PPGPP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO DE PLANTAS CAMPUS DE ENGENHARIA E CIÊNCIAS AGRÁRIAS Telefone/Ramal: 99963-8987

Banca de DEFESA: KEVISON ROMULO DA SILVA FRANÇA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KEVISON ROMULO DA SILVA FRANÇA
DATA : 29/02/2024
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de aula do prédio da pós-graduação
TÍTULO:

IDENTIFICAÇÃO DE Lasiodiplodia spp. ASSOCIADAS À PODRIDÃO DA COROA EM BANANEIRA NAS REGIÕES NORTE E NORDESTE DO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Botryosphaeriaceae, Filogenia multilocus, Fungicidas, Musa spp.


PÁGINAS: 60
RESUMO:

A banana é a fruta mais produzida no mundo. No Brasil, a região Nordeste possui a maior extensão de área cultivada e, junto da região Norte, respondem por aproximadamente 47% da produção nacional. Embora seja uma cultura de grande importância socioeconômica, sua a produtividade tem sido limitada pela ocorrência de diversos problemas fitossanitários. A podridão da coroa, uma das principais doenças pós-colheita em frutos de bananeira, ocasiona perdas significativas durante o armazenamento, transporte e comercialização. As infecções ocorrem durante a colheita, no entanto, os sintomas surgem na pós-colheita, durante a maturação fisiológica dos frutos. Diferentes fungos são associados a esta doença, podendo variar de acordo com as regiões geográficas, com destaque a espécies do gênero Lasiodiplodia. Nesse contexto, o presente estudo tem como objetivo identificar as espécies de Lasiodiplodia associadas à podridão da coroa em áreas produtoras de bananeira nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. No primeiro capítulo, foram obtidos 114 isolados patogênicos de Lasiodiplodia oriundos de plantios comerciais nos Estados do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Acre e Pará. Com base em análises morfológicas e moleculares e filogenéticas foi possível a identificação de seis espécies de Lasiodiplodia associadas à podridão da coroa, L. hormozganensis, L. laeliocattleyae, L. iraniensis, L. pseudotheobromae, L. brasiliensis e L. theobromae. No segundo capítulo, foi avaliado o perfil de sensibilidade das seis espécies identificadas a fungicidas com diferentes ingredientes ativos. A eficácia dos fungicidas na inibição do crescimento micelial variou entre espécies e de acordo com o ingrediente ativo avaliado. Fipronil + Tiofanato-Metílico + Piraclostrobina, Tiofanato-metílico e Clorotalonil apresentaram os maiores valores de inibição, seguidos de Difenoconazol, Piraclostrobina e Azoxistrobina+Difenoconazol.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1546023 - IRAILDES PEREIRA ASSUNCAO
Interno(a) - 1790557 - GILDEMBERG AMORIM LEAL JUNIOR
Externo(a) ao Programa - 1997483 - JAQUELINE FIGUEREDO DE OLIVEIRA COSTA - UFALExterno(a) ao Programa - 3339094 - MAYRA MACHADO DE MEDEIROS FERRO - UFALExterno(a) à Instituição - FREDERICO MONTEIRO FEIJÓ - UFAL
Notícia cadastrada em: 22/02/2024 14:27
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 22/05/2024 01:52