PPGG PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA INSTITUTO DE GEOGRAFIA, DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE Telefone/Ramal: 99992-2210/1441

Banca de DEFESA: NAYARA BARRETO DA COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NAYARA BARRETO DA COSTA
DATA : 23/02/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:
AVALIAÇÃO PLURIANUAL DA CARGA DE NUTRIENTES E DO ÍNDICE DO ESTADO TRÓFICO EM UMA SEÇÃO DO RIO PARAÍBA DO MEIO - ALAGOAS


PALAVRAS-CHAVES:

Carga de Nutrientes; Eutrofização; Escoamento superficial; Estado Trófico;ResoluçãoCONAMA.


PÁGINAS: 136
RESUMO:

Mediante o crescimento populacional no mundo, os recursos naturais, sobretudo os ecossistemas aquáticos, são afetados por uma intensa transformação. Caracterizado como um rio de porte pequeno, o rio Paraíba do Meio encontra-se em alto processo de degradação devido à maneira de como o seu uso para fins sociais e/ou econômicos é feito pela população local. Dessa forma, o objetivo dessa pesquisa foi determinar o Índice do Estado Trófico (IET) e o comportamento da carga de nutrientes em uma seção do rio Paraíba do Meio (Alagoas - AL) durante o período de dois anos hidrológicos (2016-2017) e suas implicações sociambientais. Os dados de vazão  e precipitação pluvial foram obtidos através do portal HidroWeb da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico – ANA. Foi realizada uma correlação entre a vazão e a precipitação pluvial na seção do rio para o período em estudo. Os dados referentes aos parâmetros físico-químicos da água foram obtidos a partir do Banco de Dados do Laboratório de Geoquímica Ambiental (IGDEMA-UFAL), a saber: Amônio (NH4), Nitrito (NO2-), Nitrato (NO3-), Fósforo Dissolvido, Oxigênio Dissolvido (OD), Turbidez (UNT), Temperatura da água (°C), Clorofila a, Salinidade, Potencial Hidrogeniônico (pH), Condutividade Elétrica e os Sólidos Totais em Suspensão (TSS), os quais foram comparados com os padrões estabelecidos pela Resolução do CONAMA n° 357/2005. Para a determinação e análise do Estado Trófico na água, foi utilizado o Índice do Estado Trófico (IET) obtido através do método de Carlson (1977) modificado por Lamparelli (2004). O total de precipitação média para o período de 1988-2017 foi de 1116,13 mm, enquanto que em 2016 a precipitação total anual foi de 921,44 mm e em 2017 foi de 1866,9 mm. Quanto a vazão, a média para o período de 1988-2017 foi 22,51 m3 s-1, sendo a média anual em 2016 de 7,97 m3 s-1 e de 58,40 m3 s-1 em 2017. A correlação entre a vazão e precipitação do período de 1988-2017 retornou coeficientes de Pearson e de determinação de 0,90 e 0,79, respectivamente. Enquanto que para os anos de 2016 e 2017 os coeficientes foram 0,85 e 0,73  e 0,95 e 0,88, respectivamente. As médias anuais de amônio foram de 76,57 μg.L-1 em 2016 e de 49,5 μg.L-1 em 2017. Quanto ao nitrito, as médias anuais foram de 19,46 μg.L-1 em 2016 e de 7,90 μg.L-1 em 2017. Já o nitrato, suas médias anuais foram de 126,48 μg.L-1 em 2016 e de 227,67 μg.L-1 em 2017. Em 2016 a média anual de fósforo total foi de 111,34 μg.L-1 e 4,41 μg.L-1 de clorofila a, já em 2017 a média anual de fósforo total foi de 98,64 μg.L-1 e de 13,15 μg.L-1 de clorofila a. O IET variou de 59 (eutrófico) a 66 (supereutrófico) em 2016 e de 58 (mesotrófico) a 72 (hipereutrófico) em 2017. Conclui-se que a precipitação e a vazão modificaram as concentrações de nutrientes e o seu comportamento na água do rio, e que a concentração de fosfato orto e das formas do nitrogênio inorgânico dissolvido (nitrito, nitrato e amônio) durante os anos de 2016 e 2017 foram, em parte, alteradas pela vazão. Ao analisar o IET obtido, pode-se classificar o rio em duas principais zonas de estado trófico: eutrófico e supereutrófico, ainda com alguns meses em condições mesotróficas e hipereutróficas.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1717255 - ANA PAULA LOPES DA SILVA
Externa ao Programa - 2331771 - GEORGENES HILARIO CAVALCANTE SEGUNDO
Externa à Instituição - NILVA BRANDINI - UFF
Presidente - 3121365 - PAULO RICARDO PETTER MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 26/01/2022 10:19
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-4.srv4inst1 25/07/2024 01:40