Banca de QUALIFICAÇÃO: KESSYA RAYANNE DE ARAUJO SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KESSYA RAYANNE DE ARAUJO SANTOS
DATA : 16/06/2021
HORA: 14:00
LOCAL: sala virtual google meet: https://meet.google.com/fsh-sshw-fso?hs=122&authuser=1
TÍTULO:

PÓS-TRATAMENTO DE LIXIVIADO DE ATERRO SANITÁRIO POR PROCESSOS FÍSICO-QUÍMICOS E SEPARAÇÃO POR MEMBRANAS34


PALAVRAS-CHAVES:

Lixiviado, Aterro Sanitário, Tratamento físico-químico


PÁGINAS: 34
RESUMO:

O lixiviado de aterro sanitário é um efluente complexo e variável com alto poder poluidor devido sua alta concentração de amônia e matéria orgânica, além de elevadas concentrações de compostos tóxicos e metais pesados. É gerado a partir da decomposição dos resíduos sólidos urbanos nos aterros sanitários e o seu tratamento comumente envolve uma combinação de processos biológicos e processos físico-químicos para que o efluente final alcance os limites de lançamentos da legislação ambiental e evite assim, danos ambientais. Em geral, quando o lixiviado é jovem, processos biológicos padrão podem ser aplicados devido a elevada biodegradabilidade do efluente (alta razão DBO/DQO). Entretanto, quando o lixiviado do aterro sanitário é maduro ou estabilizado, é difícil de ser tratado biologicamente devido à alta resistência de nitrogênio amoniacal e baixa relação DBO/DQO, tornando-se imprescindível a aplicação de processos físico-químicos, dentre os quais destacam-se a coagulação/floculação, a adsorção e a filtração por membrana. Visto que é difícil definir um lixiviado típico e há a necessidade de avaliar o tipo de tratamento viável e eficiente em cada caso, este estudo visa avaliar a eficiência do processo de pós-tratamento do lixiviado de um aterro sanitário em operação, dotado de células novas e antigas, composto de coagulação/floculação/decantação, filtração por carvão ativado e zeólitas, seguido de nanofiltração e polimento final por osmose reversa, em escala real e ensaios em bancada, para remoção da carga orgânica e nitrogênio remanescentes do lixiviado pré-tratado biologicamente. O enquadramento do efluente tratado aos padrões de lançamento da Legislação Brasileira também será avaliado. Será feita a caracterização do lixiviado bruto e pré-tratado a partir de dados primários e secundários dos parâmetros comumente monitorados. Ensaios em escala de bancada em jar test para seleção e dosagem de coagulantes, e ensaios em filtros de carvão ativado e zeólitas serão realizados para posterior aplicação na ETE em escala real. Além disso, serão feitas medições de vazão de lixiviado e levantados dados das dimensões das unidades que compõem o pós-tratamento. É esperado deste trabalho a identificação das principais características e limitações do pós-tratamento existente e alternativas tecnológicas que possam ampliar sua eficiência, podendo servir de modelo para outros aterros sanitários com características semelhantes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1121201 - NELIA HENRIQUES CALLADO
Interna - 1644323 - KARINA RIBEIRO SALOMON
Interno - 1774383 - EDUARDO LUCENA CAVALCANTE DE AMORIM
Notícia cadastrada em: 31/05/2021 16:57
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 29/05/2022 09:29