, intervenção e pós-teste. O pré-teste é composto por um diagnóstico inicial e uma roda de conversa aplicado aos estudantes participantes com o intuito de atingir o objetivo 1). Por meio dos resultados do pré-teste, partimos para a coleta de dados, por entrevistas semiestruturadas, com os cidadãos praticantes da Cultura Afro-brasileira participantes da pesquisa com o intuito de atingir o objetivo 2). Por meio dos resultados das entrevistas, desenvolvemos três materiais didáticos que contemplam o objetivo 3) e aplicamos aos estudantes participantes, sendo essa a parte da intervenção da pesquisa. As atividades abordam a Etnomatemática das tranças afros e moda afro-brasileira. Após a intervenção, aplicamos o pós-teste, composto por questionamentos e itens subjetivos a serem preenchidos pelos estudantes. Por meio da comparação do pós-teste com o pré-teste, podemos concluir que os estudantes, participantes dessa pesquisa, desenvolveram em si o interesse em aprender e estudar Matemática, visualizando-a como uma disciplina criativa, viva, dinâmica. No que se refere à aprendizagem de Matemática, os estudantes ampliaram a compreensão da existência e aplicação da Matemática no cotidiano, principalmente em aspectos da Cultura Afro-brasileira. Na aprendizagem da Cultura Afro-brasileira, os estudantes que inicialmente não conseguiam citar manifestações culturais afro-brasileiras existentes, aprenderam não só sobre as tranças afros e moda afro-brasileira, como também aprenderam um pouco sobre a história e os significados da Cultura Afro-brasileira, e tipos de músicas, danças e comidas consideradas afro-brasileiras. Em relação às duas manifestações culturais afro-brasileiras trabalhadas com mais intensidade na intervenção, os estudantes aprenderam breves aspectos históricos, alguns tipos de tranças, roupas, acessórios e algumas relações com a Matemática exposta na sala de aula. Sobre a Etnomatemática das tranças afros e da moda afro-brasileira, os estudantes aprenderam e/ou aprimoraram suas técnicas de trançar, a classificar uma peça de roupa quanto a sua estampa e passaram a reconhecer que estes saberes oriundos da Cultura Afro-brasileira são Etnomatemática e, por tanto, utilizam e permitem utilizar a Matemática exposta em sala de aula. Diante disso, esperamos que esta pesquisa inspire a outros professores e pesquisadores a olharem com mais apreço, pesquisando sobre a Cultura Afro-brasileira e trabalhando com seus estudantes da Educação Básica, enfatizando que há costumes e tradições comumente realizados por eles que são oriundas do povo africano e, consequentemente, da Cultura Afro-brasileira. Reconhecemos que realizar trabalhos e pesquisa como essa aqui descrita é uma forma de combater preconceitos que foram historicamente construídos e de reconhecer o povo negro e a Cultura Afro-brasileira como algo valioso a ser considerado, ovacionado, destacado e motivo de orgulho.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2776343 - VIVIANE DE OLIVEIRA SANTOS
Interno(a) - 1049316 - CLAUDIA DE OLIVEIRA LOZADA
Externo(a) à Instituição - MÔNICA DE CÁSSIA SIQUEIRA - UFTM
Notícia cadastrada em: 11/09/2023 08:55
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-3.srv3inst1 20/05/2024 00:41