PPGCF PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS Telefone/Ramal: (82) 32141792

Banca de QUALIFICAÇÃO: HILDA CAROLINE DO NASCIMENTO SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HILDA CAROLINE DO NASCIMENTO SANTOS
DATA : 15/12/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

BIOPROSPECÇÃO DE PIGMENTOS DE FUNGOS DA ANTÁRTICA VISANDO À DESCOBERTA DE PROTÓTIPOS LEISHMANICIDAS


PALAVRAS-CHAVES:

Fungos antárticos, atividade leishmanicida, leishmaniose


PÁGINAS: 43
RESUMO:

A leishmaniose é uma doença negligenciada, infecciosa e não contagiosa que é causada por parasitos do gênero Leishmania. Há registros dela em todo o mundo, porém é endêmica em locais que possui uma maior precariedade de serviços de saúde. A Leishmania possui duas formas evolutivas: promastigota e amastigota, e duas manifestações clínicas principais: tegumentar e visceral, sendo esta última a de maior preocupação, pois, caso não seja tratada pode levar o paciente a óbito. Apesar da grande complexidade da doença, o arsenal terapêutico ainda é bastante limitado, tendo os antimoniais pentavalentes como primeira escolha e fármacos como anfotericina b e pentamidina como segunda escolha. Porém, essa terapia disponível no mercado apresenta efeitos adversos indesejáveis, além de uma significativa citotoxicidade e resistência parasitária. Diante desta problemática, o presente estudo avaliou extratos de fungos produtores de metabólitos secundários oriundos da Antártica, onde foi produzida a biomassa desses fungos, extração com solventes de acetato de etila e acetona, concentração do pigmento, secagem, diluição e testes de viabilidade celular (MTT) e de avaliação da atividade leishmanicida frente a forma promastigota e L. amazonensis e L. chagasi. Foram produzidos cinco extratos de leveduras (19L15, 4L2, 2L19, NL1 e GL19) e seis de fungos filamentosos (2EMP4, 3EMP4, 2FFLQ6, 4FFLQ2, 5YP4 e 1EMP1). Até o presente momento, foi realizado o ensaio de viabilidade celular e da avaliação leishmanicida dos cinco extratos de leveduras, nas concentrações de 100, 30, 10, 3, 1 e 0,3 µM, onde os extratos apresentaram um efeito citotóxico máximo de 40,54 ± 3,37%; 24,37 ± 3,66%; 29,09 ± 3,57%; 6,28 ± 1,00%; 22,98 ± 1,63%, respectivamente. Quando testados contra Leishmania, os extratos não apresentaram atividade para matar os parasitos. Na tentativa de encontrar novos candidatos a protótipos de fármacos leishmanicidas, novos experimentos deverão ser realizados com fungos filamentosos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno(a) - 2272670 - ALINE CAVALCANTI DE QUEIROZ
Externo(a) à Instituição - AMANDA EVELYN DA SILVA - UNESP
Interno(a) - 1358530 - MAGNA SUZANA ALEXANDRE MOREIRA
Notícia cadastrada em: 29/11/2022 14:37
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 19/05/2024 23:42