PPGPP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO DE PLANTAS CAMPUS DE ENGENHARIA E CIÊNCIAS AGRÁRIAS Telefone/Ramal: 99963-8987

Banca de DEFESA: GESSIANE MARIA DA SILVA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GESSIANE MARIA DA SILVA SANTOS
DATA : 08/03/2023
HORA: 13:30
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO:

COMPONENTES DE ADAPTABILIDADE SAPROFÍTICA DE ISOLADOS DE Rhizoctonia solaniAG-4 HGI ASSOCIADOS À BRÁSSICAS  HORTALIÇAS NO BRASIL  


PALAVRAS-CHAVES:

Brassicaceae; fungo habitante do solo; crescimento micelial; temperatura; pH; potencial hídrico; salinidade; fungicida. 


PÁGINAS: 45
RESUMO:

A rizoctoniose é uma importante doença das brássicas hortaliças no Brasil, causada principalmente por Rhizoctonia solani AG-4 HGI. No entanto, até o momento inexistem estudos sobre os componentes de adaptabilidade saprofítica dos isolados. Diante disso, o objetivo dessa dissertação foi comparar a adaptabilidade saprofítica dos isolados de R. solani AG-4 HGI associados à brássicas hortaliças no Brasil em relação à sensibilidade do crescimento micelial a diferentes temperaturas, níveis de pH, potencial hídrico e salinidade, e fungicidas. Em todos os experimentos foram utilizados 42 isolados de R. solani obtidos de brássicas hortaliças com sintomas de rizoctoniose e pertencentes ao grupo de anastomose AG-4 HGI. Os isolados diferiram de sensibilidade nas temperaturas de 15, 25 e 35 °C, bem como nos níveis de pH 5, 7 e 9, de potencial hídrico de -0,8, -1,6 e -3,2 MPa e de salinidade de 1, 2 e 4%. A maioria dos isolados apresentou maior crescimento a 25 °C e menor a 15 °C. Usando a análise de agrupamento de Scott-Knott, foram constatados cinco grupos de isolados a 15 °C e 25 °C, e oito grupos a 35 °C. A maioria dos isolados apresentou menor crescimento em pH 9, mas 38,1% dos isolados não foram influenciado pelos pH. Foram constatados seis, cinco e quatro grupos de isolados em pH 5, 7 e 9, respectivamente. Todos os isolados reduziram a taxa de crescimento com a diminuição do potencial hídrico e foram constatados oito grupos de isolados em -0,8 MPa e -3,2 MPa, e sete grupos em -1,6 MPa. A maioria dos isolados reduziu o crescimento com a elevação do nível de salinidade, sendo constatados cinco grupos de isolados em 1% e 2% de salinidade, e quatro grupos em 4% de salinidade. A maioria dos isolados evidenciou sensibilidade aos fungicidas fludioxonil, pencicuron e tiofanato metílico, mas com diferentes níveis de inibição no crescimento. As médias de inibição foram de 99,94%, 91,59% e 12,01% para fludioxonil, pencicuron e tiofanato metílico, respectivamente. A inibição do crescimento de 54,8% dos isolados foi elevada e similar com fludioxonil e pencicuron. Foi constatado somente um grupo de isolados quando utilizado fludioxonil, dois grupos com pencicuron e 11 grupos com tiofanato metílico. A análise multivariada separou os 42 isolados em cinco grupos. Os isolados de R. solani AG-4 HGI, apesar de pertencerem a um mesmo grupo de anastomose, são separados em diferentes grupos de similaridade baseado na adaptabilidade saprofítica, indicando a necessidade dessa variabilidade ser considerada no desenvolvimento de estratégias de manejo da rizoctoniose em brássicas hortaliças no Brasil.


MEMBROS DA BANCA:
Interno(a) - 1546023 - IRAILDES PEREIRA ASSUNCAO
Presidente - 054.821.814-56 - KAMILA CÂMARA CORREIA - UFRPE
Externo(a) à Instituição - MARISSONIA DE ARAUJO NORONHA
Notícia cadastrada em: 07/03/2023 14:34
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-4.srv4inst1 22/05/2024 02:23