Banca de DEFESA: THIAGO CAVALCANTE LINS SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : THIAGO CAVALCANTE LINS SILVA
DATA : 14/05/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

CONDIÇÃO MORFODINÂMICA E GEOMORFOLOGIA DO CAMPO DE DUNAS DO BAIXO SÃO FRANCISCO NO ESTADO DE ALAGOAS


PALAVRAS-CHAVES:

Geomorfologia Costeira; Formas Eólicas; Variações Temporais.


PÁGINAS: 156
RESUMO:

Os modelados Eólicos são bastante sensíveis a variações climáticas, resultando em ocasionais processos de remodelamento, controlados pelos balanceamentos e inter-relações que resultam em uma multiplicidade de formas eólicas. As Dunas de Piaçabuçu, inseridas no Baixo São Francisco, constitui uma área bastante dinâmica no Litoral de Alagoas, por este motivo apresenta uma diversidade de estudos relacionados ao mesmo, entretanto, os estudos de natureza geológica-geomorfológica são datados da década passada, necessitando de atualizações e ajustes. Daí surge a necessidade de estudos sistemáticos que busquem rediscutir e detalhar a dinâmica geomorfológica. Nisso, o presente trabalho constituiu uma proposta de análise integrada da dinâmica geomorfológica utilizando para isso técnicas de análise do regime eólico, técnicas de análise morfoplanimétrica, mapeamento de unidades do relevo, análises temporais das variações do campo de dunas, além das técnicas de modelagem espacial 1D. Os resultados demonstraram que o regime eólico regional promove a deriva eólica das dunas no sentido Sudoeste, com maiores processos de deriva entre os meses de novembro a janeiro; onde estes temporalmente possuem correlações com os eventos de El Niño. Os processos de deriva por sua vez condicionam o retrabalhamento das cristas de dunas mais baixas, com alta densidade de defeitos e pouco alongadas, enquanto que as porções mais elevadas apresentam contexto mais estável e evolutivamente mais resistentes. Em relação aos modelados mapeados, foram encontradas uma diversidade de morfologias eólicas, agrupadas nas associações do sistema praia-duna, das associações deflacionárias e associações livres, encontrando-se morfologias simples e complexas, havendo um aumento potencial de complexidade de formas verticalmente e horizontalmente no sentido a desembocadura. Em relação à análise espaço temporal foi identificado comportamentos de recuo nas proximidades da desembocadura fluvial com taxas de recuo 20 m/a e taxa erosão 170.000 m²/a, enquanto que os movimentos de avanço do campo de dunas foram encontrados taxas de 10 m/a e uma taxa de avanço 58.000 m²/a. Projetou-se cenários futuros com as taxas de avanço e recuo encontradas nas diversas feições, promovendo a identificação de acréscimos significativos de avanço e recuo para os anos de 2056 e 2070, recobrindo áreas vegetadas e cursos fluviais. Na correlação dos resultados identificou-se o processo de barramento no controle da estabilidade do sistema eólico, interpretando as barreiras topográficas e vegetais como essenciais, permitindo a resiliência e controle do avanço das dunas. De forma conclusiva presente estudo realizou um diagnóstico detalhado do campo de dunas, identificando seus fatores modeladores, sua modelagem, suas formas, suas modificações e seus usos, possibilitando uma série de correlações na construção de interpretações não realizadas anteriormente utilizando-se de uma metodologia de baixo custo e bastante viável de aplicações em outras regiões.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1717255 - ANA PAULA LOPES DA SILVA
Externo ao Programa - 1881518 - BRUNO FERREIRA
Externo à Instituição - MARCO TULIO MENDONÇA DINIZ - UFRN
Presidente - 1574934 - NIVANEIDE ALVES DE MELO FALCAO
Notícia cadastrada em: 30/04/2021 08:44
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 22/02/2024 04:07