Banca de DEFESA: ROGERIO DA SILVA SANTOS



Uma banca de DEFESA DE MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: ROGERIO DA SILVA SANTOS
DATA: 12/05/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

Variação temporal da carga de nutrientes no baixo São Francisco para os anos de 2008, 2009 e 2010


RESUMO:

Rios possuem regime variável, tornando-se, em algumas regiões do planeta, crítico o abastecimento em períodos de estiagem. Com isso são construídos reservatórios, objetivando armazenar água durante a estação chuvosa, formando uma reserva hídrica para a estação seca. Nos últimos 30 anos o Rio São Francisco e seu estuário sofreram grande redução na descarga de água doce e no aporte de material em suspensão. A ocorrência de eventos climáticos de secas e cheias promoveu a oportunidade da avaliação do impacto da operação do sistema de barragens em cascata. No Brasil são construídas barragens em muitos rios para abastecimento de populações, irrigação de terras e, principalmente, produção de eletricidade. O país possui um elevado potencial hidroelétrico (213.000 MW) tendo como potencial instalado 133.977 MW. A bacia hidrográfica do rio São Francisco abrange áreas dos Estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe, ocupando uma área total de 638.466 km2, o equivalente a 7,5% do território nacional. Estudos permitiram verificar uma redução no aporte de sedimentos em suspensão a jusante do rio, isso ocorre, provavelmente, devido à retenção de sedimentos nos reservatórios construídos ao longo do curso do rio. O presente trabalho objetiva realizar amostragens com periodicidade mensal para medição da carga de fósforo, nitrogênio e clorofila aem suspensão no rio São Francisco, na ponte rodoferroviária, localizada entre as cidades de Propriá (SE) e Porto Real do Colégio (AL). Neste estudo foram analisadas amostragens nos anos de 2008, 2009 e 2010 com periodicidade mensal, visando determinar o fluxo de fósforo, nitrogênio e clorofila a numa estação próxima a ponte rodoferroviária entre as cidades de Propriá (SE) e Porto Real do Colégio (AL) (Lat. 10o12´S e Long. 36o49´W), em seguida será determinado o Índice de Estado Trófico (IET). A estação está localizada 80 km a montante da foz do rio São Francisco e a 100 km jusante da Usina Hidrelétrica de Xingó. Os parâmetros químicos utilizados na análise foram nitrogênio amônio, nitrito, nitrato, fosfato orto e o nutriente clorofila a, principais indicativos de um processo de trofia em corpos d’água. Foram feitas análises mensais e anuais dos dados coletados na estação de coleta 49705000 PROPRIÁ, a qual a Agência Nacional de Águas (ANA) é responsável, operada pelo CPRM, latitude -10,213889, longitude -36,823889. A estação possui réguas linimétricas, não possui registrador de nível, faz medição de sedimentos (desde fevereiro de 2000), de descarga líquida (desde dezembro de 1926) e de qualidade da água (desde fevereiro de 1981). É uma estação telemétrica (desde 01 de agosto de 1996), não possui pluviômetro, registrador de chuva, tanque evaporímetro e estação climatológica. O rio São Francisco sofreu vários impactos ligados ao sistema de barragens em cascata ao longo de seu curso, esses impactos são perceptíveis em outros rios onde há barragens.


PALAVRAS-CHAVE:

Rio São Francisco; Eutrofização; Nitrogênio; Fósforo.


PÁGINAS: 74
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 3121365 - PAULO RICARDO PETTER MEDEIROS
Interno(a) - 1717255 - ANA PAULA LOPES DA SILVA
Externo(a) ao Programa - 1718531 - CARLOS RUBERTO FRAGOSO JUNIOR
Notícia cadastrada em: 07/05/2020 09:41
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2023 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 23/09/2023 18:28