Banca de DEFESA: JOSÉ ROBERTO GALDINO DE BARROS FILHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOSÉ ROBERTO GALDINO DE BARROS FILHO
DATA : 31/05/2022
HORA: 15:00
LOCAL: Webconferência
TÍTULO:

Análise sobre os impactos da atividade extrativa mineral de sal-

gema em Maceió/AL


PALAVRAS-CHAVES:

Maceió, sal-gema, mineração, setor cloro-químico, desastre

ambiental


PÁGINAS: 130
RESUMO:

Este projeto propõe o desenvolvimento de uma reflexão teórica

crítica sobre a
Industria mineral de sal-gema e os impactos de sua atuação na
cidade de Maceió,
capital do Estado de Alagoas. Esta mineração subsidia matéria-
prima para o setor
cloroquímico que possui relevância para a economia local e
regional porem esta
atividade é apontada pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM)
como responsável pelo
maior desastre ambiental em ocorrência localizado em área
urbana da América Latina,
atingindo diretamente cerca de 50 mil pessoas, danos causados
a cidade pelo modelo
extrativo mineral de sal-gema. Na perspectiva de investigar a
problemática e dar
contribuição da ciência geográfica ao tema, realiza-se
inicialmente um estudo
histórico-dialético sobre a formação social e econômica do
Estado de Alagoas, dando
ênfase nas especificidades desse processo na cidade de
Maceió. Em seguida é feita
uma caracterização dos aspectos físicos e biológicos,
identificando a morfologia e a
geologia da região explorada, substanciando elementos
fundamentais da região onde
ocorre as atividades de extração de sal-gema na Laguna
Mundaú e em três bairros.
Obtendo tais informações para embasamento cientifico é
construído no decorrer uma 

contextualização da mineração entorno do sal-gema em
Alagoas, que envolve o
histórico da extração, os processos e evolução do
beneficiamento (cloro/soda/DCE),
e também a história da empresa responsável desde o
surgimento da Salgema S/A e
os acontecimentos ocorridos até a privatização e em seguida o
surgimento da
gigantesca petroquímica Braskem S/A. Apontando as
contribuições do polo
cloroquímico para a economia alagoana e as suas contradições
que surgiram. Na
sequência apresenta-se uma compreensão sobre o desastre
ambiental em
ocorrência, baseado nos relatórios da CPRM (2019) e de alguns
estudos técnicos
posteriores que descrevem o processo de subsidência que já
atinge 5 bairros da
cidade e os riscos ambientais diagnosticados. Por fim é
construída uma análise
geográfica sobre os impactos ambientais, sociais e econômicos
causados e suas
consequências para a cidade de Maceió.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1837255 - DOMINGOS SAVIO CORREA
Externo à Instituição - JOSE MESSIAS BASTOS - UFSCAR
Presidente - 1458194 - MARTA DA SILVEIRA LUEDEMANN
Notícia cadastrada em: 07/04/2022 16:35
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-2.srv2inst1 01/07/2022 20:07