PPGCF PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS Telefone/Ramal: (82) 32141792

Banca de QUALIFICAÇÃO: LAYSE MARIA SOARES DE OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LAYSE MARIA SOARES DE OLIVEIRA
DATA : 22/06/2022
HORA: 09:30
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

IMPACTO DA CONCILIAÇÃO DE MEDICAMENTOS SOBRE DESFECHOS CLÍNICOS, HUMANÍSTICOS E ECONÔMICOS EM PACIENTES NÃO HOSPITALIZADOS


PALAVRAS-CHAVES:

Conciliação de medicamentos. Mortalidade. Custos do medicamento. Qualidade de vida.


PÁGINAS: 81
RESUMO:

Introdução: A conciliação de medicamentos corresponde ao serviço clínico multiprofissional componente do processo de transição de cuidados. Por meio dela, torna-se possível identificar e resolver potenciais problemas e discrepâncias na farmacoterapia, estando, portanto, entre as intervenções mais importantes que garantem a segurança do paciente. Entretanto, o impacto dessa intervenção sobre desfechos em saúde em pacientes não hospitalizados ainda é pouco conhecido. Objetivo: Avaliar a influência da conciliação de medicamentos sobre desfechos clínicos, econômicos e humanísticos em pacientes adultos não hospitalizados. Método: Foi realizada uma revisão sistemática de estudos que verificaram a associação entre a intervenção proposta e alguns desfechos clínicos, econômicos ou humanísticos publicados até julho de 2021, identificados a partir de busca nas bases de dados Cochrane Library, Embase, LILACS, Pubmed/Medline, Scopus, CINAHL e Web of Science. A estratégia de pesquisa envolveu as palavras com os termos MESH: Medication Reconciliation, Ambulatory care, Ambulatory care facilities, Primary Health Care, Community Pharmacy Services e não MESH: Mortality, Morbidity, Drug Costs, Quality of life e Quality-ajusted life years. Resultados: Foram identificados 6908 artigos, dos quais 28 estudos foram selecionados para leitura de texto completo. Ao final do processo de seleção, 13 estudos foram incluídos nesta revisão. Os estudos incluídos verificaram desfechos importantes e em grande parte deles, houve associação com a intervenção proposta. Seus delineamentos metodológicos são adequados em sua maioria, e a qualidade metodológica geral é moderada. Então, embora haja um número limitado de estudos, há uma evidência inicial importante de que a conciliação de medicamentos realizada em pacientes não hospitalizados pode afetar os desfechos em saúde. Conclusão: Até o momento, a literatura científica indica que a conciliação de medicamentos pode afetar determinados desfechos clínicos em saúde em pacientes não hospitalizados como readmissões hospitalares, visitas a unidade de urgência/emergência e mortalidade. Diante do limitado número de estudos e do uso de determinados desfechos, especialmente aqueles relacionados aos componentes econômicos e humanísticos – observa-se a necessidade de investigar o real impacto da conciliação de medicamentos em estudos adicionais.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1443982 - ALFREDO DIAS DE OLIVEIRA FILHO
Externa ao Programa - 3337886 - MARIA DAS GRACAS LEOPARDI GONCALVES
Interna - 1331191 - SABRINA JOANY FELIZARDO NEVES
Notícia cadastrada em: 20/06/2022 12:14
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-4.srv4inst1 19/05/2024 17:11