PPGG PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA INSTITUTO DE GEOGRAFIA, DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE Telefone/Ramal: 99992-2210/1441

Banca de DEFESA: ALYSSON DE MELO ARAUJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALYSSON DE MELO ARAUJO
DATA : 08/09/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Webconferência
TÍTULO:

DESTINAÇÃO XINGÓ: ABRANGÊNCIA TERRITORIAL E A AÇÃO DOS AGENTES DA TURISTIFICAÇÃO


PALAVRAS-CHAVES:

Turismo. Território. Turistificação. Destino Turístico. Xingó.


PÁGINAS: 156
RESUMO:

O turismo é capaz de modificar, (re)produzir e (re)organizar os territórios em que se
insere, o ocorre por meio de um processo de territorialização turística. Esse processo faz
com que os espaços que são apropriados pelo turismo passem por diversos tipos de
modificações. O território sob processo de turistificação assume diferentes significados
para os turistas e os agentes do mercado, o que exige que o Estado atue como mediador
para, dentre outros objetivos, buscar soluções de problemas socioespaciais potenciais que
se manifestem no destino. Compreende-se neste estudo que a territorialização do espaço
pelo turismo nos destinos é guiada significativamente pelos usos que o turista faz do
espaço geográfico, levando à constituição de territórios do e para o turismo. O destino
turístico Xingó, objeto de estudo desta dissertação, está situado em uma área de
confluência entre os estados de Alagoas e Sergipe. Essa área passou por mudanças
socioespaciais e econômicas significativas a partir de1994, quando a Usina Hidrelétrica de
Xingó (UHE) foi inaugurada. A partir de então, com crescentes investimentos privados no
turismo o destino se desenvolveu consideravelmente, tendo alcançado partes do território
de cinco municípios. Com o conjunto de experiências ofertadas por Xingó, o destino se
tornou uma força de interiorização do turismo em Alagoas e Sergipe, funcionando como
um diferencial frente à oferta de “Sol e Mar”. Este trabalho tem como objetivo
compreender a territorialização do destino Xingó, com ênfase no papel exercido pelos
turistas no uso do território do destino, isto é, o território efetivamente usado pelos
turistas. O estudo adotou uma abordagem qualitativa, de caráter descritivo, explicativo e
exploratório, com o emprego de observação direta de campo, registro fotográfico, análise
de imagens remotas do Google Earth, e aplicação de questionários. Os resultados
oferecem evidências de que os turistas que visitam o destino são motivados por uma
combinação de atrativos de caráter natural e cultural. O uso do território realizado pelos
turistas se estende espacialmente para além das duas cidades que funcionam como
portão de entrada do destino: Piranhas-AL e Canindé de São Francisco-SE, formando uma
zona de destinação. Se constatou também que as ações do mercado frente ao processo
de turistificação apresenta alguma divergência em relação ao território efetivamente
usado pelos turistas. Finalmente, se verificou também que o poder público tem ficado
relativamente à margem do processo de turistificação do destino Xingó.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - AGUINALDO CÉSAR FRATUCCI - UFF
Presidente - 1121307 - LINDEMBERG MEDEIROS DE ARAUJO
Interno - 1188049 - PAULO ROGERIO DE FREITAS SILVA
Notícia cadastrada em: 10/08/2021 00:00
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-4.srv4inst1 14/06/2024 11:22