PPGPP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO DE PLANTAS CAMPUS DE ENGENHARIA E CIÊNCIAS AGRÁRIAS Telefone/Ramal: 99963-8987

Banca de DEFESA: JOICE KESSIA BARBOSA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOICE KESSIA BARBOSA DOS SANTOS
DATA : 27/07/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Maceió
TÍTULO:

IDENTIFICAÇÃO DOS SEMIOQUÍMICOS ENVOLVIDOS NA COMUNICAÇÃO DA PRAGA URBANA Euchroma gigantea (Linnaeus 1758) (COLEOPTERA: BUPRESTIDAE) EM Pachira aquatica Aublet (1775) (BOMBACACEAE)


PALAVRAS-CHAVES:

feromônios, coleóptero, ecologia química.


PÁGINAS: 100
RESUMO:

A grande diversidade biológica de árvores nas cidades contribui ecológica e
esteticamente para tornar o ambiente urbano mais agradável, desempenhando
um papel significativo na melhoria das condições de vida da cidade. No
entanto, a qualidade do conjunto arbóreo pode ser negativamente afetada pelo
ataque de insetos em diversos estágios de desenvolvimento de árvores. Uma
das principais pragas que atacam as mungubas e paineiras é o Euchroma
gigantea L. 1758 (Coleoptera: Buprestidae), conhecido como besouro metálico
ou buprestídeo gigante da América do Sul, devido ao seu tamanho, é um dos
artrópodes que atacam as bombacáceas. Em ataques de E. gigantae não há
informações sobre a regulação de insetos por meio da ação de agentes de
controle biológico. Até o presente momento, não há na literatura ou no
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) informações sobre
um inseticida potencialmente eficiente no para o manejo de E. gigantea em
áreas urbanas. Atualmente, somente o controle cultural tem sido eficiente para
redução de populações do inseto-praga, que consiste na catação manual dos
insetos adultos e não há relatos sobre a ação de agentes de controle natural
regulando a população desta praga. Diante disto, O trabalho tem como objetivo
identificar os compostos voláteis presentes em machos e fêmeas de Euchroma
gigantea (Linnaeus, 1758) (Coleoptera: Buprestidae) coletados em árvores de
Pachira aquatica Aubl. (1775) para obtenção de feromônios a serem utilizados
em seu controle. O trabalho será desenvolvido no Laboratório de Pesquisas em
Recursos Naturais(LPqRN) do Instituto de Química e Biotecnologia da
Universidade Federal de Alagoas- – Campus A.C. Simões (9°33’88”S;
35°46’94”O) com apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Belo
Horizonte(SMMABH), Prefeitura de Belo Horizonte(PBH) e da Fundação de
Parques Municipais e Zoobotânicas(FPMZ) do Estado de Minas Gerais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2149347 - HENRIQUE FONSECA GOULART
Interna - 2337920 - ROSEANE CRISTINA PREDES TRINDADE
Externo ao Programa - 287.291.704-78 - JOÃO GOMES DA COSTA - EMBRAPA
Notícia cadastrada em: 16/07/2021 07:37
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-3.srv3inst1 22/05/2024 02:43