PPGPP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO DE PLANTAS CAMPUS DE ENGENHARIA E CIÊNCIAS AGRÁRIAS Telefone/Ramal: 99963-8987

Banca de DEFESA: FERNANDA EMANUELLE MENDONCA DE MORAIS



Uma banca de DEFESA DE MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: FERNANDA EMANUELLE MENDONCA DE MORAIS
DATA: 28/02/2020
HORA: 13:30
LOCAL: Auditório Hamilton Soutinho
TÍTULO:

SELETIVIDADE DOS EXTRATOS ORGÂNICOS DE Annona muricata L. E Annona squamosa L.  AO PREDADOR Cryptolaemus montrouzieri Mulsant (Coleoptera: Coccinellidae)


RESUMO:

O controle biológico de insetos atua de forma equilibrada com o meio ambiente e mostra bastante eficiência quando combinado com outros métodos de controle. Estudos de seletividade de inseticidas botânicos sobre inimigos naturais são imprescindíveis para associar o controle biológico com o controle alternativo dentro do Manejo Integrado de Pragas (MIP). Dentre os agentes de controle biológico, do grupo predadores merecem destaque as espécies da família Coccinellidae, pois são conhecidos pela voracidade e por seu hábito alimentar generalista. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi avaliar a seletividade dos extratos de Annona muricata L. e Annona squamosa L. sobre o predador Cryptolaemus montrouzieri Mulsant, 1853 (Coleoptera: Coccinellidae). Para isso, foram realizados bioensaios com 7 tratamentos: o extrato etanólico de graviola (EEG 0,23 e 1,19%)e extrato etanólico de pinha(EEP 0,39 e 5,47%), o produto formulado a base de acetogenina Anosom® e o produto comercial Decis 25 EC® ambos testadosna dose recomendada pelo fabricante, além de uma testemunha. Os produtos testados foram classificados seguindo os padrões de seletividade do Grupo de Trabalho Internacional com Organismos Benéficos e Pesticidas da International Organization of Biological Control (IOBC). Na ação dos extratos por contato o EEG 0,23 e 1,19%, e o EEP 0,39%foram considerados inócuos as larvas de quarto ínstar e aos adultos do predador, diferente do tratamento com Decis 25 EC® (tratamento controle positivo) que foi nocivo ao predador. Para o efeito residual todos os tratamentos, exceto o Decis 25 EC®, foram inócuos a larvas e adultos de C. montrouzieri. Quanto a seletividade dos extratos por ingestão o EEG 0,23 e 1,19% e o EEP 0,39%foram classificados como inócuo as larvas e adultos do predador, assemelhando-se ao tratamento com o Anosom®, diferente do EEP 5,47% que causou mortalidade em 30% das larvas de quarto instar e 40% dos adultos tratados, sendo classificado como moderadamente nocivo. O EEG foi o único tratamento classificado como inócuo para as duas fases de desenvolvimento avaliadas, nos três bioensaios realizados, apresentando-se como uma forma de controle alternativo compatível com o agente de controle biológico de C. montrouzieri.


PALAVRAS-CHAVE:

Extratos botânicos, joaninhas, insetos benéficos, controle biológico


PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Fitossanidade
ESPECIALIDADE: Entomologia Agrícola

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2337920 - ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
Interno(a) - 3007246 - MAURICIO SILVA DE LIMA
Externo(a) à Instituição - WENDEL JOSÉ TELES PONTES - UFPE
Notícia cadastrada em: 27/02/2020 16:58
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 22/05/2024 03:10