PPGPP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO DE PLANTAS CAMPUS DE ENGENHARIA E CIÊNCIAS AGRÁRIAS Telefone/Ramal: 99963-8987

Banca de QUALIFICAÇÃO: GEORGIA DE SOUZA PEIXINHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GEORGIA DE SOUZA PEIXINHO
DATA : 24/02/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Sala Virtual Googlemeet
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO DE Colletotrichum spp. ASSOCIADOS À ANTRACNOSE em FLORES TROPICAIS NO NORDESTE DO BRASIL E USO DE ÓLEOS ESSENCIAIS NO CONTROLE DA DOENÇA


PALAVRAS-CHAVES:

flor de corte, inflorescência, pós- colheita, doença, fungo


PÁGINAS: 108
RESUMO:

A antracnose é a principal doença causada pelas espécies de Colletotrichum e ocorre sobre uma vasta gama de hospedeiros. Em espécies de flores tropicais a doença causa sérios problemas na produtividade, principalmente em regiões tropicais e subtropicais. . Embora várias espécies do gênero tenham sido relatadas causando antracnose nestas plantas em diferentes partes do mundo, pouco se sabe sobre a etiologia da doença no Brasil. Por tanto, os objetivos deste estudo foram identificar espécies do gênero Colletotrichum,através da caracterização molecular e morfocultural associadas a diferentes espécies de flores tropicais, avaliar a patogenicidade cruzada dessas espécies de Colletotrichum identificadas e testar diferentes óleos essenciais no controle da doença. Para a caracterização molecular o DNA genômico dos isolados, foram analisados pelo protocolo CTAB 2% com modificações. A sequência parcial do gene gliceraldeído-3-fosfato desidrogenase (GAPDH) foi amplificada usando os primers GDF/GDR, para uma identificação preliminar dos isolados e avaliação da diversidade haplotípica das espécies. Posteriormente, representantes de cada espécie, baseado nos haplótipos, foram amplificados com outro gene, β-tubulina (TUB2), e a região ITS-rDNA. A caracterização cultural consistiu na obtenção do crescimento micelial das colônias, através de mensuração diária em duas direções diametricamente opostas e observação da coloração das colônias avaliadas após sete dias. A caracterização morfológica foi baseada na forma e tamanho de 50 conídios e apressórios. As medidas de comprimento e largura foram obtidas através de imagens capturadas por câmera digital acoplada ao microscópio óptico com aumento de 400x, através do software Cellsenses Standard. Foi analisado o crescimento micelial de Colletotrichum spp. em placas de Petri contendo o meio BDA suplementado com os seguintes produtos químicos: mancozeb (240g); tiofanato metílico (45 g.L-1) e óleos essenciais: óleo essencial de capim-limão, citronela e menta (0,75; 1,5; 2,25 e 3%) e ADE para todas as testemunhas. Os tratamentos selecionados in vitro foram utilizados no experimento in vivo aplicados 72 e 48 horas antes da inoculação do patógeno (indutor de resistência) e 72 e 48 horas após a inoculação (curativo), para o primeiro experimento. No segundo experimento foram utilizados os óleos de citronela e menta (0,25; 0,5; 0,75 e 1%) e tiofanato metílico (45 g.L-1), 72 e 48 horas, separadamente, antes da inoculação (indutor de resistência) e 72 e 48 horas após a inoculação (curativo). As inflorescências foram submetidas à inoculação com o patógeno, através do método de pulverização (106 con./mL). Após 4 dias, foi determinado o índice e severidade e incidência da doença. Os dados foram submetidos a análise de variância (ANOVA), e quando apresentaram diferenças significativas as médias dos tratamentos foram comparadas pelo Teste de Scott-Knott ao nível de 5% de probabilidade, utilizando o programa SISVAR. Foram determinadas os compostos presentes nos óleos essenciais. Foi possível identificar cinco espécies dentro dos complexos C. gloesporioides e C. orchidearum. Os óleos essências de citronela, capim- limão e menta reduziram a severidade da doença.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1119045 - EDNA PEIXOTO DA ROCHA AMORIM
Externa ao Programa - 032.999.174-47 - JULIANA PAIVA CARNAUBA - IFAL
Interna - 2149632 - SARAH JACQUELINE CAVALCANTI DA SILVA
Notícia cadastrada em: 20/02/2022 21:04
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 22/05/2024 02:09