PPGG PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA INSTITUTO DE GEOGRAFIA, DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE Telefone/Ramal: 99992-2210/1441

Banca de QUALIFICAÇÃO: MAGDA CAMPOS DE LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MAGDA CAMPOS DE LIMA
DATA : 10/09/2021
HORA: 10:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

RECURSOS GEOTURÍSTICOS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS NA REGIÃO DO ALTO SERTÃO DE ALAGOAS: O CASO DE MATA GRANDE


PALAVRAS-CHAVES:

Turismo; Geoturismo; Recursos Geoturísticos; Manifestações Culturais; Sertão de Alagoas.


PÁGINAS: 85
RESUMO:

O turismo é uma atividade dinâmica capaz de gerar diversas transformações direta ou indireta no ambiente em que é praticado, no modo de vida da comunidade local que sobrevive da atividade turística e nas percepções dos visitantes responsáveis por sustentar essa atividade. A Região do Alto Sertão de Alagoas dispõe de abundantes recursos tem potencial para a prática de diversas modalidades de turismo. Visando aproveitar essa potencialidade a proposta do ministério do turismo (MTur) é a implantação de programas de regionalização e interiorização do turismo em municípios distantes dos grandes polos turísticos. Porém, a implantação desses programas encontram dificuldades em atender a proposta de interiorização e diversificação turística. Os programas são negociados por determinados grupos políticos que detém o poder no Estado, em beneficio de interesses políticos e econômicos centralizam o turismo no litoral, quando os programas são direcionados ao interior acabam atendendo os municípios em que o turismo já está consolidado. O mapa turístico é um dos instrumentos utilizado pelo ministério do turismo (MTur) para a divulgação dos lugares turísticos, em 2019 ocorreu à atualização do mapa, mas não foram todos os municípios considerados turísticos da Região do Alto Sertão de Alagoas que tiveram uma representação simbólica inserida no mapa turístico de Alagoas. Para que os municípios que não estão simbolicamente representados, possam ter uma representação simbólica é preciso identificar entre os recursos naturais e culturais quais se destacam. O objetivo da pesquisa pretende identificar que recursos geoturísticos e manifestações culturais tem motivado o deslocamento de visitantes para a Região do Alto Sertão de Alagoas.Para a realização da pesquisa foram feitos levantamentos bibliográficos baseados em autores que contribuem para o entendimento dessa temática como: Costa (2009), Corrêa (1997), Cruz (2003), Moreira (2014), Santos (2008), Rosendahl (2018), Tuan (2013) entre outros. Para embasar está pesquisa a abordagem interpretativa usada é a fenomenológica e como suporte foi utilizado o método qualitativo. Através do levantamento de campo as informações são adquiridas com observações, aplicação de questionário semiestruturado e uso de materiais fotográficos. A técnica usada é de amostra intencional que consiste em escolher oito pessoas em cada município pesquisado: Água Branca, Delmiro Gouveia, Inhapi, Mata Grande, Olho d’água do Casado, Pariconha e Piranhas, no total de cinquenta e seis respondentes. O resultado dos dados adquiridos através da participação de visitantes e habitantes locais será demonstrado em gráficos, tabelas, quadros e mapas. Os recursos geoturísticos e manifestações culturais lembrados pelos respondentes como a imagem dos municípios poderão ser utilizados como a representação simbólica que ainda não estão inseridas no mapa turístico e ao mesmo tempo pode confirmar as que já estão. Também, será organizado o roteiro turístico incluindo os recursos geoturísticos e as manifestações culturais mais citados. O intuito da elaboração do roteiro é colocar em evidência a rota turística que esses municípios da Região do Alto Sertão de Alagoas fazem parte, mesmo recebendo reconhecimento por parte do ministério do turismo (MTur), não tem recebido a devida atenção e divulgação do setor turístico e órgãos governamentais. A política turística com o intuito de aprovar os programas e obter o apoio financeiro insere-se como uma causa salvadora, prometendo trabalhar de acordo com critérios baseados na sustentabilidade, e que irá resolver os problemas sociais e econômicos dos municípios que fazem parte da proposta. Propõe adotar uma gestão participativa que em muitos casos é fictícia, não atende as necessidades da comunidade local e o poder de decisão é tomado apenas por grupos políticos e empresários. Os investimentos governamentais voltados ao desenvolvimento turístico acabam não atendendo ao que promete, é percebido que os programas de regionalização e interiorização do turismo não têm conseguido atender a proposta de diversificação turística.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1837255 - DOMINGOS SAVIO CORREA
Externa à Instituição - ISA DE OLIVEIRA ROCHA - EDESC
Interno - 1121307 - LINDEMBERG MEDEIROS DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 23/07/2021 10:16
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 16/06/2024 08:11