Banca de DEFESA: RAYANNE SANTOS DE ALMEIDA MENDONCA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAYANNE SANTOS DE ALMEIDA MENDONCA
DATA : 22/06/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Webconferência
TÍTULO:

TERRITORIALIZAÇÃO TURÍSTICA DE EMPREENDIMENTOS
IMOBILIÁRIOS E CONFLITOS SOCIOESPACIAIS NA ROTA
ECOLÓGICA, LITORAL NORTE DE ALAGOAS


PALAVRAS-CHAVES:

Turismo. Territorialização. Conflitos Socioespaciais. Rota Ecológica.


PÁGINAS: 165
RESUMO:

O turismo é um importante fator de produção do espaço geográfico. Ao
se estabelecer em determinado recorte espacial, ele gera novas
territorialidades, interfere nas territorialidades existentes, modifica os
lugares e a paisagem, frequentemente gerando conflitos socioespaciais.
Extensas áreas litorâneas da região Nordeste do Brasil vêm passando
por um processo de turistificação que tem causado uma série de
conflitos socioespaciais, provocando muito debate sobre a ação do
turismo no espaço, bem como sobre o seu impacto nos interesses das
populações locais, alterando a percepção, o sentimento e a identidade
das comunidades envolvidas. Assim, o lugar de vivência das
populações preexistentes, seus vínculos sociais e de pertencimento são
alterados, para atender ao consumo, para e pelos turistas. Esse
fenômeno de natureza geográfica tem gerado a exclusão e
marginalização de anfitriões e o esvaecimento de aspectos da cultura
local. Além disso, o avanço do mercado imobiliário e a especulação
em torno do valor da terra, frequentemente excluem parte da população
preexistente, gerando inclusive dificuldades de acesso aos seus meios
de vida tradicionais. Esses tipos de problemas, muito difundidos no
litoral nordestino, também vêm ocorrendo em um trecho do litoral
norte de Alagoas, com uma extensão linear de 23 km, e que abrange
partes dos municípios de Porto de Pedras, São Miguel dos Milagres e
Passo de Camaragibe. Essa parte do litoral de Alagoas forma o destino
turístico Rota Ecológica (RE), o qual tornou-se conhecido por meio de
uma oferta turística alternativa, composta, principalmente, de meios de
hospedagem denominados de “pousadas de charme”. Entretanto, à
medida em que a oferta dessas pousadas tornou a RE nacional e
internacionalmente conhecida, começaram a surgir nesse destino, a 

partir de aproximadamente 2016, investimentos voltados à construção
de empreendimentos turístico-imobiliários, com projetos arquitetônicos
que descaracterizam a paisagem local, indo na contramão do estilo das
pousadas de charme. O objetivo dessa pesquisa é analisar a
territorialização dos empreendimentos turístico-imobiliários no destino
turístico Rota Ecológica, buscando compreender os conflitos
socioespaciais que eles têm causado. A pesquisa é de natureza
qualitativa, descritiva, e adota abordagem indutivo-dedutiva. Os
procedimentos de coleta de dados incluíram: levantamentos de campo,
para observação direta, registro fotográfico, e entrevistas exploratórias;
exame de imagens remotas; e análise de documentos públicos e
privados. O estudo conclui que os empreendimentos imobiliários têm
causado significativos conflitos socioespaciais na Rota Ecológica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1121307 - LINDEMBERG MEDEIROS DE ARAUJO
Externa à Instituição - MANUELA GRACE DE ALMEIDA ROCHA KASPARY - IFAL
Interno - 1188049 - PAULO ROGERIO DE FREITAS SILVA
Notícia cadastrada em: 18/05/2022 12:20
SIGAA | NTI - Núcleo de Tecnologia da Informação - (82) 3214-1015 | Copyright © 2006-2022 - UFAL - sig-app-1.srv1inst1 01/07/2022 20:40