PPGCF PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS Telefone/Ramal: (82) 32141792

Banca de QUALIFICAÇÃO: CINTHYA LUNA VELOSO DE LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CINTHYA LUNA VELOSO DE LIMA
DATA : 29/01/2024
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 204 do PPGCF/ICF-UFAL
TÍTULO:

Produção e caracterização morfológica, fitoquímica e microbiológica de um fio dental com própolis vermelha brasileira



PALAVRAS-CHAVES:

Dispositivos para o cuidado bucal domiciliar; Própolis; Higiene bucal; Cárie dentária/Prevenção & controle.


PÁGINAS: 72
RESUMO:

A própolis vermelha brasileira é uma mistura complexa, de natureza cerosa, formada a partir de substâncias coletadas de partes de plantas, botões e exsudatos que são misturadas à saliva das abelhas Apis mellifera. Utilizada desde os tempos antigos, apresenta importante atividade antimicrobiana e antiinflamatória. Esse estudo teve por objetivo produzir fios dentais com atividade antimicrobiana contra bactérias cariogênicas. Foi obtido extrato etanólico de própolis vermelha brasileira (PVB) e a seguir realizadas análises para traçar o perfil fitoquímico da própolis utilizada: 1-cromatografia líquida de alta eficiência, 2-quantidades de flavonoides e fenóis totais e 3- atividade antioxidante (DPPH). Após a primeira fase de obtenção e caracterização do extrato de PVB, foram produzidos fios dentais de politetrafluoroetileno (PTFE) impregnados com PVB nas concentrações de 500, 1000, 2000 e 3000 mg/mL. A seguir os fios foram analisados em espectrometria no infravermelho (FTIR) e a atividade antioxidante testada (DPPH). A morfologia da superfície dos fios foi avaliada em microscopia eletrônica de varredura (MEV). A atividade antimicrobiana dos fios dentais impregnados com PVB nas concentrações experimentais, será testada contra cepas de Streptococcus mutans CCT 3440, Lactobacillus acidophilus ATCC 4356, Candida albicans ATCC 36801 e 36802 utilizando-se o método de difusão em disco (MDD). O extrato de própolis será analisado para determinar a concentração inibitória mínima (CIM) e concentração bactericida mínima (CBM).O cromatograma mostrou a presença dos isoflavonoides daidzeina, liquiritigenina, pinobanksina, isoliquiritigenina, formononetina, pinocembrina e biochanina no extrato de PVB 500µg/mL. Com mais alta quantidade de liquiritigenina (6,20mg/mL), isoliquiritigenina (6,19mg/mL) e formononetina (6,90mg/mL). O percentual antioxidante do extrato de PVB foi marcadamente alto (0,5%). Foram obtidos fios dentais de PTFE recobertos com PVB. Os espectros FTIR mostraram que o pré-tratamento com por 5h é mais efetivo permitindo melhor impregnação do fio com o extrato de PVB. Os fios apresentaram capacidade antioxidante. Imagens em MEV mostram que a amostra não tratada apresentou uma superfície lisa. Após o tratamento com permanganato de potássio e ácido nítrico, a superfície se modifica mostrando-se mais porosa e com algumas fendas. O fio tratado e impregnado com PVB aparenta ter sido recoberto com uma substância que lhe conferiu uma superfície mais uniforme.A atividade antimicrobiana ainda será testada, entretanto, espera-se que os fios apresentem boa capacidade de ação anticariogênica. Com a metodologia desenvolvida até o momento, foi possível produzir um fio de PTFE revestido com PVB nas concentrações propostas nesse estudo. que possuem atividade antioxidante.


MEMBROS DA BANCA:
Externo(a) ao Programa - 2270025 - DAYSE ANDRADE ROMAO - nullPresidente - 1885138 - ISABEL CRISTINA CELERINO DE MORAES PORTO
Externo(a) à Instituição - JOSE MARCOS DOS SANTOS OLIVEIRA - CESMAC
Interno(a) - 3509820 - MARIA ALINE BARROS FIDELIS DE MOURA
Notícia cadastrada em: 29/01/2024 07:41
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 20/05/2024 00:36