Banca de DEFESA: SAMUEL SANTOS DE OLIVEIRA



Uma banca de DEFESA DE MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: SAMUEL SANTOS DE OLIVEIRA
DATA: 21/08/2020
HORA: 16:30
LOCAL: https://conferenciaweb.rnp.br/conference/rooms/camila-25/invite
TÍTULO:

BRASIL E ESTADOS UNIDOS NAS CADEIAS GLOBAIS DE VALOR: UMA ANÁLISE COMPARATIVA E DO COMÉRCIO BILATERAL NO PERÍODO 2005-2016


RESUMO:

O objetivo da dissertação é realizar uma análise comparativa dos fluxos comerciais do Brasil e dos Estados Unidos à luz das Cadeias Globais de Valor (CGV) no período recente (2005-2016). A principal contribuição está, sobretudo, na metodologia de análise do comércio bilateral entre as duas economias, a qual utiliza além de dados brutos de comércio internacional, indicadores de valor adicionado provenientes da matriz de insumo-produto global Trade in Value Added (TiVA), que torna-se mais adequada no contexto da fragmentação internacional da produção. Os principais resultados reforçam no período recente o padrão de comércio internacional historicamente estabelecido para o Brasil e os Estados Unidos, pautados, respectivamente, por uma maior presença de primários e manufaturados em suas pautas de exportações e por, respectivamente, uma tendência de concentração versus diversificação da pauta. Os dois países demonstraram um perfil de participação similar nas CGV – ambos apresentam um posicionamento mais a montante, com maior participação para frente do que para trás em todo o período analisado. Entretanto, a nível setorial revelamos que os setores responsáveis por essas maiores participações para frente não são os mesmos, diferenciados justamente pelo perfil tecnológico dos dois países nas CGV. A análise do comércio bilateral entre os países evidenciou uma perda de relevância do papel dos EUA não só como destino das exportações brasileiras, mas também como origem de suas importações. No âmbito das CGV, verificamos que o Brasil é mais dependente de valor adicionado advindo dos Estados Unidos para se estabelecer nas CGV do que o inverso. Ademais, a relação bilateral Brasil-EUA à luz da globalização produtiva não tem permitido uma maior aproximação entre essas economias, de modo que o comércio entre eles está mais pautado nos moldes tradicionais (bens finais) do que pelas CGV. Por fim, destacou-se o crescimento da importância da indústria de Equipamentos de transporte no comércio bilateral entre os países no âmbito das CGV.


PALAVRAS-CHAVE:

Cadeias Globais de Valor; Fragmentação da Produção; Comércio bilateral; Brasil; Estados Unidos.


PÁGINAS: 116
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Economia
SUBÁREA: Economia Internacional
ESPECIALIDADE: Relações do Comércio; Política Comercial; Integração Econômica

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1914572 - CAMILA DO CARMO HERMIDA
Interno(a) - 1870794 - ANDERSON MOREIRA ARISTIDES DOS SANTOS
Externo(a) à Instituição - CLÉSIO LOURENÇO XAVIER - UFU
Notícia cadastrada em: 25/08/2020 14:12
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 09/08/2022 22:10