PPGPP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO DE PLANTAS CAMPUS DE ENGENHARIA E CIÊNCIAS AGRÁRIAS Telefone/Ramal: (82) 3214-1307
Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFAL

2022
Dissertações
1
  • LARISSE ARAUJO DE ABREU
  • OCORRÊNCIA DE Colletotrichum spp. ASSOCIADAS A ERVAS-DE-PASSARINHO NO ESTADO DE ALAGOAS

  • Orientador : GAUS SILVESTRE DE ANDRADE LIMA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GAUS SILVESTRE DE ANDRADE LIMA
  • JAQUELINE FIGUEREDO DE OLIVEIRA COSTA
  • SARAH JACQUELINE CAVALCANTI DA SILVA
  • Data: 10/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • As plantas parasitas completam seu ciclo de vida associadas à hospedeira, podendo ser hemiparasitas ou holoparasitas. Muitas plantas parasitas pertencem à família Loranthaceae, ordem Santalales, sendo conhecidas popularmente por ervas-de-passarinho, que utilizam um órgão especializado, conhecido como haustório, para retirar dos seus hospedeiros água e sais minerais. As ervas-de-passarinho podem ser acometidas por doenças como a antracnose, causada por espécies do gênero Colletotrichum. O estudo das espécies de Colletotrichum que infectam plantas parasitas podem ser empregadas como alternativas para o controle biológico dessas plantas. Contudo, poucos estudos têm sido conduzidos com foco nessa temática. Diante do exposto, o objetivo do presente estudo foi identificar as espécies do gênero Colletotrichum em plantas parasitas nos municípios de Maceió e Rio Largo, Alagoas. Foram obtidos dez isolados de Colletotrichum a partir de plantas parasitas dos gêneros Psittacanthus e Struthanthus. Para caracterização cultural foram avaliadas a coloração das colônias e o crescimento micelial dos isolados a 25ºC em quatro meios de cultura diferentes, sendo eles BDA, SNA, fubá e aveia. Para caracterização morfológica, foram mensurados o comprimento e a largura de conídios. Os testes de patogenicidade foram realizados em folhas destacadas das respectivas hospedeiras, sendo que todos os isolados se mostraram patogênicos.


  • Mostrar Abstract
  • Parasitic plants complete their life cycle associated with the host, and may be hemiparasites or holoparasites. Many parasitic plants belong to the Loranthaceae family, order Santalales, and are popularly known as mistletoes, which use a specialized organ, known as a haustorium, to remove water and mineral salts from their hosts. The mistletoes can be affected by diseases such as anthracnose, caused by species of the genus Colletotrichum. The study of Colletotrichum species that infect parasitic plants can be used as alternatives for the biological control of these plants. However, few studies have been conducted focusing on this theme. Given the above, the objective of the present study was to identify the species of the genus Colletotrichum in parasitic plants in the municipalities of Maceió and Rio Largo, Alagoas. Ten isolates of Colletotrichum were obtained from parasitic plants of the genera Psittacanthus and Struthanthus. For cultural characterization, the colony color and the mycelial growth of the isolates were evaluated at 25ºC in four different culture media, namely BDA, SNA, cornmeal and oat. For morphological characterization, the length and width of conidia were measured. Pathogenicity tests were performed on leaves detached from the respective hosts, and all isolates proved to be pathogenic.

2
  • CESAR GONCALVES DOS SANTOS
  • INTERAÇÕES ENTRE Rhynchophorus palmarum LINNAEUS, 1758 (COLEOPTERA: CURCULIONIDAE) E Billaea rhynchophorae BLANCHARD, 1937 (DIPTERA: TACHINIDAE)

  • Orientador : ANTONIO EUZEBIO GOULART SANTANA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANTONIO EUZEBIO GOULART SANTANA
  • ELIO CESAR GUZZO
  • NIVIA DA SILVA DIAS PINI
  • Data: 28/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Rhynchophorus palmarum Linnaeus, 1758 (Coleoptera: Curculionidae) é a principal praga de arecáceas na região Neotropical, ocorre em vários estados brasileiros, atacando além das palmeiras, diversas culturas de importância econômica. No coqueiro e dendezeiro, causa danos diretos e indiretos, levando à redução da produtividade. Tendo em vista que não existe um produto químico registrado para combater essa praga, os métodos de controle mais eficientes são o cultural, o comportamental e o biológico. Moscas-parasitoide do gênero Billaea Robineau-Desvoidy, 1830 (Diptera: Tachinidae) vêm sendo utilizadas no controle de pragas de grandes culturas na América Latina, e no Brasil é registrado o parasitismo natural de Billaea spp. em plantações de dendê infestadas com R. palmarum, porém não existem estudos sobre a ecologia química desses inimigos naturais. Assim, o presente trabalho teve como objetivo identificar Compostos Orgânicos Voláteis (COVs) envolvidos na interação praga-parasitoide, bem como os compostos cuticulares de B. rhynchophorae Blanchard, 1937. A praga e o parasitoide foram coletados em plantações de dendê no estado da Bahia, transportados ao Laboratório de Pesquisa em Recursos Naturais (LPqRN) e acondicionados em BOD. A coleta dos voláteis de larvas de R. palmarum e estipe de dendezeiro foram obtidos através da técnica de headspace dinâmico, também foram feitas extrações cuticulares de diferentes partes de B. rhynchophorae por meio de solvente. Os extratos de headspace e cuticulares foram analisados e os compostos identificados por meio de Cromatografia Gasosa acoplada ao Detector de Ionização em Chama (CG-FID) e Cromatografia Gasosa acoplada à Espectrometria de Massas (CG-MS). As análises químicas revelaram a presença de 17 compostos nos extratos de aeração e sete (7) nos extratos cuticulares. Nos bioensaios de eletroantenografia, três compostos presentes no headspace foram ativos para fêmeas de B. rhynchophorae. Os compostos identificados nos extratos cuticulares são semelhantes entre as partes analisadas e pertencem à classe dos hidrocarbonetos.


  • Mostrar Abstract
  • Rhynchophorus palmarum Linnaeus, 1758 (Coleoptera: Curculionidae) is the main pest of arecaceae in the Neotropical region, occurring in several Brazilian states, attacking, in addition to palm trees, several cultures of economic importance. In coconut and oil palm, it causes direct and indirect damage, leading to reduced productivity. Considering that there is no chemical product registered to combat this pest, the most efficient control methods are cultural, behavioral and biological.  Parasitoid flies of the genus Billaea Robineau-Desvoidy, 1830 (Diptera: Tachinidae) have been used to control pests of large crops in Latin America, and in Brazil the natural parasitism of Billaea spp. in oil palm plantations infested with R. palmarum, but there are no studies on the chemical ecology of these natural enemies. Thus, the present work aimed to identify Volatile Organic Compounds (VOCs) involved in the pest-parasitoid interaction, as well as the cuticular compounds of B. rhynchophorae Blanchard, 1937. The pest and the parasitoid were collected in oil palm plantations in the state of Bahia, transported to the Natural Resources Research Laboratory (LPqRN) and packed in BOD. The collection of volatiles of R. palmarum larvae and oil palm stem were obtained through the dynamic headspace technique, cuticular extractions of different parts of B. rhynchophorae were also performed using solvent. The headspace and cuticular extracts were analyzed and the compounds identified by means of Gas Chromatography coupled to the Flame Ionization Detector (GC-FID) and Gas Chromatography coupled to Mass Spectrometry (GC-MS). Chemical analyzes revealed the presence of 17 compounds in the aeration extracts and seven (7) in the cuticular extracts. In the electroantenography bioassays, three compounds present in the headspace were active for B. rhynchophorae females. The compounds identified in the cuticular extracts are similar between the analyzed parts and belong to the hydrocarbon class.

Teses
1
  • DÉBORA CRISTINA DA SILVA
  • FUNGOS CAUSADORES DE PODRIDÕES PÓS-COLHEITA EM BANANAS E SEVERIDADE DA ANTRACNOSE EM UNIDADES DE BENEFICIAMENTO NO CARIRI CEARENSE

  • Orientador : KAMILA CÂMARA CORREIA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA PAULA OLIVEIRA DE BARROS
  • ALICE MARIA GONÇALVES SANTOS
  • GAUS SILVESTRE DE ANDRADE LIMA
  • KAMILA CÂMARA CORREIA
  • SARAH JACQUELINE CAVALCANTI DA SILVA
  • Data: 24/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A podridão da coroa e a antracnose são importante doenças da banana em nível mundial. Atualmente existe poucas informações sobre a etiologia da podridão da coroa, havendo a necessidade de identificação precisa dos seus agentes causais para a elaboração de medidas de manejo eficientes. Para a antracnose, diversos estudos sobre a etiologia e epidemiologia estão disponíveis. No entanto, não se conhece o comportamento dessa doença nas fases pós-colheita do fruto. Com isso, o presente trabalho teve como objetivo identificar as espécies de Nigrospora associadas a podridão da coroa e monitorar a severidade da antracnose em bananas coletadas em etapas de beneficiamento do fruto no Cariri cearense. Para identificar as espécies de Nigrosporas, isolados obtidos da coroa de bananas com sintomas de podridão, e com características morfológicas semelhantes ao gênero, foram submetidos ao processo de extração de DNA e sequenciamento da região ITS e dos genes TUB2 e EF1-α. Após a identificação, foi realizada a avaliação da patogenicidade e agressividade dos isolados. Com base na análise morfológica e genética, os isolados obtidos pertencem as espécies N. hainensis e N. lacticolonia. Todos os isolados induziram lesões necróticas nos frutos inoculados. Esse é primeiro relato de espécies de Nigrospora caracterizadas geneticamente associadas a podridões pós-colheita em banana. Para avaliar a severidade da antracnose, bananas foram coletadas em três etapas de beneficiamento pós-colheita em dois períodos do ano. As bananas foram colocadas em câmara úmida até o aparecimento dos sintomas e a severidade da doença foi avaliada com o auxílio de escala diagramática. Não houve diferença significativa entre os níveis de severidade da antracnose entre as amostragens dentro do mesmo período do ano. Por outro lado, houve diferença significativa nos níveis de severidade entre os períodos do ano e entre as etapas de beneficiamento pós-colheita. Na maioria das situações, a severidade da antracnose foi mais elevada no período úmido. Porém, não foi constatado um padrão nos níveis de severidade da doença nas diferentes etapas de beneficiamento. No Cariri cearense, N. lacticolonia é a espécie de Nigrospora com maior

    frequência associada a podridão da coroa e a severidade da antracnose nas etapas de beneficiamento pós-colheita estar associada às rotinas adotadas nas áreas de produção de banana.


  • Mostrar Abstract
  • Crown rot and anthracnose are important banana diseases worldwide. Currently, there is little information about the etiology of crown rot, and there is a need to accurately identify its causal agents for the development of efficient management measures. For anthracnose, several studies on the etiology and epidemiology are available. However, the behavior of this disease in the post-harvest phases of the fruit is not known. Thus, the present work aimed to identify the species of Nigrospora associated with crown rot and monitor the severity of anthracnose in bananas collected in fruit processing stages in Cariri, Ceará. To identify the species of Nigrosporas, isolates obtained from the crown of bananas with symptoms of rot, and with morphological characteristics similar to the genus, were submitted to the process of DNA extraction and sequencing of the ITS region and the TUB2 and EF1-α genes. After identification, the pathogenicity and aggressiveness of the isolates were evaluated. Based on morphological and genetic analysis, the isolates obtained belong to the species N. hainensis and N. lacticolonia. All isolates induced necrotic lesions in the inoculated fruits. This is the first report of a genetically characterized Nigrospora species associated with postharvest rot in bananas. To assess the severity of anthracnose, bananas were collected in three stages of post-harvest processing in two periods of the year. The bananas were placed in a humid chamber until the appearance of symptoms and the severity of the disease was evaluated with the aid of a diagrammatic scale. There was no significant difference between the levels of anthracnose severity between samples within the same period of the year. On the other hand, there was a significant difference in the severity levels between the periods of the year and between the post-harvest processing stages. In most situations, the severity of anthracnose was higher in the wet season. However, no pattern was found in the levels of disease severity in the different stages of processing. In Cariri Ceará, N. lacticolonia is the Nigrospora species most frequently associated with crown rot and the severity of anthracnose in the post-harvest processing stages is associated with the routines adopted in banana production areas.

2
  • EDSON FERREIRA DE LIMA
  • Aspectos bioecológicos de Zagreus bimaculosus (Mulsant) (Coleoptera: Coccinellidae) predador de cochonilhas de escamas e farinhentas.

  • Orientador : ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANTONIO EUZEBIO GOULART SANTANA
  • DOUGLAS RAFAEL E SILVA BARBOSA
  • EDMILSON SANTOS SILVA
  • Glaucilane dos Santos Cruz
  • MAURICIO SILVA DE LIMA
  • Data: 25/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Os coccinelídeos são um importante grupo de insetos que são conhecidos como joaninhas. Seu tamanho variado, de diversas colorações e manchas em seus élitros sejam traços ou máculas. O corpo tem formato mais ou menos oval com a superfície dorsal convexa e a ventral plana, por possuírem capacidade de se alimentar de uma ampla gama de insetos herbívoros como pulgões, cochonilhas, psilídeos, trips e larvas de lepidópteros, são excelentes agentes de controle biológico de diversas pragas em vários agroecossistemas. Dentre as diversas pragas que acometem as culturas, as cochonilhas pertencentes as famílias Diaspididae e Pseudococcidae popularmente conhecidas como cochonilhas de escamas e farinhentas, têm se destacado pelo fato de atacarem uma grande gama de plantas cultivadas, o que vem trazendo inúmeros prejuízos aos produtores. Considerando a potencialidade que os coccinelídeos têm como controladores biológicos desse grupo de insetos, este trabalho teve como objetivo principal comparar a biologia e a capacidade predatória de Z. bimaculosus, alimentando-se de Diaspis echinocacti e Planococcus citri, bem como testar a viabilidade do predador nas fases de larva de quarto ínstar e adulto sobre as cochonilhas farinhentas F. dasylirii (Cockerell) (Hemiptera: Pseudococcidae) e P. citri (Risso) (Hemiptera: Pseudococcidae). Para isso, foi feita a biologia comparada de Z. bimaculosus alimentando-se de duas presas diferentes D. echinocacti cochonilha de escamas e P. citri cochonilha farinhenta. Os resultados mostraram diferença em algumas variáveis biológicas, como o tempo de desenvolvimento sendo mais curto para os alimentados com D. echinocacti. No segundo experimento foi analisado a taxa de predação e a resposta funcional de larvas e adultos de Z. bimaculosus, frente a duas fases (ninfas e adultos) das cochonilhas farinhentas, F. dasylirii e P. citri, em ambos os experimentos tanto larvas quanto adultos de Z. bimaculosus apresentaram resposta funcional do tipo II, com relação ao tempo de manipulação esse tempo foi mais curto para adultos, quando comparado com as larvas. Os resultados desse trabalho demonstraram que Z. bimaculosus se apresenta como potencial controlador de cochonilhas Diaspididae e Pseudococcidae, uma vez que consegue completar seu ciclo e reproduzir com esses tipos de presas, indicando se tratar de um alimento ideal para esse predador. As respostas funcionais indicam que Z. bimaculosus é um predador eficiente para o controle dessas espécies decochonilhas.


  • Mostrar Abstract
  • Coccinellids are an important group of insects that are known as ladybugs. Its varied size, of different colors and stains on its elytra, whether traces or macules. The body has a more or less oval shape with a convex dorsal surface and a flat ventral surface, as they have the ability to feed on a wide range of herbivorous insects such as aphids, mealybugs, psyllids, thrips and lepidopteran larvae, they are excellent biological control agents. of various pests in various agroecosystems. Among the various pests that affect crops, mealybugs belonging to the Diaspididae and Pseudococcidae families, popularly known as scale and mealybugs, have stood out for the fact that they attack a wide range of cultivated plants, which has brought numerous losses to producers. Considering the potential that coccinellids have as biological controllers of this group of insects, the main objective of this work was to compare the biology and predatory capacity of Z. bimaculosus, feeding on Diaspis echinocacti and Planococcus citri, as well as to test the predator's viability in the fourth-instar and adult larval stages on mealybugs F. dasylirii (Cockerell) (Hemiptera: Pseudococcidae) and P. citri (Risso) (Hemiptera: Pseudococcidae). For this, the comparative biology of Z. bimaculosus feeding on two different preys, D. echinocacti scale mealybug and P. citri mealy mealybug, was performed. The results showed differences in some biological variables, such as the development time being shorter for those fed with D. echinocacti. In the second experiment, the predation rate and the functional response of larvae and adults of Z. bimaculosus were analyzed against two phases (nymphs and adults) of mealybugs, F. dasylirii and P. citri, in both experiments, both larvae and Z. bimaculosus adults showed a type II functional response, about handling time, this time was shorter for adults when compared to larvae. The results of this work showed that Z. bimaculosus presents itself as a potential controller of Diaspididae and Pseudococcidae mealybugs, since it can complete its cycle and reproduce with these types of prey, indicating that it is an ideal food for this predator. The functional responses indicate that Z. bimaculosus is an efficient predator for the control of these mealybug species.

3
  • RENATA PEREIRA DE LIMA
  • HISTÓRIA DE VIDA DE Tetranychus bastosi TUTTLE, BAKER & SALES, (ACARI: TETRANYCHIDAE) NO ESTADO DE ALAGOAS

  • Orientador : MARIANA OLIVEIRA BREDA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIANA OLIVEIRA BREDA
  • ELIO CESAR GUZZO
  • MAURICIO SILVA DE LIMA
  • ALICE MARIA NASCIMENTO DE ARAUJO
  • JOSE VARGAS DE OLIVEIRA
  • Data: 25/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Tetranychus bastosi (Tuttle, Baker & Sales), 1977 (Acari: Tetranychidae) foi descrito no estado do Ceará e até o presente momento a ocorrência dessa espécie é restrita ao Brasil. É um ácaro fitófago com registro em mais de 36 hospedeiros vegetais, incluindo espécies de importância agrícola. Dessa forma, os objetivos deste estudo foram relatar o primeiro registro da ocorrência de T. bastosi no estado de Alagoas, além de avaliar a história de vida de T. bastosi em diferentes hospedeiros. Em Alagoas, T. bastosi foi relatado pela primeira vez, infestando plantas de Turnera subulata L. e Ipomoea batatas L., ocasionando danos significativos. O crescimento populacional de T. bastosi mostrou valores positivos de 0,35 ± 0,02 e 0,21 ± 0,09 para I. batatas e para T. subulata, respectivamente, com diferenças significativas entre eles. Para o estudo da história de vida de T. bastosi foram avaliados os parâmetros duração e sobrevivência dos estágios imaturos, longevidade e fecundidade. A partir dos resultados, foram confeccionadas tabelas de vida de fertilidade para três espécies vegetais: Morus rubra L. considerado o primeiro hospedeiro para esse ácaro no Brasil; I. batatas, hospedeiro de primeiro relato no estado de Alagoas; e Psidium guajava L. hospedeiro de ocorrência relatada para o Nordeste brasileiro. Taxas instantâneas de crescimento (ri), preferência alimentar e de oviposição também foram avaliadas para T. bastosi. O período de incubação dos ovos de T. bastosi apresentou foi maior em M. rubra (5,9 dias) seguido por I. batatas (4,0 dias) e P. guajava (4,0 dias). O período larval mais longo foi observado em P. guajava (5,7 dias). As maiores durações dos estágios de protoninfa e deutoninfa foram observadas em P guajava (3 dias) e M. rubra (2,3 dias), respectivamente. O período mais longo de ovo a adulto de T. bastosi foi observado em I. batatas (30 dias). A maior longevidade de T. bastosi foi obsevada nos hospedeiros I. batatas e M. rubra (39,8 e 30,2 dias, respectivamente). T. bastosi mostrou maior taxa líquida (Ro) e maior duração média de uma geração (T) sobre M. rubra (13,0 e 21,3 dias), porém a maior capacidade inata de aumento populacional (rm) e taxa finita de aumento (λ) foram observadas sobre I. batatas (0,15 e 1,16). Os testes de preferência hospedeira indicaram que houve preferência de T. bastosi por P. guajava em todos os bioensios e períodos analisados, no entanto, não foi observada preferência para oviposição entre os hospedeiros. O crescimento populacional de T. bastosi mostrou valores positivos de ri 0,350 e 0,275 para I. batatas e M. rubra, respectivamente, porém um valor negativo foi observado para P. guajava (-0,082), indicando a inadequação hospedeira para T. bastosi.


  • Mostrar Abstract
  • Tetranychus bastosi (Tuttle, Baker & Sales), 1977 (Acari: Tetranychidae) was described in the state of Ceará and until now the occurrence of this species is restricted to Brazil. It is a phytophagous mite registered in more than 36 plant hosts, including species of agricultural importance. Thus, the objectives of this study were to report the first record of the occurrence of T. bastosi in the state of Alagoas, in addition to evaluating the life history of T. bastosi in different hosts. In Alagoas, T. bastosi was reported for the first time, infesting plants of Turnera subulata L. and Ipomoea batatas L., causing significant damage. The population growth of T. bastosi showed positive values of 0.35 ± 0.02 and 0.21 ± 0.09 for I. batatas and T. subulata, respectively, with significant differences between them. To the study of the life history of T. bastosi, the parameters duration and survival of immature stages, longevity and fecundity were evaluated. From the results, fertility life tables were prepared for three plant species: Morus rubra L. considered the first host for this mite in Brazil; I. batatas, first reported host in the state of Alagoas; and Psidium guajava L. a host reported for the Northeast of Brazil. Instantaneous rates of growth (ri), food preference and oviposition were also evaluated for T. bastosi. The incubation period of T. bastosi eggs was longer on M. rubra (5.9 days) followed by I. batatas (4.0 days) and P. guajava (4.0 days). The longest larval period was observed on P. guajava (5.7 days). The longest durations of the protonymph and deutonymph stages were observed in P guajava (3 days) and M. rubra (2.3 days), respectively. The longest period from egg to adult of T. bastosi was observed on I. batatas (30 days). The highest longevity of T. bastosi was observed on the hosts I. batatas and M. rubra (39.8 and 30.2 days, respectively). The mite T. bastosi showed the highest net rate (Ro) and longest mean duration of a generation (T) on M. rubra (13.0 and 21.3 days), but the highest innate capacity for population increase (rm) and finite rate of increase (λ) were observed on I. batatas (0.15 and 1.16). The host preference tests indicated that there was a preference of T. bastosi for P. guajava in all of the analyzed periods and bioassays, however, no preference was observed for oviposition among the hosts. The instantaneous rate of growth (ri) of T. bastosi showed positive values of 0.3509 ± 0.01 and 0.275 ± 0.012 for I. batatas and M. rubra, respectively, however a negative rate of -0,082± 0,02 was observed for the host P. guajava.

2021
Dissertações
1
  • ALESKA BATISTA DA SILVA
  • GESSO COMO AGENTE DISPERSANTE DE ÓLEO ESSENCIAL NO CONTROLE DE PRAGAS DE GRÃOS ARMAZENADOS

  • Orientador : ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
  • MARIANA OLIVEIRA BREDA
  • SOLANGE MARIA DE FRANÇA
  • Data: 30/03/2021

  • Mostrar Resumo
  • As pragas de grãos armazenados, dependendo do nível populacional, podem causar deterioração total dos produtos armazenados. O controle desses insetos-praga, geralmente é feito por meio de expurgo ou fumigação, porém estudos utilizando compostos secundários obtidos de plantas, principalmente com óleos essenciais e pós vegetais tem se expandido, devido a eficiência comprovada em pesquisas contra pragas de grãos armazenados. Entretanto, a sua utilização na prática, ainda é um desafio para a pesquisa, pois por ser volátil, se dispersa muito rápido perdendo o seu efeito com grande facilidade. Com isso, objetivou-se com este trabalho desenvolver um dispersante natural a base de gesso para facilitar a aplicação na prática do óleo essencial de Mentha piperita  no controle de adultos de Sitophilus zeamais Mots. 1763 (Coleoptera: Curculionidae). Cada dispersante foi preparado com uma mistura de 8,5g  de gesso em 5,5 mL de água, sendo moldados em fôrmas de alumínio de 0,3 x 0,2 x 0,1cm. As avaliações da eficiência do dispersante de gesso foram feitas pelos seguintes testes: de fumigação, em recipientes de vidro de 1,3 L de capacidade com 20 adultos de S. sitophilus, com até 15 dias de idade, não sexados, sendo avaliado com 48h a percentagem de mortalidade; e de repelência, em arenas compostas por três recipientes de vidro interligados linearmente, sendo nos recipientes das extremidades adicionados 20 g de grãos de milho, constituindo de um lado o recipiente sem o tratamento (testemunha) e no outro lado, os tratamentos e, no recipiente central foram liberados 16 adultos não sexados de S. zeamais com até 15 dias de idade. Após 48 h, os insetos contidos em cada recipiente foram quantificados, para a avaliação da repelência através da fórmula: I.R. = 2G / (G + P). Ainda foi avaliado a persistência dos efeitos fumigante e repelente do óleo essencial e do dispersante de gesso. No teste de fumigação, com o óleo essencial e o dispersante de gesso, foram estimadas as CL50 de 23,78; 34,32 e CL99 de 54,27; 79,28 μL 40g de grãos, respectivamente. Para o teste de contato apenas com o óleo essencial, as concentrações subletal e letal foram de (CL50) 25,84 e (CL99) 48,40 μL 40g de grãos, respectivamente. No teste de repelência, apenas a concentração de 26 μL foi repelente tanto para o óleo essencial quanto para o dispersante. Na avaliação da persistência, o efeito repelente e fumigante  do óleo essencial e do dispersante de gesso, foram de  15 e 24 dias; e 21 e 30 dias, respectivamente. Sendo assim, conclui-se que o dispersante de gesso se mostrou bastante promissor, pois apresenta efeito fumigante e repelente contra S. zeamais, e contribuiu para uma maior persistência quando comparado a aplicação do óleo sem o dispersante. Esse resultado, é inovador na área de controle alternativo com pragas de grãos armazenados.


  • Mostrar Abstract
  • The stored grain pests, depending on the population level, can cause total deterioration of the products. The control of these pest insects is usually done through purge or fumigation, but studies using secondary compounds obtained from plants, mainly with essential oils and vegetable powders, have expanded, due to the proven efficiency in research of these against stored grain pests. However, its use in practice is still a challenge for research, as it is volatile, it disperses very quickly, losing its effect with great ease. Thus, the objective of this work was to develop a natural dispersant based on plaster to facilitate the application in practice of the essential oil of Mentha piperita in the control of adults of Sitophilus zeamais Mots. 1763 (Coleoptera: Curculionidae). Each dispersant was prepared with a mixture of 8.5 g of plaster in 5.5 ml of water, being molded in aluminum forms of 0.3 x 0.2 x 0.1 cm. The evaluations of the efficiency of the plaster dispersant were made by the following tests: of fumigation in glass containers of 1.3 L of capacity with 20 adults of S. sitophilus, up to 15 days of age, not sexed, being evaluated with 48h at percentage of mortality; and repellency, in arenas made up of three linearly interconnected glass containers, with 20 g of corn kernels being added to the end containers, constituting the container without treatment (control) on one side and on the other side, the treatments and, in the central container, 16 non-sexed adults of S. zeamais up to 15 days of age were released. After 48 h, the insects contained in each container were quantified, for the evaluation of repellency using the formula: I.R. = 2G / (G + P). The treatments and, in the central container, 16 non-sexed adults of S. zeamais up to 15 days old were released. After 48 h, the insects contained in each container were quantified, for the evaluation of repellency using the formula: I.R. = 2G / (G + P). The persistence of the fumigant and repellent effects of essential oil and plaster dispersant was also evaluated. In the fumigation test, with essential oil and plaster dispersant, the LC50 was estimated at 23.78; 34.32 and CL99 of 54.27; 79.28 μL 40g of grains, respectively. For the contact test with essential oil only, the sublethal and lethal concentrations were (CL50) 25.84 and (CL99) 48.40 μL 40g of grains, respectively. For the contact test with essential oil only, the sublethal and lethal concentrations were (CL50) 25.84 and (CL99) 48.40 μL 40g of grains, respectively. In the repellency test, only the concentration of 26 μL was repellent for both the essential oil and the dispersant. In the assessment of persistence, the repellent and fumigant effect of essential oil and plaster dispersant were 15 and 24 days, and 21 and 30 days, respectively. Thus, it is concluded that the plaster dispersant proved to be quite promising, as it has a fumigant and repellent effect against S. zeamais, and contributed to a greater persistence when compared to the application of oil without the dispersant. This result is innovative in the area of alternative control with stored grain pests.

2
  • ROMARIO GUIMARAES VERCOSA DE ARAUJO
  • INDUÇÃO DE RESISTÊNCIA A Colletotrichum truncatum EM Phaseolus lunatus POR BACTÉRIAS FIXADORAS DE NITROGÊNIO

     

  • Orientador : GILDEMBERG AMORIM LEAL JUNIOR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GILDEMBERG AMORIM LEAL JUNIOR
  • MARIA DE FATIMA SILVA MUNIZ
  • TANIA MARTA CARVALHO DOS SANTOS
  • Data: 06/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • Os mecanismos de defesa das plantas são ativados quando desafiados com o agente causal da doença. Os processos de defesa induzidos podem ser de dois tipos: resistência sistêmica adquirida (SAR) e resistência sistêmica induzida (ISR). O SAR é ativado por fatores bióticos e abióticos e o ISR é ativado por microrganismos presentes na rizosfera. As bactérias fixadoras de nitrogênio são simbiontes das raízes que fornecem nitrogênio as leguminosas. A interação envolve a supressão do sistema de defesa da planta, mas há relatos de efeitos associados a indução de resistência a alguns patógenos. Com isso, objetivou-se avaliar a contribuição da simbiose na resistência do P. lunatus à antracnose. Foram isoladas espécies de bactérias fixadoras de nitrogênio de nódulos obtidos de infecção espontânea de 19 genótipos de P. lunatus. As bactérias isoladas foram caracterizadas morfologicamente. Foram selecionadas duas estirpes rizobiais, sendo uma com alto potencial nodulífero (CECA R19) e uma com baixa capacidade nodulífera (CECA R01). Os isolados bacterianos foram inoculados em 4 genótipos de fava com as seguintes características: F1CGG (alta taxa de nodulação e resistente a antracnose); RTKC (alta taxa de nodulação e suscetível a antracnose); PCGG (baixa taxa de nodulação e resistente a antracnose); FFG (baixa taxa de nodulação e suscetível a antracnose) e comparados com o tratamento controle e o tratamento onde foi fornecido nitrogênio mineral (correspondente a 50 kg ha-1 de N). Foi verificado que as plantas inoculadas com os isolados CECA R01, CECA R19 e as plantas adubadas com nitrogênio mineral apresentaram menor severidade nos sintomas de antracnose aos 3 e 5 dias após a inoculação, além de apresentar maior biomassa e matéria seca da parte aérea quando comparadas ao tratamento controle. Ao final da avaliação as plantas adubadas com nitrogênio mineral e as inoculadas com as estirpes CECA R01 CECA R19 foram classificadas como moderadamente resistente e as plantas do tratamento controle como moderadamente suscetíveis.


  • Mostrar Abstract
  • Plant defense mechanisms are activated when challenged with the causative agent of the disease. Induced defense processes can be of two types: acquired systemic resistance (SAR) and induced systemic resistance (ISR). SAR is activated by biotic and abiotic factors and ISR is activated by microorganisms present in the rhizosphere. Nitrogen-fixing bacteria are symbionts of the roots that supply nitrogen to legumes. The interaction involves the suppression of the plant's defense system, but there are reports of effects associated with the induction of resistance to some pathogens. Thus, the objective was to evaluate the contribution of symbiosis in the resistance of P. lunatus to anthracnose. Species of nitrogen-fixing bacteria were isolated from nodules obtained from spontaneous infection of 19 P. lunatus genotypes. The isolated bacteria were morphologically characterized. Two rhizobial strains were selected, one with high nodule potential (CECA R19) and one with low nodule capacity (CECA R01). The bacterial isolates were inoculated into 4 broad bean genotypes with the following characteristics: F1CGG (high nodulation rate and resistant to anthracnose); RTKC (high nodulation rate and susceptible to anthracnose); PCGG (low nodulation rate and resistant to anthracnose); FFG (low nodulation rate and susceptible to anthracnose) and compared with the control treatment and the treatment where mineral nitrogen was supplied (corresponding to 50 kg ha-1 of N). It was found that plants inoculated with isolates CECA R01, CECA R19 and plants fertilized with mineral nitrogen showed less severity of anthracnose symptoms at 3 and 5 days after inoculation, in addition to presenting higher biomass and dry matter of the aerial part when compared to the control treatment. At the end of the evaluation, the plants fertilized with mineral nitrogen and those inoculated with the strains CECA R01 CECA R19 were classified as moderately resistant and the plants of the control treatment as moderately susceptible.

3
  • DIEGO JORGE DA SILVA
  • Aspectos bioecológicos de Billaea rhynchophorae (Blanchard, 1937) (Diptera: Tachinidae), visando o estabelecimento de um método de criação em laboratório

  • Orientador : ELIO CESAR GUZZO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ELIO CESAR GUZZO
  • MAURICIO SILVA DE LIMA
  • ALDOMARIO SANTO NEGRISOLI JUNIOR
  • Data: 26/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • Coconut (Cocos nucifera L.) is a crop of great economic importance due to the consumption of fruits and derivatives, but it is currently being attacked by several pests, mainly by Rhynchophorus palmarum L., 1764 (Coleoptera: Curculionidae), which causes direct and indirect damage. One form of control is the use of traps with the species' pheromone, contributing to the decline of the population in the field. New studies with parasitoid insects of the genus Billaea (Robineau-Desvoidy, 1830) (Diptera: Tachinidae) may contribute to the control of R. palmarum and other beetles. The objective of this work was to evaluate different food sources on the survival and parasitism of B. rhynchophorae in R. palmarum larvae. The collections of larvae and pupae of the parasitoid and flowering plants were carried out in oil palm plantations in the municipalities of Jaguaripe and Taperoá, both located in the state of Bahia, and sent to the laboratory. To assess the longevity of B. rhynchophorae, two trials were carried out: in the first, I) sugarcane stalks; II) chamomile Matricaria chamomilla L. (Asteraceae) flowers; III) palm Adonidia merrillii Becc. (Arecaceae) flowers and in the second, I) 20% honey; II) 33% sucrose solution; III) 3g of bee pollen. As for the natural parasitism, flies aged between 24 and 48 hours were used, to which larvae of R. palmarum were offered, and the viability of planidia was also evaluated through the following ages of the flies 8, 10, 12 and 14 days old. The experiment of the influence of food sources was carried out in a completely randomized design. In all experiments, the means obtained in the different treatments were submitted to analysis of variance and, when necessary, compared to each other by Tukey's test at 5% significance, using the statistical program SASM-Agri. All plants collected in oil palms were identified, among them Ageratum conyzoides and A. uliginosa are two species belonging to the Asteraceae family, the same family as chamomile, M. chamomilla, the species used in this work as a food source for the parasitoids. However, in the first trial it was found that sugarcane differed statistically from palm flower and chamomile flower. In the second experiment, it could be verified that pollen and 20% honey differed from 33% sucrose. In the evaluation of natural parasitism, none of the treatments (palm flower, chamomile flower and sugarcane) provided sexual maturation of the flies, and planidia viability in the different days of age of the parasitoid. Therefore, the food sources sugarcane, 20% honey and bee pollen favored a greater mean longevity of B. rhynchophorae, however, sugarcane, palm flower and chamomile flower did not contribute to sexual maturation, as well as the viability of planidia in the different days of evaluation.


  • Mostrar Abstract
  • Coconut (Cocos nucifera L.) is a crop of great economic importance due to the consumption of fruits and derivatives, but it is currently being attacked by several pests, mainly by Rhynchophorus palmarum L., 1764 (Coleoptera: Curculionidae), which causes direct and indirect damage. One form of control is the use of traps with the species' pheromone, contributing to the decline of the population in the field. New studies with parasitoid insects of the genus Billaea (Robineau-Desvoidy, 1830) (Diptera: Tachinidae) may contribute to the control of R. palmarum and other beetles. The objective of this work was to evaluate different food sources on the survival and parasitism of B. rhynchophorae in R. palmarum larvae. The collections of larvae and pupae of the parasitoid and flowering plants were carried out in oil palm plantations in the municipalities of Jaguaripe and Taperoá, both located in the state of Bahia, and sent to the laboratory. To assess the longevity of B. rhynchophorae, two trials were carried out: in the first, I) sugarcane stalks; II) chamomile Matricaria chamomilla L. (Asteraceae) flowers; III) palm Adonidia merrillii Becc. (Arecaceae) flowers and in the second, I) 20% honey; II) 33% sucrose solution; III) 3g of bee pollen. As for the natural parasitism, flies aged between 24 and 48 hours were used, to which larvae of R. palmarum were offered, and the viability of planidia was also evaluated through the following ages of the flies 8, 10, 12 and 14 days old. The experiment of the influence of food sources was carried out in a completely randomized design. In all experiments, the means obtained in the different treatments were submitted to analysis of variance and, when necessary, compared to each other by Tukey's test at 5% significance, using the statistical program SASM-Agri. All plants collected in oil palms were identified, among them Ageratum conyzoides and A. uliginosa are two species belonging to the Asteraceae family, the same family as chamomile, M. chamomilla, the species used in this work as a food source for the parasitoids. However, in the first trial it was found that sugarcane differed statistically from palm flower and chamomile flower. In the second experiment, it could be verified that pollen and 20% honey differed from 33% sucrose. In the evaluation of natural parasitism, none of the treatments (palm flower, chamomile flower and sugarcane) provided sexual maturation of the flies, and planidia viability in the different days of age of the parasitoid. Therefore, the food sources sugarcane, 20% honey and bee pollen favored a greater mean longevity of B. rhynchophorae, however, sugarcane, palm flower and chamomile flower did not contribute to sexual maturation, as well as the viability of planidia in the different days of evaluation.

4
  • TAMARA TAIS DOS SANTOS
  • Aspectos biológicos do parasitoide Billaea rhynchophorae (Blanchard, 1937) (Diptera: Tachinidae) no hospedeiro Rhynchophorus palmarum (L., 1758) (Coleoptera: Curculionidae)

  • Orientador : ELIO CESAR GUZZO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALDOMARIO SANTO NEGRISOLI JUNIOR
  • ELIO CESAR GUZZO
  • MAURICIO SILVA DE LIMA
  • Data: 27/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • A espécie Rhynchophorus palmarum (L., 1758) (Coleoptera: Curculionidae), com ocorrência em quase toda a região tropical do planeta, é considerada a principal praga do coqueiro (Cocos nucifera L.) e dendezeiro (Elaeis guineensis Jacq.). Os taquinídeos são dípteros entomófagos muito importantes no parasitismo de brocas na América, compreendendo várias espécies catalogadas como parasitoides, as quais são utilizadas para o controle biológico de insetos nocivos. Apesar da primeira detecção das moscas parasitoides do gênero Billaea sobre R. palmarum ter ocorrido há mais de 20 anos, até hoje não existe informação detalhada sobre sua biologia. O objetivo do presente estudo foi conhecer os aspectos biológicos de Billaea rhynchophorae (Blanchard, 1937) (Diptera: Tachinidae), para auxiliar no desenvolvimento de estratégias que possam ser utilizadas no controle de R. palmarum e possivelmente de outras pragas relacionadas. Os parasitoides foram coletados, em plantações de dendezeiros, seu ambiente de ocorrência natural. As coletas foram realizadas em setembro/2019, dezembro/2019 e novembro/2020 em Jaguaripe e Taperoá, no sul do estado da Bahia. Os casulos de R. palmarum com a presença de larvas e pupários de B. rhynchophorae, bem como larvas e pupas (vivas e mortas) possivelmente parasitadas e adultos do hospedeiro, foram transportadas ao Laboratório de Entomologia da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Unidade de Execução de Pesquisa e Desenvolvimento de Rio Largo, AL, onde o restante do trabalho foi conduzido. Conforme a emergência dos parasitoides, as moscas eram distribuídas em gaiolas de madeira e alimentadas com plantas nectáreas de camomila (Matricaria chamomilla L). Foram avaliados os seguintes parâmetros: índice de parasitismo, viabilidade pupal, duração pupal, peso, comprimento e diâmetro dos pupários, razão sexual, longevidade dos insetos adultos, número e comprimento de planídios. As médias foram submetidas à análise de variância e comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade, usando-se o programa SASM–Agri. A porcentagem de parasitismo de B. rhynchophorae em setembro/2019 diferiu estatisticamente das demais coletas realizadas, apresentando picos de parasitismos com mais de 60% em dezembro/2019 e novembro/2020. Em laboratório a viabilidade média das pupas trazidas do campo foi de 41,83%, com média de duração pupal de 45,54 ± 0,27. A razão sexual das moscas parasitoides foi de 0,59, com longevidade média de 8,61 ± 0,18 dias, não havendo diferença significativa entre a longevidade de machos e fêmeas. Com o presente estudo foi possível conhecer alguns dos aspectos biológicos do parasitoide em laboratório, servindo como subsídio para realização de estudos voltados a sua conservação ou introdução nos sistemas agrícolas, como estratégia de controle biológico para R. palmarum.


  • Mostrar Abstract
  • The species Rhynchophorus palmarum (L., 1758) (Coleoptera: Curculionidae), occurring in almost the entire tropical region of the planet, is considered the main pest of coconut (Cocos nucifera L.) and oil palm (Elaeis guineensis Jacq.). Tachinids are very important entomophagous dipterans in the parasitism of borers in America, comprising several species cataloged as parasitoids, which are used for the biological control of harmful insects. Although the first detection of parasitoid flies of the genus Billaea on R. palmarum occurred more than 20 years ago, to date, there is no detailed information about its biology. The aim of this study was to understand the biological aspects of Billaea rhynchophorae (Blanchard, 1937) (Diptera: Tachinidae), to help develop strategies that can be used to control R. palmarum and possibly other related pests. The parasitoids were collected in oil palm plantations, their naturally occurring environment. The collections were carried out in September/2019, December/2019 and November/2020 in Jaguaripe and Taperoá, in the south of the state of Bahia. The cocoons of R. palmarum with the presence of larvae and pupae of B. rhynchophorae, as well as larvae and pupae (live and dead) possibly parasitized and adults of the host were transported to the Entomology Laboratory of Embrapa Tabuleiros Costeiros, Unidade de Execução de Pesquisa e Desenvolvimento de Rio Largo, AL, where the rest of the work was conducted. According to the emergence of the parasitoids, the flies were distributed in wooden cages and fed with the nectarous plant chamomile (Matricaria chamomilla L). The following parameters were evaluated: parasitism index, pupal viability, pupal duration, weight, length and diameter of puparia, sex ratio, longevity of adult insects, number and length of planidia. The means were submitted to analysis of variance and compared by Tukey test at 5% probability, using the SASM–Agri program. The percentage of parasitism of B. rhynchophorae in September/2019 differed statistically from the other collections carried out, with parasitism peaks of more than 60% in December/2019 and November/2020. In laboratory, the mean viability of pupae brought from the field was 41.83%, with mean pupal duration of 45.54 ± 0.27. The sex ratio of the parasitoid flies was 0.59, with a mean longevity of 8.61 ± 0.18 days, with no significant difference between the longevity of males and females. With this study, it was possible to know some of the biological aspects of the parasitoid in the laboratory, serving as a subsidy for carrying out studies aimed at its conservation or introduction into agricultural systems, as a biological control strategy for R. palmarum.

5
  • ALVERLAN DA SILVA ARAÚJO
  • Reação de plantas daninhas a Pratylenchus coffeae

  • Orientador : MARIA DE FATIMA SILVA MUNIZ
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA DE FATIMA SILVA MUNIZ
  • EDNA PEIXOTO DA ROCHA AMORIM
  • MARCELO DE MENEZES CRUZ
  • JAQUELINE FIGUEREDO DE OLIVEIRA COSTA
  • Data: 27/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • Dentre os problemas fitossanitários que afetam a cultura do inhame (Dioscorea sp.) no Brasil, a casca-preta destaca-se como o mais importante, afetando rizóforos comerciais e sementes, tendo como agentes causais da doença os nematoides Scutellonema bradys, Pratylenchus coffeae e P. brachyurus.  O objetivo do presente trabalho foi avaliar a reação de espécies de plantas daninhas a P. coffeae. Dois ensaios foram conduzidos em casa de vegetação em delineamento inteiramente casualizado, com 11 tratamentos, representados por 10 espécies de plantas daninhas e uma testemunha (Dioscorea sp.) e oito repetições. As plantas foram inoculadas com 2.000 espécimes de nematoides. Após 60 dias da inoculação, as populações do nematoide foram avaliadas no sistema radicular e em 100 cm3 de solo. A viabilidade do inóculo foi comprovada em ambos os experimentos a partir do fator de reprodução da testemunha (Dioscorea sp.) (FR=0,710 e 3,09 respectivamente). Ricinus communis e Macroptilium lathyroides apresentaram comportamento similar, com fator de reprodução FR < 1 no primeiro experimento e FR> 1 no segundo As espécies Chonopodium album, Amaranthus sp., Panicum maximum, Eleusine indica, Senna occidentalis, Emilia coccínea, Euphorbia hyssopifolia e Richardia brasiliensis, diferiram estatisticamente da testemunha para as variáveis avaliadas, apresentando FR<1 e comportando-se como resistentes em ambos os ensaios. Infere-se que as espécies R. communis e M. lathyroides possuem grande potencial para atuarem como importantes reservatórios e fontes de inóculo de P. coffeae. Não há registros na literatura da espécie M. lathyroides como hospedeira do referido nematoide.


  • Mostrar Abstract
  • Among the phytosanitary problems that affect the yam (Dioscorea sp.) crop in Brazil, dry rot disease stands out as the most important, affecting commercial rhizophores and seeds, having as causal agents the nematodes Scutellonema bradys, Pratylenchus coffeae and P. brachyurus. The objective of the present work was to evaluate the reaction of weed species to P. coffeae. Two trials were carried out in a greenhouse in a completely randomized design, with 11 treatments, represented by 10 weed species and the control (Dioscorea sp.) and eight replications. Plants were inoculated with 2,000 nematode specimens. After 60 days of inoculation, nematode populations were evaluated in roots and soil. The inoculum viability could be proven in both experiments from the control reproduction factor (Dioscorea sp.) (FR=0.710 and 3.09 respectively). Ricinus communis and Macroptilium lathyroides had similar behavior, with RF< 1 in the first experiment, RF> 1 in the second. The species Chenopodium album, Amaranthus sp., Panicum maximum, Eleusine indica, Senna occidentalis, Emilia coccinea, Euphorbia hyssopifolia and Richardia brasiliensis, differed statistically from the control for the evaluated variables, showing FR<1. It is inferred that the species R. communis and M. lathyroides have great potential to act as important reservoirs and sources of inoculum for P. coffeae. There are no records in the literature of the species M. lathyroides as a host to P. coffeae

6
  • JOICE KESSIA BARBOSA DOS SANTOS
  • IDENTIFICAÇÃO DOS SEMIOQUÍMICOS ENVOLVIDOS NA COMUNICAÇÃO DA PRAGA URBANA Euchroma gigantea (Linnaeus 1758) (COLEOPTERA: BUPRESTIDAE) EM Pachira aquatica Aublet (1775) (BOMBACACEAE)

  • Orientador : HENRIQUE FONSECA GOULART
  • MEMBROS DA BANCA :
  • HENRIQUE FONSECA GOULART
  • JOÃO GOMES DA COSTA
  • ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
  • Data: 27/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • A grande diversidade biológica de árvores nas cidades contribui ecológica e
    esteticamente para tornar o ambiente urbano mais agradável, desempenhando
    um papel significativo na melhoria das condições de vida da cidade. No
    entanto, a qualidade do conjunto arbóreo pode ser negativamente afetada pelo
    ataque de insetos em diversos estágios de desenvolvimento de árvores. Uma
    das principais pragas que atacam as mungubas e paineiras é o Euchroma
    gigantea L. 1758 (Coleoptera: Buprestidae), conhecido como besouro metálico
    ou buprestídeo gigante da América do Sul, devido ao seu tamanho, é um dos
    artrópodes que atacam as bombacáceas. Em ataques de E. gigantae não há
    informações sobre a regulação de insetos por meio da ação de agentes de
    controle biológico. Até o presente momento, não há na literatura ou no
    Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) informações sobre
    um inseticida potencialmente eficiente no para o manejo de E. gigantea em
    áreas urbanas. Atualmente, somente o controle cultural tem sido eficiente para
    redução de populações do inseto-praga, que consiste na catação manual dos
    insetos adultos e não há relatos sobre a ação de agentes de controle natural
    regulando a população desta praga. Diante disto, O trabalho tem como objetivo
    identificar os compostos voláteis presentes em machos e fêmeas de Euchroma
    gigantea (Linnaeus, 1758) (Coleoptera: Buprestidae) coletados em árvores de
    Pachira aquatica Aubl. (1775) para obtenção de feromônios a serem utilizados
    em seu controle. O trabalho será desenvolvido no Laboratório de Pesquisas em
    Recursos Naturais(LPqRN) do Instituto de Química e Biotecnologia da
    Universidade Federal de Alagoas- – Campus A.C. Simões (9°33’88”S;
    35°46’94”O) com apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Belo
    Horizonte(SMMABH), Prefeitura de Belo Horizonte(PBH) e da Fundação de
    Parques Municipais e Zoobotânicas(FPMZ) do Estado de Minas Gerais.


  • Mostrar Abstract
  • The great biological diversity of trees in cities contributes ecologically and
    aesthetically to make the urban environment more pleasant, performing
    a significant role in improving the living conditions of the city. At the
    However, the quality of the tree cluster can be negatively affected by
    insect attack at various stages of tree development. One
    of the main pests that attack the mungba and paineiras is the Euchroma
    gigantea L. 1758 (Coleoptera: Buprestidae), known as metallic beetle
    or South American giant buprestid, due to its size, is one of the
    arthropods that attack the bombshells. In E. gigantae attacks there is no
    information on the regulation of insects through the action of agents of
    biological control. To date, there are none in the literature or in the
    Ministry of Agriculture, Livestock and Supply (MAPA) information on
    a potentially effective insecticide for the management of E. gigantea in
    urban areas. Currently, only cultural control has been effective for
    reduction of insect pest populations, which consists of manual collection of
    adult insects and there are no reports on the action of natural control agents
    regulating the population of this pest. Given this, the work aims to
    identify volatile compounds present in males and females of Euchroma
    gigantea (Linnaeus, 1758) (Coleoptera: Buprestidae) collected from trees of
    Pachira aquatica Aubl. (1775) to obtain pheromones to be used
    in your control. The work will be developed at the Research Laboratory in
    Natural Resources (LPqRN) of the Institute of Chemistry and Biotechnology of
    Federal University of Alagoas- – A.C. Simões Campus (9°33'88”S;
    35°46'94"O) with the support of the Municipal Secretariat for the Environment of Belo
    Horizonte (SMMABH), Belo Horizonte City Hall (PBH) and the Foundation of
    Municipal and Zoobotany Parks (FPMZ) of the State of Minas Gerais.

7
  • EMANUELLE ALMEIDA DA COSTA
  • LEVANTAMENTO DA OCORRÊNCIA DE ERVAS-DE-PASSARINHO NA
    MICRORREGIÃO MATA ALAGOANA

  • Orientador : GAUS SILVESTRE DE ANDRADE LIMA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GAUS SILVESTRE DE ANDRADE LIMA
  • GILDEMBERG AMORIM LEAL JUNIOR
  • RENAN CANTALICE DE SOUZA
  • Data: 30/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • As plantas parasitas são definidas como organismos que necessitam obrigatoriamente está
    associadas a um hospedeiro para assegurar o seu ciclo de vida. Elas podem ser classificadas de
    acordo com seu nível de dependência nutricional, podendo ser considerada hemiparasitas,
    holoparasitas e aclorofiladas. Algumas hemiparasitas estão representadas pelas famílias botânicas
    Loranthaceae, Santalaceae e Viscaceae, encontradas parasitando árvores e arbustos, retirando dos
    seus hospedeiros água e sais minerais através de suas raízes modificadas chamadas de haustórios.
    Diante do exposto, o presente estudo tem como objetivo fazer um levantamento da ocorrência das
    ervas-depassarinho presente no Estado de Alagoas e seus respectivos hospedeiros, identificado as
    espécies botânicas com base na caracterização morfológica e molecular. Foram analisadas as
    exsicatas de Lorantaceae, Santalaceae e Viscaceae depositadas no herbário MAC do Instituto de
    Meio Ambiente de Alagoas – IMA, provenientes de expedições de coletas realizadas em território
    alagoano. E realização de coletas na microrregião Mata alagoana. O DNA total foi, individualmente,
    extraído a partir de cada amostra vegetal, utilizado como molde para amplificação via PCR da
    sequência região ITS e sequenciado. Foi possível identificar três espécies de Struthanthus
    parasitando diferentes hospedeiros, assim como, a espécie Passovia pyrifolia e Psittacanthus
    dichroos pertencentes a família Loranthaceae. Para família Viscaceae foram identificadas duas
    espécies do gênero Phoradendron apresentando hospedeiro em comum.


  • Mostrar Abstract
  • Parasitic plants are defined as organisms that necessarily need to be associated with a host to
    ensure its life cycle. They can be classified according to their level of nutritional dependence and can
    be considered hemiparasites, holoparasites and achlorophylls. Some hemiparasites are represented
    by the botanical families Loranthaceae, Santalaceae and Viscaceae, found parasitizing trees and
    shrubs, extracting water and mineral salts from their hosts through their modified roots called
    haustoria. Given the above, this study aims to survey the occurrence of mistletoe present in the
    State of Alagoas and their respective hosts, identifying the botanical species based on morphological
    and molecular characterization. Exsiccates of Lorantaceae, Santalaceae and Viscaceae deposited in
    the MAC herbarium of the Environmental Institute of Alagoas – IMA, from collection expeditions
    carried out in the territory of Alagoas, were analyzed. And carrying out collections in the microregion
    Mata Alagoana. Total DNA was individually extracted from each plant sample, used as a template for
    PCR amplification of the ITS region sequence and sequenced. It was possible to identify three species
    of Struthanthus parasitizing different hosts, as well as the species Passovia pyrifolia and
    Psittacanthus dichroos belonging to the Loranthaceae family. For the Viscaceae family, two species
    of the genus Phoradendron were identified with a common host. Keywords: Hemiparasite.
    Morphological characterization. Molecular characterization

8
  • ELIANE DOS SANTOS
  • CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA DOS COMPOSTOS
    ENVOLVIDOS NA ATRATIVIDADE DE Bephratelloides pomorum
    (FABRICIUS, 1808) (HYMENOPTERA: EURYTOMYIDAE): UMA
    NOVA ESTRATÉGIA PARA O MIP

  • Orientador : ANTONIO EUZEBIO GOULART SANTANA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANTONIO EUZEBIO GOULART SANTANA
  • JOÃO GOMES DA COSTA
  • ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
  • Data: 31/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • A gravioleira, Annona muricata L. é uma anonácea tropical, com
    origem na América Central e norte da América do Sul. Devido ao
    crescimento do cultivo de graviola, problemas com pragas que
    infestam diferentes estruturas da planta podem ocasionar grandes
    danos a cultura. Dentre estas pragas destaca-se a broca-da-semente,
    Bephratelloides pomorum (Hymenoptera: Eurytomyidae), que se
    tornou uma das espécies mais importantes na cultura da graviola
    devido à severidade do dano que pode provocar. Por ser mulltivoltino e
    endofitico esse inseto-praga é de difícil controle. Na busca de um
    controle eficiente dessa praga e a necessidade de desenvolver um
    controle eficiente o interesse de estudar os semioquimicos na
    expectativa de criar uma estratégia eficiente para monitorar e controlar
    essa praga nos pomares de gravioleiras. O objetivo do presente estudo
    foi determinar substâncias envolvidas na atratividade entre os
    indivíduos da espécie B. pomorum. Os insetos foram coletados de
    frutos de graviola infestados. Esses frutos foram obtidos em pomares
    comerciais nos municípios de Limoeiro de Anadia, Arapiraca e
    Maragogi do estado de Alagoas. Os frutos foram encaminhados para o
    Laboratório de Pesquisas em Recursos Naturais (LPqRN) da
    Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e mantidos em gaiolas de
    PVC, circundada com tela e sexados quando adultos. A coleta dos
    voláteis dos insetos adultos de B. pomorum foi realizada pelos métodos
    de extração por solvente da superfície do corpo dos insetos, extração
    por maceração do abdome e extração por head space dinâmico dos 

    insetos. A análise dos extratos por CG- DIC, CG-EAG e CG-EM levou
    a identificação dos compostos presentes. A análise do extrato obtido
    por head space dinâmico de fêmeas de B. pomorum levou a
    identificação de 12 compostos. O teste de eletroantenografia indicou
    que os compostos 2,4-terc-butilfenol, 1-hexadeceno e 2,6,10,14-
    tetrametilhexadecano foram eletrofisiologicamente ativos para machos
    de B. pomorum. As análises cromatográficas indicaram a presença de
    12 compostos nos extratos de “head space” dinâmico de fêmeas de B.
    pomorum, os compostos, Fitol e 2,6,10,14-tetrametilexadecano foram
    confirmados pelo uso de padrões e os estudos eletroantenográfios
    mostrou que os machos de B. pomorum apresentou respostas positivas
    para o composto 2,6,10,14 tetrametilexadecano presente nos extratos.


  • Mostrar Abstract
  • The soursop, Annona muricata L. is a tropical annonacea, originating
    in Central America and northern South America. Due to the growth of
    soursop cultivation, problems with pests that infest different plant
    structures can cause great damage to the crop. Among these pests
    stands out the seed borer, Bephratelloides pomorum (Hymenoptera:
    Eurytomyidae), which has become one of the most important species
    in the soursop crop due to the severity of the damage it can cause.
    Being mulltivoltino and endophytic, this insect pest is difficult to
    control. In the search for an efficient control of this pest and the need
    to develop an efficient control, the interest of studying semiochemicals
    in the hope of creating an efficient strategy to monitor and control this
    pest in soursop orchards. The aim of this study was to determine
    substances involved in attractiveness among individuals of the species
    B. pomorum. Insects were collected from infested soursop fruits. These
    fruits were obtained from commercial orchards in the municipalities of
    Limoeiro de Anadia, Arapiraca and Maragogi in the state of Alagoas.
    The fruits were sent to the Laboratory of Research in Natural
    Resources (LPqRN) of the Federal University of Alagoas (UFAL) and
    kept in PVC cages, surrounded by a screen and sexed as adults. The
    collection of volatiles from the adult insects of B. pomorum was
    carried out using the methods of solvent extraction from the surface of
    the insect&#39;s body, extraction by maceration of the abdomen and
    extraction by dynamic head space of the insects. The analysis of the
    extracts by GC-DIC, GC-EAG and GC-EM led to the identification of
    the present compounds. The analysis of the extract obtained by
    dynamic headspace of females of B. pomorum led to the identification
    of 12 compounds. The electroantenography test indicated that the
    compounds 2,4-tert-butylphenol, 1-hexadecene and 2,6,10,14-
    tetramethylhexadecane were electrophysiologically active for males of 

    B. pomorum. The chromatographic analyzes indicated the presence of
    12 compounds in the dynamic head space extracts of females of B.
    pomorum, the compounds, Phytol and 2,6,10,14-
    tetramethylhexadecane were confirmed by the use of standards and
    electroantenographic studies showed that males of B. pomorum
    showed positive responses to the compound 2,6,10,14-
    tetramethylhexadecane present in the extracts.

9
  • GESSYCA THAYS DOS SANTOS SILVA
  • DINÂMICA DA SUPLEMENTAÇÃO ALIMENTAR NO FITNESS REPRODUTIVO DE Cryptolaemus montrouzieri Mulsant (Coleoptera: Coccinellidae)

  • Orientador : MARIANA OLIVEIRA BREDA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ELIO CESAR GUZZO
  • JAKELINE MARIA DOS SANTOS
  • MARIANA OLIVEIRA BREDA
  • ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
  • WENDEL JOSÉ TELES PONTES
  • Data: 31/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Os predadores são considerados a primeira linha de defesa das plantas contra insetos fitófagos. Nesse grupo destacam-se aqueles popularmente conhecidos como joaninhas (Coleoptera: Coccinellidae), cuja maioria é eficientes predadores. Por essa e por outras razões as joaninhas são amplamente empregadas no controle biológico de diversas pragas como afídeos (Aphididae), moscas-branca (Aleyrodidae), cochonilhas (Ortheziidae, Margarodidae, Diaspididae, Coccidae, Pseudococcidae) e psilídeos (Psyllidae), ovos de lepidópteros (Lepidoptera) e ácaros (Acari). Muitas espécies de joaninhas consomem o mesmo alimento nas fases de larva e adulta, mas nem sempre o alimento regularmente consumido pelos adultos é nutricionalmente adequado para assegurar a reprodução, maturação dos ovos ou o desenvolvimento das larvas. Assim, o desenvolvimento embrionário e pós-embrionário, bem como a longevidade, fecundidade e a fertilidade dos adultos depende da quantidade e da qualidade do alimento consumido por esses predadores. Fatores como a quantidade e a qualidade do alimento podem afetar o desenvolvimento, a longevidade e o potencial reprodutivo dos insetos. Uma das formas de suprir os requerimentos nutricionais e melhorar o desempenho desses predadores em criações desenvolvidas em laboratório pode ser a oferta simultânea da presa combinado com alimentos alternativos, isto porque, alimentos ricos em carboidratos e proteínas como o mel e pólen, respectivamente, podem favorecer à sobrevivência e desempenho reprodutivo de joaninhas predadoras. Desta forma, estudos sobre a criação, produção, liberação e uso de agentes de controle biológico são etapas estruturadoras fundamentais na geração de conhecimentos que produzam ciência e inovações tecnológicas que permitam a adoção e implantação de programas de manejo de pragas ecologicamente corretos e que assegurem níveis desejáveis de sustentabilidade e segurança alimentar em regimes de produção de agricultura familiar ou em sistemas agrícolas com produção em larga escala. O fato de os predadores Cryptolaemus montrouzieri serem citados ocorrendo naturalmente em áreas cultivadas com palma forrageira e com outras culturas com forte tradição no nordeste brasileiro contribuiu para que fosse também estudado o potencial desses predadores como agente de controle de cochonilhas e pulgões com vistas a produzir conhecimentos técnico-científicos passíveis de utilização em programas de manejo de pragas tanto para o estado de Alagoas quanto para a região Nordeste. Dessa forma o objetivo dessa dissertação é avaliar como a suplementação alimentar contribui para a melhora no desempenho reprodutivo de adultos de C. montrouzieri, coccinelídeos com potencial para serem utilizados como agentes de controle biológico.


  • Mostrar Abstract
  • Predators are considered the first line of defense for plants against phytophagous insects. In this group, those popularly known as ladybugs (Coleoptera: Coccinellidae) stand out, most of which are efficient predators. For this and other reasons, ladybugs are widely used in the biological control of various pests such as aphids (Aphididae), whiteflies (Aleyrodidae), scale insects (Ortheziidae, Margarodidae, Diaspididae, Coccidae, Pseudococcidae) and psyllids (Psyllidae), eggs of lepidoptera (Lepidoptera) and mites (Acari). Many species of ladybugs consume the same food in the larval and adult stages, but the food regularly consumed by adults is not always nutritionally adequate to ensure reproduction, egg maturation or larval development. Thus, the embryonic and post-embryonic development, as well as the longevity, fecundity and fertility of adults depend on the quantity and quality of food consumed by these predators. Factors such as the quantity and quality of food can affect the development, longevity and reproductive potential of insects. One of the ways to meet the nutritional requirements and improve the performance of these predators in creations developed in the laboratory can be the simultaneous offer of the prey combined with alternative foods, because foods rich in carbohydrates and proteins such as honey and pollen, respectively, can favor survival and reproductive performance of predatory ladybugs. In this way, studies on the creation, production, release and use of biological control agents are fundamental structuring steps in the generation of knowledge that produce science and technological innovations that allow the adoption and implementation of ecologically correct pest management programs that ensure levels sustainability and food security objectives in family farming production regimes or in agricultural systems with large-scale production. The fact that the predators  Cryptolaemus montrouzieri are cited as occurring naturally in areas cultivated with forage cactus and other crops with a strong tradition in northeastern Brazil contributed to the study of the potential of these predators as a control agent for scale insects and aphids. to produce technical-scientific knowledge that can be used in pest management programs for both the state of Alagoas and the Northeast region. Thus, the objective of this dissertation is to evaluate how food supplementation contributes to the improvement in the reproductive performance of adults of  C. montrouzieri, coccinellids with potential to be used as biological control agent.

10
  • JOCKELINY MAYARA CAMARA DOS SANTOS
  • IDENTIFICAÇÃO ESPÉCIES DE Colletotrichum ASSOCIADAS
    À ANTRACNOSE EM ATEMOIA NO NORDESTE DO BRASIL

  • Orientador : GAUS SILVESTRE DE ANDRADE LIMA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GAUS SILVESTRE DE ANDRADE LIMA
  • MARIOTE DOS SANTOS BRITO NETTO
  • WELLINGTON COSTA DA SILVA
  • Data: 31/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • A antracnose, causada por Colletotrichum spp. é uma importante doença
    da atemoia, causando danos em diferentes órgãos da planta. Os
    sintomas desta doença variam de antracnose foliar, abortamento de
    flores, queima de ponta de ramos e lesões necróticas nos frutos.
    Conhecer o agente etiológico é essencial para o desenvolvimento de
    técnicas adequadas de controle. Diante disto, o objetivo do estudo foi
    identificar espécies de Colletotrichum associadas à atemoia na região
    Nordeste do Brasil, com base em análises da filogenia multi-locus e
    caracterização morfocultural, como forma de contribuir para o melhor
    entendimento da etiologia da doença antracnose nessa cultura. Para a
    obtenção dos isolados fúngicos de Colletotrichum foram realizadas
    coletas de folhas e ramos de atemoia com sintomas de antracnose em
    plantios comerciais nos municípios de Vitória da Conquista (Bahia),
    Palmeira dos Índios e Rio Largo (Alagoas), situados na região Nordeste
    do Brasil. A análise inicial das sequências parciais do gene GAPDH foi
    realizada com dezenove isolados de Colletotrichum provenientes de
    folhas e ramos da atemoleira com sintomas típicos de antracnose.
    Dezessete isolados foram agrupados no complexo gloeosporioides e
    dois no complexo boninense. Para confirmar as espécies identificadas
    na análise com o gene GAPDH, onze isolados foram selecionados e
    submetidos a análises filogenéticas concatenadas com os genes
    (GAPDH e TUB2) e região ITS do rDNA. As espécies C. theobromicola,
    C. siamense, C. fructicola e C. karstii estão associadas à antracnose de
    atemoia na região Nordeste do Brasil. As espécies C. fructicola e C.
    karstii, e C. siamense e C. Karstii induziram as maiores lesões in vitro e
    in vivo, respectivamente.


  • Mostrar Abstract
  • Therefore, the objective of the study was to identify Colletotrichum
    species associated with atemoya in the Northeast region of Brazil,
    based on multi-locus phylogeny analyzes and morphocultural
    characterization, as a way of contributing to a better understanding of
    the etiology of anthracnose disease in this culture. To obtain the
    fungal isolates of Colletotrichum, leaves and branches of atemoya
    with symptoms of anthracnose were collected in commercial
    plantations in the municipalities of Vitória da Conquista (Bahia),
    Palmeira dos Índios and Rio Largo (Alagoas), located in the Northeast
    region of Brazil. . The initial analysis of the partial sequences of the
    GAPDH gene was carried out with nineteen Colletotrichum isolates
    from leaves and branches of atemolina with typical symptoms of
    anthracnose. Seventeen isolates were grouped in the gloeosporioides
    complex and two in the Boninense complex. To confirm the species
    identified in the analysis with the GAPDH gene, eleven isolates were
    selected and submitted to phylogenetic analyzes concatenated with
    the genes (GAPDH and TUB2) and ITS region of the rDNA. The
    species C. theobromicola, C. siamense, C. fructicola and C. karstii are
    associated with atemoya anthracnose in the Northeast region of
    Brazil. The species C. fructicola and C. karstii, and C. siamense and
    C. Karstii induced the largest lesions in vitro and in vivo, respectively.

2020
Dissertações
1
  • CAMILA ALEXANDRE CAVALCANTE DE ALMEIDA
  • ESTUDO FEROMONAL, PERFIL CUTICULAR E PREFERÊNCIA ALIMENTAR DA LAGARTA PARDA DO EUCALIPTO, Thyrinteina arnobia (Stoll, 1782) (LEPIDOPTERA: GEOMETRIDAE) EM DIFERENTES HOSPEDEIROS NATIVOS E EXÓTICOS

  • Orientador : MARIANA OLIVEIRA BREDA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JAKELINE MARIA DOS SANTOS
  • JOÃO GOMES DA COSTA
  • MAURICIO SILVA DE LIMA
  • Data: 14/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • Com a consolidação da eucaliptocultura no Brasil, o ataque de insetos fitófagos vem adquirindo relevante importância econômica, podendo gerar perdas significativas de produção. Dentre eles, destaca-se a lagarta parda do eucalipto, Thyrinteina arnobia (Stoll, 1782) (Lepidoptera: Geometridae), considerada como a principal praga desfolhadora de Eucalyptus spp. no país. Assim, o presente estudo teve como objetivo a verificação dos processos envolvidos na interação hospedeira, a partir da caracterização do perfil cuticular e preferência alimentar de T. arnobia sobre diferentes hospedeiros nativos e exóticos, além da prospecção de substâncias feromonais de T. arnobia através do isolamento e identificação estrutural, afim de contribuir como componente básico para o desenvolvimento do Manejo Integrado de Pragas Florestais (MIP Floresta). Em testes de consumo alimentar, sem chance de escolha, observou-se maior consumo do clone VE 41 e do hospedeiro nativo goiaba (Psidium guajava L.). A avaliação do consumo alimentar, com chance de escolha, utilizando clones de E. urograndis e goiaba, não mostrou diferença significativa o que pode comprovar adaptação de T. arnobia tanto ao seu hospedeiro nativo quanto exótico. Em teste utilizando os diferentes clones de E. urograndis, o clone I 144 mostrou uma tendência de menor preferência alimentar, sendo cons umido inicialmente somente após 48h. Em perfil químico cuticular, comparando os Índices de Kovats (IK) de galhos e lagartas em goiaba e E. urograndis, foi possível observar um total de 9 compostos em comum entre galhos de goiaba e lagartas de T. arnobia e apenas 1 composto em comum quando comparada ao perfil químico dos galhos de E. urograndis. Para o estudo feromonal, os extratos cuticulares de asas e pernas de fêmeas e machos de T. arnobia não mostraram-se biologicamente ativo frente a antenas de machos. Em extratos de glândulas abdominais de fêmeas de T. arnobia foram verificados 12 compostos químicos em cromatografia gasosa acoplada a Espectometria de massas (CG-EM), sendo 9,12-octadecadienol chlorido e ácido hexadecanoico (ácido palmítico) os componentes majoritários, obtendo resposta significativa quando colocados frente a antenas de machos, via método de eletroantenografia do tipo “puff”. Os resultados obtidos são pioneiros para o desenvolvimento de estratégias de controle comportamental no Manejo Integrado de Pragas Florestais (MIP Florestas) no estado de Alagoas.


  • Mostrar Abstract
  • Com a consolidação da eucaliptocultura no Brasil, o ataque de insetos fitófagos vem adquirindo relevante importância econômica, podendo gerar perdas significativas de produção. Dentre eles, destaca-se a lagarta parda do eucalipto, Thyrinteina arnobia (Stoll, 1782) (Lepidoptera: Geometridae), considerada como a principal praga desfolhadora de Eucalyptus spp. no país. Assim, o presente estudo teve como objetivo a verificação dos processos envolvidos na interação hospedeira, a partir da caracterização do perfil cuticular e preferência alimentar de T. arnobia sobre diferentes hospedeiros nativos e exóticos, além da prospecção de substâncias feromonais de T. arnobia através do isolamento e identificação estrutural, afim de contribuir como componente básico para o desenvolvimento do Manejo Integrado de Pragas Florestais (MIP Floresta). Em testes de consumo alimentar, sem chance de escolha, observou-se maior consumo do clone VE 41 e do hospedeiro nativo goiaba (Psidium guajava L.). A avaliação do consumo alimentar, com chance de escolha, utilizando clones de E. urograndis e goiaba, não mostrou diferença significativa o que pode comprovar adaptação de T. arnobia tanto ao seu hospedeiro nativo quanto exótico. Em teste utilizando os diferentes clones de E. urograndis, o clone I 144 mostrou uma tendência de menor preferência alimentar, sendo cons umido inicialmente somente após 48h. Em perfil químico cuticular, comparando os Índices de Kovats (IK) de galhos e lagartas em goiaba e E. urograndis, foi possível observar um total de 9 compostos em comum entre galhos de goiaba e lagartas de T. arnobia e apenas 1 composto em comum quando comparada ao perfil químico dos galhos de E. urograndis. Para o estudo feromonal, os extratos cuticulares de asas e pernas de fêmeas e machos de T. arnobia não mostraram-se biologicamente ativo frente a antenas de machos. Em extratos de glândulas abdominais de fêmeas de T. arnobia foram verificados 12 compostos químicos em cromatografia gasosa acoplada a Espectometria de massas (CG-EM), sendo 9,12-octadecadienol chlorido e ácido hexadecanoico (ácido palmítico) os componentes majoritários, obtendo resposta significativa quando colocados frente a antenas de machos, via método de eletroantenografia do tipo “puff”. Os resultados obtidos são pioneiros para o desenvolvimento de estratégias de controle comportamental no Manejo Integrado de Pragas Florestais (MIP Florestas) no estado de Alagoas.

2
  • MAYARA OLIVEIRA DE LIMA
  • NANOPORE SEQUENCING NA DETERMINAÇÃO DA DIVERSIDADE DE BADNAVÍRUS QUE INFECTAM CANA-DE-AÇÚCAR PROVENIENTE DO BANCO DE GERMOPLASMA DA SERRA DO OURO, MURICI - AL

  • Orientador : SARAH JACQUELINE CAVALCANTI DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CICERO CARLOS DE SOUZA ALMEIDA
  • GAUS SILVESTRE DE ANDRADE LIMA
  • SARAH JACQUELINE CAVALCANTI DA SILVA
  • Data: 19/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • O Brasil é o maior produtor e exportador de açúcar do mundo, para isso o banco de germoplasma do Programa de Melhoramento Genético da Cana-de-açúcar (PMGCA/CECA/UFAL) tem sido primordial para o desenvolvimento de dezenas de variedades que ocupam mais de 60% da área de cultivo do país. Em 2015, estudos mostraram a presença de diferentes espécies do gênero Badnavirus (família Caulimoviridae), incluindo Sugarcane bacilliform AL virus (SCBALV) e prováveis novas espécies, ocorrendo em genótipos de cana-de-açúcar provenientes deste banco de germoplasma, baseados na amplificação via PCR. No entanto, essa técnica não é capaz de distinguir sequências virais ocorrendo na forma endógena ou epissomal, assim, podendo não estar refletindo a real diversidade das populações de badnavírus ocorrendo na área. Análises utilizando o sequenciamento por Nanopore tem se tornado uma prática de rotina para detectar e estimar a diversidade espécies de vírus de planta. Portanto, o objetivo do presente estudo foi detectar e caracterizar espécies de badnavírus que ocorrem em genótipos de cana-de-açúcar do banco de germoplasma do PMGCA/CECA/UFAL por meio de sequenciamento por Nanopore. DNA total foi extraído a partir de amostras foliares de diferentes genótipos de cana-de-açúcar e usado como molde para amplificação via RCA. Para detectar apenas os badnavírus ocorrendo na forma epissomal na planta hospedeira, os produtos de RCA foram submetidos a PCR usando os primers universais para o gênero. Os produtos positivos para badnavírus foram sequenciados usando a plataforma MinION e, para confirmar a presença da infecção pela espécie viral identificada, foi realizada análises de sequências pareadas e filogenéticas, e amplificação, via PCR, utilizando primers espécie-específicos. A partir do Nanopore sequencing foi possível identificar a presença do Sugarcane bacilliform Guadaloupe A virus (SCBGAV).


  • Mostrar Abstract
  • O Brasil é o maior produtor e exportador de açúcar do mundo, para isso o banco de germoplasma do Programa de Melhoramento Genético da Cana-de-açúcar (PMGCA/CECA/UFAL) tem sido primordial para o desenvolvimento de dezenas de variedades que ocupam mais de 60% da área de cultivo do país. Em 2015, estudos mostraram a presença de diferentes espécies do gênero Badnavirus (família Caulimoviridae), incluindo Sugarcane bacilliform AL virus (SCBALV) e prováveis novas espécies, ocorrendo em genótipos de cana-de-açúcar provenientes deste banco de germoplasma, baseados na amplificação via PCR. No entanto, essa técnica não é capaz de distinguir sequências virais ocorrendo na forma endógena ou epissomal, assim, podendo não estar refletindo a real diversidade das populações de badnavírus ocorrendo na área. Análises utilizando o sequenciamento por Nanopore tem se tornado uma prática de rotina para detectar e estimar a diversidade espécies de vírus de planta. Portanto, o objetivo do presente estudo foi detectar e caracterizar espécies de badnavírus que ocorrem em genótipos de cana-de-açúcar do banco de germoplasma do PMGCA/CECA/UFAL por meio de sequenciamento por Nanopore. DNA total foi extraído a partir de amostras foliares de diferentes genótipos de cana-de-açúcar e usado como molde para amplificação via RCA. Para detectar apenas os badnavírus ocorrendo na forma epissomal na planta hospedeira, os produtos de RCA foram submetidos a PCR usando os primers universais para o gênero. Os produtos positivos para badnavírus foram sequenciados usando a plataforma MinION e, para confirmar a presença da infecção pela espécie viral identificada, foi realizada análises de sequências pareadas e filogenéticas, e amplificação, via PCR, utilizando primers espécie-específicos. A partir do Nanopore sequencing foi possível identificar a presença do Sugarcane bacilliform Guadaloupe A virus (SCBGAV).

3
  • JACKELINE LAURENTINO DA SILVA
  • Identificação de espécies de Colletotrichum associadas à antracnose de maracujazeiro (Passiflora edulis f. flavicarpa) em Alagoas.

  • Orientador : IRAILDES PEREIRA ASSUNCAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FREDERICO MONTEIRO FEIJÓ
  • JAQUELINE FIGUEREDO DE OLIVEIRA COSTA
  • MARIA DE FATIMA SILVA MUNIZ
  • Data: 20/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • O gênero Colletotrichum é considerado cosmopolita e tem sido um dos patógenos fúngicos mais importantes do mundo. Dentre as patologias que afetam a cultura do maracujazeiro, a antracnose é a principal doença acarretando grandes prejuízos socioeconômicos no nordeste brasileiro, no entanto, pouco se sabe sobre a etiologia da doença no Brasil. Portanto, os objetivos deste estudo foram identificar espécies do gênero Colletotrichum que infectam folhas de maracujazeiro, utilizando análises filogenéticas multi-locus associadas a características morfoculturais, bem como avaliar a virulência em gama de hospedeiros. Isolados do gênero Colletotrichum obtidos de folhas de maracujazeiro apresentado sintomas típicos da doença, foram coletados nos municípios de Coruripe, Quebrangulo e Maragogi. Os isolados patogênicos foram identificados com base nas sequências dos genes GAPDH, TUB2, CHS e região ITS-rDNA. Para caracterização cultural das espécies identificadas foram realizadas avaliações da taxa de crescimento micelial a 25 °C e aspecto das colônias. Na caracterização morfológica foram mensurados o comprimento e a largura de 50 conídios e apressórios. As análises filogenéticas multi-locus associadas a características morfoculturais de dessezete isolados revelaram seis espécies de Colletotrichum pertencentes a quatro complexos distintos: C. fructicola, C. theobromicola, C. tropicale (Complexo gloeosporioiodes), C. plurivorum (C. orchidearum), C. brevisporum (C. magnum), Colletotrichum sp. (C. boninense). Este é o primeiro relato de C. tropicale, C. fructicola e C. theobromicola no mundo e de C. brevisporum e C. plurivorum no Brasil. Todas as espécies de Colletotrichum foram patogênicas a gama de hospedeiros inoculadas (manga, maracujá, banana, mamão e goiaba), com excessão das espécies C. brevisporum, Colletotrichum sp. e C. plurivorum ao fruto de goiaba.


  • Mostrar Abstract
  • O gênero Colletotrichum é considerado cosmopolita e tem sido um dos patógenos fúngicos mais importantes do mundo. Dentre as patologias que afetam a cultura do maracujazeiro, a antracnose é a principal doença acarretando grandes prejuízos socioeconômicos no nordeste brasileiro, no entanto, pouco se sabe sobre a etiologia da doença no Brasil. Portanto, os objetivos deste estudo foram identificar espécies do gênero Colletotrichum que infectam folhas de maracujazeiro, utilizando análises filogenéticas multi-locus associadas a características morfoculturais, bem como avaliar a virulência em gama de hospedeiros. Isolados do gênero Colletotrichum obtidos de folhas de maracujazeiro apresentado sintomas típicos da doença, foram coletados nos municípios de Coruripe, Quebrangulo e Maragogi. Os isolados patogênicos foram identificados com base nas sequências dos genes GAPDH, TUB2, CHS e região ITS-rDNA. Para caracterização cultural das espécies identificadas foram realizadas avaliações da taxa de crescimento micelial a 25 °C e aspecto das colônias. Na caracterização morfológica foram mensurados o comprimento e a largura de 50 conídios e apressórios. As análises filogenéticas multi-locus associadas a características morfoculturais de dessezete isolados revelaram seis espécies de Colletotrichum pertencentes a quatro complexos distintos: C. fructicola, C. theobromicola, C. tropicale (Complexo gloeosporioiodes), C. plurivorum (C. orchidearum), C. brevisporum (C. magnum), Colletotrichum sp. (C. boninense). Este é o primeiro relato de C. tropicale, C. fructicola e C. theobromicola no mundo e de C. brevisporum e C. plurivorum no Brasil. Todas as espécies de Colletotrichum foram patogênicas a gama de hospedeiros inoculadas (manga, maracujá, banana, mamão e goiaba), com excessão das espécies C. brevisporum, Colletotrichum sp. e C. plurivorum ao fruto de goiaba.

4
  • JACKELINE LAURENTINO DA SILVA
  • Identificação de espécies de Colletotrichum associadas à antracnose de maracujazeiro (Passiflora edulis f. flavicarpa) em Alagoas.

  • Orientador : IRAILDES PEREIRA ASSUNCAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FREDERICO MONTEIRO FEIJÓ
  • IRAILDES PEREIRA ASSUNCAO
  • MARIA DE FATIMA SILVA MUNIZ
  • Data: 20/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • O gênero Colletotrichum é considerado cosmopolita e tem sido um dos patógenos fúngicos mais importantes do mundo. Dentre as patologias que afetam a cultura do maracujazeiro, a antracnose é a principal doença acarretando grandes prejuízos socioeconômicos no nordeste brasileiro, no entanto, pouco se sabe sobre a etiologia da doença no Brasil. Portanto, os objetivos deste estudo foram identificar espécies do gênero Colletotrichum que infectam folhas de maracujazeiro, utilizando análises filogenéticas multi-locus associadas a características morfoculturais, bem como avaliar a virulência em gama de hospedeiros. Isolados do gênero Colletotrichum obtidos de folhas de maracujazeiro apresentado sintomas típicos da doença, foram coletados nos municípios de Coruripe, Quebrangulo e Maragogi. Os isolados patogênicos foram identificados com base nas sequências dos genes GAPDH, TUB2, CHS e região ITS-rDNA. Para caracterização cultural das espécies identificadas foram realizadas avaliações da taxa de crescimento micelial a 25 °C e aspecto das colônias. Na caracterização morfológica foram mensurados o comprimento e a largura de 50 conídios e apressórios. As análises filogenéticas multi-locus associadas a características morfoculturais de dessezete isolados revelaram seis espécies de Colletotrichum pertencentes a quatro complexos distintos: C. fructicola, C. theobromicola, C. tropicale (Complexo gloeosporioiodes), C. plurivorum (C. orchidearum), C. brevisporum (C. magnum), Colletotrichum sp. (C. boninense). Este é o primeiro relato de C. tropicale, C. fructicola e C. theobromicola no mundo e de C. brevisporum e C. plurivorum no Brasil. Todas as espécies de Colletotrichum foram patogênicas a gama de hospedeiros inoculadas (manga, maracujá, banana, mamão e goiaba), com excessão das espécies C. brevisporum, Colletotrichum sp. e C. plurivorum ao fruto de goiaba.


  • Mostrar Abstract
  • O gênero Colletotrichum é considerado cosmopolita e tem sido um dos patógenos fúngicos mais importantes do mundo. Dentre as patologias que afetam a cultura do maracujazeiro, a antracnose é a principal doença acarretando grandes prejuízos socioeconômicos no nordeste brasileiro, no entanto, pouco se sabe sobre a etiologia da doença no Brasil. Portanto, os objetivos deste estudo foram identificar espécies do gênero Colletotrichum que infectam folhas de maracujazeiro, utilizando análises filogenéticas multi-locus associadas a características morfoculturais, bem como avaliar a virulência em gama de hospedeiros. Isolados do gênero Colletotrichum obtidos de folhas de maracujazeiro apresentado sintomas típicos da doença, foram coletados nos municípios de Coruripe, Quebrangulo e Maragogi. Os isolados patogênicos foram identificados com base nas sequências dos genes GAPDH, TUB2, CHS e região ITS-rDNA. Para caracterização cultural das espécies identificadas foram realizadas avaliações da taxa de crescimento micelial a 25 °C e aspecto das colônias. Na caracterização morfológica foram mensurados o comprimento e a largura de 50 conídios e apressórios. As análises filogenéticas multi-locus associadas a características morfoculturais de dessezete isolados revelaram seis espécies de Colletotrichum pertencentes a quatro complexos distintos: C. fructicola, C. theobromicola, C. tropicale (Complexo gloeosporioiodes), C. plurivorum (C. orchidearum), C. brevisporum (C. magnum), Colletotrichum sp. (C. boninense). Este é o primeiro relato de C. tropicale, C. fructicola e C. theobromicola no mundo e de C. brevisporum e C. plurivorum no Brasil. Todas as espécies de Colletotrichum foram patogênicas a gama de hospedeiros inoculadas (manga, maracujá, banana, mamão e goiaba), com excessão das espécies C. brevisporum, Colletotrichum sp. e C. plurivorum ao fruto de goiaba.

5
  • LIDIA RAFAELE ALMEIDA DA SILVA
  • DIVERSIDADE DE ÁCAROS PREDADORES COM ÊNFASE EM PHYTOSEIIDAE NA VEGETAÇÃO DO BIOMA CAATINGA DE ALAGOAS

  • Orientador : EDMILSON SANTOS SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EDMILSON SANTOS SILVA
  • ELIO CESAR GUZZO
  • MÉRCIA ELIAS DUARTE
  • Data: 21/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • Os ácaros são artrópodes quelicerados que compõe o segundo maior grupo depois dos insetos. São diversos e especializados em hábitos alimentares como fitófagos, micófagos, detritívoros e predadores. Dentre eles, os ácaros predadores são importantes agentes no controle natural de microartrópodes e ocorrem em diferentes ecossistemas. Atualmente, estes são utilizados em cultivos agrícolas, especialmente a família Phytoseiidae, para o controle biológico de pragas, como ácaros fitófagos, tripes e mosca-branca. Apesar da sua importância como agente de regulação biótica, ainda não se conhece, em alguns Biomas brasileiros como na Caatinga, o número de espécies que representar a riqueza e diversidade dos mesmos. Desta forma, o presente trabalho teve por objetivo conhecer a fauna de ácaros predadores em vegetação do Bioma Caatinga de Alagoas. Foram realizadas coletas no período de janeiro a agosto de 2019, no município de Olho D’água das Flores – AL, em um fragmento de mata remanescente do Bioma Caatinga, bem como em uma área de cultivo de palma forrageira (Nopalea cochenillifera (L.) Salm-Dyck). As cinco espécies de planta da vegetação natural selecionadas foram: catingueira (Poincianella pyramidalis [Tul.] L.P. Queiroz), juazeiro (Ziziphus joazeiro Martius), Marmeleiro (Croton blanchetianus Baill), Pereiro (Aspidosperma pyrifolium Mart.) e Braúna-do-Sertão (Schinopsis brasiliensis Engl.). A extração dos ácaros foi realizada com a observação de cada folha, utilizando-se microscópio estereoscópico. Os ácaros coletados foram montados em lâmina de microscopia e identificados utilizando chaves dicotômicas especializadas. Um total de 1922 ácaros foram encontrados distribuídos em dez famílias e uma sub-ordem, sendo seis (6) famílias de predadores (Bdellidae, Camerobiidae, Cunaxidae, Iolinidae, Phytoseiidae e Tydeidae,), com a identificação de 16 gêneros e 14 espécies. Phytoseiidae foi a família com maior riqueza de espécies (Amblyseius aerialis Muma 1955, Euseius alatus De Leon, 1966, Euseius concordis Chant 1959, Iphiseiodes zuluagai Denmark e Muma 1972, Typhlodromalus peregrinus Muma 1955, Transeius bellotti Moraes e Mesa 1998 e Neoparaphytoseius sp. n.), sendo T. bellotti e I. zuluagai as espécies mais abundantes e frequentes durante todo o período de estudo. Dentre os predadores encontrados foi descrita uma nova espécie de Neoparaphytoseius Chant e McMurtry 2003, classificado como Phytoseiidae. Ressalta-se que esta é a primeira espécie descrita para o Bioma Caatinga.


  • Mostrar Abstract
  • Os ácaros são artrópodes quelicerados que compõe o segundo maior grupo depois dos insetos. São diversos e especializados em hábitos alimentares como fitófagos, micófagos, detritívoros e predadores. Dentre eles, os ácaros predadores são importantes agentes no controle natural de microartrópodes e ocorrem em diferentes ecossistemas. Atualmente, estes são utilizados em cultivos agrícolas, especialmente a família Phytoseiidae, para o controle biológico de pragas, como ácaros fitófagos, tripes e mosca-branca. Apesar da sua importância como agente de regulação biótica, ainda não se conhece, em alguns Biomas brasileiros como na Caatinga, o número de espécies que representar a riqueza e diversidade dos mesmos. Desta forma, o presente trabalho teve por objetivo conhecer a fauna de ácaros predadores em vegetação do Bioma Caatinga de Alagoas. Foram realizadas coletas no período de janeiro a agosto de 2019, no município de Olho D’água das Flores – AL, em um fragmento de mata remanescente do Bioma Caatinga, bem como em uma área de cultivo de palma forrageira (Nopalea cochenillifera (L.) Salm-Dyck). As cinco espécies de planta da vegetação natural selecionadas foram: catingueira (Poincianella pyramidalis [Tul.] L.P. Queiroz), juazeiro (Ziziphus joazeiro Martius), Marmeleiro (Croton blanchetianus Baill), Pereiro (Aspidosperma pyrifolium Mart.) e Braúna-do-Sertão (Schinopsis brasiliensis Engl.). A extração dos ácaros foi realizada com a observação de cada folha, utilizando-se microscópio estereoscópico. Os ácaros coletados foram montados em lâmina de microscopia e identificados utilizando chaves dicotômicas especializadas. Um total de 1922 ácaros foram encontrados distribuídos em dez famílias e uma sub-ordem, sendo seis (6) famílias de predadores (Bdellidae, Camerobiidae, Cunaxidae, Iolinidae, Phytoseiidae e Tydeidae,), com a identificação de 16 gêneros e 14 espécies. Phytoseiidae foi a família com maior riqueza de espécies (Amblyseius aerialis Muma 1955, Euseius alatus De Leon, 1966, Euseius concordis Chant 1959, Iphiseiodes zuluagai Denmark e Muma 1972, Typhlodromalus peregrinus Muma 1955, Transeius bellotti Moraes e Mesa 1998 e Neoparaphytoseius sp. n.), sendo T. bellotti e I. zuluagai as espécies mais abundantes e frequentes durante todo o período de estudo. Dentre os predadores encontrados foi descrita uma nova espécie de Neoparaphytoseius Chant e McMurtry 2003, classificado como Phytoseiidae. Ressalta-se que esta é a primeira espécie descrita para o Bioma Caatinga.

6
  • ISABELLE CRISTINA SANTOS MAGALHÃES
  • EXTRATO AQUOSO DE FOLHAS DE PINHEIRA NO MANEJO DA CASCA-PRETA-DO-INHAME

  • Orientador : MARIA DE FATIMA SILVA MUNIZ
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EDNA PEIXOTO DA ROCHA AMORIM
  • MARIA DE FATIMA SILVA MUNIZ
  • MARYLIA GABRIELLA SILVA COSTA
  • Data: 28/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • O inhame (Dioscorea spp.) é a quarta tuberosa mais produzida mundialmente e sua produção vem aumentando a cada ano, devido a sua excelente aceitação para a comercialização no mercado interno e externo, por obter uma gama de utilidades. Entre os problemas fitossanitários que contribuem para a baixa produtividade da cultura do inhame no Brasil, destaca-se a casca-preta causada por Scutellonema bradys, Pratylenchus coffeae e P. brachyurus, que incidem diretamente sobre os rizóforos, ocasionando a necrose nos tecidos. O presente trabalho teve por objetivo avaliar o efeito nematicida do extrato aquoso obtido de folhas de Annona squamosa no manejo da casca-preta-do-inhame em casa de vegetação. As plantas de inhame foram inoculadas 30 dias após o plantio, com suspensão de 1.000 espécimes dos nematoides S. bradys e Pratylenchus sp., com predomínio da primeira espécie, os quais foram aplicados ao solo.  Os experimentos foram conduzidos com delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 5 x 2 + 2, com sete repetições, sendo utilizadas cinco concentrações de extrato de pinha (1,0; 2,0; 3,0; 4,0 e 5,0 %), dois períodos de aplicação (30 e 60 dias após a inoculação), mais o controle negativo (água) e o controle positivo (Benfurocarbe Pottente®), onde a aplicação do extrato foi equivalente a 100 mL por planta nos períodos determinados. Seis meses após o plantio foi avaliado a população de nematoides no solo e raízes, e o fator de reprodução. Não houve diferença significativa para os períodos de aplicação do extrato em ambos os experimentos.  As análises de regressão foram melhor representadas pelo modelo raiz-quadrático e em todos os tratamentos houve redução da população dos nematoides, principalmente a partir da concentração de 3%. O extrato aquoso de folhas de A. squamosa apresentou efeito nematicida, mostrando-se eficiente no manejo das populações de S. bradys e Pratylenchus sp. 


  • Mostrar Abstract
  • O inhame (Dioscorea spp.) é a quarta tuberosa mais produzida mundialmente e sua produção vem aumentando a cada ano, devido a sua excelente aceitação para a comercialização no mercado interno e externo, por obter uma gama de utilidades. Entre os problemas fitossanitários que contribuem para a baixa produtividade da cultura do inhame no Brasil, destaca-se a casca-preta causada por Scutellonema bradys, Pratylenchus coffeae e P. brachyurus, que incidem diretamente sobre os rizóforos, ocasionando a necrose nos tecidos. O presente trabalho teve por objetivo avaliar o efeito nematicida do extrato aquoso obtido de folhas de Annona squamosa no manejo da casca-preta-do-inhame em casa de vegetação. As plantas de inhame foram inoculadas 30 dias após o plantio, com suspensão de 1.000 espécimes dos nematoides S. bradys e Pratylenchus sp., com predomínio da primeira espécie, os quais foram aplicados ao solo.  Os experimentos foram conduzidos com delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 5 x 2 + 2, com sete repetições, sendo utilizadas cinco concentrações de extrato de pinha (1,0; 2,0; 3,0; 4,0 e 5,0 %), dois períodos de aplicação (30 e 60 dias após a inoculação), mais o controle negativo (água) e o controle positivo (Benfurocarbe Pottente®), onde a aplicação do extrato foi equivalente a 100 mL por planta nos períodos determinados. Seis meses após o plantio foi avaliado a população de nematoides no solo e raízes, e o fator de reprodução. Não houve diferença significativa para os períodos de aplicação do extrato em ambos os experimentos.  As análises de regressão foram melhor representadas pelo modelo raiz-quadrático e em todos os tratamentos houve redução da população dos nematoides, principalmente a partir da concentração de 3%. O extrato aquoso de folhas de A. squamosa apresentou efeito nematicida, mostrando-se eficiente no manejo das populações de S. bradys e Pratylenchus sp. 

7
  • TELLIANE SANTOS SALGUEIRO SILVA
  • Interação entre Cotesia flavipes (Cameron, 1891) (Hymenoptera: Braconidae) e Heterorhabditis bacteriophora Poinar, 1976 (Rhabditida: Heterorhabditidae) no parasitismo de Diatraea saccharalis (Fabr., 1974) (Lepidoptera: Crambidae).

  • Orientador : ELIO CESAR GUZZO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ELIO CESAR GUZZO
  • GERALDO PEREIRA DE ARRUDA FILHO
  • JUAN PABLO MOLINA ACEVEDO
  • Data: 28/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • Nematoides entomopatogênicos (NEPs) são considerados organismos benéficos, porém, eles podem afetar insetos que também são benéficos, como os parasitoides. O objetivo deste trabalho foi avaliar a interação entre o endoparasitoide larval Cotesia flavipes (Cameron, 1891) (Hymenoptera: Braconidae) e o nematoide Heterorhabditis bacteriophora Poinar, 1976 (Rhabditida: Heterorhabditidae), no controle da broca da cana-de-açúcar Diatraea saccharalis (Fabricius, 1974) (Lepidoptera: Crambidae), contribuindo com a tomada de decisão para o uso do controle biológico no manejo integrado de pragas (MIP) por parte dos produtores de cana-de-açúcar. Lagartas de D. saccharalis foram oferecidas para fêmeas de C. flavipes para parasitismo. Posteriormente, a cada 3 dias, foram inoculados NEPs. Após a mortalidade (que acontecia após o segundo dia de inoculação), esperou-se 4 dias para se fazer a dissecação de D. saccharalis. Os resultados mostram que NEPs são capazes de matar em 48 horas lagartas de D. saccharalis, matando também as fases de pupa e adulto do mesmo inseto. Os resultados ainda mostram que NEPs invadem o corpo de C. flavipes ainda dentro de D. saccharalis, impedindo assim o desenvolvimento do endoparasitoide. Pode se concluir com essa pesquisa que existe competição intraguilda entre os agentes de controle biológico, porem os mesmos podem ser usados no MIP, respeitando-se um período de carência entre a aplicação deles. Após a liberação do endoparasitoide C. flavipes, deve ser aguardado 9 a 12 dias para aplicação de NEPs, assim o desenvolvimento da mesma não será prejudicado aproveitando em campo a eficiência dos dois inimigos naturais.


  • Mostrar Abstract
  • Nematoides entomopatogênicos (NEPs) são considerados organismos benéficos, porém, eles podem afetar insetos que também são benéficos, como os parasitoides. O objetivo deste trabalho foi avaliar a interação entre o endoparasitoide larval Cotesia flavipes (Cameron, 1891) (Hymenoptera: Braconidae) e o nematoide Heterorhabditis bacteriophora Poinar, 1976 (Rhabditida: Heterorhabditidae), no controle da broca da cana-de-açúcar Diatraea saccharalis (Fabricius, 1974) (Lepidoptera: Crambidae), contribuindo com a tomada de decisão para o uso do controle biológico no manejo integrado de pragas (MIP) por parte dos produtores de cana-de-açúcar. Lagartas de D. saccharalis foram oferecidas para fêmeas de C. flavipes para parasitismo. Posteriormente, a cada 3 dias, foram inoculados NEPs. Após a mortalidade (que acontecia após o segundo dia de inoculação), esperou-se 4 dias para se fazer a dissecação de D. saccharalis. Os resultados mostram que NEPs são capazes de matar em 48 horas lagartas de D. saccharalis, matando também as fases de pupa e adulto do mesmo inseto. Os resultados ainda mostram que NEPs invadem o corpo de C. flavipes ainda dentro de D. saccharalis, impedindo assim o desenvolvimento do endoparasitoide. Pode se concluir com essa pesquisa que existe competição intraguilda entre os agentes de controle biológico, porem os mesmos podem ser usados no MIP, respeitando-se um período de carência entre a aplicação deles. Após a liberação do endoparasitoide C. flavipes, deve ser aguardado 9 a 12 dias para aplicação de NEPs, assim o desenvolvimento da mesma não será prejudicado aproveitando em campo a eficiência dos dois inimigos naturais.

8
  • FERNANDA EMANUELLE MENDONCA DE MORAIS
  • SELETIVIDADE DOS EXTRATOS ORGÂNICOS DE Annona muricata L. E Annona squamosa L.  AO PREDADOR Cryptolaemus montrouzieri Mulsant (Coleoptera: Coccinellidae)

  • Orientador : ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
  • MAURICIO SILVA DE LIMA
  • WENDEL JOSÉ TELES PONTES
  • Data: 28/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • O controle biológico de insetos atua de forma equilibrada com o meio ambiente e mostra bastante eficiência quando combinado com outros métodos de controle. Estudos de seletividade de inseticidas botânicos sobre inimigos naturais são imprescindíveis para associar o controle biológico com o controle alternativo dentro do Manejo Integrado de Pragas (MIP). Dentre os agentes de controle biológico, do grupo predadores merecem destaque as espécies da família Coccinellidae, pois são conhecidos pela voracidade e por seu hábito alimentar generalista. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi avaliar a seletividade dos extratos de Annona muricata L. e Annona squamosa L. sobre o predador Cryptolaemus montrouzieri Mulsant, 1853 (Coleoptera: Coccinellidae). Para isso, foram realizados bioensaios com 7 tratamentos: o extrato etanólico de graviola (EEG 0,23 e 1,19%)e extrato etanólico de pinha(EEP 0,39 e 5,47%), o produto formulado a base de acetogenina Anosom® e o produto comercial Decis 25 EC® ambos testadosna dose recomendada pelo fabricante, além de uma testemunha. Os produtos testados foram classificados seguindo os padrões de seletividade do Grupo de Trabalho Internacional com Organismos Benéficos e Pesticidas da International Organization of Biological Control (IOBC). Na ação dos extratos por contato o EEG 0,23 e 1,19%, e o EEP 0,39%foram considerados inócuos as larvas de quarto ínstar e aos adultos do predador, diferente do tratamento com Decis 25 EC® (tratamento controle positivo) que foi nocivo ao predador. Para o efeito residual todos os tratamentos, exceto o Decis 25 EC®, foram inócuos a larvas e adultos de C. montrouzieri. Quanto a seletividade dos extratos por ingestão o EEG 0,23 e 1,19% e o EEP 0,39%foram classificados como inócuo as larvas e adultos do predador, assemelhando-se ao tratamento com o Anosom®, diferente do EEP 5,47% que causou mortalidade em 30% das larvas de quarto instar e 40% dos adultos tratados, sendo classificado como moderadamente nocivo. O EEG foi o único tratamento classificado como inócuo para as duas fases de desenvolvimento avaliadas, nos três bioensaios realizados, apresentando-se como uma forma de controle alternativo compatível com o agente de controle biológico de C. montrouzieri.


  • Mostrar Abstract
  • O controle biológico de insetos atua de forma equilibrada com o meio ambiente e mostra bastante eficiência quando combinado com outros métodos de controle. Estudos de seletividade de inseticidas botânicos sobre inimigos naturais são imprescindíveis para associar o controle biológico com o controle alternativo dentro do Manejo Integrado de Pragas (MIP). Dentre os agentes de controle biológico, do grupo predadores merecem destaque as espécies da família Coccinellidae, pois são conhecidos pela voracidade e por seu hábito alimentar generalista. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi avaliar a seletividade dos extratos de Annona muricata L. e Annona squamosa L. sobre o predador Cryptolaemus montrouzieri Mulsant, 1853 (Coleoptera: Coccinellidae). Para isso, foram realizados bioensaios com 7 tratamentos: o extrato etanólico de graviola (EEG 0,23 e 1,19%)e extrato etanólico de pinha(EEP 0,39 e 5,47%), o produto formulado a base de acetogenina Anosom® e o produto comercial Decis 25 EC® ambos testadosna dose recomendada pelo fabricante, além de uma testemunha. Os produtos testados foram classificados seguindo os padrões de seletividade do Grupo de Trabalho Internacional com Organismos Benéficos e Pesticidas da International Organization of Biological Control (IOBC). Na ação dos extratos por contato o EEG 0,23 e 1,19%, e o EEP 0,39%foram considerados inócuos as larvas de quarto ínstar e aos adultos do predador, diferente do tratamento com Decis 25 EC® (tratamento controle positivo) que foi nocivo ao predador. Para o efeito residual todos os tratamentos, exceto o Decis 25 EC®, foram inócuos a larvas e adultos de C. montrouzieri. Quanto a seletividade dos extratos por ingestão o EEG 0,23 e 1,19% e o EEP 0,39%foram classificados como inócuo as larvas e adultos do predador, assemelhando-se ao tratamento com o Anosom®, diferente do EEP 5,47% que causou mortalidade em 30% das larvas de quarto instar e 40% dos adultos tratados, sendo classificado como moderadamente nocivo. O EEG foi o único tratamento classificado como inócuo para as duas fases de desenvolvimento avaliadas, nos três bioensaios realizados, apresentando-se como uma forma de controle alternativo compatível com o agente de controle biológico de C. montrouzieri.

9
  • YOLANDA DE MELO DE OLIVEIRA
  • Diversidade do complexo Ralstonia solanacearum no estado de Alagoas

  • Orientador : ADRIANO MARCIO FREIRE SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADRIANO MARCIO FREIRE SILVA
  • GREECY MIRIAN RODRIGUES ALBUQUERQUE
  • MARIA DE FATIMA SILVA MUNIZ
  • Data: 28/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • A murcha bacteriana causada Ralstonia solanacearum é considerada uma das doenças mais destrutivas na agricultura mundial, devido à ampla distribuição geográfica, vasta gama de hospedeiros e difícil controle. O uso de variedades resistentes, principalmente porta-enxertos, é considerada uma medida eficiente de controle da murcha bacteriana. No entanto, a quebra da resistência ocorre frequentemente devido a alta variabilidade genética e fenotípica encontrada dentro do complexo de espécies R. solanacearum. Diante disto, a diversidade genética de Ralstonia solanacearum (filotipo II) (55,3%) e R. pseudosolanacearum (filotipo I) (44,7%) foram analisados em um total de 103 isolados, obtidos de plantas sintomáticas de banana, berinjela, pimenta e tomate, nas mesorregiões do Agreste e Leste alagoano. Com base na genotipagem usando os marcadores REP, foi possível observar a presença de 11 linhas clonais dentre os 103 isolados  analisados,  destas, 22 isolados foram selecionados para o sequenciamento do gene egl. Na mesorregião do Agreste prevaleceu R. solanacearum, sendo detectada apenas isolados da  sequevar IIA-6/35, que  não amplificaram a banda de 220pb especifica  do sequevar 6 pelo Mmx-PCR. Na mesorregião Leste prevaleceu R. pseudosolanacearum (53,9%), sendo caracterizadas as sequevares I-17 e I-18. Vale salientar, que R. solanacearum também foi encontrada de forma significativa (46,1%) nesta mesorregião, sendo identificadas as  sequevares   IIA-36, IIA-41, IIA-53. Este é o primeiro trabalho que relata a diversidade do complexo de espécies R. solanacearum no estado de Alagoas, Brasil.


  • Mostrar Abstract
  • A murcha bacteriana causada Ralstonia solanacearum é considerada uma das doenças mais destrutivas na agricultura mundial, devido à ampla distribuição geográfica, vasta gama de hospedeiros e difícil controle. O uso de variedades resistentes, principalmente porta-enxertos, é considerada uma medida eficiente de controle da murcha bacteriana. No entanto, a quebra da resistência ocorre frequentemente devido a alta variabilidade genética e fenotípica encontrada dentro do complexo de espécies R. solanacearum. Diante disto, a diversidade genética de Ralstonia solanacearum (filotipo II) (55,3%) e R. pseudosolanacearum (filotipo I) (44,7%) foram analisados em um total de 103 isolados, obtidos de plantas sintomáticas de banana, berinjela, pimenta e tomate, nas mesorregiões do Agreste e Leste alagoano. Com base na genotipagem usando os marcadores REP, foi possível observar a presença de 11 linhas clonais dentre os 103 isolados  analisados,  destas, 22 isolados foram selecionados para o sequenciamento do gene egl. Na mesorregião do Agreste prevaleceu R. solanacearum, sendo detectada apenas isolados da  sequevar IIA-6/35, que  não amplificaram a banda de 220pb especifica  do sequevar 6 pelo Mmx-PCR. Na mesorregião Leste prevaleceu R. pseudosolanacearum (53,9%), sendo caracterizadas as sequevares I-17 e I-18. Vale salientar, que R. solanacearum também foi encontrada de forma significativa (46,1%) nesta mesorregião, sendo identificadas as  sequevares   IIA-36, IIA-41, IIA-53. Este é o primeiro trabalho que relata a diversidade do complexo de espécies R. solanacearum no estado de Alagoas, Brasil.

10
  • CECILIA HERNANDEZ RAMIREZ
  • EFEITO DE PRODUTOS BIOLÓGICOS SOBRE NEMATOIDES CAUSADORES DA CASCA-PRETA-DO-INHAME

     

  • Orientador : MARIA DE FATIMA SILVA MUNIZ
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EDNA PEIXOTO DA ROCHA AMORIM
  • JAQUELINE FIGUEREDO DE OLIVEIRA COSTA
  • MARIA DE FATIMA SILVA MUNIZ
  • Data: 11/09/2020

  • Mostrar Resumo
  • O inhame (Dioscorea spp.) é uma hortaliça cultivada, principalmente, em estados da região nordeste do Brasil. Uma das principais doenças que afetam a cultura é a casca-preta causada pelos fitonematoides Scutellonema bradys, Pratylenchus brachyurus e P. coffeae provocando necrose nos tecidos dos rizóforos, sendo necessário o uso de práticas que reduzam as perdas pelos patógenos. O presente trabalho teve por objetivos avaliar em ensaios in vitro e in vivo o efeito nematicida de produtos biológicos comerciais sobre os nematoides causadores da doença. Em placas de Kline foram testados Trichodermil® (Trichoderma harzianum) nas concentrações de 1,5 e 2,0 L produto/200 L de água, Presence® (Bacillus spp.), 100 e 150 g/100 L, Quartzo® (Bacillus spp.) e Bio-Ax® (Carbono orgânico), 5L e 7L/100L, além da testemunha, sobre S. bradys e Pratylenchus sp. Em casa de vegetação, rizóforos-sementes sadios foram cultivados em solo esterilizado e aos trinta dias as plantas foram inoculadas com uma suspensão de 1.000 espécimes de uma população mista formada por S. bradys e P. coffeae. Após 30 dias da inoculação foram aplicados ao solo os produtos Presence® 150 g/100L; Trichodermil® 2 L /200L; Bio Ax® 7 L/100L. Três meses após o plantio foram avaliados a brotação dos rizóforos e no quinto mês, a densidade populacional dos nematoides. A brotação dos rizóforos-semente foi de 100% em todos os tratamentos. Presence® e Trichodermil® causaram 89% e 61% de mortalidade em S. bradys respectivamente, nas maiores concentrações testadas. Em espécimes de Pratylenchus sp., destacou-se Bio-Ax®, apresentando 51% e 45% de mortalidade na maior e menor concentração, respectivamente. Em casa de vegetação, Presence® e Bio Ax® mostraram-se mais efetivos na redução da densidade populacional dos nematoides, comparados à testemunha.


  • Mostrar Abstract
  • O inhame (Dioscorea spp.) é uma hortaliça cultivada, principalmente, em estados da região nordeste do Brasil. Uma das principais doenças que afetam a cultura é a casca-preta causada pelos fitonematoides Scutellonema bradys, Pratylenchus brachyurus e P. coffeae provocando necrose nos tecidos dos rizóforos, sendo necessário o uso de práticas que reduzam as perdas pelos patógenos. O presente trabalho teve por objetivos avaliar em ensaios in vitro e in vivo o efeito nematicida de produtos biológicos comerciais sobre os nematoides causadores da doença. Em placas de Kline foram testados Trichodermil® (Trichoderma harzianum) nas concentrações de 1,5 e 2,0 L produto/200 L de água, Presence® (Bacillus spp.), 100 e 150 g/100 L, Quartzo® (Bacillus spp.) e Bio-Ax® (Carbono orgânico), 5L e 7L/100L, além da testemunha, sobre S. bradys e Pratylenchus sp. Em casa de vegetação, rizóforos-sementes sadios foram cultivados em solo esterilizado e aos trinta dias as plantas foram inoculadas com uma suspensão de 1.000 espécimes de uma população mista formada por S. bradys e P. coffeae. Após 30 dias da inoculação foram aplicados ao solo os produtos Presence® 150 g/100L; Trichodermil® 2 L /200L; Bio Ax® 7 L/100L. Três meses após o plantio foram avaliados a brotação dos rizóforos e no quinto mês, a densidade populacional dos nematoides. A brotação dos rizóforos-semente foi de 100% em todos os tratamentos. Presence® e Trichodermil® causaram 89% e 61% de mortalidade em S. bradys respectivamente, nas maiores concentrações testadas. Em espécimes de Pratylenchus sp., destacou-se Bio-Ax®, apresentando 51% e 45% de mortalidade na maior e menor concentração, respectivamente. Em casa de vegetação, Presence® e Bio Ax® mostraram-se mais efetivos na redução da densidade populacional dos nematoides, comparados à testemunha.

11
  • MIGUEL ANGEL MARTINEZ GUTIERREZ
  • (cis)-JASMONA COMO INDUTOR DE MECANISMO DE DEFESA VEGETAL DE  Vigna unguiculata (L.) Walp. (Fabaceae) PARA RESISTÊNCIA A Aphis craccivora Koch 1854 (HEMIPTERA: APHIDIDAE).

  • Orientador : HENRIQUE FONSECA GOULART
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GAUS SILVESTRE DE ANDRADE LIMA
  • HENRIQUE FONSECA GOULART
  • JOÃO GOMES DA COSTA
  • Data: 07/10/2020

  • Mostrar Resumo
  • O feijão caupi, Vigna unguiculata (L.) Walp. (Fabaceae), é uma leguminosa importante na dieta humana. Um  dos fatores limitantes para sua produção é o pulgão preto, Aphis craccivora  Koch 1854 (Hemíptera: Aphididae) , responsável pela transmissão do vírus do mosaico (Cowpea aphid borne mosaic virus, CABMV). Umas das ferramentas no manejo integrado dessa praga é o uso de variedades resistentes, semioquímicos e indutores de resistência, que são um método ambientalmente adequado para os agricultores. O projeto  tem como objetivo  estudar a função do (Z)-jamosne  na ativação do volátil da planta  mecanismo de defesa do feijão caupi para resistir aos ataques do pulgão preto. Para tanto, trabalhamos com 3 genótipos de feijão-caupi (Vita 7, , BRS-Guariba e BR19 Gurgueia) e também verificar se o uso desta ferramenta causa alguma diferença de produtividade da planta. O trabalho será realizado com a plantação, a criação de pulgão no laboratório, a avaliação da susceptibilidade de cultivares, aplicação de cis-jasmona para testes antibioses, recolhendo compostos  voláteis antes e após da infestação, realizar bioensaios de comportamento com o olfatometro de quatro braços  em relação ao pulgão preto e finalmente tornar a identificação dos produtos voláteis, utilizando cromatógrafo gasoso acoplado ao espectrômetro de massas (EM) e Cromatografia Gasosa acoplada a eletroantenografia (CG-EAG). Atualmente foram descobertas as propriedades semioquímicas da (Z)-jasmona (BIRKETT et al., 2000; BRUCE et al., 2003) .Este produto, além de ter revelado propriedades repelentes para alguns pulgões de clima temperado, também se mostrou atrativo aos seus inimigos naturais, notadamente joaninhas e parasitoides (BIRKETT et al., 2000) ativando desta forma o terceiro nível trófico, responsável pelo controle biológico dos fitófagos. Trabalhos atuais têm revelado o papel da Z-jasmona no controle de insetos praga (DEWHIRST et al., 2012; VIEIRA et al., 2013) Os resultados esperados neste projeto são: o cultivo de BR19 Gurguéia (comercial) junto com o Vita 7 que são considerados variedades suscetíveis nesta investigação, a indução de compostos orgânicos voláteis liberados pelas variedades Vita 7 e BR19 Gurgueia após a aplicação de (Z)- jasmona é esperada com ação de repelência em o pulgão preto A. craccivora significativamente repelente, além de identificar a atração de seus inimigos naturais.


  • Mostrar Abstract
  • O feijão caupi, Vigna unguiculata (L.) Walp. (Fabaceae), é uma leguminosa importante na dieta humana. Um  dos fatores limitantes para sua produção é o pulgão preto, Aphis craccivora  Koch 1854 (Hemíptera: Aphididae) , responsável pela transmissão do vírus do mosaico (Cowpea aphid borne mosaic virus, CABMV). Umas das ferramentas no manejo integrado dessa praga é o uso de variedades resistentes, semioquímicos e indutores de resistência, que são um método ambientalmente adequado para os agricultores. O projeto  tem como objetivo  estudar a função do (Z)-jamosne  na ativação do volátil da planta  mecanismo de defesa do feijão caupi para resistir aos ataques do pulgão preto. Para tanto, trabalhamos com 3 genótipos de feijão-caupi (Vita 7, , BRS-Guariba e BR19 Gurgueia) e também verificar se o uso desta ferramenta causa alguma diferença de produtividade da planta. O trabalho será realizado com a plantação, a criação de pulgão no laboratório, a avaliação da susceptibilidade de cultivares, aplicação de cis-jasmona para testes antibioses, recolhendo compostos  voláteis antes e após da infestação, realizar bioensaios de comportamento com o olfatometro de quatro braços  em relação ao pulgão preto e finalmente tornar a identificação dos produtos voláteis, utilizando cromatógrafo gasoso acoplado ao espectrômetro de massas (EM) e Cromatografia Gasosa acoplada a eletroantenografia (CG-EAG). Atualmente foram descobertas as propriedades semioquímicas da (Z)-jasmona (BIRKETT et al., 2000; BRUCE et al., 2003) .Este produto, além de ter revelado propriedades repelentes para alguns pulgões de clima temperado, também se mostrou atrativo aos seus inimigos naturais, notadamente joaninhas e parasitoides (BIRKETT et al., 2000) ativando desta forma o terceiro nível trófico, responsável pelo controle biológico dos fitófagos. Trabalhos atuais têm revelado o papel da Z-jasmona no controle de insetos praga (DEWHIRST et al., 2012; VIEIRA et al., 2013) Os resultados esperados neste projeto são: o cultivo de BR19 Gurguéia (comercial) junto com o Vita 7 que são considerados variedades suscetíveis nesta investigação, a indução de compostos orgânicos voláteis liberados pelas variedades Vita 7 e BR19 Gurgueia após a aplicação de (Z)- jasmona é esperada com ação de repelência em o pulgão preto A. craccivora significativamente repelente, além de identificar a atração de seus inimigos naturais.

SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 01/07/2022 20:52