PPGCF PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS Telefone/Ramal: (82) 32141792

Banca de QUALIFICAÇÃO: SAULO VITOR SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SAULO VITOR SILVA
DATA : 03/03/2023
HORA: 15:00
LOCAL: Sala 205 do PPGCF
TÍTULO:

ESTUDO DE COMPATIBILIDADE E ESTABILIDADE TÉRMICA DA PRÓPOLIS VERMELHA ASSOCIADA A DIFERENTES EXCIPIENTES NA OBTENÇÃO DE MEMBRANAS POLIMÉRICAS


PALAVRAS-CHAVES:

Própolis vermelha, Membrana, Análise Térmica, Atividade Antioxidante


PÁGINAS: 88
RESUMO:

A própolis vermelha de Alagoas é uma resina pegajosa feita por uma mistura complexa de substâncias biologicamente ativas com grande potencial biotecnológico. Diversos estudos apontaram que extratos de própolis vermelha tem uma ampla variedade de atividades biológicas como antioxidante. Os ensaios de compatibilidade fármaco-excipiente é uma das fases mais fundamentais no processo de pesquisa de pré-formulação. Diante do exposto, esta pesquisa tem o objetivo de avaliar compatibilidade e estabilidade térmica da própolis vermelha associada a diferentes excipientes na obtenção de membranas poliméricas. O extrato etanólico de própolis vermelha por maceração. Foram realizados ensaios de quantificação do teor de compostos fenólicos, pelo método do reagente de Folin-Ciocalteu, e de flavonoides, pelo método com cloreto de alumínio, do EEPV. E realizada a investigação da atividade antioxidante do EEPV pelo método DPPH. Foram elaboradas as membranas sintéticas pelo método de evaporação do solvente. E foram analisadas as propriedades físico-químicas de estabilidade térmica das membranas, dos componentes, e das misturas binárias por Análise Termogravimétrica (TGA) e Análise Calorimétrica de Varredura Diferencial (DSC). Foi avaliado que o teor de compostos fenólicos totais foi de 208,0 mg EAG.g-1, e o teor de flavonoides totais foi de 45,3 mg EAG.g-1. A análise das atividades antioxidantes do EEPV pelo método DPPH variaram entre 59,36% e 88,31%. O perfil térmico obtido pelo TGA do EEPV apresentou 4 eventos de degradação térmica, nenhum foi sobreposto. O segundo evento (início: 82,01 °C, fim: 135,29 °C e perda de massa de 12,83%). As análises térmicas de termogravimetria (TGA) mostraram o benzoato de sódio como o excipiente mais estável. Segunda curva (início: 514,77 °C, fim: 562,11 °C e perda de massa de 44,79%). O propilenoglicol foi o excipiente menos estável. Seu segundo evento térmico (início: 117,43 °C, fim: 147,35 °C e perda de massa de 82,57%). As membranas e as misturas binárias foram obtidas com êxito e apresentaram aspecto uniforme. A membrana MX1 apresentou 7 eventos de degradação térmica, sendo que se apresentaram sobrepostos o 1º com o 2º, o 3º com o 4º, e o 6º com o 7º. O segundo evento térmico (início: 54,75 °C, fim: 104,48 °C e perda de massa de 15,88%). A curva de decomposição do EEPV por DSC apresentou dois eventos térmicos. O primeiro processo de transição foi endotérmico (início: 153,32 °C; fim: 364,35 °C; pico: 346,48 °C; entalpia: -152,62 J/g). A curva da mistura binária EEPV + benzoato de sódio apresentou 6 eventos térmicos. O primeiro evento foi endotérmico (início: 35,12 °C; fim: 79,85 °C; pico: 61,38 °C; entalpia: -36,04 J/g). A curva de decomposição da MX1 por DSC apresentou 4 processos de transição. Sendo o primeiro e o terceiro endotérmico, e o segundo e quarto exotérmico. O primeiro (início em 126,49 °C, final em 136,09, e entalpia de -21,53 J/g). Assim, o extrato etanólico própolis vermelha apresentou uma boa estabilidade térmica. E, dentre os excipientes, o benzoato de sódio foi o mais térmica mente estável. Em contrapartida, o propilenoglicolfoi o excipiente com menor estabilidade térmica. E todos os excipientes mostraram-se compatíveis com o extrato etanólico própolis vermelha. Todas as membranas foram obtidas com êxito, porém as análises termogravimétricas (TGA) determinaram que a MX1 tem uma melhor estabilidade térmica.



MEMBROS DA BANCA:
Interno(a) - 1553302 - IRINALDO DINIZ BASILIO JUNIOR
Interno(a) - 1488396 - TICIANO GOMES DO NASCIMENTO
Externo(a) ao Programa - 4425539 - JOSE RUI MACHADO REYS
Notícia cadastrada em: 24/02/2023 08:50
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 19/05/2024 18:25