PPGCF PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS Telefone/Ramal: (82) 32141792

Banca de QUALIFICAÇÃO: ELANE CONCEICAO DOS SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ELANE CONCEICAO DOS SANTOS
DATA : 18/02/2022
HORA: 08:30
LOCAL: Vìdeoconferência
TÍTULO:

ATIVIDADE IMUNOMODULADORA DA PRÓPOLIS VERMELHA DE ALAGOAS EM MACRÓFAGOS MURINOS ATIVADOS POR LIPOPOLISSACARÍDEO IN VITRO


PALAVRAS-CHAVES:

Própolis vermelha, macrófago, imunomodulação, isoliquirritigenina, formononetina.


PÁGINAS: 67
RESUMO:

A própolis vermelha de Alagoas (PVA) é uma resina natural, produzida pelas abelhas Apis mellifera a partir do exsudato vegetal (Dalbergia ecastophyllum), que possui diversas propriedades biológicas, incluindo-se a atividade anti-inflamatória. A inflamação é um mecanismo de resposta do organismo contra várias lesões; entretanto, esse processo exacerbado pode desencadear uma doença inflamatória e dano tecidual. Assim, a busca por novos agentes imunomoduladores naturais é necessária para o desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas que modulem o processo inflamatório. Dentro desse contexto, o objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial imunomodulador da PVA e dos seus constituintes isoliquirritigenina (ISL) e formononetina (FMT) em macrófagos murinos estimulados com lipopolissacarídeo (LPS) in vitro. Para isso, inicialmente, foi determinada a concentração máxima não tóxica (CMNT) do extrato hidroalcóolico (EH) da PVA, da ISL e da FMT em macrófagos murinos da linhagem J774A.1, a partir da análise de viabilidade celular pelo ensaio de MTT. Em seguida, as atividades imunomoduladoras do EH da PVA, ISL ou FMT foram avaliadas mediante o tratamento dos macrófagos estimulados com LPS sob diferentes condições experimentais. A expressão dos marcadores F4/80 e CD86 foi avaliada por citometria de fluxo multiparamétrica e a quantificação de citocinas pró e anti- inflamatórias foi avaliada pela metodologia de Cytometeric Bead Array (CBA) no sobrenadante de cultivo celular. A ativação de MAPKs (do inglês “mitogen-activated protein kinases”) foi avaliada pela análise da fosforilação das proteínas ERK1/2, p38 e JNK por citometria de fluxo intracelular. A expressão dos genes NOS2, Arg1, SOCS3, TGF-β, Lamp2, MIP-1α, Ccne1 foi avaliada por RT-qPCR. Foi observado que o tratamento com o EH da PVA reduziu a percentagem de células duplo positivas (F4/80+ CD86+), diminuiu a expressão da molécula de ativação CD86 e os níveis das citocinas pró-inflamatórias IL-6 e TNF. Além disso, um aumento na fosforilação de ERK1/2, p38 e JNK e diminuição da expressão de NOS2 e SOCS3 foram detectados 48h após o tratamento. O tratamento com ISL reduziu significativamente a frequência de células F4/80+ CD86+, diminuiu a expressão de CD86 e a fosforilação das proteínas ERK1/2 e p38. Ainda, verificou-se uma diminuição significativa da expressão dos genes NOS2 e SOCS3. Por outro lado, o tratamento com a FMT não reduziu a percentagem de células duplo-positivas (F4/80+ CD86+) em macrófagos murinos estimulados com LPS. Em conclusão, neste estudo, verificou-se uma promissora atividade imunomoduladora da PVA e do composto ISL em macrófagos murinos in vitro. Esses resultados podem contribuir para um maior entendimento da atividade imunomoduladora do PVA e de seus constituintes, favorecendo o desenvolvimento de novas terapias e intervenções imunológicas para o tratamento de doenças inflamatórias.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1612086 - ENIO JOSE BASSI
Interno - 1488396 - TICIANO GOMES DO NASCIMENTO
Externo à Instituição - Vinicius de Andrade Oliveira
Notícia cadastrada em: 10/02/2022 12:49
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-3.srv3inst1 19/05/2024 23:44