PPGPP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO DE PLANTAS CAMPUS DE ENGENHARIA E CIÊNCIAS AGRÁRIAS Telefone/Ramal: 99963-8987

Banca de DEFESA: ALESKA BATISTA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALESKA BATISTA DA SILVA
DATA : 30/03/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO:

GESSO COMO AGENTE DISPERSANTE DE ÓLEO ESSENCIAL NO CONTROLE DE PRAGAS DE GRÃOS ARMAZENADOS


PALAVRAS-CHAVES:

Controle Alternativo, Formulação, Pó Inerte, Mentha piperita, S. zeamais.


PÁGINAS: 50
RESUMO:

As pragas de grãos armazenados, dependendo do nível populacional, podem causar deterioração total dos produtos armazenados. O controle desses insetos-praga, geralmente é feito por meio de expurgo ou fumigação, porém estudos utilizando compostos secundários obtidos de plantas, principalmente com óleos essenciais e pós vegetais tem se expandido, devido a eficiência comprovada em pesquisas contra pragas de grãos armazenados. Entretanto, a sua utilização na prática, ainda é um desafio para a pesquisa, pois por ser volátil, se dispersa muito rápido perdendo o seu efeito com grande facilidade. Com isso, objetivou-se com este trabalho desenvolver um dispersante natural a base de gesso para facilitar a aplicação na prática do óleo essencial de Mentha piperita  no controle de adultos de Sitophilus zeamais Mots. 1763 (Coleoptera: Curculionidae). Cada dispersante foi preparado com uma mistura de 8,5g  de gesso em 5,5 mL de água, sendo moldados em fôrmas de alumínio de 0,3 x 0,2 x 0,1cm. As avaliações da eficiência do dispersante de gesso foram feitas pelos seguintes testes: de fumigação, em recipientes de vidro de 1,3 L de capacidade com 20 adultos de S. sitophilus, com até 15 dias de idade, não sexados, sendo avaliado com 48h a percentagem de mortalidade; e de repelência, em arenas compostas por três recipientes de vidro interligados linearmente, sendo nos recipientes das extremidades adicionados 20 g de grãos de milho, constituindo de um lado o recipiente sem o tratamento (testemunha) e no outro lado, os tratamentos e, no recipiente central foram liberados 16 adultos não sexados de S. zeamais com até 15 dias de idade. Após 48 h, os insetos contidos em cada recipiente foram quantificados, para a avaliação da repelência através da fórmula: I.R. = 2G / (G + P). Ainda foi avaliado a persistência dos efeitos fumigante e repelente do óleo essencial e do dispersante de gesso. No teste de fumigação, com o óleo essencial e o dispersante de gesso, foram estimadas as CL50 de 23,78; 34,32 e CL99 de 54,27; 79,28 μL 40g de grãos, respectivamente. Para o teste de contato apenas com o óleo essencial, as concentrações subletal e letal foram de (CL50) 25,84 e (CL99) 48,40 μL 40g de grãos, respectivamente. No teste de repelência, apenas a concentração de 26 μL foi repelente tanto para o óleo essencial quanto para o dispersante. Na avaliação da persistência, o efeito repelente e fumigante  do óleo essencial e do dispersante de gesso, foram de  15 e 24 dias; e 21 e 30 dias, respectivamente. Sendo assim, conclui-se que o dispersante de gesso se mostrou bastante promissor, pois apresenta efeito fumigante e repelente contra S. zeamais, e contribuiu para uma maior persistência quando comparado a aplicação do óleo sem o dispersante. Esse resultado, é inovador na área de controle alternativo com pragas de grãos armazenados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2337920 - ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
Interna - 1389433 - MARIANA OLIVEIRA BREDA
Externa à Instituição - SOLANGE MARIA DE FRANÇA - UFPI
Notícia cadastrada em: 28/03/2021 08:25
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 22/05/2024 01:35