Banca de DEFESA: DEBORA LUZIA MOURA CORREIA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DEBORA LUZIA MOURA CORREIA
DATA : 15/07/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Webconferência
TÍTULO:

AUMENTO DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA NA
CAPITAL ALAGOANA: CAUSAS, EFEITOS E TERRITÓRIO
USADO


PALAVRAS-CHAVES:

População em situação de rua. Espaço urbano. Território usado.


PÁGINAS: 135
RESUMO:

No município de Maceió-AL, assim como em tantas outras

capitais, as pessoas em situação de
rua, habitam essencialmente, nos espaços públicos do centro
da cidade, isto é, nas praças,
calçadas, debaixo das pontes, pontos de ônibus etc. Estas
pessoas possuem percepções
totalmente diferentes do espaço urbano, justamente, por não
serem pessoas domiciliadas e terem
a necessidade de encontrar abrigo na rua, sendo assim,
habitantes urbanos que possuem uma
frágil relação com o espaço. Segundo o Decreto n° 7.053, de 23
de dezembro de 2009,
população em situação de rua é um grupo populacional
heterogêneo que possui em comum a
pobreza extrema, os vínculos familiares fragilizados ou
rompidos e a inexistência de moradia
convencional regular. No entanto, mesmo sem ter a posse
sobre o terreno, os moradores de rua
estabelecem relações com o espaço, uma vez que habitam e
circulam em determinadas partes
da cidade, estariam eles estabelecendo território?. Trata-se de
um fenômeno multidimensional,
pois, há uma sobreposição de aspectos e particularidades
intrínsecas aos contextos em que
ocorrem. A partir da revisão bibliográfica, percebe-se que há
poucos estudos de perspectiva
geográfica sobre a referida temática, bem como há muitas 

lacunas em relação aos censos e
levantamentos demográficos, o que dificulta a formulação de
políticas públicas eficazes. Em
2020, a Secretaria de Assistência Social de Maceió divulgou
que mais de 3 mil pessoas viviam
em situação de rua no meio urbano do município, de maneira
que, cerca de 1 mil dessas pessoas
concentram-se no bairro Centro. A População em Situação de
Rua (PSR) percebe a dinâmica
da cidade e para sobreviver, muitas vezes tendem a concentra-
se nas áreas que favorecem as
atividades econômicas, para assim desempenhar trabalhos de
natureza diversas e até mesmo
prática de mendicância. As áreas da cidade que proporcionam
de maneira mais significativa
oportunidades para questões de higiene, alimentação e
segurança irão efetivamente concentrar
esse seguimento populacional. Por isso, o município de Maceió,
e, mais especificamente, o
bairro Centro, caracterizam-se como o campo empírico desta
pesquisa. Para investigar o
aumento desse fenômeno em Maceió, bem como, o uso e
ocupação do espaço público por
Pessoas em Situação de Rua, foi realizada uma abordagem de
pesquisa participante nas unidades
do Centro de Referência Especializado para Pessoas em
Situação de Rua e no próprio centro urbano,
para assim interpretar, refletir e analisar os dados obtidos.
Dessa forma, a partir da observação do
funcionamento do equipamento social, acesso aos relatórios,
formulários de atendimentos
realizados e posteriormente tabulação dos dados verificou-se
que nos últimos dois anos houve um
substancial aumento de PSR em Maceió.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1837255 - DOMINGOS SAVIO CORREA
Externo à Instituição - JOSE MESSIAS BASTOS - UFSCAR
Interna - 1495516 - LUCIANE MARANHA DE OLIVEIRA MARISCO
Notícia cadastrada em: 06/04/2022 13:21
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2024 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 27/02/2024 14:34