PPGCF PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS Telefone/Ramal: (82) 32141792

Banca de DEFESA: ARIANA DA SILVA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ARIANA DA SILVA SANTOS
DATA : 24/03/2023
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 205 do PPGCF
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO FITOQUÍMICA E ANTIOXIDANTE DOS EXTRATOS HIDROALCÓOLICOS DE Moringa oleífera Lam EM DIFERENTES ÉPOCAS DE COLETA

 

 

PALAVRAS-CHAVES:

Moringa oleifera; marcadores fitoquímicos; variação sazonal; capacidade antioxidante.

 
 

PÁGINAS: 66
RESUMO:

A Moringa oleifera Lam. é uma hortaliça arbórea, pertencente à família moringaceae, de origem indiana, cultivada principalmente em lugares com climas tropicais secos em várias regiões do mundo. Devido a sua bioatividade, ganhou enorme atenção na última década, o que acarretou a elevada exploração e compreensão das suas funções farmacológicas e mecanismos subjacentes. O objetivo deste estudo consistiu caracterizar a composição de extratos hidroalcóolicos de Moringa oleífera Lam através de ensaios fitoquímicos, cromatográficos e atividade antioxidante obtidos em diferentes épocas de coleta. A coleta das amostras (pó e chá) foi realizada no Centro de Ciências Agrárias (CECA) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) em Rio Largo-AL (2019) e no povoado sítio salão no município Inhapi-AL. As amostras foram submetidas a extração hidroalcoólica. A metodologia adotada inclui Atividade antioxidante (DPPH), determinação do teor de flavonoides totais, determinação de Fenóis totais, análises de HPLC-DAD e LC-Orbitrap_ESI-FTMS. O ensaio da capacidade de sequestro de radicais DPPH das amostras 2019 Pó demostraram bons resultados com alta capacidade antioxidante para extrato MO50% (>85%), seguido dos extratos MO40% (>62%), extrato MO30% (30,42%) e extrato MO20% (21,33%), também sendo perceptível que a capacidade antioxidante foi concentração dependente. As amostras de extratos de MO pó coletadas em 2021 demostraram que os extratos coletados em junho, julho e agosto usando alta percentagem de álcool (50% e 75%) durante processo extrativo apresentou resultado de IC50 menor que 50 µg/mL. As amostras de MO chá coletadas em 2021 consolidou o estudo da atividade antioxidante, mostrando que extratos hidroalcoólicos com menor percentual de álcool (extrato MO25% chá), apresentou menor atividade antioxidante que os extratos com maior percentual de álcool utilizados na extração (MO50% chá e MO75% chá). As amostras de MO pó apresentaram maior capacidade antioxidante que as amostras MO chá. As amostras de MO pó exibiram teores totais de flavonoides significantes entre 1,14% a 2,35%, destacando-se os meses de junho pó 50% com 2,35% e agosto pó 75% com 2,00%, 1,14% agosto pó 50%, enquantos os meses de janeiro e fevereiro exibiram valores entre 0,67% e 0,98% de flavonpoides totais, respectivamente. A análise do teor de fenois totais demonstrou alto teor nos meses de sol intenso com valores de 13,39% e 8,38% para os meses de janeiro e fevereiro, respectivamente; enquanto que os meses de chuvas (junho, julho e agosto) apresentaram mínima variação com valores entre 5,39% (julho) e 5,78% (junho). O ensaio de LC-MS usando método dos padrões analítico identificou a presença dos flavonoides ácido caféico, ácido 2-coumárico, umbeliferona, ácido p-coumárico, vitexina, rutina, quercetina, kaempferol, luteolina, apigenina, pinocembrina em alta intesidades nas amostras de extrato de moringa fevereiro e julho pó 75%. O ensaio LC-MS também detectou a presença de isoquercitrina, quercetina 3-O-malonylglucoside (m/z 550.0927), kaempferol 3-O-(6´´-malonylglucoside) (m/z 489.1493) e kaempferol 3-O-glucoside (m/z 447.2616) conhecido como astragalina baseado em dados da literatura científica. De um modo geral a atividade antioxidante e o teor de flavonoides dos extratos de MO pó aumentaram nos meses de chuvas intensas (junho, julho e agosto), diminuindo significativamente nos meses com baixa precipitação. Enquanto o teor de fenois totais foram maiores nos meses de sol intenso e menores nos meses de chuvas. Os dados LC-MS corroboram esta informação com menores valores para ácido ferúlico e ácido caféico (amostra de fevereiro) e maiores valores de flavonóides (vitexina, rutina, quercetina, kaempferol, luteolina) na amostra de julho.


MEMBROS DA BANCA:
Externo(a) à Instituição - JOHNNATAN DUARTE DE FREITAS - IFAL
Interno(a) - 3509820 - MARIA ALINE BARROS FIDELIS DE MOURA
Interno(a) - 1488396 - TICIANO GOMES DO NASCIMENTO
Notícia cadastrada em: 16/03/2023 09:59
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-3.srv3inst1 19/05/2024 17:33