Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFAL

2019
Dissertações
1
  • CLEBSON ALEXSANDRO GAMA CAVALCANTI
  • A CONSTRUÇÃO E UTILIZAÇÃO DE MODELOS DIDÁTICOS NO ENSINO DE GENÉTICA MOLECULAR NA PERSPECTIVA INTERACIONISTA

  • Orientador : MELISSA FONTES LANDELL
  • Data: 19/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • O presente projeto apresenta como proposta de estudo a implantação e avaliação de práticas pedagógicas focadas na construção de modelos didáticos que sejam capazes de explicar fenômenos genéticos, consubstanciando, dessa forma, a teoria e a prática em uma perspectiva interacionista, fundamentada nas ideias de Vygotsky e na tentativa de contextualizar a genética, cujo objetivo é verificar, quantitativa e qualitativamente, se a construção e o uso de modelos didáticos contribuem para o desenvolvimento de aprendizagens significativas neste campo. Tomaremos como área de pesquisa a Escola Estadual Professor Joaquim Augusto de Noronha Filho, localizada no município dos Barreiros-PE, cujo público-alvo serão alunos do 3º ano do Ensino Médio. Serão selecionadas quatro turmas de terceiro ano, que serão submetidas a um questionário pré-teste e divididas em dois grupos: um grupo fará a construção e uso dos modelos didáticos e o outro não, sendo o grupo controle. Na sequência, os dois grupos serão submetidos às avaliações por meio de questionários pós-teste sobre os conteúdos de genética molecular envolvidos na pesquisa para análise de suas respostas e posterior comparação dos resultados quantificados, sendo possível mensurar se os objetivos propostos foram alcançados.

2
  • MARBYO JOSÉ DA SILVA
  • Biologia no Ensino Médio: uma proposta de ensino por meio da produção de games

  • Orientador : LETICIA RIBES DE LIMA
  • Data: 19/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • A utilização da Tecnologia Digital de Informação e Comunicação (TDIC) em sala de aula, com alunos do Ensino Médio, pode ser uma ferramenta que auxilia na motivação desses alunos e na melhoria do processo de ensino e aprendizagem de diferentes temas. Nesse contexto, esse trabalho teve como objetivo principal analisar estimular o desenvolvimento de um game por alunos do Ensino Médio, bem como analisar como sua produção contribuiu para uma melhor percepção das relações físicas e biológicas encontradas nos biomas Mata Atlântica e Caatinga. Esse trabalho foi desenvolvido sob uma perspectiva da Metodologia Ativa, na qual o aluno atua como protagonista do processo e o professor como mediador. A metodologia utilizada foi de cunho exploratório, qualitativa e a abordagem foi a de pesquisa-ação. Durante o trabalho, foi oferecido aos alunos um maior contato com a TDICs, além de facilitar e auxiliar no processo de ensino-aprendizagem de temas relacionados à Biologia, tendo em vista que os alunos tiveram posse de uma ferramenta a que estão mais familiarizados. A execução da presente pesquisa também buscou oferecer uma reflexão acerca da necessidade do professores incorporar as TDIC no contexto da sala aula a fim de minimizar algumas distâncias com entre a vida cotidiana do aluno. A coleta de dados foi efetuada durante todo o processo por meio de fotografias e diário de campo. Na análise dos dados foi realizada uma reflexão acerca do game produzido pelos alunos, buscando identificar os elementos inerentes ao conteúdo que o game deve retratar, bem como seu nível de complexidade. Foi observado que a construção do game pelos alunos permitiu uma maior interação e colaboração entre eles, além do desenvolvimento de novas habilidades como fazer resumos, manipular imagens, programar jogos.
     

3
  • FABIANA AGUIAR DE MATOS
  • SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS (SD): ELABORAÇÃO DE MODELOS DIDÁTICOS COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA NAS AULAS DE BIOLOGIA NO ENSINO MÉDIO

  • Orientador : DANIELE GONCALVES BEZERRA
  • Data: 03/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo buscou à construção de sequências didáticas, com conteúdo de Biologia Celular e elaboração de modelos didáticos pelos alunos, visando um melhor entendimento dos conceitos estudados pelos estudantes. Trata - se de um estudo demonstrativo – investigativo, essa metodologia consiste em demonstrar um fenômeno confrontando o conhecimento por meio de perguntas provocativas, construção de hipóteses e elaboração de modelos didáticos, possuindo caráter experimental, com coleta de dados e análise estatística descritiva, baseia-se na Pesquisa-ação. O presente trabalho foi desenvolvido em uma escola estadual da cidade de Paulo Afonso, na Bahia, especificamente com alunos do 1º ano do Ensino Médio. Os critérios escolhidos para a escolha do local da pesquisa foram: a) escola pública estadual; b) escola onde o professor/pesquisador leciona a disciplina de Biologia. Foi aplicada uma sequência didática intitulada Célula em duas turmas, cada uma com aproximadamente 26 alunos em média, com tamanho de amostra de 52 indivíduos, com faixa etária de 14 a 18 anos. Entretanto, uma dificuldade encontrada foi o alto índice de infrequência dos alunos e alguns abandonos o que fez flutuar essa amostra. A SD é constituída em cinco etapas sendo elas: 1) Avaliação diagnóstica, momento de buscar saber qual o grau de entendimento dos estudantes sobre o assunto que será abordado em sala de aula, 2) Exploração do conceito, hora de formular um problema ou uma questão a ser investigada 3) Levantamento de hipóteses, momento de fazer levantamento de informações sobre o assunto e formular hipóteses, para responder à problematização 4) Solução de problemas, momento de realização do experimento como forma de responder às hipóteses levantadas anteriormente, analisar os resultados e estabelecer conclusões; onde será realizada a elaboração do modelo didático e 5) Avaliação de aprendizagem, momento de verificação, pois em todo processo de aprendizagem, a avaliação é essencial. Assim, hipotetizamos que o uso da sequência didática auxilia na inter-relação professor-aluno, sendo uma estratégia eficiente no desenvolvimento de pensamento crítico nos alunos e estimula o potencial criativo com a confecção de material ou estratégias inovadoras para o ensino. O objetivo geral foi construir sequências didáticas (SD) onde haja elaboração de modelos didáticos como estratégia pedagógica nas aulas de biologia do 1º ano do ensino médio e como objetivo específicos focamos na aplicação de uma das sequências didáticas em duas turmas de biologia do 1º ano do ensino médio, verificar a aprendizagem dos alunos através de testes, fazer uma exposição dos modelos didáticos elaborados e criar uma cartilha com as sequências didáticas. Os resultados foram avaliados qualitativamente e representados por tabelas, revelando um impacto muito positivo da sequência didática na aprendizagem. Ao final do estudo observou-se que os alunos mostraram maior compreensão dos conceitos trabalhados, identificando estruturas básicas das células, de modo que foram beneficiados pelo uso de inovações didáticas em sala de aula contribuindo assim, com a melhoria no processo ensino- aprendizagem. Ademais, os modelos didáticos foram expostos na escola, para os alunos das outras turmas. Pretende-se também motivar os demais professores na dinamização de suas aulas permitindo o acesso aos modelos e à cartilha que foi confeccionada. Este estudo foi submetido à Plataforma Brasil/CEP para fins de pesquisa de campo, sendo aprovado sob parecer nº 2.648.847.

4
  • JAQUELINE MARIA NOGUEIRA TAVARES DA SILVA
  • SEQUÊNCIA DIDÁTICA: UM INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM NAS AULAS DE BOTÂNICA

  • Orientador : GILBERTO COSTA JUSTINO
  • Data: 10/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa foi motivada pelo fato de perceber que o estudo da Botânica não desperta o
    interesse da maioria dos discentes e o quanto isso tem relação com a prática dos docentes. É
    preciso discussões relevantes para a valorização do estudo botânico no currículo escolar. E a
    necessidade de se ter mecanismos que dinamize e fortaleça o ensino. O presente estudo tem
    por objetivo verificar as dificuldades encontradas pelos professores e estudantes da rede
    pública de ensino durante a abordagem do ensino de Botânica e testar a utilização da
    sequência didática como mecanismo para permitir um ambiente de reflexão da prática docente
    e facilitar o processo de aprendizagem do discente. A metodologia deste projeto de pesquisa
    apresentará uma abordagem quantitativa e qualitativa, quanto à natureza será do tipo aplicada,
    quanto aos fins é descritiva e quanto aos procedimentos terá caráter experimental. Será
    utilizado para este estudo a aplicação de questionários para fazer um diagnóstico das reais
    dificuldades encontradas pelos envolvidos no espaço escolar. E será testada a utilização de
    uma sequência didática com a finalidade de facilitar a assimilação dos conceitos botânicos
    pelos estudantes e acrescentar estratégias de ensino de Botânica na prática docente. E com
    isso haverá um ganho de conhecimento para a docência, contribuindo para melhoria do ensino
    na Educação Básica.

5
  • CAIO RODRIGO MOURA SANTOS
  • EXPERIMENTAÇÃO EM ECOLOGIA E CONSERVAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO EM ESCOLAS DE ÁREAS RURAIS NO NORDESTE DO BRASIL

  • Orientador : VANDICK DA SILVA BATISTA
  • Data: 24/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • O ensino de ecologia do ensino médio tem caminhado para uma abordagem cada vez mais superficial de conceitos e fenômenos, muitas vezes, bem distantes da realidade dos alunos. Isso acaba promovendo uma aprendizagem simplista desse conteúdo, dificultando a compreensão do funcionamento dos sistemas ecológicos de forma integrada e, consequentemente, gerando confusões conceituais e concepções ecológicas equivocadas. A presente proposta de pesquisa tem como objetivo propor e avaliar a utilização de experimentos em ecologia dentro de uma sequência didática para a melhoria do ensino de ecologia dos alunos de uma escola rural. Partindo de uma abordagem construtivista, iremos verificar a aprendizagem de alunos do ensino médio num contexto de escola rural sobre conteúdos de ecologia, buscando integrar o Conhecimento Ecológico Local (LEK) desses alunos à aprendizagem de conceitos científico. Dessa forma, iremos desenvolver experimentos em ecologia que possibilitem maior eficácia do ensino por meio da reflexão sobre os fatores ambientais que podem influenciar na viabilidade de espécies de plantas em sistemas agrícolas e sistemas naturais. Tais experimentos utilizarão conceitos básicos sobre dinâmica populacional aplicados em cultivos agrícolas para observar a viabilidade dessas populações in locu e realizar comparações com o desenvolvimento de comunidades ecológicas naturais, permitindo assim, uma abordagem integradora entre o homem e o ambiente.

6
  • ELAINE PAULA GONÇALVES ALENCAR
  • PENSAR BIOLOGICAMENTE É PENSAR EVOLUTIVAMENTE: jogo didático como facilitador da aprendizagem dos conhecimentos em Biologia Evolutiva e seleção natural, com base na Teoria da Aprendizagem Significativa.

  • Orientador : JORGE LUIZ LOPES DA SILVA
  • Data: 24/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • A razão da importância do estudo de Evolução está no fato de que o pensamento evolutivo é o eixo organizador do conhecimento biológico. A Evolução é o conteúdo central de toda a Biologia, sem o qual, ela não tem sentido. É necessário encontrar estratégias que transformem as aulas em algo mais atrativo e dinâmico para os alunos. Usando a perspectiva da Aprendizagem Significativa de David Ausubel, o conhecimento prévio do aluno deve interagir com os novos conceitos que serão construídos no âmbito da sala de aula. Esse trabalho propõe a confecção e teste de um jogo de tabuleiro pedagógico como estratégia de ensino, com alunos de 3º ano do Ensino Médio de uma escola pública estadual no município de Santana do Ipanema- AL. A estratégia será um jogo de tabuleiro intitulado “Pensar biologicamente é pensar evolutivamente”, onde os alunos representarão populações de serpentes que serão expostas às modificações do ambiente e terão suas populações alteradas quantitativamente. Esse jogo valorizará a integração da Evolução com fatos já conhecidos e assimilados pelos alunos, como facilitadores do ensino-aprendizagem, permitindo a fixação e assimilação dos conteúdos através de estratégia lúdica.

7
  • JOSEFA EVA DA SILVA
  • Ensino de Biologia e Educação Ambiental: Desenvolvendo estratégias didáticas no vale do riacho São José no Agreste do estado de Pernambuco

  • Orientador : JORGE LUIZ LOPES DA SILVA
  • Data: 26/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • O Vale do riacho São José situado nos municípios de Caetés, Paranatama, Pedra e Venturosa.
    agreste de Pernambuco, apresenta como principal cobertura vegetal o bioma da Caatinga, com
    registros de sítios paleontológicos e arqueológicos em sua calha ou proximidades. Diante dos
    problemas ambientais que a região atravessa, a proposta desse trabalho busca relacionar o
    ensino da Biologia à Educação Ambiental, para alunos do Ensino Médio da Escola Luiz
    Pereira Júnior no município de Caetés, numa perspectiva interdisciplinar, refletindo sobre a
    relação entre o ser humano e o meio ambiente, visto que a ação antrópica, de forma negativa,
    vem ameaçando a região, inclusive, provocando processos de arenização e desertificação na
    região do vale do riacho São José. Usando a metodologia da reflexão-ação e ensino pela
    pesquisa no trabalho a ser desenvolvido com os alunos, testará a percepção dos mesmos sobre
    o meio ambiente no qual eles também estão inseridos, e qual forma de minimizar os impactos
    negativos da ação humana, garantido a preservação do patrimônio natural e cultural da região
    para futuras gerações. Como motivação para o envolvimento dos alunos na atividade proposta
    o projeto inicia-se através de aulas de campo e a avaliação do desempenho será observada
    com a criação e organização de um espaço de exposição permanente, com temas ligados ao
    bioma da Caatinga e ao patrimônio cultural e científico, na escola produzidos pelos próprios
    alunos.

8
  • HERIKA DE OLIVEIRA PALMEIRA
  • PROPOSTA DE VISITA AO MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL DA UFAL: UMA ABORDAGEM TRANSVERSAL NO CONHECIMENTO EM CIÊNCIAS NATURAIS

  • Orientador : JORGE LUIZ LOPES DA SILVA
  • Data: 31/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Ambientes de educação não formal são propícios para o aprendizado e consolidação dos conhecimentos adquiridos dentro da escola. Por serem espaços alternativos demandam uma gama de informações científicas e pedagógicas pouco utilizadas pelos educadores em sua integralidade. Dentre esses espaços de “informalidade” destacamos os museus como nossa fonte de pesquisa e conhecimento. A proposta de desenvolvimento desse trabalho é unir esses ambientes de formação acadêmica aprimorando a proficiência dos estudantes no ensino de biologia no Museu de História Natural da Universidade Federal de Alagoas com a criação de um protocolo de visitação. Com isso, pretende-se tornar a escola e o museu parceiros em uma jornada de saber e interação constantes, tornando os conteúdos mais atrativos e motivadores, despertando a cultura científica ao mesmo tempo que valoriza o patrimônio científico e cultural do Estado de Alagoas.

9
  • JOÃO PAULO DA SILVA MOURA
  • Zoologia dos Vertebrados: Um Aspecto da Educação Ambiental.

  • Orientador : HILDA HELENA SOVIERZOSKI
  • Data: 31/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Há necessidade crescente de se trabalhar cientificamente o conhecimento que está presente na vida de cada um de nós, principalmente nos alunos das escolas públicas do Brasil. O Ensino de Biologia tem o papel de deixar de ser apenas mera transmissão de conhecimentos e levar a construção do intelecto e do pensamento criativo dos alunos. A ciência tem o papel de desenvolver o conhecimento para a vida. Nesse sentido, o ensino de Zoologia passa por diversos problemas. O presente projeto de pesquisa busca responder a questão: Como trabalhar de forma pertinente os conteúdos de Zoologia, especificamente a Zoologia dos Vertebrados no Ensino Médio, usando ferramentas pedagógicas atuais, como as lúdicas, partindo da vivência e da realidade local dos estudantes e pautada na Educação Ambiental? Este projeto de pesquisa tem o objetivo de analisar problemas relacionados ao Ensino de Zoologia dos Vertebrados no Ensino Médio, para propor o uso de metodologias didático-pedagógicas que visem uma melhor forma para o ensino destes conhecimentos dentro da disciplina Biologia. O público-alvo será de alunos do 2º ano do Ensino Médio, com faixa etária entre 14 e 17 anos, de uma escola pública da cidade de Paulo Afonso, no interior da Bahia, além de dez professores de Biologia de escolas públicas dessa mesma cidade. A investigação científica fará uso de estratégias didático-pedagógicas lúdicas, vivência dos estudantes e professores, conhecimentos da fauna local e conhecimentos de Educação Ambiental, tratando-se de uma pesquisa descritiva, com caráter qualitativo e que priorizará a pesquisa-ação, com coleta de dados através da aplicação de questionários e análise de conteúdo. Pretende-se trabalhar com uma turma controle e uma turma de experimentação, com relação aos alunos, em que o grupo controle participará de aulas tradicionais sobre a temática, enquanto o grupo de experimentação passará por atividades facilitadoras do processo ensino-aprendizagem e também trabalhará com o produto educacional. A contribuição desta pesquisa levará a construção de um produto educacional com metodologias exitosas de ensino da Zoologia dos Vertebrados, compiladas em forma de material textual, adaptadas para a sala de aula. Espera-se que favoreça atividades que coloquem o aluno como agente do seu próprio conhecimento e melhore o ensino desse tema, à luz da Educação Ambiental.

10
  • LUCINEIDE FAGUNDES DE LIMA
  • SEXUALIDADE NO ÂMBITO ESCOLAR: AÇÕES LÚDICAS NO PROCESSO DE
    EDUCAÇÃO SEXUAL

  • Orientador : OLAGIDE WAGNER DE CASTRO
  • Data: 31/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Discussões no âmbito escolar acerca de elementos que compõe a sexualidade são de
    extrema importância, em especial no ensino médio que dispõe de público adolescente que
    estão passando por abruptas alterações hormonais. Nesta fase da vida, aumenta a
    necessidade de orientação sexual qualificada, saudável e holística, abordando aspectos
    comportamentais, sociais e culturais. Dessa forma os anseios dos jovens, que por muitas
    vezes se escondem no íntimo do pensamento, gerando dúvidas poderão ser atendidas,
    discutidas e rediscutidas de forma mais ampla e satisfatória. O presente estudo busca dar
    suporte de forma lúdica a questionamentos delicados que ainda possam representar um
    tabu para muitos adolescentes, carentes de dialogo no âmbito familiar construindo muitas
    vezes conhecimento empírico equivocado o que pode expô-los a Infecções Sexualmente
    Transmissíveis (ISTs) e gravidez indesejada. Além disso, estas ações resultam em
    conscientização e passa a ser uma forma de disseminar a importância da orientação sexual
    na sala de aula, analisando o contexto histórico e social dos adolescentes que por natureza
    dispõe de conhecimentos que necessitam de orientação apropriada. Nesse sentido, o uso de
    metodologias que auxiliem no aprendizado do aluno é indispensável, sendo esta
    acompanhada e orientanda na construção de uma identidade sexual consciente,
    responsabilizando-se por suas ações e escolhas. Diante desse cenário, o presente estudo
    tem como objetivos desenvolver jogos lúdicos que serão realizados nas atividades de
    educação e orientação sexual, além de produzir um canal que propague as informações que
    serão trabalhadas sobre o tema sexualidade com professores, pais e alunos.

11
  • TÁCIA MICHELLE DOS SANTOS SILVA
  • METODOLOGIA ATIVA: UTILIZAÇÃO DE PROJETOS NO ENSINO MÉDIO

  • Orientador : LETICIA RIBES DE LIMA
  • Data: 31/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • A Iniciação Científica (IC) é o processo no qual é fornecido ao estudante um conjunto de técnicas e normas peculiares da Ciência. Nesse sentido, as ações são sistemáticas, pois se deseja a formação de habilidades de pesquisa, assim como a introdução de novos conhecimentos. A produção de projetos de pesquisa, idealizados e desenvolvidos pelos alunos, pode ser um dos meios de se trabalhar a Iniciação Científica no Ensino Médio. Nesse contexto, são utilizados os princípios da Metodologia Ativa, já que os alunos assumem o papel central no processo e atual como agentes ativos e reflexivos na produção do conhecimento. Na Biologia, a Botânica tem seu valor reconhecido, sendo essencial para a sobrevivência dos seres vivos, no entanto, diversos textos ressaltam a dificuldade no processo de ensino e aprendizagem dessa área da Ciência, utilizando diferentes argumentos para explicar essa dificuldade, como a não formação específica de professores, a complexidade dos conteúdos, a descontextualização com o cotidiano, a nomenclatura, entre outros, que geram pouco ou nenhum interesse por parte dos alunos. Diante do exposto, o trabalho teve por objetivo principal utilizar a pesquisa científica, por meio do desenvolvimento de projetos idealizados e executados por alunos do Ensino Médio, como meio de abordar temas relacionados à Botânica, indo ao encontro do que é preconizado pela Metodologia Ativa. A pesquisa foi desenvolvida em uma escola estadual de ensino integral e profissionalizante, na cidade de Teotônio Vilela (AL), com alunos dos três anos do Ensino Médio, dos diferentes gêneros. Foram, ao final do trabalho, desenvolvidos cinco projetos: Carpoteca, Plantas medicinais e tóxicas, Horta suspensa, Plantas ornamentais e um Blog. Percebeu-se uma melhora bastante acentuada no nível de interesse dos alunos pelo objeto de estudo e por conteúdos diretamente relacionados à Botânica. Durante todo o processo os alunos trabalharam com pesquisa, de modo que estiveram inseridos cotidianamente, na IC, desenvolvendo habilidades como protagonismo, liderança, autonomia, colaboração, cooperação, trabalho em equipe, resolução de problemas, gerenciamento de tempo, entre outras. Deste modo, acredita-se que se trata de uma metodologia que pode ser utilizada de modo bastante eficiente, especialmente, quando o objetivo maior é desenvolvimento de diferentes habilidades no indivíduo e não um conteúdo específico da disciplina. É importante ressaltar os desafios da carga horária, da descentralização da figura do professor e da dinâmica da escola e da sua coordenação pedagógica. 

12
  • HENRIQUE DE SOUZA AZEVEDO
  • ENSINO EXPLÍCITO DE BIOLOGIA: ESTRATÉGIA PARA O ENSINO MÉDIO

  • Orientador : DANIEL LEITE GOES GITAI
  • Data: 21/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • O Ensino Explícito é uma abordagem de ensino baseada na fragmentação do conhecimento a
    ser construído, iniciando do mais simples para o mais complexo, a fim de evitar a sobrecarga
    de informação, o que torna o ensino ineficaz. O presente estudo pretende analisar a viabilidade
    do Ensino Explícito como estratégia metodológica para o ensino de Biologia Celular na 1ª série
    do Ensino Médio em duas escolas estaduais, Tarcísio Soares Palmeira e Ana Lins, localizadas
    em São Miguel dos Campos/AL. Contudo, serão realizadas abordagem de tópicos de Biologia
    Celular para oito turmas de 25 alunos. Em quatro turmas o conteúdo será abordado através do
    Ensino Explícito enquanto nas outras quatro, grupo controle, utilizaremos a didática tradicional,
    no início de cada aula será aplicado um pré-teste, com questões objetivas e discursivas, para
    sondar os conhecimentos prévios dos estudantes sobre os conteúdos e, ao final, aplicar-se-á um
    pós-teste, cuja finalidade é verificar se houve aumento de conhecimento. Esse procedimento se
    repetirá na turma controle, uma vez que a comparação entre as duas turmas nos evidenciará
    resultados que podem corroborar ou refutar a hipótese de que o Ensino Explícito poderá
    aumentar potencialmente a aprendizagem dos conteúdos de Biologia. Os dados serão coletados
    e analisados utilizando o método misto de pesquisa, estabelecendo um mapeamento entre o
    antes e o depois da aplicação da aula, bem como o diagnóstico, a percepção, a participação, do
    aluno, suas interações, emoções e o processos de aquisição e retenção do conhecimento.

13
  • MAVIAEL LUCAS DA SILVA
  • A GAMIFICAÇÃO COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM CONTEMPORÂNEO EM AULAS DE BIOLOGIA DO ENSINO MÉDIO

  • Orientador : DANIELE GONCALVES BEZERRA
  • Data: 29/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • Este projeto de pesquisa oferece um conceito para o fenômeno da gamificação e analisa algumas formas de inserção da didática gamificada em ambientes educacionais como alternativa aos modelos tradicionais de ensino e aprendizagem, como aulas meramente expositivas, por exemplo. Atualmente a inserção de elementos advindos dos jogos é objeto de estudo de diversos segmentos desde o meio empresarial ao educacional e vem demonstrando-se uma grande aliada na melhoria dos processos envolvidos em todos os setores como engajamento, rendimento e motivação daqueles que estão submetidos à esse fenômeno. O presente estudo tem como objetivo utilizar a gamificação como ferramenta no processo de ensino e aprendizagem contemporâneo em aulas de biologia do ensino médio. A partir disso o presente trabalho busca, de forma qualitativa, experimentar meios educacionais gamificados dentro do contexto escolar como forma de aumentar rendimento dos estudantes em aulas de biologia no ensino médio. Espera-se que ao final do projeto haja um impacto direto sobre o rendimento do público alvo dessa pesquisa (estudantes), no que diz respeito ao engajamento, motivação, cooperação e consequentemente nas notas obtidas a cada bimestre.

SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2019 - UFAL - sig-appsrv-01.ufal.br.srv1inst1