PPGPP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO DE PLANTAS CAMPUS DE ENGENHARIA E CIÊNCIAS AGRÁRIAS Telefone/Ramal: 99963-8987

Banca de QUALIFICAÇÃO: GUILHERME VELOSO DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GUILHERME VELOSO DA SILVA
DATA : 22/03/2024
HORA: 09:00
LOCAL: CECA
TÍTULO:

ACAROFAUNA ASSOCIADA A CULTURA DO ABACAXI, RECONHECIMENTO E TÁTICAS DE CONTROLE


PALAVRAS-CHAVES:

Bromeliaceae, Ananas comosus, Controle biológico Cosmolaelaps


PÁGINAS: 77
RESUMO:

O cultivo de abacaxi representa uma atividade economicamente relevante em diversos estados brasileiros. Contudo, essa cultura é atacada por várias espécies de pragas, resultando em danos consideráveis e consequentes perdas. Apesar disto, observa-se uma carência de estudos detalhados sobre a composição faunística de uma das principais pragas que são os ácaros associados a essa cultura, bem como de estratégias eficazes de controle de pragas, principalmente direcionadas ao ácaro alaranjado (Dolichotetranychus floridanus). Este trabalho tem como objetivo o reconhecimento da acarofauna associada à cultura do abacaxi, bem como estratégias de controle específicas, visando mitigar as perdas econômicas associadas a presença de D. floridanus na cultura. Para o controle químico foi empregado o delineamento em blocos casualizados, com cinco tratamentos e quatro repetições para realizar o experimento. Os produtos testados foram: Abamectin®, Orthene®, Lorsban®, Pirate® e água (utilizada como controle). Cada produto foi aplicado nas seguintes dosagens: 50mL/50L, 50g/L, 75mL/50L e 50mL/50L, respectivamente. Após a aplicação dos produtos, foram realizadas quatro avaliações em laboratório no período de 2, 4, 8 e 16 dias. Nessas avaliações, os ácaros da espécie D. floridanus foram identificados e quantificados de acordo com o número de colônias formadas, observando os ferimentos que causaram clorose/necrose, e posteriormente foram devidamente identificados. Constatou-se que o Lorsban® e Pirate® tiveram uma maior eficácia na diminuição das populações de D. floridanus, em mudas com clorose, com destaque para Lorsban® que possibilitou mortalidade de 100% dos ácaros no segundo dia de avalição. Após o período de avaliação de oito dias, verificou-se um incremento no número de ácaros vivos nas colônias tratadas com Orthene® e Pirate®.Para o controle biológico, estabeleceram-se colônias de ácaros do gênero Cosmolaelaps em recipientes plásticos de 7 cm de altura por 11 cm de diâmetro. O substrato consistiu em uma camada de 0,5 cm de uma mistura de gesso e carvão ativado na proporção de 9:1. A umidade foi mantida com fonte alimentar fitonematoides e adição diária de água destilada. As unidades experimentais foram placas de Petri de plástico (2 cm de altura x 3 cm de diâmetro), com a base coberta por uma camada de 0,5 cm da mesma mistura de gesso e carvão ativado. Em cada unidade experimental, 1 fêmea do gênero Cosmolaelaps foi colocada para cada 40 presas (D. floridanus). A capacidade predatória foi avaliada em diferentes períodos: 24, 48, 72 e 96 horas. Os dados foram submetidos a análise de variância pelo teste de regressão. No que se refere capacidade predatória do ácaro Cosmolaelaps sp. no controle de D. floridanus ao longo de 24 horas, observou-se que as fêmeas adultas de Cosmolaelaps sp. consumiram 92% de D. floridanus, indicando uma aceitação pela presa. A baixa porcentagem de predação é atribuída ao alto consumo em períodos anteriores. No período de 72 horas, ovos foram observados nas arenas.O inseticida-acaricida Lorsban® foi o mais eficaz no controle de D. floridanus. Considerando a elevada aceitação de presas, o ácaro do gênero Cosmolaelaps sp. mostrou-se promissor agente de controle biológico. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1642163 - EDMILSON SANTOS SILVA
Interno(a) - 2337920 - ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
Externo(a) à Instituição - JANDIR CRUZ SANTOS
Notícia cadastrada em: 21/03/2024 12:08
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 22/05/2024 02:59